Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mama

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg
Hitler curtindo um som do Fresno. Mama é emo.

Se você não respeitá-lo(a), um deles chamará o Adolfinho para lhe transformar em purpurina.


Cquote1.png Mama, we all go to hell! Cquote2.png
Típico americanoe seus amigos falando com suas mamães
Cquote1.png Mama, we all go to hell! Cquote2.png
Agora é o Gerard Way e sua banda, cantando pra mãe dele
Cquote1.png É porque tú é emo, seu filho da puta! Cquote2.png
A mãe dele sobre citação acima
Cquote1.png Essa letra me deixa louquinhooo!! Cquote2.png
Emo idiota sobre Mama

Mama é uma música escrota do My Chemical Romance do álbum The Black Parade. Mama significa mamãe (se você não soubesse isso, teria que parar de ouvir MCR enquanto ainda dá tempo de seu cérebro permanecer funcionando bem) mas a música pouco tem a ver com isso. Bom, Liza Minnelli participa dela interpretando a mãe de Gerard Way. Com uma mãe dessa, qualquer um gostaria de ir mesmo pro inferno...

Índice

A músicaEditar

Gerard estava tranquilamente descansando ao ar da graça em sua casinha nos Estados Unidos, pensando "-Caramba, onde está minha mamãe?". Nisso ele lembra de memórias passadas, principalmente da época em que ela dava banho nele, também essa a última vez que alguma mulher encostou nele sem medo nenhum de fazer tal coisa (ou mesmo assim teve medo, mas não quis magoar o filho - provavelmente adotivo).

Até que ele começa a pensar mas caramba, como que eu entrei no mundo da música cantando tão mal e sem criatividade nenhuma? Bom, além da clara chance de os fãs da banda nunca terem escutado nada decente - ou de não ter cérebro mesmo, ou ainda ter, mas ter a extrema coragem de aguentar essa tortura; havia também a chance de sua mãe ter sido famosa no passado. Assim, ele tenta encontrar sua mamãe, Gerardina Way (a filha da véia Helena, da canção de mesmo nome, também pode ser conhecida como avó de Gerard).

Mas Gerardina não estava num bom dia, algo lhe atordoava a cabeça. Será que ela lembrou que quimou alguma roupa enquanto a estava passando? Será que ela misturou cuecas brancas com as pretas de seu esposo? Bom, ela não estava okay. Nisso Gerard decide fazer a pergunta a mãe: "-Mamãe, quem me colocou no Show Business pra ser chingado por quase todo mundo?" Até que sua mãe decide contar a verdade para o caro filho pra fazer aquele idiota nunca mais bater à sua porta:

  Gerard, foi sua mãe. Mas não fui eu. Eu te achei na rua e sempre quis o melhor pra você, ao menos até o instante em que você levou aquela dedadinha do médico e começou a ficar estranho. Sua mãe é Liza Minelli, aquela que fazia seu pai morrer de tanto se masturbar num filme aí chamado Cabaret. Ela viu que você cantava tão bem quanto ela[1] e por isso ela deu um jeito de te colocar no mundo da fama. O dinheiro que ela tinha acumulado foi essesncial para o cara da produtora acreditar no projeto de sua banda.
Gerardina Way sobre sobre a verdade, para Gerardina II Gerard

O encontroEditar

 
A morte (sim, a morte também é emo) tantando o levar pro andar de baixo.

Ao saber disso e ao lembrar quem Liza Minelli era, Gerard pensou: Realmente sou igual a minha mãe, uma quase puta! "-Merda, eu não acredito, nunca vivi com minha mãe, e, ainda por cima é aquela mulher...AAAAAAA!". Então ele decide dar a cara a tapa e ir de algum jeito encontrar sua mãe. Liza estava no formol em sua casa, dormindo, com dois pedaços de pepino nos olhos e sonhando com os atorem com quem contracenou em Cabaret.

Chega ele à porta de sua mãe, já preparando o discurso de galinha louca revolta que faria em só ficar sabendo disso agora, depois de bebê, adolescente, entrar pro mundo da música e agora entrar na fase decadente. Liza atende e toma um susto. Entra ele e mais 2 pessoas, além de uma palmeira que anda (ou um humano que parece uma palmeira, mas a primeira opção é mais contundente, né?). Já chegou dizendo Mama, we all go to hell...mama, we all go to hell.... E ali mesmo, visivelmente desapontado e transtornado demais pra falar tudo o que tinha que falar, decide começar a escrever uma carta, vide o verso I'm writing this letter and wishing you well.

Logo depois, Liza, já desesperada por descobrir que seu filho descobriu a verdade, já percebe que Gerard estava tendo um ataque histérico emo. E logo por isso a estrofe seguinte já é Mama, we all gonna die, já denotando que ele ia matar Liza, o resto da banda, e, ele mesmo, talvez até o cachorrinho viralata que assisttia tudo da porta da casa de Liza, mais interessado no prato de carne que estava à mesa da sala de estar e que Liza estava consumindo antes de Gerard invadir a área.

Gerard logo afirma que está cheio de mentiras, e que é para Liza parar de fazer perguntas, pois ele odiaria a ver chorando, muito porque ele sabi que se a véia tivesse um ataque e morresse, talvez aquele tapete voador egípcio que Liza estava em cima seria dele, e, as lágrimas do choro de Liza poderiam comprometer o revestimento do mesmo, podendo até ganhar mofo.

Tá, e aí?Editar

 
Liza, em seu trabalho mais conservador no cinema. Vai ver ela foi convidada pra fazer a música pois onanistas esperavam alguma pornofonografia na música para poder tocar punheta. Quando viram que não teria, voltaram a ouvir funk.

Aí que Gerard já se precipita também para não ser acusado de Homicídio culposo, o sem a intenção de matar (ou o com a intenção, mas você, burro, não conseguiu matar por querer, daí foi sem querer querendo mesmo). And when we go don't blame us, yeah! Esse verso denota quase que uma ameaça, se Liza acusasse-o de morte e de invasão de privacidade, ia dar merda. Até poruqe a culpa não sria dele, ele só mataria todo mundo e a culpa, claro, seria de Liza por ter deixado isso tudo acontecer.

Mas ele rapidamente pensa com o verso You made us so famous... que era melhor não deixar a véia ir por culpa dele, seria uma tremenda ingratidão. Ela já tá caduca mesmo, deixa ela morrer por conta própria! Por isso o verso And when you go don't return to me my love.

Na estrofe seguinte ele afirma que tem importância ao menos para as moscas (sim, pois os CD's eles ficam às moscas nas prateleiras), e, neste momento estaríam contruindo um sarcófago caixão para Liza, muito por quererm matar ela de uma vez para receber pensão...mas não contavam com essa deque Gerard Gay Way era filho bastardo dela.

Mas Gerard não perde a oportunidade de descontar nela o porque de ser zuado de garota, e, de ser meio aboitolado. Os versos: You should've raised a baby girl, I should've been a better son. If you could counter the infection they can amputate at once. Ele aí reclama que era pra ter sido criado como menina, e que ele podia ter sido um filho melhor pra Liza não entregá-lo para sua verdadira mãe. É porque Liza podia conter uma infecção na virilha que Gerard supostamente teria e assim ele podia fazer uma operação de mudança de sexo mais tranquilamente.

Eis que Liza fala, mas baixinho, tanto que Gerard teve que repetir em sinal de ironia: She said, "You ain't no son of mine, For what you've done there, They'll find a place for you, And just you mind your manners when you go.. Liza agora fala que Gerard não é digno de ser seu filho pela bagunça que fez no puteiro na residência dela, e que acharão um lugar pra ele se matar todo mundo, ou a cadeia, ou a vala (a preferida entre metaleiros), e, ele só perceberia essas merdas que ele tá fazendo após ele sair e nunca mais ver Liza.

Ele diz tá beleza, e volta a dizer que vai todo mundo queimar no Inferno (olha que ele tem futuro pra pastor da IURD hein...), e diz que lá tudo é bom, exceto pelo cheiro. Sim, pois de vez em quando deve cair alguns animais lá, e, o cheiro de urubu assado realmente não deve ser muito agradável. Mas pelo jeito, como o Gerard gosta de um calorzinho pra se bronzear...

E grita MAMA, MAMA, MAMA, MAAAAMAAAAAAAAAAAAAA terminei de fazer cocô, vem limpar!??

Finalmente então Liza canta (canta?) algo nessa bosta de música, claro, ao menos pra justificar o dinheirinho que levou do My Chemical Romance pra fazer participação nessa bagaça. Os grandiosos versos: And if you would call me your sweetheart, I'd maybe then sing you a song.. É claro que essa música seria Fuck You, da Lilly Allen uma música calma e que Liza cantaria pra tentar acalmar seu filho.

Mas Gerard logo interrompe ao saber da possibilidade de Liza cantar algo e assim estragar toda a música e já avisa que o que ele fez com a arma (a arma!!) faria ela chorar o tempo todo. Sim, e ele já avisa na estrofe seguinte que todos estavam amaldiçoados após isso tudo. Ele disparou a arma pra tentar evitar que ela cantasse, mas, não viu que não acertou Liza, mas sim o cãozin que nada tinha a ver com isso (olha, o figurante ganhou um papal mais importante!). Então era pra cambada levantar as mãos pro céu com seus óculos que todo mundo ia morrer amanhã. Pena que no dia seguinte a isso ninguém morreu de verdade...

RepercussãoEditar

 
(ex)Mãe real de Gerard, ao ver que o filho voltou pra casa depois do ataque com Liza Minnelli. Receber com carinho o guri é crucial, e não se deve ter medo de consequências.

Você acha que essa porra repercutiu algo? Bom, até repercutiu. Milhares de emos em todo o mundo passaram a achar que o Inferno era legal de se ir, pois lá encontrariam o grande ídolo deles, Gerard Way, fazendo shows ao vivo todos os dias. E, não, ninguém mais choraria. até porque o alto calor faria as lágrimas derreterem antes mesmo de sair dos olhos. Os emos perderiam a fama de chorões!

Outros emos decidiram parar de se matar após ouvir essa música. Se deram conta da merda que fizeram ao dar valor à isso, e, para tentar não ir ao Inferno, usaram sua tremenda inteligência e passaram a ouvir músicas que os afastariam do andar de baixo. Um grande exemplo são os que viraram fãs de Iron Maiden e ouvem a música do 666. Claro, pois é só um número!!.

Alguns ainda mais alternativos já configuravam nisso uma forma de conseguir o que queriam de suas mães. Pois mostraram a letra da música e diziam que era uma maldição que o MCR jogou nos mesmos, e, que caso se matassem, iriam queimar no inferno. Como nenhuma mãe quer isso para um filho desses, fariam o que os filhos quisessem pra não se matarem, contanto que eles fossem para a igreja sofrer uma sessão de desencapetamento total, para ver se isso tinha alguma reversão.

Por essa razão alguns emos acabaram virando de lado e se tornando fãs de White Metal, mas aind anão largando outras bandas emo que ouviam às escondidas, ainda mais o NXZero, claro, como um emo viveria sem o Di Ferrero? É impossível! O risco é a criação de uma igreja para emos e de louvor à vocalistas chorões. Realmente isso não daria certo. Ou sim, pode ser a abertura de mercado para um novo negócio lucrativo: o marketing em cima de emos. Mas isso é outra história...

LetrasEditar

 
Gerard, já fazendo seu primeiro show ao vivo no Inferno.

Mama - MCR

Mama, we all go to hell.
Mama, we all go to hell.
I'm writing this letter and wishing you well,
Mama, we all go to hell.

Whoa, well, now, Mama, we're all gonna die.
Mama, we're all gonna die.
Stop asking me questions, I'd hate to see you cry,
Mama, we're all gonna die.

And when we go don't blame us, yeah.
We let this fire just bathe us, yeah.
You made us, oh, so famous.
We'll never let you go.
And when you go don't return to me my love.

Mama, we're all full of lies.
Mama, we're meant for the flies.
And right now they're building a coffin your size,
Mama, we're all full of lies.

Well, Mother, what the war did to my legs and to my tongue,
You should've raised a baby girl,
I should've been a better son.
If you could counter the infection they can amputate at once.
You should've been,
I could've been a better son.

And when we go don't blame us, yeah.
We let this fire just bathe us, yeah.
You made us, oh, so famous.
We'll never let you go.

She said, "You ain't no son of mine,
For what you've done there,
They'll find a place for you,
And just you mind your manners when you go.
And when you go, don't you return to me, my love.'

That's right.

Mama, we all go to hell.
Mama, we all go to hell.
It's really quite pleasant except for the smell,
Mama, we all go to hell.

Mama, mama, mama
Mama, mama, mama,

[Liza Minelli:] and if you would call me your sweetheart,
I'd maybe then sing you a song.

[Gerard:] but there's shit that I've done with this fuck of a gun,
you would cry out your eyes all along.

We're damned after all.
Through fortune and fame we fall.
And if you can say that I'll show you the way,
And return for the ashes you call.

We all carry on (We all carry on)
When our brothers in arms are gone (When our brothers in arms are gone)
So raise your glass high
For tomorrow we die,
And return for the ashes you call.

Em PortuguêsEditar

Mama - MCR

Mamãe, nós vamos todos para o inferno.
Mamãe, nós vamos todos para o inferno.
Escrevo esta carta desejando que esteja bem
Mamãe, nós vamos todos para o inferno.

Oh, bem agora, mamãe, nós iremos morrer
Mamãe, Nós iremos morrer
Pare de me fazer peguntas, eu odiaria vê-la chorar
Mama, todos nós iremos morrer

E quando nós formos, não nos culpe, yeah
Nós deixamos que o fogo nos banhe, yeah
Você nos fez, oh, tão famosos
Nós nunca a deixaremos ir
Quando você for, não retorne para mim, meu amor

Mamãe, nós estamos cheios de mentiras
Mamãe, nós temos importância para as moscas
Agora eles estão fazendo um caixão do seu tamanho
Mama, nós estamos cheios de mentiras

Bem, Mãe, o que a guerra fez com minhas pernas e minha lígua,
Você deveria ter criado uma menina
E eu deveria ter sido um filho melhor
Se você pôde conter a infecção, eles podem amputar uma vez
Você deveria ter sido,
Eu poderia ter sido um filho melhor

E quando nós formos, não nos culpe, yeah
Nós deixaremos que o fogo nos banhe, yeah
Você nos fez tão famosos
Nós nunca a deixaremos ir

Ela falou: "Você não é meu filho
Pelo o que você fez lá
Eles acharão um lugar para você
E você apenas nota seus modos quando você parte,
Quando você for, não retorne para mim, meu amor"

Tudo bem.

Mamãe, todos nós vamos para o inferno
Mamãe, todos nós vamos para o inferno
É realmente bastante agradável, exceto pelo cheiro
Mamãe, todos nós vamos para o inferno

Mamãe, mamãe, mamãe.
Mamãe, mamãe, mamãe.

Liza: E se você me chamasse de 'sua queridinha', talvez
Então eu cantasse uma canção para você

Gerard: Mas o que eu fiz com esta porra de arma
Você iria chorar seus olhos o tempo todo.

Nós estamos condenados depois de tudos
Através da fortuna e fama nós caímos
E se você pode falar que eu irei mostrar-te o caminho
E retorno para as cinzas que você chama.

Todos nós continuamos (Todos nós continuamos)
Quando nossos irmãos de sangue se vão em nossos braços
Então eleve seus copos
Para amanhã morremos
E retornarmos para cinzas que você chama.


  1. Ou seja, não cantava porra nenhuma.