Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mikhail Bakunin

Anark.jpg Este artigo é ou foi feito por anarquistas!

Ele luta pelo fim dos governos, odeia o fascismo, quer que a Polícia se foda e adora fazer passeatas. Se vandalizar, vão jogar coquetel Molotov em você! (ou não).

Cuidado com os ecochatos, interesseiras e pirralhos!

PROCURADO

Marx home.jpg

Mikhail Bakunin é procurado(a) por crimes contra
a sociedade e é extremamente perigoso(a).

Procurado vivo(a) ou morto(a) (de preferência morto(a)).
Recompensa: Um exemplar autografado do livro Deus e o Estado.
O bizarro coelho de Mikhail. Dizem que ele ficou assim após viver muito tempo com seu "mestre".

Cquote1.png Você quis dizer: Me Caiu o Bigulim Cquote2.png
Google sobre Mikhail Bakunin
Cquote1.png E vai começar a putaria Cquote2.png
Mr Catra sobre o amor livre e Bakunin.
Cquote1.png Aprendeu comigo. Cquote2.png
Proudhon sobre Bakunin.
Cquote1.png É livro de Bakunin na mente e molotov na mão. Cquote2.png
Black Bloc sobre Bakunin.
Cquote1.png Era ateu, foi pro inferno. Cquote2.png
Pastor sobre Bakunin.
Cquote1.png Sei que é um espião russo enviado para atrapalhar a esquerda. Cquote2.png
Klaus Marx sobre Bakunin.
Cquote1.png Fica na sua, seu autoritário de merda. Cquote2.png
Bakunin sobre citação acima.
Cquote1.png É tudo nosso. Cquote2.png
Enrico Malatesta sobre os aprendizados com Bakunin.
Cquote1.png Meu nome é melhor. Cquote2.png
Kuririn sobre Bakunin
Cquote1.png Paz e amor, isso é anarquia. Cquote2.png
Hippie chapado de maconha sobre aprendizados com Bakunin.
Cquote1.png Uma macaca com cara de bicha barbuda. Cquote2.png
Fantasma do Natal Passado sobre Bakunin.

Mikhail Gorbatchëv Bakunin foi um dos escritores anarquistas mais lidos de todos os tempos, sendo o preferido dos ateus por ter escrito o livro "Deus e o Estado".

Nunca participou de uma manifestação; em todas chegou atrasado (quando todos já estavam presos ou mortos) pois, para não ser reconhecido pelas pessoas, o mesmo não poderia trafegar em transportes públicos, restando-lhe apenas os cavalos ou jegues. Porém, devido à sua obesidade mórbida, os animais apenas aguentavam caminhar uma média de 10 metros e faleciam de parada cardio-respiratória devido ao grande esforço.

Sabe-se, não comprovadamente, que Bakunin teve um caso com Max Stiner, mas isto ele negou em um escrito desconhecido por grande parte do anarquistas, em que o mesmo afirma não ter passado de um "fica-fica".

Índice

Carreira na músicaEditar

 
Bakunin atuando em um clássico do Cinema internacional: O Iluminado.

Assim que formou-se na universidade, Bakunin se encheu de maconha e saiu as ruas de São Petersburgo para cantar músicas gritadas que passassem sua ideologia de auto-gestão, acompanhadas com uma sonoridade de mau gosto a qual deu o nome de música Punk. Estranhamente, uma legião de jovens gostou da gritaria e passou a se intitular fã do gênero, fazendo com que Bakunin desse shows gratuitos pelas praças da cidade de quinta a sábado. O estrelato internacional de Bakunin veio com ajuda de seu amigo rapper Proudhon, pois os dois juntos fizeram a composição de dois álbuns. Os grandes sucessos chamaram-se: "Roubo sua propriedade" e "Sem Deus, sem estado, vida loka", ambos os álbuns estrearam no topo da Billboard, parte disso deve-se a saudável teimosia de Bakunin que insistiu em distribuir os álbuns gratuitamente, justificando da seguinte maneira:

  Dou meu orifício anal gratuitamente, creio eu, que posso também dar meu álbum de forma gratuita  .

Tal notoriedade na carreira musical, permitiu a Bakunin abrir com um show na I internacional socialista, as músicas instigaram polêmica e não agradaram o lado marxista da esquerda, embora tenha recebido aplausos dos Punks que o seguiam.

Prisão na RussiaEditar

Ao ficar revoltado com o Tzar russo pela proibição do consumo de Vodka após a meia-noite, Bakunin iniciou uma série de protestos mostrando as nádegas, de forma que veio a chamar atenção e por fim foi condenado a prisão na Sibéria. Tal ato provocou em Bakunin mais descontentamento com a existência de autoridades e do estado, resultando em sua promessa de voltar e vingar-se de cada governante europeu com sua sensual dança do quadradinho de 8. Além disso, prometeu enforcar os padres com os pênis dos banqueiros.

Após anos de prisão, Bakunin bolou sua fuga que iria vir a inspirar Michael Scofield um século depois, o procedimento foi um sucesso graças ao seu disfarce que incluiu a retirada completa de todos os dentes e uma fantasia de papai noel roubada de seu desafeto Karl Marx.

Marx VS BakuninEditar

Karl Marx era irmão mais velho de Max Stiner e não aceitou o relacionamento entre Max e Bakunin, iniciando-se então a baixaria, pois Bakunin lutava pelo amor livre entre homens e homens, mulheres e mulheres, enquanto que Karl Marx queria um estado dominado por homem MACHO. Bakunin dizia que apenas a liberdade sexual (ou seja, a viadagem) poderia levar o ser humano a um mundo melhor (ou seja, ao mundo dos gays). Na Internacional Socalista, Marx e Bakunin se encontraram e as discussões começaram quando Bakunin percebeu Marx atrás dele:

  Ô, guri, o que tu ta fazendo ai atrás?  
Bakunin

  Nada!  
Marx

  Então sai e da o lugar a outro!  
Bakunin

Após o ocorrido, Bakunin escreveu uma série que cartas que viriam a ser editadas em forma de livro no romance "Escritos contra Marx", onde é narrada a conturbada história de brigas e amor do casal, embora Karl Marx sempre tenha negado a existência de qualquer história de amor entre os dois, na tentativa de manter sua pose de machão. Historicamente foi possível concluir que todo o desentendimento iniciou-se por ciúme de Karl Marx para com seu irmão Max Stiner.

A Comuna e o trabalho de costureiroEditar

Já velho, Bakunin resolveu instigar uma revolta e se mostrou como forte apoiador da Comuna de Paris, claro, ele tinha interesses na confecção de roupas para seus fãs Punks, algo que tinha lhe sido garantido por sua amiga estilista Louise Michel, caso ele viesse a ajuda-la na comuna. O resultado não o agradou muito, uma vez que teve ele que trabalhar tecendo bandeiras negras para representar a comuna (era a única cor de tecido disponível, já que todo o tecido vermelho tinha sido tomado pelos comunistas e as outras cores foram entregues aos gays russos pelo próprio Bakunin para a composição de um arco-íris gigante) a cada dia, em troca da confecção de roupas para os fãs Punks.

Últimos anos de vidaEditar

Dedicou-se a não fazer nada, que não seja sexo com seu amigo Cafieiro, amigo este que o abrigava em uma mansão burguesa e a ler quadrinhos da Monica, onde ele se declarou ser fã do Cascão, segundo palavras do mesmo:

  Um homem que negligencia as regras cruéis de limpeza e higiene imposta pela sociedade, de fato, um anarquista  .

Segundo relatos Bakunin manteve sua vida amorosa muito ativa, não somente com seu amigo Cafieiro, mas com amores do passado, o contato foi estabelecido através de cartas românticas endereçadas aos diversos cantos da Europa.

RessurreiçãoEditar

Obcecado em seu ateísmo, Bakunin antes de falecer prometeu que iria provar a falsidade da ressurreição de Jesus, entretanto, ele falhou na primeira tentativa de ressuscitar e seus amigos levaram mais de 100 anos para conseguirem juntar as esferas do dragão invocando Shenlong. Conseguindo finalmente em 2014, trouxeram Bakunin de volta ao mundo, a partir de então, ele passou a organizar e liderar protestos na cidade do Rio de Janeiro, onde a polícia o busca incansavelmente. Consta no inquérito que ele é responsável por: vandalizar o patrimônio público e privado, promover surubas ao ar livre, praticar atos terroristas contra o governo, atentar contra Edir Macedo, fumar maconha em frente a prefeitura e comer o cu do leitor.

  Mikhail Bakunin é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!