Abrir menu principal

Desciclopédia β

Miyavi

ASA.jpg
Maximum the hormone.jpg

Yo!

Miyavi é algo relacionado a JRock

Coloque um tapa ouvido antes de ler

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

 

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Miyavi.

Cquote1.png Você quis dizer: Miyaviado Cquote2.png
Google sobre Miyavi

Miyavi
Arena37cJune20084.jpg
{{{legenda}}}
Origem Osaka
País Japão
Período 2002 - atualmente
Gênero(s) J-Rock
Gravadora(s) People Shiny Company (PSC)
Integrante(s) 雅-miyavi-, Miyavi, Miyabi, MYV, 382, todos ocupando o mesmo corpinho sarado e todo tatuado
Ex-integrante(s) {{{exintegrantes}}}
Site oficial {{{site}}}


Miau ("nasci para brilhar com muita purpurina", em japonês) é um cantor, guitarrista, artista performático, malabarista, engolidor de espadas, comediante, dançarino de break, garoto propaganda, Top Model e apresentador de programa de calouros que trabalha para a PS Company, aquela gravadora japonesa especializada em recolher bibas que fugiram de casa e transformá-las em gueixas, dançarinos, streapers rebolantes e cantoras de cabaré como o Kagrra,, KSete e ANaIneS.

Índice

HistóriaEditar

Miau fugiu de casa aos quinze anos porque seu pai, um imigrante ilegal coreano, queria que ele tivesse uma vida normal como todo mundo, casasse, tivesse filhos, morasse num cubículo com banheiro químico, arrumasse um emprego numa fábrica trabalhando dezoito horas por dia montando componentes eletrônicos. Entretanto, Miau não se conformava com um destino que parecia, em sua opinião, tão aborrecido, ele(a) tinha nascido para crescer e aparecer, assim apelou pediu socorro para sua mãe, que achava uma graça que ele(a) usasse trancinhas e roubasse os kimonos e as maquiagens dela pra brincar de desfilar em seu quarto diante do espelho. Mamis (o apelido meigo que Miau usa com sua mamãe) juntou as economias que guardara fazendo bico como costureira e mandou o moleque pra Tokyio (ou Tokio ou Tokyo ou Tokkyiowu, para Miau não faz diferença, i, Y, IO, IOU, Iyowuo, é tudo a mesma coisa).


 
A versão virtual de Miau para o The Sims, espalhando suas ideias pelo mundo através tatuagens de seu corpo.

Miau chegou a Tokiou e começou a realizar performances na rua em troca de um prato de shushi e fazer outros bicos como desfilar de lingerie, posar de modelo para o Second Life e The Sims e fazer cosplays do Gacktu, de quem ele(a) era fangirl desde criancinha. Foi nessa época também que ele iniciou seu Diário Vivo, tatuando suas reflexões filosóficas sobre a vida e outras bobagens em kanjis cuidadosamente bordados no próprio corpo. Foi trabalhando na rua que ele(a) conheceu Sakito, Kikasa e Kazuki, um trio de irmãos que cantava ópera tocava Jrock na calçada por uns trocados. Eles formaram um grupo chamado Dué le quartz (nome quase-francês que Miau não consegue pronunciar e não tem a menor ideia do que significa) e rapidamente chamaram muita atenção com seus pesados vestidos elizabetanos de couro preto, sapatos plataforma e os cabelos pintados um de cada cor. Verdadeiros destaques da escola de samba do crioulo doido.

 
O Due le quartz. Miau é o... é o... é ... não sei.

O grupo rapidamente assinou contrato com a PSC, Paraíso Supremo Colorido do Visual Gay (que não ia perder uma banda com essa cara, né não?) e Miau a-do-rou sua nova vida de estrela do Gayrock, especialmente a parte de posar nas sessões de photoshoot (termo anglófono adotado no Nippão para sessão fotográfica, pronuncia-se fodossude e não, não é palavrão), os beijos nas outras bichas os fanservices e fazer air guitar com uma guitarra de verdade, porque era muito kawaii. Ainda por cima, estava sendo muito bem pago pra fazer tudo aquilo.

Rapidamente a patricinha se tornou o carro-chefe da PSC, ganhou motorista, casaco de pelúcia e uma página cor-de-rosa no MySpace (onde, por economia, a PS Company pendura as páginas de todas as suas bandas) que ele(a) bordou com banners animados piscantes, ursinhos carinhosos, vídeos que acionam todos ao mesmo tempo além das obrigatórias faixas dos discos em mp3. Existe uma versão segura dessa página que você pode acessar aqui mesmo na Desciclo.pedia.

 
Miau em momento de punhetagem reflexão diante do espelho.

Todo esse sucesso, entretanto, ainda não era o bastante para Miau, seu eguinho sedento pedia mais. Os número de circo A performance musical era legal, as músicas eram legais, as fangirls eram legais mas ele sabia que existiam oportunidades maiores para ele na PSC, ele podia fazer tanta coisa, dançar, desfilar, andar de skate, entubar onda, conhecer o Gacktu e assim deixar seu eguinho contente para fazê-lo crescer e aparecer (seu maior sonho, desde criancinha, era ter um ego do tamanho do Nippon Budokan (日本武道館, o estádio gigante onde todas as bandas de rock tocam no Nippon)).

Ele(a) mudou seu nome para Miyabi (que ele pronunciava do mesmo modo que "Miyavi" porque B, P, V, R, T, não faz diferença, é tudo a mesma coisa), tatuou esses pensamentos em suas costas e largou aqueles viadinhos caras do Dué le quartz (porque não dava mais se é que algum dia deu para desperdiçar seu talento com um bando de posers que nem sabiam fazer caras e bocas direito nas sessões de photoshoot) e partiu para uma carreira solo. Ficou aliviado porque a roupa pesada de couro espetava seus ossinhos e dava coceira e ele não gostava de preto, não valorizava seus olhos e o rosado de suas faces.

 
Miau cuspindo fogo e fazendo air-guitar.

O sucesso na carreira solo veio rapidamente. Miau criou uma performance que misturava skate, break, streap-tease, salto ornamental e malabarismo (e agradeceu mentalmente ao hábito de jogar viodegame, especialmente Guitar Hero, com o qual tinha aprendido tudo aquilo). As fangirls foram ao delírio com a putaria performance de tocar guitarra, dançar, saltar e beijar qualquer um que aparecesse os convidados especiais. Até o Fatima estava com inveja dele. Era tão kawaii! Os álbum Gaydacu Gagaku e Galo Galyuu (nomes dado em homenagem ao ídolo e inspiração Gacktu, porque G, C, K, T, é tudo a mesma coisa) venderam horrores.

Mas isso ainda não era o bastante. Miau marcou uma reunião para conversar com os chefões da PSC novamente porque seu eguinho ainda não estava do tamanho que ele queria, já estava mais ou menos do tamanho dum ginásio de esportes pequeno, mas ainda não do tamanho do Budokan.

 
Miau vestido de palhaço, apresentando o programa de auditório da PSC.

A PSC concordou rapidamente com as ideias mirabolantes de Miau, ouvindo o tilintar da caixa registradora. Estavam para lançar um novo programa de calouros chamado Carnaval Paz e Sorriso (Peace & Smile Carnival, termos anglófono adotado no Nippão, pronuncia-se "Pissu i Smairu Carunivaru") e precisavam de um apresentador e comediante ridículo talentoso que topasse se vestir de palhaço entrevistar as bibas os Jrockers nos bastidores, apresentá-las quando fossem entrar no palco, fazer um fanservice, contar piada, aquelas coisas que animadores de programas de calouro fazem.

Como ele esperava, foi tudo um sucesso. Ele cantou, entrevistou, beijou todo mundo, molestou o Kai e foi pago para isso, ainda por cima. Tinha atingido o topo máximo da carreira. No dia seguinte, ele postou as fotinhas do evento na sua já super-atolada página no MySpace (onde, por economia a PS Company pendura páginas de todas as suas bandas), tatuou mais umas linhas no braço e marcou uma viagem para o Brasil, para comer sushi com chocolate, arrumar um negão e aprender a surfar em tubo de onda ou onda de tubo ou entubar onda ou ser entubado, no final, é tudo a mesma coisa.

 
O histórico encontro entre Miau e Gacktu. Miau babou. Gacktu nem viu que tinha uma pessoa na frente dele.

Miyavi (雅-miyavi-, Miyavi, Miyabi, MYV, 382 (kanji, pode ser lido como Mi-Ya-Bi), Miyaji, Miyao)Editar

Nome artístico: 雅-miyavi- ou MYV ou Miyabi ou ainda miyavi-sama ou simplesmente Miau. Ele(a) ainda não sabe, está decidindo.
Apelido: ele(a) tem 382 apelidos que ele alega que não são um número mas o equivalente de Miyabi (ou Miyavi, que é a mesma coisa) em kanji.
Altura: qualquer coisa entre 180 e 185 cm ou 469,90 polegadas. Miau foi eleito a medida de altura padrão utilizada no mundo do JRock para avaliar o quanto um JRocker está mentindo sobre sua própria altura em sua ficha. Exemplos: Uruha do KSete, aquela gracinha de cintas-ligas roxas, que parece alto mas não é, bate no ombro do Miau. Torans do ANaIneS que diz que tem 182 cm mas mal chega no ombro de Miau. Xô, a passivona, também do ANaIneS diz que tem 177 cm mas é quase do tamanho de Miau.
Cor: Rosa-choque, claro
Vício: está no momento tentando parar de fumar, fumando aqueles cigarros falsos feitos de perfume. Está tentando também parar de colocar chocolate no sushi e de beijar escandalosamente vocalistas no palco, mas está falhando miseravelmente.
Comida: Sushi com chocolate (mas ele nega)
Sonho: deixar o ego maior que o Budokan
Sexo: não faz. Não precisa, só precisa de um espelho.
Paixões: apesar de ser autossuficiente admite que Kra é o cara, o Kai é uma gracinha, o Sagão não é mau, mas o tesão da vida dele é mesmo o Gacktu, que não deu muita bola para ele quando se conheceram na reunião oficial das bichonas no super-mega-grupo de rock caça-níqueis conhecido como Skin, porque também está muito ocupado com o próprio ego.

DiscografiaEditar

 
Miau em momento capturado em um photoshoot mostrando o que foi que aprendeu com o Kagrra,.

ÁlbunsEditar

*2002 Gagaku - dedicado ao Gacktu
*2003 Galyuu - dedicado ao Gacktu
*2005 Miyavizm - dedicado para si mesmo masturbação
*2006 MYV☆POPS - dedicado para si mesmo masturbação
*2006 Miyaviuta ~Dokusou~ - dedicado para si mesmo masturbação
*2007 7 Samurai Sessions -We're Kavki Boiz- Sessões com o Samurai Francês, literalmente. Ninguém entendeu como esse álbum veio parar aqui, nem ele.
*2008 JPN Pride This Iz the Japanese Kabuki Rock - O Orgulho do Velho Jrocker Kabuki, nada como estudar as origens do Visual Gay para ser mais Visual Gay, porque referência histórica é fundamental. Álbum dedicado ao Kagrra,, à época em que eles eram todos umas putas gueixas. Que descansem em paz.
*2008 AZN Pride This Iz the Japanese Kabuki Rock (japan limited edition) - Todo mundo conhece a velha tática de lançar o mesmo álbum duas vezes pra vender mais, certo? Mesmo assim, vendeu tudo. Banzai!!
*2010 What's My Name? - É só um álbum que conta os relatos do Miau quando teve amnésia.
*2013 Miyavi - Achou que veria um álbum bom depois de 2 anos de hiato? Achou errado otário!!
*2015 The Others - É... não sei sobre esse album então Foda-Se.
*2016 Fire Bird - Só do titulo você vê que Miau virou cantor de Sertanejo e fez um cover da musica Pássaro de Fogo da Paula Fernandes.

Singles (Shiringus)Editar

*2002 Shinde mo Boogie-Woogie - Um dos sonhos de Miau é ir pra Róliúdi fazer uma refilmagem oriental de Grease, nos tempos das brilhantinas. Ele quer fazer o papel da Sandy com o Gacktu, aquele galã, no papel de Danny.
*2002 POP is Dead - Miau confessa em seu diário (quase) secreto que morre de inveja do JPop, principal arqui-inimigo do JRock no Nippão. Seu sonho é um dia cortar dos dois lados, gravando ao mesmo tempo os dois estilos.
*2002 Jingle Bell - Porque Natal é fundamental.
*2003 Jibun Kakumei - Segue uma coleção de álbuns da época que Miau estava tomando ácido, com títulos aleatórios.
*2003 Tariraritarara - Álbum em homenagem ao Circo de Pequim. Só muito depois alguém contou para Miau que Pequim não é no Japão.
*2003 Coo quack cluck -Ku.Ku.Ru- (Coo quack cluck) - Bate a hora, meu cuco, bate.
*2004 Ashita, Genki ni Naare. - Homenagem disfarçada aos ex-colegas de banda.
*2004 Rock no Gyakushuu - Super Star no Jouken - Superstar Não É Ninguém (dedicado ao Gacktu)
*2005 Freedom Fighters - Icecream wo Motta Hadashi no Megami to, Kikanjuu wo Motta Hadaka no Ousama - Miau se confundiu e mandou a lista de compras do supermercado para a gravadora, ao invés do título do album. Ficou assim e vendeu tudo, porque fangirl não liga, é tudo tão kawaii!
*2005 Kekkonshiki no Uta ~Kisetsu Hazure no Wedding March~ - O Ritual de Acasalamento dos Cisnes Coloridos Perdidos, título autoexplicativo.
*2006 Señor, Señora, Señorita - 3 em 1 ou Sai Desse Corpo Que Ele Não Te Pertence, uma reflexão sobre as múltiplas personalidades facetas de Miau.
*2006 Dear my friend / Itoshii hito (Dear my friend) - Meu Querido Itoshii - Dizem que o Itoshii era um antigo caso de Gacktu. Miau soube e magoou. Gacktu nega. Itoshii não foi localizado para depor.
*2006 Kimi ni Negai Wo - Eu Nego Tudo, num rompante de indecisão típico dele(a), Miau decidiu desmentir toda sua biografia, exceto o encontro com Gacktu.
*2007 Sakihokoru Hana no You Ni / Kabuki Boiz/Kabuki Danshi - Kabuki É Demais, álbum tântrico para aperfeiçoar o estudo das tradições japonesas como o Kabuki mas mais conhecido por Manual de Maquiagem do Miau
*2007 Subarashikikana, Kono Sekai - What A Wonderful World- regravação da música de Louis Armstrong (What A Wonderful World) com pronúncia errada em 90% das palavras.
*2008 Hi no Hikari Sae Todokanai Kono Basho De - Alô, Hikari, Saia de Baixo - Depois de exaustivas investigações, ninguém descobriu quem é esse Hikari mas especula-se que Miau tenha feito esse álbum numa tentativa de causar ciúmes ao Gacktu. Não funcionou.

DVDEditar

*2003 Gekokujou (live concert) Adivinha para quem esse concerto foi dedicado? Sim, ele mesmo.
*2004 Oresama (film) Sim, ele(a) fez um filme. São duas horas de imagens dele e seu skate e cinco minutos de fanservice.
*2004 Hitorigei (music vídeo compilation) - coletânea completa Um
*2004 Indies Last Live in Nihon Budokan (live concert) coletânea completa Dois ou Vale a Pena Ver de Novo
*2005 Noriko no Ichi (live documentary) - Um autodocumentário. Miau assistiu "Na Cama com Madonna", adorou a ideia e copiou.
*2005 Hitorigei 2 (music vídeo compilation) - caça-níqueis
*2006 Hitorigei 3 (music vídeo compilation) - mais caça-níqueis
*2007 25 Shunen Kinen Koen Tokyo Geijutsu Gekijo 5 Days -Dokuso- (live concert) - Cinco dias tocando, dançando e beijando em Tokiyou. As fangirls vibraram, ficaram exaustas e compraram tudo.

VHSEditar

*Shibuya Kokadi (live concert)- Depois que Miau descobriu que o negócio era mesmo vender performances ao vivo, não parou mais de gravá-las. Esse álbum inicia uma série de 382 concertos que ele quer gravar para justificar o apelido.

FilmeEditar

*2004 Oresama - Apresentação do documentário projetado em um telão com Miau fazendo evoluções em uma plataforma de skate na frente. Para facilitar, ele usou música em playback.

PhotobookEditar

Lógico que Miau tem photobook (pronuncia-se "fotobuko"), alguém já viu Top Model sem fotobuko?
*2003 Miyavi Hajime no Photo Essay Shu WAGAHAI - Miau, a patricinha cor-de-rosa, coletânea de fotos de Miau com as mais variadas roupas, caras, bocas, biquinhos e beicinhos.
*2004 Gakincho - Miau & Gackitchu, já sabe, né?
*2006 Je Vous Souhaite Un Bon Anniversaire - "Eu sonho com minha festa de debutante", Miau realizou um de seus sonhos, vestiu um vestido longo cor-de-rosa de cetim e tule e posou como se fosse uma inocente fangirl de quinze anos. Dizem que ele chorou depois da sessão de fotos e que mandou um exemplar autografado para o Gacktu. O correio devolveu o pacote ainda lacrado.

Ligações externasEditar

A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Miyavi.

SítiosEditar