Abrir menu principal

Desciclopédia β

Macaco Tião

Cquote1.png UuuuAAAA uuuuaaaaaaAA uuuuuuuhhhhAAA !!!! Cquote2.png
Uma grande frase filósofica desse grande pensador brasileiro

Macaco Tião (Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 1963) é um chimpanzé político e professor universitário de dupla nacionalidade banano-brasileiro. Ex-presidente da República das Bananas e atualmente candidato a Reitor da UNIRIO.

Macaco Tião
Macacoreitor.jpg
5.º Presidente de República das Bananas
No cargo
23 de Abril de 2000 a.C.
22 de Maio de 2004 d.C.
Vice-presidente Bozo
Antecessor Donkey Kong
Sucessor George W. Bush
Pessoal
Nascimento 16 de Janeiro de 1963
Rio de Janeiro, Brasil
Profissão Professor universitário
Partido PICA


Índice

Início da carreira políticaEditar

 
Macaco Tião fazendo boca de urna.

Aos 15 anos, no alto de sua maturidade intelectual, começa a se interessar por política e se filia ao PMdoB (Partido Macaquista do Brasil) e começa pouco a pouco a dominar o cenário político do Zoológico do Rio de Janeiro, primeiro dominando o CAM (Centro Animal de Macacologia) e logo depois o DCA (Diretório Central dos Animais). Nosso candidato conseguia facilmente apoio político através de confraternizações com muitos aperitivos (como cerveja e tequila), onde constantemente haviam orgias animais.

Passado alguns anos, Tião se filia ideologicamente ao PICA (Partido da Irmandade Comum Animal), com a ideologia de entrar para o partido mais votado, e depois do ótimo desempenho nas eleições municipais no Rio de Janeiro de 1988, onde ficou em terceiro colocado com 9,5% dos votos, iniciou-se uma verdadeira conspiração para que Tião não se consagra-se como político influente que estava se tornando rapidamente.

Atentado terrorista e tempos de exílioEditar

Em 23 de Dezembro de 1996, Tião sofreu um atentado por intoxicação alimentar. Colocaram cobre (Cu) na banana do nosso candidato. Mas a grande quantidade de fosfato de ouro (PAu) do célebre macaco o fez sobreviver ao atentado, mas diante do medo de novamente sofrer com a violência de seus opositores, resolveu se exilar em Banana Island, na cidade de Daly City, Estado da Califórnia, EUA.

Lá, como bom autodidata que é, estudou muito sobre a "Teoria dos Gatos Amanteigados" ou "Teoria do Gato Flutuante", sobre a "Lei de Murphy", e desenvolveu estudos em "Macacologia aplicada à Ciência Política".

Foi um tempo muito proveitoso, onde ele conviveu com outros célebres símios, como Donkey Kong, King Kong, José Simão, Severino Cavalcante, César Maia e foi onde ele conheceu o Sagui, que se tornou também professor na UNIRIO e hoje é parceiro incondicional de Tião.

O retorno à vida públicaEditar

Em 2005 ele retorna como professor de Anatomia da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO, passando com nota máxima na nota prática, porém nunca ministrou nenhuma aula, mas começa a almejar sua reascensão política.

Em 2008 ele se candidata a Reitor da UNIRIO, com apoio de grande parte da comunidade acadêmica, que já cansada das macacadas e palhaçadas amadoras dos demais candidatos a Reitoria, vê no Macaco Tião a chance de reestabelecer a democracia dentro dessa respeitosa instituição.

Ver tambémEditar