Abrir menu principal

Desciclopédia β

Matte Leão

Requiao.jpg EstE artigo não tem sotaquE, gentE!

EstE aRtigo é paranaensE, logo, sE você não tiveR intimidadE, cultura, foR um meRda ou moraR em outro lugaR do Brasil quE não seja o Paranã, não sE aproximE, pois elE não fala com gentE da sua laia! Se você avacalhaR, Requião vai ao palanquE com o Diabo e fará um pacto com o Moderador Malvado para tE baniR!


No Wikipedia.png QUEBROU A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Matte Leão.

Cquote1.png Você quis dizer: Mate o irmão Cquote2.png
Google sobre Matte Leão

Cquote1.png Você quis dizer: Bebida de viado Cquote2.png
Google sobre Matte Leão

Cquote1.png Você quis dizer: Água com mato Cquote2.png
Google sobre Matte Leão

Curitibocas chapadas com o mate...
Propaganda enganosa, pois se chama Mate, mas o produto é hortelã. Denuncie no Procon...
Propaganda do Duda Mendonça reprovada. Início da sua carreira como Publicitário do PT.

Cquote1.png Olha o mate geladinho... Cquote2.png
Ambulante na praia do Rio de Janeiro

Cquote1.png Você traiu o movimento do café, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Matte Leão

Cquote1.png Mate com limão! Cquote2.png
Don Corleone para seu capataz

Cquote1.png É muito bom o pacotinho de ervas para deixar cheirinho nas roupas do armário. Cquote2.png
Carla Perez sobre Matte Leão

Cquote1.png Uso para matar ratos lá em casa, pois se acaba com um leão... Cquote2.png
Manoel sobre Matte Leão

Cquote1.png Na União Soviética, o mate compra e bebe VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Matte Leão

Cquote1.png Olha o mate! Matte Leão! Olha o mate! Mate limão... Ho baby, baby, beba mate! Mate limão... Oh Yer... Cquote2.png
Jingle retardado da propaganda da Matte Leão

Cquote1.png Malditos gringos! Cquote2.png
Curitiboca sobre os gringos da Coca-cola que compraram a Matte Leão

Cquote1.png Báh tche! Coisa de louco esse chimarrão do Paraná! Cquote2.png
Gaúcho sobre Matte Leão

Cquote1.png Assim não pode! Assim não dá!!! Cquote2.png
FHC reclamando do seu chá aguado

Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre chá mate com leite

Cquote1.png Isso é bebida de bichoona! Cquote2.png
Severino sobre Matte Leão

Cquote1.png Foi ú cão quem butó pra nois bebê! Mas não tomo não! Purque sou cabra ômi! Cquote2.png
Jeremias sobre Matte Leão

Cquote1.png Você está demitido! Cquote2.png
Roberto Justus para o copeiro que lhe serviu o chá com uma gota à mais de adoçante

Cquote1.png Imbecil!!! Cquote2.png
Leitor desse artigo, xingando o maldito curitiboca que criou este artigo, ao dar ênfase ao Paraná, como se fosse o único estado em que esta porcaria é consumida

A MATTE LEÃOEditar

 
Mentira propagada pelo fabricante...

A Matte Leão era uma corporação tipicamente curitiboca, pois consistia em uma empresa centenária, de torrefação de erva-mate para produzir chá, pertencente a uma família tradicional por gerações, com capital fechado, ou seja, quase judia, com a diferença que não falava com o maldito capital de estranhos. Ou seja, muito semelhante ao povo de Curitiba.

Seu surgimento data do tempo que a cidade se chamava Bumbunritiba, e exerceu forte influência sobre o povo, do antigo estado brasileiro do Paraná, na cultura e econômia, da qual era patrocinadora do estado e da capital, tendo a sua presença na antiga bandeira do estado, da capital e dos brasões de ambos, antes da independência da província que constituiu uma das principais regiões dos Estados Unidos do Sul, da qual ainda possui grande importância para o PIB da região, juntamente com a Água da Serrinha e Fósforo Pinheiro.

HISTÓRIA DA MATTE LEÃOEditar

 
Os playboys viadinhos Os atletas também gostam de mata Matte Leão...

A Matte Leão surgiu há mais de 110 anos, com a chegada de diversos imigrantes europeus, da qual os ingleses introduziram o hábito de beber chá, que rapidamente foi agregado como hábito do povo paranaense, carente de cultura e identidade própria, na qual não é gaúcho o bastante para tomar chimarrão, muito menos paulista o suficiente para tomar café. Onde a erva-mate era misturada com outras ervas para propagar a marola pela cidade através da chaminé da fábrica, sendo este uma das ações de responsabilidade social do governo para com o povo insuportável que habitava o vilarejo, numa tosca tentativa de torná-los mais palatáveis.

A sua logomarca foi desenvolvida pelo Zé da Machadinha, antigo mascate, que ofereceu um leão de porcelana para a tradicional família com o mesmo sobrenome, para cuidar da sua chácara, da qual foi patenteado e agregado como marca da fábrica, que segundo o fundador seria mais adequado do que chamar de “chá gralha azul” em referência ao regionalismo que ele propunha para sua fábrica, pois como bom bumbunritibano não pensava numa marca para agradar os estranhos, mas sim, desejava produzir um chá A-NI-MAL!!!

Passado alguns anos, os catarinenses ao passarem por Curitiba para irem a São Paulo para comprar muamba ou a antiga capital Rio de Janeiro com o pires na mão, para pedir uns trocados para fazer a calçada das suas praias, paravam na província para tomar um chá já que era a única porcaria presente nesse mato que se classificava como capital do Paraná, tendo como única opção, nos sabores; mate, limão, mate com limão, erva-doce, erva-doce com mate, maconha, maconha com mate, mate com maconha e cogumelo-alucinógeno. Da qual foi o estopim para a Guerra do Contestado, uma vez que os catarinenses queriam o território paranaense em que se localizava a plantação de ervinhas do estado.

 
O mate conquistou os cariocas, que são chegados em coisas frescas no verão...

Com isso a Família Leão (TEm QUE escrevER com maiúsculo, pois tem tradição e é curitiboca, senão vai levar uma pinhada na cabeça!), viu a possibilidade de ganhar mais dinheiro de expansão e passou a distribuir seus porcarias em todo o país, uma vez que existia uma porção de frescos em todo o Brasil que não gosta de café, com a exceção do Rio de Janeiro, da qual montou uma unidade para a produção de chá pronto para beber, pelo fato dos cariocas serem tudo folgados e preguiçosos demais para prepararem o seu próprio chá, onde passou a produzir em copinhos para que ambulantes vendessem gelado nas praias, pois os cariocas tem preguiça de levar de casa ou por para congelar.

 
Até o bichano foi comprado domado pela Coca-cola...

No início de 2008, a Matte Leão continuava como uma típica empresa curitiboca, até mesmo pelo nome, mantendo os dois “T's” do tempo do português arcaico de Camões, para manter a tradição. Até que os Yankes chagaram no Paraná com maletas cheias de dólares e compraram a Matte Leão, agora pertencendo a Coca-Cola. Pouco tempo depois da aquisição, a empresa anunciou que irá inaugurar uma unidade industrial no pequeno e recente município de Fazenda Rio Grande para ampliação da sua produção, e pelo fato da fábrica se encontrar em instalações antigas e no Centro de Curitiba. Mas a verdade é que nem os gringos suportaram ficar em Curitiba com seu povo comedor de vina por muito tempo...

Atualmente a Mette Leão é considerada a maior indústria de chá do no Brasil, também presente nos Estados Unidos do Sul, onde gera muitos empregos para os ambulantes à beira mar no Rio e empacotadores em Curitiba Fazenda Rio Grande.