Master Podcast

Master Podcast faliu!
Cows1.jpg Nem o Sr. Burns quita suas dívidas!

Veja outros que ficaram no vermelho.

Cquote1.svg Você quis dizer: Fudidos Podcast? Cquote2.svg
Google sobre Master Podcast
Cquote1.svg Você quis dizer: Cativeirocast? Cquote2.svg
Google sobre Master Podcast
Cquote1.svg Você quis dizer: Himalaiacast? Cquote2.svg
Google sobre Master Podcast
Cquote1.svg Você quis dizer: Flow Versão Dinossauro? Cquote2.svg
Google sobre Master Podcast

Oláaaa menininhas e menininhos, estamos começando aqui mais um Master Podcast, um podcast que era mestre apenas de como falir seus dois apresentadores, Zé Graça e Lord Vinheteiro. Mais uma cria bastarda do Maconha e Pé Sujo Podcast, o Master originalmente se propôs a fazer um conteúdo similar, voltado a um público mais culto, mais particular a ele mesmo a mesma merda que o Flow só que um guru do Himalaia e um crítico esnobe completamente desinteressado pelos entrevistados.

Apesar de ter sido um dos primeiros podcasts a surgir na onda do Flow, o Master apanha de basicamente todos os outros imitadores competidores e nem mesmo os próprios donos da bagaça sabem se o negócio vão sobreviver ou se vão ficar com o nome na Serasa pro resto da vida.

SobreEditar

Se a premissa do Flow é ser uma conversa de bar, a premissa do Master é ser uma mistura de entrevista de emprego bizarra e conversa de crackudo em motel de 20 conto. Apesar de terem supostamente mais conhecimento útil do que o Monark e o Igor, o Zé Graça com seus conhecimentos esotéricos de meditação e os caralho e o Vinheteiro com o cérebro repleto de pornografia e sinfonia do Beethoven, você não perceberia isso simplesmente escutando os dois conversarem com os convidados. Na maioria das vezes os dois parecem que não queriam estar trocando ideia com o convidado pra início de conversa e em 90% dos casos o programa inteiro vai consistir no Zé Graça tentando dar uma de Marília Gabriela com pergunta de 2 parágrafo e o Vinheteiro querendo falar de outros assuntos muito mais interessantes, tipo ir comer umas puta na zona ou latrinas internacionais.

Saga Financeira e CativeirocastEditar

 
O convidado tem a escolha de se sentar na cama ou no chão

Diferente do Judascast, apesar de existir apenas por causa das ideia errada do Monark, e gravar 99% de suas edições no estúdio deles, o Master nunca oficialmente fez parte do "Projeto Flow". Zé Graça e o Vinheteiro, prevendo a onda de podcasts que estavam por vir, decidiram fazer do Master um empreendimento independente e apenas utilizavam o cenário deles temporariamente enquanto seu próprio estúdio de podcasts ficava pronto. Passam-se quase 30 edições do programa, e após um hiato tipo capítulo de Berserk onde todos achavam que o projeto tinha simplesmente morrido, o Master retornou com uma nova cara: o Cativeirocast.

Com sua roupagem nova, gravado com um fundo de parede branco sujo, cheio de equipamento eletrônico, fio exposto e sem aterramento, barulho de fuzil no fundo e microfone de Doteiro paraguaiano, o Master gravou um total de 2 edições que fizeram eles perder milhares de inscritos e os patrocinadores que tinham. O PCC tomou conhecimento do uso inapropriado de suas edificações e prontamente expulsou os dois tiozões do prédio.

Após mais um curto hiato, o Master mais uma vez retornou a ativa, agora num estúdio próprio que só tem a mesa, 2 microfones e mais porra nenhuma, nem banheiro tem nessa merda. No que foi talvez um dos investimentos financeiros mais amaldiçoados desde a Bolsa de 2011, deu tudo errado e agora os dois se encontram atolados de dívida constantemente pedindo ajuda dos inscritos pra ajudar a finalizar e pagar as 4 paredes de tijolo que chamam de "estúdio".

Fim do Master PodcastEditar

O fim do Master tomou andamento quando tiveram a proeza de tomar um strike do próprio Youtube. O motivo disso? Paulo Kogos e o Vinheteiro tirando onda com a pandemia, falando que os números de casos eram inflados e que diarreia mata mais, e nem por isso tão fazendo lockdown em todos os banheiros e distribuindo suco de goiaba pra todo mundo. Apesar de estarem certos Por esses pensamentos completamente errados, desumanizadores e tóxicos, o canal se fudeu e parou de ser recomendado pra qualquer pessoa da noite pro dia. As próprias lives estavam sendo afundadas pelo Youtube, algumas não chegavam nem a 100 visualizações.

Decidindo cortar custo e fazer o melhor da situação, o Guru e o Lordão abandonaram o canal como se fosse Chernobyl e partiram para uma nova empreitada: O BilugaCast/BiluCast/Fênixcast/Remastercast (o nome tá no ar ainda, que é basicamente um Master Podcast 2.

ApresentadoresEditar

  • Zé Graça: Criatura do período pré-cambriano que precede todos os outros seres conscientes da Alvorada do YouTube, tendo sido o inventor do Homem das Cavernas original. Um dia, num passado mais antigo que a memória, já foi um dos maiores youtubers do mundo com 1 zilhão de views por vídeo e milhares de rodinhas de amigos espelhadas pelo Brasil que por causa da Internet Discada, baixavam seus vídeos em pen drive pra ficar repassando um pro outro. Infelizmente para ele, tudo isso rolou numa época em que ser um zilhonário de views não valia porra nenhuma e além de receber um total de 0 reais com seus vídeos ele também perdeu 2 canais. Hoje em dia Zé Graça habita o canal zegraca 3 até tomar outro ban, momento em que morrerá de um infarto.
  • Lord Punheteiro: O primeiro neandertal do Youtube a aprender a tocar piano, possui um canal sobre o tema desde antes do nascimento da Hebe Camargo, só que de acordo com suas próprias palavras odeia tocar piano, não gosta de música (tirando Sertanejo dos anos 50), odeia ter que fazer vídeo e porque não dizer que também odeia a vida em geral. Lord Vinheteiro possui a capacidade mental de reclamar sobre literalmente qualquer coisa que existe ou já existiu no universo, ao mesmo tempo que paga uma de fodão culto sommelier de água que não consegue criar a coragem de conversar com uma mina sequer e que nunca comeu ninguém que não fosse pagando.