Abrir menu principal

Desciclopédia β

Maximino Trácio

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg


NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Maximino Trácio.


Caius Julius Verus Maximinus Tracius Lácius, também apelidado de Maximino Trácio ou Maxi-mínimo Traste, foi o sucessor de Alexandre Severo no trono de Roma.

Era o típico político que só aparece no estado ou na cidade para pegar o dinheiro que lhe é devido, e o que não lhe é devido também, e depois se manda, administrando tudo de longe, via internet.

História e Vida PolíticaEditar

 
Não se engane por esse olhar de coitado...esse cara era o demônio.

Maximiniminho era um jovem preguiçoso desde cedo. Nunca gostou de fazer trabalhos braçais, muito menos de trabalhar, onde quer que fosse. Quando sua mãe o mandava na mercearia, pagava com petecas ou carrinhos de plásticos outros meninos para ir em seu lugar, tamanha era sua preguiça.

Não se sabe ao certo como chegou ao poder. Mas ao se alistar no exército bárbaro, se destacou por sempre querer mandar ou dar ordens em outros soldados. Isto provavelmente deve ter chamado a atenção dos seus superiores, que viram nele um grande potencial para governante, pois mandava muito bem e não fazia nada.

Foi o primeiro imperador romano que não era romano, muito menos italiano. Também nunca visitou a capital do estado, Roma, e nem queria saber de qualquer problema relacionada a mesma. Era viciado em matar cristãos, e não gostava nem um pouco de seu antecessor, Alexandre Severo, por este ser mais legal e querido que ele.

 
Atividade favorita de Maximino, matar cristãos.

Governou de 235 à 238, onde teve que renunciar ao poder após descobrir que seu governo estava dando início à uma crise sem precedentes, e para não ficar registrado na história como o imperador que afundou Roma, ou que a tenha deixado na merda.

Após sua renúncia, tentou viver como um simples fazendeiro e agricultor, cultivando ervas verdes e trabalhando com gado de corte. Porém, devido aos inúmeros inimigos que "conquistou" durante o tempo em que era imperador, foi assombrado por todos os espíritos das pessoas que havia mandado para a outra dimensão. Com isso, Maximino começou a manifestar problemas mentais, ficando lelé da cuca e cometendo suicídio contra sua própria vida de si mesmo.

Ver TambémEditar

Precedido por
Alexandre Severo
 
Imperador Romano

235 - 238
Sucedido por
Gordianos (I, II e III)


Imperadores Romanos

Júlio-Claudianos
Otávio AugustoTibérioCalígulaCláudioNero

Guerra Civil e Flávios
GalbaÓtonVitélioVespasianoTitoDomiciano

Antoninos
NervaTrajanoAdrianoAntonino PioMarco AurélioCômodo

Severos
PertinaxDídio JulianoSétimo SeveroCaracalaMacrinoHeliogábaloAlexandre Severo

Zorra Total ou Quem der mais leva
Maximino TrácioGordianos (I, II e III)Filipe ÁrabeDécioTreboniano GaloValerianoGalienoCláudio II GóticoAurelianoProboCaroCarino

Tetrarquia e Constaninianos ou Agora somos cristãos, Amém!
DioclecianoConstantino MagnoConstantino IIConstanteMagnêncioConstâncio IIJuliano ApóstataJoviano

Valentinianos e Teodosianos ou Corra que os bárbaros vêm ai
Valentiniano IValenteValentiniano IITeodósio MagnoHonórioConstantino IIIValentiniano IIIPetrônio MáximoÁvitoMajorianoLíbio SeveroAntêmioOlíbrioGlicérioJúlio NeposRômulo Augustulo