Abrir menu principal

Desciclopédia β

Luiz Felipe Pondé

Bandeira de Pernambuco.JPG Oxe, mô véi! Ess'artigo foi'xxxcrito por um cabra pernambucano arretado da porra, visse?
Goxxxtasse não foi, abestalhado?! Vátilaxxxcá, seu fi di rapariga!! Bicho tabacudo do carai!!!
Tái feito baiano, é?!
Simbolo ateu moderno.jpg Luiz Felipe Pondé é Ateu/Ateia!

Isto significa que ele(a) não acredita em Jesus, Alá, Buda, Krishna ou qualquer outro Deus fantasioso criado pelos homens. Bom, ao menos é o que eles dizem até um avião sofrer uma turbulência. Clique aqui para encontrar outros céticos.


Luiz Felipe Pondé em seu sono de beleza, após mais baboseira uma palestra.

Cquote1.png Você quis dizer: Marcelo Tas? Cquote2.png
Google sobre Luiz Felipe Pondé
Cquote1.png Oxe, mô véi! Ess'artigo foi'xcrito por um caba pernambucano arretado da porra, visse? Tái feito baiano, é?! Ora, porra! Vô contá pá tu desaparecê, visse? Um, dôx, trêx!!! Lavra, frexco!!! Cquote2.png
Manifesto do autor do artigo

Luiz Felipe Pondé, mais conhecido na Wikipédia como Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé é antes de mais nada, sem esquecer e mais importante de tudo, uma bichona. Não é apenas por isso que ele será zoado nesta página, que não é apenas para informar, mas também para homenagear essa criaturinha simpática e enjoada.

Escolha do nomeEditar

 
Luiz Felipe Pondé ficando mais vesgo, ao ver seu namorado chegando.
 
O oposto dele, uma cara muito mais renomado internacionalmente.

O nome dela, que é uma das veias cavas deixadas por Dom Podre, mostra que Pondé tem sangue nobre, ainda que não o seja oficialmente. Assim mesmo, ela (não é erro, não corrija) preferiu deixar seu sobrenome francês herdado por sua mãe adotiva, apenas por uma de suas amigas monas dizer que ficaria chiquetão.

Ela concordou, após muito filosofar e assim, teve seu nome mais conhecido, apenas com o sobrenome de origem francesa (se não for também não tem importância), ainda que nenhum francês goste disso, mas assim ficou. Não era para explorar o lado bichona de Luiz Felipe Pondé, mas além desses fatos serem verídicos, ele não liga nem um pouco para isso. Ora, desde quando bichona assumida se ofende? Enrustida talvez, mas não é o caso, embora Luiz Felipe Pondé tenha jeito de mal-resolvida, mas enrustida jamais.

Seus pais não tiveram dificuldade alguma ao ver aquela criatura careca (que assim permaneceria a maior parte da vida), em escolher o nome: Luís Felipe, uma vez que, a mãe enquanto grávida não parava de dizer que teria a Luizinha. Não errou tanto apesar do susto pós parto e, ao nascer Luíz Felipe já era chamado por todos ao redor de Luizinhao, ainda antes de nascer já era assim chamado, seu fresco aparelho auditivo podia ouvir, ainda envolto em placenta rosa, sua cor preferida (apesar de não combinar tanto), o chamado Luíza, mas não teve problemas ao reconhecer e aceitar o nome sem o a, embora também apreciasse.

Por conta do acento ser no sobrenome, quando todos sabemos que Luíz deve levar acento, mesmo preferindo ficar em pé, o acento ficou no sobrenome e fim de papo. Ele já declarou que se tivesse acento em seu nome, haveria mesmo de ser na letra e, não para firmar a frescura dos inteligentinhos franceses, mas para combinar com as estranhas e feias gírias gay.

"Descobertas"Editar

 
Pondé melhorado por Chico Caruso: cobrou pouco e melhorou bastante.
 
Luiz Felipe Pondé contando o quanto era difícil fingir pros colegas que apreciava a fruta.
 
Luiz Felipe Pondé vendo um OVNI momentos antes de ser abduzido. Sim, a imagem é repetida, mas foda-se.

Antes de descobrir a filosofia ocidental (que é uma bosta), Pondé sorriu para o despetalar (ou despertar, como queira), da sexualidade, mas não apreciou em nada a fruta mulher, nem sexualmente, nem de forma nenhuma, mesmo tendo amigas, Luiz Felipe Pondé odeia mulheres, notando-se isso em suas declarações e elogios as mesmas: Ora, ele precisa deixar claro, desesperadamente e com veemência, ser politicamente incorreto (puta que pariu, só não gumito em ouvir/ler isso porque tenho o estômago de avestruz forte), mas ele também não puxa para o humor, apenas diz suas certezas com a seriedade da bicha politicamente incorreta que tem que ser.

Pondé, apesar de ser de família importantona, tendo muitas oportunidades, bem por isso desde muito antes de chegar a hora de decisões importantes, ficou indeciso, pois achava que tinha muitos talentos diversificados. Isso o fez decidir pela coisa mais inútil e sem préstimo conhecida: filosofia claro, mas sem deixar de ser a filosofia ocidental, que daí sim, não há mais dúvidas de que é a coisa mais inútil e sem propósito. A filosofia oriental é aproveitável e é a origem da filosofia, assim mesmo é como se nunca tivesse existido para os ocidentais. Teimando em fazer filosofia ao seu modo, instaurou-se a bosta: Felipe Pondé foi um dos que se entusiasmou com isso... Corrigindo, já que não se entusiasmou com nada, escolheu a filosofia.

Muitas porcarias lustrosas saem da boquinha assustadora de Luiz Felipe Pondé, mas sai dela também coisas verossímeis. As coisas mais óbvias são ditas por ele, aquelas coisas bem óbvias que pirralhos com menos de dez anos já sabe. Onde está o extraordinário? Ora, Luiz Felipe Pondé consegue dizer coisas óbvias como se estivesse dizendo coisas que apenas um cérebro de gray (você leu gray e não gay) poderia notar: isso é um grande feito. Os outros 50% de porcarias restantes ditas por ele servem para dar um toque bem de filosofia ocidental mesmo, um toque subjetivo (vago, confuso e/ou sem noção), que acaba por dar ares de importância ao discurso. Isso lhe rendeu uma porção de compradores para seus livros chatos, prêmios, menções, admiradores e quem mais quisesse lamber sua bunda.

Ver também, se quiserEditar

  Luiz Felipe Pondé é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!