Abrir menu principal

Desciclopédia β

Máquina Mammon

Cquote1.png Máquina do DIABOOOOOOOOOOO Cquote2.png
Padre qualquer sobre Máquina Mammon

A Máquina Mammon é uma das "coisas" (se assim podemos chamar) mais importantes de Chrono Trigger, apesar de sua pouca aparição no jogo em si. Se trata de uma ferramenta criada para ser energizada com o poder de Lavos, o próprio demônio parasita que está na Terra, e, ao mesmo tempo, receber energia externa para se unificar com a de Lavos e assim criar uma energia mais foderosa para foder o mundo inteiro. Simples.

Índice

CriaçãoEditar

 
A própria. Mais parece um bucetão.

A Rainha Louca Esquizofrênica, popularmente conhecida como Rainha Zeal, um belo dia, acordou numa TPM fodida e a fim de foder o mundo inteiro. Neste dia em questão, ela decidiu ignorar todos os avisos dos gurus para não brincar com os poderes de Satã Lavos, pois poderia causar um mal gigantesco. Dito e feito, foi isso que ela fez. Decidiu, por intermédio de um pentagrama, duas galinhas, meia garrafa de pinga, uma criança, um bode sem barba e um pônei (sim, um pônei), contactar Lavos e absorver um poder absurdo dele para tocar o puteir no Reino Zeal. Vendo que era impossível uma simples humana, por mais poderosa que achasse ser fosse, suportar tamanho poder, ela ordenou que os gurus, mais precisamente Melchior, o Guru da Vida, foi o designer e arquiteto dela, juntamente com o mestre em engenharia e arquitetura, Balthasar, o Guru da Razão, criassem uma máquina capaz de suportar e armazenar todo o poder emanado por Lavos, para obter a vida eterna juntamente dele. Como uns belos capangas e cagões que eram, Melchior e Balthasar o fizeram. Construiu uma máquina capaz de sugar diretamente o pau poder de Lavos e também concentrar toda a energia externa de Zeal, Schala e de outros capangas inúteis, como Dalton, de uma maneira absurda.

Juntamente da máquina, os gurus criaram a miçanga do jogo: o Pingente de Schala, um artefato de, logicamente, Schala, que poderia controlar a máquina caso ela saísse do controle ou por algum outro motivo qualquer necessitasse. Além disso, por questões de segurança, os gurus criaram portas especiais que só poderiam ser abertas com a referida miçanga, que por sua vez, era dotado de energia de Lavos. Também criaram baús energizados com a mesma força de Lavos, para guardar itens preciosos, também podendo ser abertos somente com o pingente já energizado. Reza a lenda que, após os eventos de Chrono Trigger, Chaleira Schala precisou ir à praia vender a bijuteria.

UsoEditar

Na linha de tempo original, a Rainha Zeal queria usar a máquina logo quando ela estivesse concluída, instantaneamente, pois ainda estava sob efeito da TPM. Mulheres... Bom, logicamente, os gurus, por conhecerem os efeitos da máquina e terem noção de consequências passíveis de seu uso, a advertiram sobre todos os vórtices dimensionais que seriam criados, alterados e iriam surgir ali, bem como que eles provavelmente seriam sugados por uma fenda temporal assim que a máquina fosse ativada. Ignorando tudo isso, a Rainha Zeal simplesmente mandou ativar a máquina, na presença de Schala e os três gurus. O que ela não esperava era que Janus fosse entrar na mesma sala na exata hora em que ela usou a máquina. Naturalmente, eles foram transportados à presença de Lavos, onde Schala e Zeal se uniram com Lavos, os três gurus foram enviados para outras eras e Janus, por também estar na sala, inevitavelmente foi sugado pelo vórtex e enviado para o Acre o ano 600 D.C..

 
A Máquina Mammon sendo adorada pelos cultistas satanistas maçônicos de Zeal.

Já na linha de tempo onde controlamos Crono e sua gangue, em virtude de todas as interferências causadas por eles, algumas coisas saem dos planos, como a presença dos gurus na hora do uso da máquina e a presença de Janus na mesma sala, também. Entretanto, coisas piores aqui acontecem (ou não): após libertar Melchior da Montanha da Aflição, Schala diz que o Palácio Oceânico já está pronto e que a Máquina Mammon está para ser ativada em breve, apesar dela ser relutante quanto à isso (não que ela mande em alguma coisa, todos sabemos que ela é uma pau mandada). Crono e sua trupe partem rumo ao Palácio a fim de impedir o despertar de Lavos e a unificação da Rainha Zeal com o cramunhão. Antes de partirem, Melchior entrega para eles uma lâmina vermelha que, segundo ele, pode destruir a Máquina Mammon e impedir o uso dela. Chegando lá, no lugar da reuniãozinha maçônica de invocação do Satã, temos a infelicidade de ver Zeal forçando Schala a usar todo seu poder para ativar a máquina, o que acaba acontecendo. Mesmo com a fincada (ui!!) da lâmina por Crono na máquina, já é tarde demais. Lavos é acordado. Todos são teleportados à frente dele e, como esperado, o profeta se revela ser Magus e jura acabar com tudo ali mesmo, mal sabe ele que seu poder não chega a 1/10 do de Lavos... Logicamente ele é brutalmente espancado por Lavos, restando a Crono, em um ato de idiotice bravura, dar sua vida em prol de salvar a de seus amigos. Schala, observando tamanha burrice coragem, usa suas últimas forças para teletransportar a todos para longe dali. Falhando miseravelmente, o Palácio Oceânico surge graças toda a energia armazenada na Máquina Mammon.

Ainda, temos a oportunidade de destruir a Máquina Mammon dentro do Palácio Oceânico, antes de chutarmos o traseiro de Zeal. A Máquina é um tanto quanto inofensiva e demora para atacar, mas quando ataca... Também não é grande coisa. Sem muito estresse, podemos destruir ela facilmente, apesar que destruindo-a aqui já não se tem nenhum efeito, pois a Rainha já está usando o poder diretamente de Lavos e já se encontra unificada com ele.

EtimologiaEditar

O nome "mammon" provém de um termo em hebraico que significa Allahu Akbar ganância ou dinheiro. Com o tempo, foi usado para dizer que você "não pode servir a Deus e a Mammon", essas besteiras de lunáticos e fanáticos. Também com o tempo (estamos em um artigo de Chrono Trigger, o que você esperava?), usou-se o termo "mammon" para se referir à entidades malignas, que traziam o mal, que armazenavam o mal e que eram dotadas do próprio demônio. Logo, vemos que o Dream Team eram claramente adoradores do capiroto ao trazer este nome para um joguinho inofensivo e infantil.

Ver tambémEditar