Abrir menu principal

Desciclopédia β

Dia dos Namorados Macabro

(Redirecionado de My Bloody Valentine)


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
Provavelmente ele se refere a coisas daquela época, tais como Atari 2600, Balão Mágico e Plano Cruzado.


NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Dia dos Namorados Macabro.
Poeminha bom para mostrar à sua namorada no dia dos namorados. Se nem você nem ela entendem inglês, estudem, porra!

Cquote1.png Você quis dizer: Cosplay de Sexta-Feira 13 Cquote2.png
Google sobre Dia dos Namorados Macabro
Cquote1.png Experimente também: Filme mais picotado que as vítimas do Harry Warden Cquote2.png
Sugestão do Google para Dia dos Namorados Macabro

Dia dos Namorados Macabro (e não aquela versão feiosa em 3D de 2009) é um filme de terror feito com muito amor e carinho em nome de uma paixão tão forte que é de matar! A versão mais atualizada desse clássico de 1981 é tão ruim que até o artigo feito dessa versão é uma merda total. E em 3D! Enfim, esse filme é o único que deixa o coração de uma pessoa apaixonada na ponta da faca. Literalmente. Mais um daqueles filmes slashers dos anos 80 com um assassino psicótico mascarado que só age em um dia específico do ano e curte matar gostosas peladas.

HistóriaEditar

 
Harry fazendo sexo anal em Jason Voorhees com a picareta.

Tudo começa na mina abandonada do Zé da Mina Abandonada. Dois mineiros (não moradores de Minas Gerais, e sim dois manés que trabalham em minas abandonadas) exploravam o local, quando um deles diz "tá calor aqui, né?" e começa a tirar a roupa, mostrando ser uma loira podremente gostosa. Ela se propôe a dar tudo o que tem pro cara, mas ele, sendo um viado que virou viado após virar corno por mais de 42 vezes na vida, joga a loiraça belzebu numa picareta na parede, saindo o outro lado da picareta numa tatuagem de coraçãozinho que ela tinha no peito. E assim começa esse filme perfeito para assistir em um Cine Sinistro longe dos olhares de sua namorada.

O mineiro em questão é Harry Warden, um morador da pacata cidade canadense de Valentine Bluff, “Uma pequena cidade de grande coração“. Todo mundo sonha em trabalhar na mina abandonada da cidade, mesmo os jovens nerds (pode parecer um absurdo isso, mas é verdade...), e lá tinha um baile no dia de São Valentim (14 de fevereiro, e não 12 de junho como aqui no Brasil) que era feito ininterruptamente faziam mais de 100 anos. Quer dizer, não tão ininterruptamente assim. Teve uma vez que a primeira-dama da cidade pegou o marido com outra e o caldo entornou, rsrs. Mas faziam uns 20 anos que ninguém mais tinha coragem de fazer esse baile. O motivo? Harry Warden. Mesmo assim, o prefeito da cidade tentou refazer o baile. Todo mundo fica doidão, principalmente os mineiros da cidade, que tava na seca e sabiam que era uma ótima oportunidade de saírem da bronha.

Mas logo começam os sinais de que aquilo ia dar em merda. O prefeito acaba ganhando uma bela caixa de bombons, só que dentro da caixa tinha um coração. Não um coração desenhado por aquelas menininhas retardadas fãs de Fresno e sim um coração mesmo, de carne e sangue, provavelmente advindo daquela loira do início do filme. A partir daí vêm uma sequência maldita de mortes e mais mortes de mulheres bonitas, a maioria à picaretadas.

O baile é cancelado e os muleques ficam putinhos com o prefeito, dizendo que ele poderia ter chamado As Meninas Super Poderosas pra ajudar e aí um acessor bem velho dele conta a história que vinte anos antes Harry e outros mineiros estavam escavando na mina quando ocorreu um peido de um dos mineiros, que causou uma explosão na mina, tendo todos morrido, menos Harry, que sobreviveu devorando o corpo dos companheiros e praticando necrofilia. Os muleques, é claro, como em todo filme do gênero, dizem "ah meu, pára com as dorgas!" e continuam em busca das orgias, até que Harry Warden começa a catar um por um os garotinhos juvenis criados à leite com pera e ovomaltine. No final, o cara é desmascarado e ainda foge da cidade, prometendo que voltaria à meia-noite de um 14 de fevereiro qualquer para pegar todo mundo de novo (isso só aconteceu em 2009, anos depois, e sem a mesma graça).

O mais legal desse filme é que tem um monte de cenas que você que é velho pra caralho e viu esse filme ainda nos cinemas só pôde ver numa versão sem cortes lançada no mesmo ano que o remake em 3D do mesmo ano. Ou seja, por quase 30 anos esse filme era tão sanguinário quanto O Rei Leão...

Veja e morra de medo!Editar

Ver tambémEditar