Abrir menu principal

Desciclopédia β

Maurício Meirelles

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Retardado do Facebullying? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Maurício Meirelles
Cquote1.png Experimente também: Outro retardado Cquote2.png
Sugestão do Google para Maurício Meirelles
Cquote1.png Já comi. Cquote2.png
Felipe neto sobre Maurício Meirelles.
Cquote1.png Eu também. Cquote2.png
Danilo Gentili sobre citação acima.
Cquote1.png Peraí, foi o contrário! Cquote2.png
Autor deste artigo sobre citações acima.
Cquote1.png Agora sim faz sentido! Cquote2.png
Qualquer um sobre citações acima.
Cquote1.png FUDEU MUITO Cquote2.png
Maurício Meirelles sobre citação acima este artigo.

UMAPORRASELO.gif ESTE ARTIGO ESTÁ UMA PORRA
Carlos Lippi e seus amigos
não gostaram desse artigo.
NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Maurício Meirelles.

Índice

SobreEditar

Maurício Meirelles é um vagabundo assalariado da internet conhecido por ser uma tentativa mal-sucedida de comediante de humor negro pela parte afrodescendente da coisa. Também é integrante da banda "Renatinho", junto com outros drogados, Tatá Werneck e Murilo Couto, onde o mesmo acredita tocar guitarra.

 
Maurício olhando a sua cara feia.

Durante ânus anos integrou o elenco do Pânico na Band no Facebullying pela rede a qual o Morre Diabo não queria falar na frente das câmeras, e apresenta O Estranho Show De Renatinho no canal Multishow, junto com seus amigos drogados. Maurício, infelizmente, também trabalhou como roteirista na desgraça Legendários, pela Rede Record, onde também interpretou o personagem Clóvis Cliché. Como ator, já fez uma participação no filme Onde Está a Felicidade?, mas assim como aconteceu com Clarice Falcão, ninguém se lembra disso, nem mesmo ele.

Em 2010, lançou o livro E Se o Stand-up Virasse Livro?. Em novembro de 2011 fez parte do elenco do programa Custe o Que Custar na Rede Bandeirantes quando o mesmo existia. Em 2015 lançou seu segundo espetáculo de comédia solo "Perdendo Amigos", que foi vencedor do prêmio Risadaria como o pior espetáculo stand-up do ano. Em março de 2016, estreou a websérie-reality "#LasVegasReal" do grupo It Brazil, ao lado do seu namorado Felipe Neto.

Em agosto estreia na Band como apresentador e repórter do The X Factor Brasil.

WebbullyingEditar

Em 2013, após perceber que a falta de audiência do Pânico pras novelas bíblicas da Record estava comendo seu orçamento de quatro, Maurício começou a investir em alguma coisa relevante no programa a partir de R$ 19,90 dos seus shows de stand-up, onde ele carinhosamente chamava alguma pobre alma fu perdida pra ter a conta do facebook invadida por um tiozão, dada a incapacidade de desativar o caps lock, e chamava de Facebullying. Com isso, ele criou um quadro chamado Webbulying, em que ele também entra no Whatsapp e em outras redes sociais, exceto o tumblr pra evitar textões pseudofeministas de gurias retardadas e viadinhos, pra fazer o que já fazia há um tempo atrás na ilha dos sonhos, isto é, bagunçar completamente a vida de alguém, criando tretas nos grupos de família, destruindo amizades e futuros negócios. O quadro é a única razão pela qual pessoas vão ao show de Meirelles, pois ele não é judeu (ou engraçado).

As principais vítimas do quadro, isto é, as vítimas que sobrevivem cobrando cachê e frequentando baladas, o que exclui algum usuário aleatório de cocaína ou apreciador de peitos são estes zé ruelas:

HatersEditar

Percebendo que ganhava mais dinheiro com a Internet do que em fazer shows de stand-up, Maurício passou a focar suas atenções no canal do youtube e criou vários quadros (que ele encomendou pro Picasso), sendo o mais famoso chamado Haters. É basicamente uma entrevista com alguém famoso onde o entrevistado conta toda a verdade sobre si mesmo e seu trabalho sem papas na língua. Foi nesse quadro que Maurício conseguiu a façanha de enfim revelar ao mundo a verdade identidade de Zé Graça. Confira.

Ver tambémEditar


v d e h
Pânico na TV Band