Abrir menu principal

Desciclopédia β

Kim-jong-un-pose.jpg ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Desciclopédia: ame-a ou deixe-a!
Ditaduratumulo.jpg
Jesse.JPG Doe um prato com comida! Seja solidário com Jessé!

Este artigo é mais maltrapilho que o nosso amigo aqui. Faça alguma coisa, mate a fome de Jessé porque a coisa tá feia...

Gilbrother.jpg


Livrobase.jpg
A Desciclopédia possui um livro sobre esse assunto em sua biblioteca: Zelaya brigou com Honduras

Cquote1.png Você quis dizer: Ratinho Cquote2.png
Google sobre Manuel Zelaya
Cquote1.png Você quis dizer: Atoa Cquote2.png
Google sobre Manuel Zelaya
Cquote1.png Você quis dizer: Vagabundo Cquote2.png
Google sobre Manuel Zelaya
Cquote1.png Você quis dizer: Come e Dorme Cquote2.png
Google sobre Manuel Zelaya
Cquote1.png Você quis dizer: Santos-Dumont Cquote2.png
Google sobre Manuel Zelaya
Cquote1.png Tem nego atoa no mundo Cquote2.png
Seu pai depois de saber que o Brasil estava sustentando esse cara
Cquote1.png Esse consegue o feito de ser mais atoa do que eu! Cquote2.png
Você sobre Manuel Zelaya

Manuel Castro Ratinho Zapata Che Guevara Zé Laia é o ex-presidente vitalício da Guatemala Honduras. Ele ficou conhecido mundialmente após ter começado a ficar vagabundeando dentro do puteiro brasileiro em Honduras, que alguns chamam de embaixada. Após ter sido sustentado por brasileiros otários como você durante dias, Manuel Zelaya finalmente teve o traseiro gordo chutado para fora da embaixada. Como era vagabundo demais para trabalhar decentemente, ele resolveu vir para o Brasil, onde conseguiu uma vaga como apresentador do SBT, emissora em que até hoje ele apresenta um programa diário conhecido como Programa do Ratinho.

HistóriaEditar

 
Aqui em Honduras, tem café no bule!

Ele nasceu em Honduras, mas seus pais se mudaram para o Brasil por falta de coisa melhor para fazer. Zelaya viveu alguns anos exilado em Curitiba, capital do Paraná, onde exercia a profissão de vendedor de churrasquinho de gato e era um grande admirador de José Sarney, de quem roubou copiou o bigode. Um dia, foi descoberto pela televisão e ganhou um programa de auditório na capital do Paraná, sendo muito prestigiado pelos curitibanos, que achavam lindo o sotaque dele, principalmente quando pedia uma vina com gasosa ou com leite quente que dá caganeira na gente. Anos depois, foi contratado por Silvio Santos para aumentar a audiência do SBT e baixar ainda mais a qualidade da programação. Fontes biográficas alternativas afirmam que ele morou em Petrópolis, adontando o nome de Alberto/Santos-Dumont. Mais tarde mudou-se para Paris e como adorava viajar numa erva, mas não entendia nada de reggae, resolveu inventar o avião.

Nova fase na vida de ZelayaEditar

 
Manuel Zelaya botando pra correr todos os opositores de seu governo ditatorial.

Apesar de todo o dinheiro que ganhava no SBT, estava muito triste e saudoso de seu país, Honduras.

Honduras - para quem não sabe - é o maior produtor de hondurenhos do mundo, especialmente depois que os bordéis recebem a visita de marinheiros estrangeiros e másculos. Este país andava esquecido até pelos torcedores brasileiros e ainda mais pelos hondurenhos, até que um famoso traficante hondurenho cujo nome não podemos citar por que desconhecemos, reconheceu seu velho amigo Panchito, com o qual divertira-se muito fazendo troca-troca na infância e na adolescência. Este amigo convenceu Zelaya a voltar para Honduras e implantar ali uma fábrica de churrasquinho de gato e ao mesmo tempo apresentar um programa de auditório em portunhol. (portunhol, se você não sabe, é uma espécie de idioma espanhol falado em Portugal e é o resultado de beber muito vinho do Porto).

Em seguida filiou-se ao Partido Mega Liberal de Honduras e resolveu ser 1° dama e presidente, em sua campanha prometeu aumentar a quantidade de churrasquinhos de gato nas ruas de 9.000 para 18.000 carrinhos e incluir no cardápio o espetinho de coração de frango. Depois de eleito a fama lhe subiu a cabeça e Zé Laia obrigou as emissoras a transmitirem seu programa de auditório chamado O buteco do Bigodinho, por horas seguidas. Também elaborou um projeto para legalizar a maconha, LSD, cocaína e todo tipo de porcaria alucinógena já inventada, e sua vida seguia tranqüila e um dia Mel Zé Laia (para os íntimos) resolveu que iria ficar mais uns anos governado os hondurenhos. Nacionalizou a FNTPB (Fábrica Nacional de Tintura para Bigode) e conseguiu um contrato com o Maranhão, tornando Honduras o fornecedor oficial da família Sarney. Criou a primeira gravadora mundial de mariachis hondurenhos.

Um dia, visitando a Inglaterra, ficou apaixonado pelos bigodes de Freddie Mercury e nomeou a cantora ministra da Cultura. Então em uma noite, enquanto Zé Laia dava uma festinha do pijama, todo movida a farinha boliviana doada por Hugo Chavez e Evo Zacarias Morales, o exército revoltado que o tempero do churrasquinho do Zé não era mais o mesmo, invadiu a festinha e colocou o Melzinho para fora do País. Mas como o Melzinho é duro na queda, ele voltou para honduras e hoje reside na casa da mãe Joana, ou seja, na Embaixada Brasileira... Quando soube que não seria mais presidente de Honduras resolveu arriscar a carreira de cantor. Valendo uma mala cheia de dinheiro para quem adivinhar a música preferida do cidadão:

"Eu sou apenas um rapaz ... latino americano ... sem dinheiro no banco ..."

Precedido por
Ricardo Maduro
 
Dono do Rancho de Honduras

2006 - 2009
Sucedido por
Roberto Verde