Abrir menu principal

Desciclopédia β

Macrino

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg
Foi da crina desse cavalo que Macrino nasceu.

Marcus Opellius Macrinus (ou seja, Marco Opera Minha Crina) foi um imperador romano daqueles que chamamos de estepe, pois só reinou míseros 14 meses, entre 217 a 218, entre Cara de Gala e Hélio Gala, sendo rapidamente chutado pra fora pelo último, que não curtia o jeitinho de Macrino governar.

HistóriaEditar

Macrino nasceu em uma das muitas Cesaréia, essa daí na Mauretânia (sei lá onde fica isso...), com a utilização de uma crina de cavalo pra poder arrancar a cabeça dele, já que ele era bem cabeçudinho. Ele cresceu, juntamente com a cabeça, e virou um adevogado, sem nunca deixar de ostentar a enorme crina que ele passou a cultivar em homenagem àquela que foi usada em seu nascimento turbulento (dizem as más línguas, a.k.a. Suetônio, que essa era a própria crina original ainda, implantada no seu couro cabeludo). Com isso, Marcus Opellius passou a ser chamado enfim de Macrinus, ou Macrino, como os leigos fracassados o chamam.

A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Macrino.

Com seu poder de adevogado do diabo, Macrino conseguiu se infiltrar no meio das intrigas do imperador Criado-Mudo, aquele imperador que não serviu pra porra nenhuma e acabou acabando com os Antoninos, 3 séculos em forma de menino.

Nos impérios de Quadragésimo Severo e Cara de Gala, Macrino virou prefeito da ordem equestre (ou seja, ordem dos cavalos, graças a sua crina). Com isso, ele ganhou um prestígio tal que apenas outro cavalo como ele conseguira antes, Excitadus, o cavalo do imperador daquele filme pornô.

Imperius RexEditar

 
Macrino e seu cavalo de estimação, que muito lembrava ele.

Macrino virou imperador ao mandar Cara de Gala pra puta que o pariu, matando-o com uma pizza de mussarela envenenada, e subiu ao poder sem nunca ter sido um senador antes. Isso deixou a população meio preocupada: "se um senador já rouba pra caralho quando vira imperador, que dirá alguém que nunca foi senador?" E assim, começou já desde cedo uma tremenda revolta contra Macrino. Este, puto da cara com os romanos, não voltou mais pra Roma, governando de lá da Antioquia da Síria, pra poder manipular o povo à distância, estimulando brigas internas por besteira, entre outros atos de vandalismo insano.

Os senadores, em sua homenagem, decidiram no Circo Máximo vestir cavalos com roupas imperiais pra puxar homenagens ao filhote de Macrino, Diabomeniano, que quase que também virava imperador, mas...

Severidade e morteEditar

Os Severos sobreviventes organizaram uma revolta com o filho de Cara de Gala, Bibassiano, que mudou de nome pra Hélio de Gala, que jogou Macrino no Circo Máximo pra correr contra os leões. Obviamente, Macrino tomou "macrinoc..."

Precedido por
Caracala
 
Imperador Romano

217 - 218
Sucedido por
Heliogábalo


Imperadores Romanos

Júlio-Claudianos
Otávio AugustoTibérioCalígulaCláudioNero

Guerra Civil e Flávios
GalbaÓtonVitélioVespasianoTitoDomiciano

Antoninos
NervaTrajanoAdrianoAntonino PioMarco AurélioCômodo

Severos
PertinaxDídio JulianoSétimo SeveroCaracalaMacrinoHeliogábaloAlexandre Severo

Zorra Total ou Quem der mais leva
Maximino TrácioGordianos (I, II e III)Filipe ÁrabeDécioTreboniano GaloValerianoGalienoCláudio II GóticoAurelianoProboCaroCarino

Tetrarquia e Constaninianos ou Agora somos cristãos, Amém!
DioclecianoConstantino MagnoConstantino IIConstanteMagnêncioConstâncio IIJuliano ApóstataJoviano

Valentinianos e Teodosianos ou Corra que os bárbaros vêm ai
Valentiniano IValenteValentiniano IITeodósio MagnoHonórioConstantino IIIValentiniano IIIPetrônio MáximoÁvitoMajorianoLíbio SeveroAntêmioOlíbrioGlicérioJúlio NeposRômulo Augustulo