Abrir menu principal

Desciclopédia β

Natal Sangrento

Panetone.jpg Ho Ho Ho, Desciclopédia!

Este artigo contém conteúdo natalino e está recheando o peru. Seja um bom menino e não vandalize, ou Papai Noel vai obrigar-lhe a assistir ao show do Rei Roberto Carlos. Não se esqueça de deixar leite e biscoitos!


Night creature.JPG Natal Sangrento surgiu das trevas!!

E à meia-noite vai levar a tua alma!

Puro osso.gif
No Wikipedia.png QUEBROU A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Natal Sangrento.

O poster sugestivo do filme.

Cquote1.png Você quis dizer: Natal Negro Cquote2.png
Google sobre Natal Sangrento
Cquote1.png HO HO HO HO! Infeliz Natal! Cquote2.png
Papai Noel sobre Natal Sangrento
Cquote1.png O modo mais eficaz de pôr as crianças na linha, eu aprovo! Cquote2.png
Super Nanny sobre Natal Sangrento
Cquote1.png Que ótimo, outro nerd psicopata, só que dessa vez, vestido de Papai Noel. ¬¬ Cquote2.png
Qualquer um cansado de tantos Slashers sobre Natal Sangrento
Cquote1.png O castigo é necessário, o castigo é bom! Cquote2.png
Bordão principal do filme sobre Natal Sangrento
Cquote1.png CASTIGO!! Cquote2.png
Killer Santa sobre Natal Sangrento


"Natal Sangrento", "Silent Night, Deadly Night", "Noite de Paz, Noite de Morte", entre outros títulos; é o primeiro de uma pentalogia de filmes psicopatas e sanguinários que se passam no Natal, e mais um filme de terror clichê que se foca em datas comemorativas. Este primeiro filme narra as aventuras de um nerd psicopata que, por nunca ter recebido nenhum presente de Natal, sai por aí nesta data tão esperada por muitos para estragar a felicidade alheia, matando todo mundo com um machado. Curiosamente, o mesmo diretor dessa joça também dirigiu documentários sobre os antigos segredos da Bíblia e a história de Jesus Cristo, o que cria uma contradição que nos leva a nos perguntar se esse cara era mesmo certo das ideias ou se era apenas mais um maluco fugitivo do hospício.

Índice

Antecedentes do filmeEditar

 
As freiras que cuidavam do reformatório para o qual o diretor do filme foi enviado.

Charles Sellier, o diretor do filme, era um jovem muito problemático. Desde criança, sempre pintou o 7, e fazia as mais variadas travessuras imagináveis e inimagináveis para chamar atenção: urinava no chuveiro, roubava goiabas de propriedades alheias, arremessava rojões e fogos de artifício no telhado dos vizinhos, quebrava os vidros da escola, destruía os brinquedos das outras crianças e ainda por cima mostrava a língua para seus pais. Por sempre ser uma criança travessa, em todo santo Natal, a única coisa que recebia do Papai Noel era carvão e uma revistinha sobre dicas de etiqueta para ele aprender a se comportar melhor.

 
  Você tem sido um menino muito mau, Charles, está na hora do seu castigo!  

Certo dia, em mais um ato de vandalismo uma de suas habituais travessuras destrutivas, Charles passa dos limites: com raiva da professora de Química, uma velha feia que odiava crianças e nem sequer dava um bom dia quando entrava na sala de aula, Charles resolveu aprontar uma pra velha. Colocou no acento da professora uma aparelho daqueles de dar choque, esperando a velha depositar seu enorme traseiro de elefante no objeto. Para o azar de Charles (e da professora, é óbvio), a coroa tinha um caso grave de hemorróidas, que acabou levando-a da escola para o hospital.

Achando que aquilo era a gota d'água, os pais de Charles, achando que o pivete não tinha mais salvação alguma, lhe enviaram para um reformatório que era controlado por freiras cegas ninjas tocadoras de piano de Acapulco, que eram verdadeiras tiranas carrascas que faziam vândalos pestes como Charles se ajoelharem no milho quente para entrarem na linha. Após anos preso naquele lugar, sem direito à computador, videogame e sobremesa, Charles passou por longas anos de dor e sofrimento, até que mesmo traumatizado, finalmente conseguiu sair daquele lugar.

Os natais no lugar eram terríveis, pois além de nunca ter ganhado qualquer presente, ele era obrigado a ralar feito um burro de carga varrendo e passando pano no infinito chão do lugar. Quando saiu do reformatório, Charles (embora traumatizado), deu graças à Deus por estar se livrando daquele lugar que fazia O Albergue parecer brincadeira de criança. Porém, Charles já estava com mais de 20 anos e com uma barba de Abraham Lincoln e bigode do Super Mario, já que lá não existia prestobarba. Apesar de ser um centro de torturas, inúmeros professores de Ensino Médio e Fundamental davam aulas para os alunos no lugar, com direito à certificado de conclusão e histórico escolar. Charles então passou no vestibular e fez faculdade de Cinema. Logo, para não ser um completo desempregado, Charles resolveu dar início ao seu primeiro filme, baseado em sua própria história e nas experiências terríveis que teve no reformatório das freiras. Assim surgiu o filme intitulado de "Natal Sangrento".

SinopseEditar

 
Avô de Billy em um dos poucos dias onde se encontra mais ou menos são.

O filme começa com uma daquelas típicas famílias felizes que servem como estereótipo (pra lá de falso) da típica família americana em dias de Natal. A família, como na maioria dos filmes de Terror (e na maioria das famílias americanas) é composta por um pai, uma mãe, um filho, e um irmão. De início, já é previsível que o filme vai dali em diante focar sua quase 1 hora e meia de duração no filho, conhecido como Billy Chapman, que não passa de um fedelho mimado e chato que fica esperando pelo Natal da forma mais irritante possível.

A família estava indo visitar o avô figurante e caduco do pai de Billy, que foi parar numa clínica psiquiátrica por estar profetizando o fim do mundo ao lado de 4 outros mensageiros do apocalipse. Logo, por ser um chato de galochas que batia de porta em porta distribuindo panfletos sobre o dia do juízo final, os vizinhos se cansaram de ter que aturá-lo e resolveram telefonar para o manicômio. Porém, quando chegou no manicômio, o velho resolveu se fingir de morto e ficar mudo, na esperança de que um dia eles acreditassem que o velho estivesse mesmo morto e o despachasse para fora do lugar, provando que além de maluco, ele era burro.

Quando Billy e sua família chegaram no lugar, lá estava o avô, parado feito uma estátua, enquanto os trouxas tentavam falar com ele. Em dado momento, os pais de Billy se afastam do velho para irem tomar um chá com o médico, deixando o garoto sozinho com o velho. Nesse momento, o velho agarra Billy pelo braço e começa a lhe contra uma história de horror sobre o apocalipse, na qual Capeta viria até a Terra disfarçado de Papai Noel para dominar o mundo, além de castigar todas as crianças do Universo por serem pestes.

Billy vai com medo para casa ao lado de sua família. No meio do caminho então, a família toda é rendida por um Papai Noel traficante que tinha acabado de assaltar uma lojinha do 1,99 e ter assassinado o dono do estabelecimento. Por ser um ladrão pé-de-chinelo, o Papai Noel acabou se esquecendo de roubar a gasolina, e ficou no meio da estrada esperando até que o primeiro trouxa aparecesse. Como o pai de Billy não queria ser assaltado, o mesmo reagiu à ocasião, e acabou morrendo com um tiro no meio da testa. O Papai Noel tentou se aproveitar da mãe de Billy, mas acabou levando um Florinda Destroyer Head Slap no meio da cara, e emputecido, corta a garganta da mulher com um canivete enferrujado. Enquanto isso, Billy fugiu do carro e ficou escondido atrás de uma moita enquanto observava toda à cena.

 
Madre Superiora, mostrando como é que se coloca as crianças bagunceiras na linha.

Alguns anos mais tarde, Billy é recolhido e jogado em um lixão orfanato conhecido como Rip-Off Church, onde viveria vários anos de dor, sofrimento e tortura nas garras das freiras pilantras que lá habitavam, e que com o passar do tempo, o transformaram num pequeno nerd. O trajetória do garoto no orfanato começa a ser mostrada no filme com ele fazendo um desenho para a aula de artes comandada por uma freira conhecida como Eda. Enquanto as outras crianças desenhavam flores, casas e corações, Billy desenhou um Papai Noel sendo esfaqueado e coberto de sangue. Como a Igreja o orfanato era comandado por fanáticas religiosas, Eda enviou o moleque para a Madre Superiora do convento orfanato, conhecida como Madre Yolanda. Madre Yolanda era uma verdadeira tirana, e não admitia crianças que não se comportavam bem. Logo, como forma de castigo, enviou o pivete para o quarto sem direito ao almoço, com a ordem de que só deveria sair de lá quando ela mandasse.

 
Reação de Billy ao se deparar com os dois jovens no quarto.

Porém, Billy estava precisava ir urgentemente ao banheiro, como toda criança chata. Logo, saiu escondido sem que Madre Yolanda percebesse, fazendo a maior burrada de sua vida. Quando estava tentando voltar sorrateiramente para seu quarto sem que Madre Yolanda percebesse, ao ouvir uns gemidos estranhos Billy faz algo que não devia: espia na fechadura de um quarto e se depara com a cena de dois adolescentes burros fazendo sexo (achou mesmo que este seria um daqueles raríssimos filmes de Terror sem cenas de sexo?). Porém, para a infelicidade do garoto, Madre Yolanda estava só à espreita. Ao ouvir os gemidos do andar de baixo do orfanato, Madre Yolanda imediatamente pega seu sinto, se dirige até o quarto, arromba a porta com um chute divino, e aplica uma surra épica com o objeto nos dois jovens, à ponto de deixá-los em coma por uma semana. Depois Madre Yolanda se dirige até Billy e lhe ensina a principal regra que ele deveria levar consigo caso quisesse ser um bom assassino Slasher: quem faz sexo em filme de Terror, deve morrer ser castigado imediatamente, pois sexo é absolutamente proibido, e é o pior de todos os crimes que podem ser cometidos. Yolanda ensina isso ao garoto utilizando o bordão do filme: "O castigo é necessário! O castigo é bom!".

Após levar um corretivo daqueles, Billy é novamente obrigado a ficar preso no quarto para aprender a não desobedecer mais. Infelizmente, Billy tem um pesadelo com o Papai Noel que assassinou seus pais e acorda aos berros. Madre Yolanda, para a infelicidade de todos, também acorda, e emputecida por Billy ter perturbado seu sono de falta de beleza, amarra Billy na cama até o dia amanhecer. No dia do Natal porém, Madre Yolanda estava decidida a fazer Billy perder seu trauma do mau bom velhinho. O leva à força para enfrentar a fera barbuda cara à cara, mas as coisas não saem como o esperado quando Billy enche o punho e mete um soco no nariz do Noel. Logo, a cena termina com Billy escondido no canto enquanto dizia que não queria ser castigado.

 
Billy aos 18 anos e antes de virar uma cria do Diabo.

Alguns anos mais tarde Billy chega aos 18 anos, traumatizado, virgem e com medo de relações sexuais devido aos ensinamentos das freiras. A primeira coisa que faz ao atingir essa idade é ir procurar um emprego, pois não queria crescer como um vagabundo. Devido ao seu tamanho e força, Billy conseguiu o seu primeiro emprego: carregador de caixas. Billy se dá bem no seu emprego, até que tudo vai por água abaixo quando seu patrão lhe obriga a se fantasiar de Papai Noel, a criatura mais aterradora do planeta. É nessa parte do filme onde o psicológico de Billy, devido ao trauma tanto da morte de seus pais, como do Papai Noel e também de sua estadia no orfanato das freiras pilantras; vai para o brejo.

Billy acaba do nada virando um psicopata. Pra começar é óbvio, a primeira coisa que Billy faz é seguir à risca os ensinamentos de Madre Yolanda sobre filmes de Terror: decide matar dois adolescentes que estavam transando em plena véspera de Natal. O primeiro deles, Andy, Billy enforca com um daqueles fios de pisca-pisca. Depois, mata o outra, uma jovem chamada Pamela, ao esfaqueá-la de cabo à rabo, com um corte iniciando no umbigo, passando por entre os seios da mesma, e terminando próximo ao pescoço.

 
Billy depois que se tornou um psicopata.

Ao ouvir o barulho das pessoas morrendo, o patrão de Billy, Sr. Simms, que estava bem pra lá de Bagdá, vai verificar o que estava acontecendo, e Billy, cansado de tanto receber ordens daquela desgraça que ainda por cima bebia mais do que catarinense na Oktoberfest, mata o velho, metendo um martelo bem no meio da testa. Por fim, mata uma velha figurante conhecida como Mrs. Randall, que também já estava batizada com a maledeta, acertando-a com uma flechada no meio das costas.

Billy então pega seu machado e sai em busca de mais meninos e meninas maus para castigar. De todas as casas presentes naquela cidade, Billy opta por uma única, a qual invade e decide matar as pessoas que se encontrava, lá. E o porquê de Billy escolher apenas uma casa é facilmente explicado: dentro dessa casa existiam dois adolescentes novamente no ato. Billy sempre foi muito certinho e detalhista, e resolveu matar esses dois justamente por serem os únicos do quarteirão que estavam fazendo aquilo naquela hora, já que de acordo com todas as regras e leis que regem os filmes de Terror, sexo é coisa de demônio e quem o faz deve morrer. Então, Billy arromba a porta (imitando o ato de Madre Yolanda quando espancou os dois jovens pervertidos), pega uma guria retardada conhecida como Denise, e em mais uma cópia descarada das cenas de O Massacre da Serra Elétrica onde Leatherface pendura suas vítimas em um gancho na parede, Billy pressiona a jovem contra os chifres de uma rena. O namorado da Jovem, Tommy, tenta lutar contra Billy, mas como os assassinos de filmes de Terror são mestres em artes marciais, o mesmo ergue Tommy como se fosse o Hulk e o arremessa janela abaixo.

 
Billy, sempre animado e de bom humor em épocas natalinas.

Em seguida, ao ver que a polícia estava em seu encalço, Billy que apesar de psicopata não era burro, vai correndo se esconder no meio do mato. Enquanto isso, na floresta próxima ao lugar, dois jovens magrelos são agredidos por dois bullies, que além de lhes acertarem com algumas porradasm roubam seus trenós. Billy viu tudo de camarote, e por serem meninos maus, julgou que estava na hora do corretivo castigo. Billy então pega seu machado e decapta a cabeça do bully mais gordo. O bully mais magro, ao ver a cabeça do mais gordo rolando, começa a surtar e acaba desmaiando do medo. Billy acaba não matando o mais magro pelo fato de ter pensado que ele tinha literalmente morrido do medo, dados os berros desesperados dele.

Dali Billy decide voltar para o orfanato no qual tinha sido criado, para finalmente vingar-se de Madre Yolanda por ela ter sido uma menina má e ter lhe maltratado quando era criança. Sabendo que ele iria até lá, o guardinha-chefe da academia de polícia da cidade (que recebe o título de "Capitão") envia todas as suas viaturas para o orfanato. Como aquela cidsade era um fim de mundo com menos de 5 policiais, o único que chega até o local é o Oficial Barnes. Lá Barnes já chega fazendo merda, ao balear um padre surdo fantasiado de Papai Noel pensando que era o assassino. Quando Billy finalmente chega ao orfanato, mete uma machadada no peito de Barnes, pois ele tinha sido um menino mal e matou um padre indefeso. Por fim, Billy invade o orfanato, ficando cara à cara com Madre Yolanda, que em momento algum se intimidou com sua presença. Quando Billy ergue seu machado para partir a velha no meio, dois dos comparsas da freira, Rico e Eda, metem chumbo em Billy pelas costas.

O filme termina com Billy morrendo e dizendo que as crianças nãodeveriam ter mais emdo do Papai Noel naquele ano, mas que ele voltaria no próximo e as levaria no saco para o Pólo Norte e as transformaria em anãos escravos. Moral da história: com Rip-Off Church, ninguém se mete.

PersonagensEditar

  Billy Chapman Billy Chapman é o típico personagem no melhor estilo Raito: Ao mesmo tempo que atua como personagem principal, atua como antagonista. Logo, ele é o protagonista e vilão ao mesmo tempo. Billy desde a infância carrega consigo um dos traumas mais comuns em crianças ao lado do medo de palhaços e do Barney: medo do Papai Noel. Tudo começou quando presenciou um Papai Noel encapetado matando seus pais. Além do medo do Papai Noel, Billy morre de medo de ser castigado na escola, fato que o levou a se tornar um grande nerd que tentava fazer tudo corretamente para não levar um corretivo. Nasceu, cresceu e morreu como sendo um virgem de carteirinha, fazendo jús a fama de todos os Serial Killers de filmes Slasher do tipo. A melhor forma de você ser morto por Billy é fazendo sexo no dia de Natal. Sexo é proibido, sexo é coisa de meninos e meninas más, não faça sexo, ou você será assassinado castigado! E se você for um adolescente, esse perigo triplica, logo, fica a dica.
  Irmã Margaret Irmã Margaret é um freira boazinha e fofinha que diferentemente de Madre Yolanda, era muito querida pelos rejeitados orfãos de Rip-Off Church. Por não ir com a cara da velha filha da mãe, Irmã Margaret em muitas ocasiões ldierava complôs e revoltas dos alunos contra Madre Yolanda por debaixo das cortinas, e incentivava os alunos a desobedecê-la. Além disso, levava sobremesa escondida para os alunos e deixava as crianças comerem biscoito antes do almoço. Irmã Margaret provavelmente foi a principal figura materna de Billy, motivo pelo qual em momento algum ele pensou em se revoltar contra ela; ao passo que Madre Yolanda substituia a figura de madrasta má do jovem. Além do mais, é a única personagem importante fora Billy na história.
  Madre Superiora Também conhecida pela alcunha de Madre Yolanda, é a chefona da máfia Rip-Off Church, o famoso orfanato que cuida de crianças rejeitadas pela sociedade. Na época, ela ainda não tinha perdido seu olho, isso só veio a acontecer alguns anos mais tarde, quando todos os orfãos organizaram um motim contra ela, no qual Madre Yolanda acabou perdendo o orgão da visão e todos os orfãos acabaram perdendo sua vida num grande tiroteio que entrou para a história do convento orfanato. Sua principal caraterística é ser uma velha mau encarada e fanática religiosa que julga o sexo como sendo coisa do demônio (motivo que a levou a se tornar uma freira após ter tido sua primeira filha, Super Nanny). Madre Superiora é caracterizada por adorar castigar as crianças, e é referência mundial quando o assunto é colocar os fedelhos na linha. A principal adepta de seus ensinamentos é sua própria filha, Super Nanny, que por se estar em rede nacional e também devido a censura, nunca tem seus verdadeiros métodos mostrados na TV.
  Ellie Chapman Típica loira oitentista que faz sua aparição obrigatória em algum filme Slasher para agradar aos fãs virgens que são os únicos que assistem essas drogas, Ellie é a mãe de Billy. Conheceu o pai de Billy em uma sala de cinema enquanto assistiam ao primeiro O Massacre da Serra Elétrica, e lá mesmo encomendou seu filho. Por ser uma personagem de filme de Terror antigo, é certinha e fiel ao seu marido, diferentemente das vadias que aparecem em filmes de Comédia. Quando percebeu que estava grávida, casou-se com seu marido, Jim Chapman, que também por ser certinho, assumiu o filho sem hesitar, num daqueles típicos relacionamentos de contos de fadas. No começo do filme, o Papai Noel traficante tenta abusar da mesma, mas decide matá-la quando ela, ao invés de ceder, lhe acerta com um tapa histórico no meio da cara, sendo fiel ao seu marido até a morte, fazendo valer o comentário anterior. Sua aparição na história é mínima e só apareceu para dizer que Billy tinha uma mãe antes de virar um orfão.
  Jim Chapman Jim Chapman é o típico "paizão" das famílias americanas, e como era de se esperar, é o pai do protagonista. Ao lado de Ellie, ambos constroem um dos clichês mais conhecidos dos filmes de Terror: os pais. Porém, diferentemente da maioria dos outros pais desse tipo de filme, Jim é uma das raras ocasiões onde o pai morre. Jim nasceu provavelmente em uma família de agricultores que viviam da plantação da batatas em algum lugar do interior dos EUA que nem mesmo os próprios americanos conhecem. Ellie foi sua primeira e única mulher, e podemos dizer que tirou a sorte grande de ter se casado com uma virgem e com ela ter construído uma família que perdurou até a morte. Jim é o filho do Avô, a quem eles visitam no início do filme. Quando voltavam pra casa, Jim estava dirigido quando se deparou com o Papai Noel assaltante. Tentou reagir ao assalta e levou chumbo no meio da testa, encerrando sua participação inútil na história.
  Ricky Caldwell Ricky Caldwell é o irmão mais novo de Billy. No primeiro filme ele não passa de um fedelho chato e figurante que nem tem seu sobrenome revelado. Porém, seu destaque maior vem a ser em Natal Sangrento 2, quando seguindo os passos de seu irmão, ele se torna o novo assassino. Assim como seu irmão, foi para o orfanato após o massacre de seus pais, e era o queridinho de Madre Yolanda, por isso, nunca foi catsigado ou levou uma bronca sequer, pois era um baita de um puxa-saco que concordava com tudo que a velha dizia. Porém, uma dúvida que toma um grande espaço na mente de todos os fãs da franquia, é porque diabos seu sobrenome no segundo filme é "Caldwell" se todos de sua família carregavam o sobrenome de "Chapman". A possível explicação é a de que na hora de lhe nomear no cartório, quem o levou fora o Avô, que pelo fato de já estar perturbado, se esqueceu do sobrenome e para não deixá-lo sem um, anotou na hora o nome da marca do relógio que se encontrava na parede do estabelecimento.
  Pamela Pamela é o típico personagem para encher linguiça do enredo, e mais uma das vítimas de Billy. Ao que tudo indica é o interesse amoroso do assassino, porém, por não estar nem aí pra ele e preferir um vagabundo que fica o dia todo vadiando sentado numa cadeira, acabou virando adubo. Pamela trabalhava na mesma loja que Billy, e costumava tratá-lo bem. Porém, Billy tinha medo de chegar perto dela porque o primeiro encontro entre dois personagens de filmes de Terror sempre leva à outras coisas, e Billy tinha medo de ser castigado por isso. Além do mais, Pamela estava saindo com um inútil sem graça e imbecil, que era o Andy. Na véspera de Natal, Andy convida Pamela para terem "uma conversinha particular" no porão da loja, mais precisamente em meio aos caixotes de brinquedos danificados. Após mandar Andy para o colo do Capeta, Billy pega uma espécie de canivete ou faca e faz um corte da barriga até o pescoço de Pamela, pois ela tinha sido uma menina má, já que além de quebrar a lei número 1 dos filmes de Terror de jamais fazer sexo, ainda por cima o trocou por um retardado. Pouco antes de matar Pamela Billy disse que "o castigo é necessário, o castigo é bom".
  Andy Metido, chato, imbecil, arrogante, estúpido e puxa-saco: essas características definem Andy, o personagem mais desgraçado, sem-graça e odiado do filme. É o típico mala sem alça que todo filme de Terror deve ter, a típica primeira vítima e o típico personagem que desde quando você vê pela primeira vez no filme, você deseja que morra da forma mais brutal possível. Andy foi provavelmente o primeiro a ser contratado por Sr. Sims, tanto é que quando o mesmo vira costas, ele age como se fosse o gerente da loja, e assim como todo playboy, sai com o rabo entre as pernas e age como um perfeito puxa-saco quando o patrão está por perto. Não tem relevância qualquer para o enredo e nem mesmo para a sociedade, sendo que foi um favor para a humanidade Billy ter matado esse desgraçado. Na véspera de Natal, chamou Pamela para o porão do estabelecimento. Lá tentou abusar de Pamela de forma semelhante ao que o Papai Noel traficante fez com a mãe de Billy no início do filme. Aquilo despertou os instintos psicopatas de Billy, pois se sexo é coisa de meninos maus, tentativa de abuso é coisa de meninos muito mais maus. Logo, Billy interrompe os atos hediondos de Andy e o enforca com algumas luzes de Natal. Apesar de ter salvo a moça, Pamela xingou Billy, que ficou extremamente puto com tamanha falta de gratidão, sendo um dos motivos que o levaram a matar a desgraçada, pois falta de gratidão é coisa de meninas más!
  Sr. Sims Sr. Sims é o patrão aproveitador de Billy, e mais um dos milhares de personagens sem importância qualquer para o enredo, que foram colocados na história só para Billy ter o maior número de vítimas possíveis. O velho aproveita-se da boa vontade de Billy, e o faz levantar caixotes, dirigir caminhões, varrer o chão, levar a roupa para a lavanderia e etc. Sr. Sims é dono de uma lojinha às beiras da falência no beco da cidade, e por ser o único estabelecimento daquele fimd e mundo que vende brinquedos, é muito frequentado perto do Natal, sendo também a única época do ano em que ele consegue ganhar mais de 10 dólares. Tudo ia bem até que Sr. Sims obrigou Billy a se fantasiar de Papai Noel, um dos motivos maiores que o levaram a virar um psicopata de uma hora para outra. Por ser um garoto mau e explorar seus funcionário, Billy o matou com uma martelada na cabeça, atravessando a testa do velho com um martelo, que ficou preso em sua cabeça.
  Sra. Randall Sra. Randall foi a última funcionária da loja à morrer. Durante o filme todo, você fica se perguntando qual a função dela dentro daquela droga, até que você chega a conclusão mais coerente possível: porra nenhuma. Sra. Randall era apenas uma dona de casa desempregada e aposentada que não tinha mais nada o que fazer na vida, então, para não ter que ficar o resto de seus dias fardada à pesadas sessões de tricô e bebedeira de chá, resolveu se candidatar para o emprego na loja de brinquedos, já que adorava crianças. Além do mais, mostra-se uma grande pinguça, e fica bêbada ao lado de Sr. Sims. Após todos os outros três funcionários da loja serem mortos, só sobra Sra. Randall, que passa a ser perseguida por Billy enquanto ele contava uma historinha de Natal escrota. Em dado momento do filme assuta Billy com sua a cara feia, fazendo-o cair no chão. Nesse meio tempo, rouba o machado do assassino, mas por ser burra demais, ao invés de tentar acertá-lo com a ferramenta, tem a brilhante ideia de tentar quebrar uma porta de ferro com o objeto. Logo, Billy pega um arco e flecha que um velho índio cliente da loja tinha esquecido ali e acerta uma flechada nas costas da velha.
  Denise Denise é uma daquelas típicas personagens femininas inúteis que encontram-se em meio a uma farra com um daqueles típicos personagens masculinos inúteis, e que morrem por estarem fazendo (ou pensando em fazer) sexo. Sua importância para a história é inexistente, além de ela ser uma típica loira burra, fato provado porque em momento algum tinha em mente usar camisinha com seu namorado também burro. Possui uma irmãzinha fedelha que aguarda ansiosamente pelo Papai Noel achando que o velho desgraçado existe. Denise, na hora H com o idiota é interrompida por ruídos de sinos de Natal, pensando que era sua gat de estimação. Logo, abandona seu namorado estúpido na mesa de sinuca e vai atender a porta. Porém, além da gata, eis que surge Billy arrombando a porta com o machado, e após ela inutilmente tentar lutar contra ele, é erguida e jogada contra os chifres de uma rena agregada à parede. Sua participação no filme foi mais rápida que o Flash, e durante os poucos segundos onde apareceu só para morrer, ela pode ser vista com os seios à mostra durante o tempo todo para agradar aos fãs.
  Tommy Tommy é o já mencionado personagem secundário que só apareceu para morrer ao lado de Denise, e que assim como ela, morreu pelos mesmos motivos. Como toda vítima que morre fazendo sexo, não passa de um playboy filhinho de papai que tem os hormônios mais ativos do que o cérebro. Trata-se de um vagabundo que nunca trabalhou na vida, mas que conseguiu seduzir a loira em questão, uma outra jovem à toa que só quer saber de farra e mais anda. Totalmente inútil, apareceu por 1 minuto à mais do que Denise. Quando se deparou com sua namorada presa na parede, é surpreendido logo em seguida por Billy, que estava pronto para matá-lo. Por ser um jumento, ao invés de fugir do assassino, ficou lá tentando medir forças com o psicopata. Resultado: levou uma surra divina e ainda por cima foi levanatado e arremessado pela janela, morrendo instantaneamente ao bater com a cabeça na neve.
  Cindy Cindy é uma menininha retardada e burra que acredita no Papai Noel, e por conseguinte também deve acreditar em Fada dos Dentes, Coelho da Páscoa e nos Teletubbies. 100% inútil, essa fedelha apareceu por menos de um minuto, e vem a ser a irmã mais nova de Denise. Na verdade, Cindy aceitou participar do filme em troca de um pacote com balinhas de menta e pirulitos de 10 centavos. Apareceu de início só para atrapalhar a diversão de Denise e do seu namorado playboy. Depois apareceu de novo quando Billy Chapman terminou de matar sua irmã e seu provável cunhado. Por ter sido uma boa menina, Billy presentou a garotinha com um canivete ensaguentado, coisa que qualquer criança reza para ganhar no Natal.
  Doug Completamente inútil e sem qualquer relevância para a história, Doug é mais um dos milhares de personagens terciários que só apareceram para completar o elenco de figurantes apoio da história. Doug não tem seu segundo nome revelado por ser um personagem pra lá de secundário. É um daqueles típicos garotos aventureiros que saem na véspera de Natal para brincar na neve devido a falta de ter coisa melhor para fazer. No filme, saiu de noite para descer um desfiladeiro de trenó com seu amigo retardado, mas teve seu trenó roubado por dois bullies, um gordo e um magro, que devido à inveja, também queriam descer o desfiladeiro de trenó. A principal característica de Doug é ser um borra-botas medroso, do tipo que sai correndo no primeiro sinal de ameaça. Ou seja: basta olhar de cara feia pra essa galinha, que ele sai correndo.
  Jim Mais um insignificante colocado só por enchimento de linguiça, Jim, assim como Doug, só tem seu nome revelado nos créditos oficiais do filme. Ou seja, eu, enquanto escritor dessa porcaria, tive de ralar até descobrir qual o nome desse incompetente sem graça. Jim é um dos dois jovens que tem seus trenós roubados pelos bullies mais velhos. Assim como seu amigo Doug, deve ter fugido de casa para se divertir na neve com brincadeirinhas estúpidas, pois provavelmente devia estar de castigo por ter se comportado mal durante o ano todo. Quando os dois Bullies chegam, o retardado, sendo magrelo e fraco, começa a chamá-los de estúpidos sem cérebro (e com muita razão). Porém, aquilo incomodou Bob, o bully gordo, que lhe meteu um soco no meio do estômago e ainda por cima lhe prendeu com os braços no pescoço. Após apanhar, Jim sai correndo do lugar com Doug feito duas galinhas.
  Bob Bob é o bully balofo que roubou o treinó dos dois mais jovens. "Bob" na verdade é seu apelido, seu verdadeiro nome é Bob's. Seus pais lhe deram esse nome porque como bom americano que é, ao invés de se alimentar do leite materno quando nasceu, a primeira coisa que Bob ingeriu foi um fast food, e para homenagear esse feito fabuloso, seus pais, que também são outros dois gorduchos, resolveram dar-lhe esse nome. Bob provavelmente deve ter sofrido com muita zombaria quando era mais novo em vista de toda sua massa corporal, e para se vingar daqueles que viviam lhe chamando de bolo fofo, rolha de poço e galão de vinho; decidiu tornar-se um bully e espancar todas as crianças de sua escola. Porém, para a infelicidade desse infeliz, Billy viu o que ele fez, e aplicou-lhe uma machadada que arrancou sua cabeça no momento que ele descia de trenó ladeira abaixo, afinal, bullying é coisa de meninos maus.
  Mac Mac é o bully anorexo que aparece apenas como pau mandado de Bob. É o típico personagem que passa invisível aos olhos do telespectador, sendo que se você um dia já assistiu esse filme, mesmo com a foto dele aí ao lado, você não irá se lembrar de quem se trata essa desgraça. Se por um lado Bob nasceu com sobrepeso, Mac nasceu com falta de peso, sofrendo de um caso extremamente grave de anorexia nervosa. Com o tempo, foi curado da desnutrição, mas continua mais seco do que uma vara. Apareceu no filme com pouco mais que 5 palavras, e ajudou a bater dos dois jovens mais fracos. Após roubar o trenó deles, Mac foi o primeiro a descer a ladeira, pois Bob queria certificar-se que era seguro, e é comos empre dizem: Antes ele do que eu. Mac chega são e salvo lá embaixo, porém, entra no desespero e começa a surtar feito um retardado ao ver a cabeça do gorducho descendo ao lado de seu corpo sem cabeça. Além de sua inútil participação nesse filme, Mac atuou também em Bleach, interpretando Wonderweiss Margera.
  Oficial Barnes Oficial Bernes Barnes foi mais uma das vítimas de Billy, e é um dos únicos 5 policiais existentes na cidade, e de todos eles, é o mais inútil. Quando foi designado para proteger o orfanato de Billy, já chegou lá fazendo merda: atirou num pobre padre surdo que viria a ser o Papai Noel do orfanato naquele ano. Foi morto por Billy quando estava saindo de uma patente que ficava do lado de fora do orfanato, onde teve o machado enfiado perto da barriga. Aparentemente, deve ser russo, dado o chapéu ridículo que usa na cabeça e o bigodão loiro. Provavelmente atirou no pobre padre por estar caindo de bêbado devido ao consumo excessivo de vodka.
  Capitão Richards Capitão Richards é talvez o único policial daquela cidade miserável que realmente faz algo de útil para a sociedade. Em vista de ser o único capacitado naquele fim de mundo, foi promovido à capitão da loucademia de polícia local. Possui sob seu comando outros 4: oficial Barnes e mais 3 figurantes. Sua primeira aparição no filme foi conversando com Irmã Margaret sobre o quanto a situação estava preta para o lado de Billy, que já tinha matado 4 adolescentes tarados, uma velha louca, o dono de uma loja bêbado e um gorducho viciado em McDonald's. Após saber que Oficial Barnes tinha matado o pobre coitado do padre, decidiu ele mesmo ir defender o orfanato antes que seu subordinado fizesse mais besteira. Capitão chegou a tempo e atirou em Billy antes de ele acertar uma machadada em Madre Yolanda, sendo o responsável por enviá-lo para o Inferno.
  Avô Chapman Avô Chapman, ou Grandpa Chapma, como preferir; é um velho caduco e esquizofrênico que foi jogado no hospício pelo próprio filho após sair por aí pregando o fim do mundo em 2012. Na verdade, seu filho só precisava de um pretexto parase livrar do velho, que já estava incomodando dentro de casa e não o deixava ter paz e privacidade com sua mulher. Se finge de mudo por ter preguiça de falar com outras pessoas, porém, é mestre na arte de assustar criancinhas, e todo esse negócio de "Papai Noel vai te castigar" que mandou o psicológico de Billy para o espaço começou justamente com o coroa, que inclusive já estava até nas últimas. Por ser um personagem desinteressante e sem importância, só apareceu na primeira cena do filme e depois sumiu como se nunca tivesse existido.
  Dr. Conway   Quem é esse infeliz?  
Você sobre Dr. Conway

Dr. Conway é o típico personagem que ultrapassa tudo que esteja entendido pelo contexto de "secundário" para integrar o grupo do que podemos chamar de "terciários". Um médico inútil e sem valor maior para a história, só apareceu no início do filme para dizer para os pais de Billy sobre o quanto o Avô Chapman estava demente, coisa que qualquer retardado consegue perceber de longe sem precisar que ninguém lhe avise. Acredita-se que Dr. Conway tenha participado do filme só para ganhar um dinheirinho extra para pagar a conta do aluguel, já que os negócios andavam difíceis pra ele, mesmo ele sendo o único médico daquela cidade.

  Killer Santa Na verdade, Killer Santa é a denominação dada a todos aqueles que se fantasiam de Papai Noel e saem matando todo mundo na véspera de Natal durante a série, porém, por este indivíduo secundário não ter nome algum, os créditos o indicam como sendo o Killer Santa. Na verdade, esse irrelevante foi apenas o primeiro Killer Santa, sendo que o Killer Santa principal do filme é na verdade Billy Chapman. O dito cujo em questão da foto ao lado trata-se na verdade de um traficante brasileiro que foi exilado do Morro pelos demais bandidos, e desde então passou a atuar em favelas americanas como líder do tráfico de hamburguer e bacon. Com o tempo, passou a se cansar de comida calórica e decidiu atuar como criminoso pé-de-chinelo, assaltando lojinhas de esquina e assassinando comerciantes que reagem aos assaltos. Foi um dos principais responsáveis pelos traumas de Billy, ao ter assassinado seus pais. Seu paradeiro atual é desconhecido, mas acredita-se que tenha voltado para o Brasil, onde atualmente atua como organizador de brigas de torcidas de futebol.
  Sr. Levitt   Você quis dizer: Figurante da loja  
Google sobre Sr. Levitt

Sr. Levitt não é nada mais, nada menos do que o dono burro da lojinha do 1,99 do início do filme, que morreu por ser um jegue e reagir a um assalto à mão armada. Por ser um figurante, é um personagem obscuramente sem importância qualquer. Sr. Levitt apareceu por menos de 1 minuto, fazendo uma aparição-relâmpago só para o filme ter uma razoável quantidade de mortes. Seu primeiro nome não é revelado, talvez por que este incompetente nem tenha um nome, já que nem mesmo os criadores do filme quiseram se estressar em dar um para ele. Ao que tudo indica, estava à beira da falência, pois o Papai Noel traficante só conseguiu achar 3 dólares na caixa registradora da loja do velho.

  Irmã Ellen Você que está aí lendo esse artigo e já assistiu a esse filme, deve estar se perguntando de quem se trata na verdade essa pobre coitada, não é verdade? Bem, essa mulher é aquela freira que aparece nos primeiros 20 minutos de filme dando aula de desenho para Billy. É o tipo de personagem que de tão terciária, consegue ser quaternária devido a sua falta de importância para o filme. Não faz absolutamente nada que se tire algum proveito durante o filme todo, apenas mandar Billy para a diretoria do orfanato após o mesmo desenhar um Papai Noel sendo mutilado por facas enferrujadas. Eu na verdade nem sabia também o nome dessa mulher (não sabia sequer que ela tinha um nome).
  Oficial Murphy Mais um personagem absolutamente insignificante que não faz porra nenhuma durante o filme todo. Na verdade, a importância desse personagem é tamanha que seu nome só aparece nos créditos, e para identificá-lo, você é obrigado a bancar o detetive. Murphy é um daqueles típicos desempregados que se candidataram para o cargo de policial por não conseguirem achar mais nada para fazer. Como na época que se candidatou só existiam dois policiais disponíveis, foi contratao para o cargo sem precisar fazer qualquer prova. Aparece no filme tagarelando algumas abobrinhas para o também inútil Miller, e depois o ajuda a invadir uma casa de família e apontar uma arma para o pai de uma garotinha só porque ele estava fantasiado de Papai Noel, que tinha se transformado numa figura maldita para a cidade.
  Oficial Miller Miller é o outro policial figurante do filme que quase assassina um pai de família só porque ele estava fantasiado de Papai Noel. Miller, ao que tudo indica, entrou para a polícia nas mesmas condições que Murphy, apenas querendo um emprego onde não teria que se mexer muito e poderia vadiar à vontade. Podemos dizer que se deu bem, já que a única coisa que os policiais americanos fazem é encher a pança de café com rosquinhas. Sua participação do filme resume-se em dirigir o carro de polícia e contar uma piadinha escrota que botaria a desgraça falta de graça do Bozo no chinelo. Assim como seu parceiro de vagabundagens, não fez porra nenhuma durante o filme todo, e sua participação é tremendamente imperceptível.
  Padre O'Brien De todos os personagens que apareceram no filme, sem sombra de dúvidas Padre O'Brien foi o mais azarado de todos eles. O pobre homem se dirigia alegremente para o orfanato fantasiado de Papai Noel para fazer a alegria da pirralhada criançada no dia de Natal, quando do nada, é baleado com dois tiros nas costas ao ser confundido com um Papai Noel assassino, tudo devido unicamente ao fato de ser surdo e não ter ouvido quando o Oficial Barnes o mandou abaixar as mãos. Só para constar, Padre O'Brien e esse ponto vermelho no meio do nada que você pode observar no meio da foto. O fato é que ele nunca apareceu de forma nítida no filme, sendo essa a melhor imagem dele que se pode encontrar, já que ele só apareceu de costas após ter sido baleado.
  Pervertida do Orfanato Essa moça inútil e pra lá de figurante com cara de quem cometeu um crime, é um dos dois adolescentes tarados que foram corajosos o suficiente para fazer sexo dentro de um orfanato, bem embaixo do nariz de Madre Yolanda, para o azar dos mesmos, é claro. Quando Madre Yolanda os descobriu lá, aplicou-lhes uma coça fenomenal com um cinto de couro daqueles bem resistentes. Seu paradeiro é desconhecido, mas acredita-se que tenha sido espancada até a morte ao lado de seu namorado, pois Madre Yolanda é do tipo que não perdoa um ato tão hediondo e depravado como esse.
  Pervertido do Orfanato Pervertido do orfanato trata-se na verdade do namorado da pervertida do orfanato, e assim como ela, foi um dos dois que estavam se divertindo sem o consentimento de Madre Yolanda. Assim como a inútil anterior, é um personagem sem importância, que só foi espancado coma fivela do sinto para que a madre usasse o bordão principal do filme: "O castigo é necessário, o castigo é bom". Vale ressaltar que foram esses dois que Billy estava espionando no quarto antes de levar uma coça da madre.
  Pirralha chata Pirralha chata é aquela garotinha retardada que vai visitar a loja do Sr. Sims quando Billy se fantasia de Papai Noel. Como toda criança insuportável, começa a fazer birrinha por que não queria sentar no colo do Papai Noel. Porém, Billy faz a peste se comportar quando a ameaça, dizendo que castigaria a fedelha se ela não se compartasse bem. Seu nível de importância para o filme numa escala de 0 à 10 é de -10. Apesar de ter tocado o Terror na praga, todo mundo pensou que Billy a tinha feito parar quieta por saber lidar com crianças. Entretanto, foi comprovada a teoria de que a melhor forma de pôr uma criança na linha é através da tortura psicológica (e também física, dependendo da ocasião).
  Bruxa do 71 Após ter se cansado de atuar em seriados mexicanos, Dona Clotilde decidiu que já estava na hora de ter novas ambições, e então passou a atuar em filmes americanos de baixo orçamento, procurando um lugar onde seu trabalho finalmente seria melhor valorizado. Fez os testes para todos os tipos de filmes que se podia imaginar, porém devido a sua descomunal beleza, só conseguiu trabalho em filmes de Terror. Após ter feito um surpreendente sucesso interpretando o esqueleto da mãe do Norman Bates em Psicose, Dona Clotilde foi contratada para participar do elenco de Natal Sangrento, onde fez o tão cobiçado papel de mãe da pirralha chata após dar um trato no visual e pintar o cabelo.
  Baranga risonha da loja A criatura em questão foi colocada no elenco justamente para construir aquele clima de Terror do filme, já que se depender dos outros elementos do mesmo, tal objetivo não se concretiza. Baranga risonha da loja é na verdade uma humilde mãe de família que foi largada pelo marido, estava desempregada e precisava de dinheiro para manter seus 13 filhos. Logo, fez os testes para o filme e passou como a segunda entre os figurantes sem nome, só perdendo para Bruxa do 71, que ficou em primeiro lugar. Atualmente não se tem notícias sobre a baranga risonha da loja, mas tudo indica que já esteja comendo capim pela raíz, dada a época em que o filme foi feito e a idade da mesma quando atuou nele.
  Dona aleatória Dona aleatória é uma tia qualquer que não se sabe daonde veio e nem para onde vai. Fez apenas um cameo de alguns segundos, mas por ser uma personagem completamente quintenária, ninguém percebe sua existência. Aceitou trabalhar no filme em troca de um conjunto de toalhas do 1,99, já que personagens desse calibre não são dignos nem mesmo de receber 20 dólares em vista de sua completa inutilidade para qualquer enredo. A imagem em questão foi a melhor que conseguimos, pois esse tipo de personagem não aparece suficiente em uma única cena sequer para se conseguir uma foto decente.
  Mulher com cara de esquilo Mulher com cara de esquilo é mais um dos trilhões de figurantes que apareceram só na cena da loja, uma das principais do filme, pois se fosse para colocar aqui foto de todos os figurantes que aparecem no filme do todo, este seria o maior artigo da Desciclopédia, e eu provavelmente não o terminaria antes do ano novo. Não faz porra nenhuma no filme, a não ser ficar olhando para o nada com essa expressão escrota, de forma semelhante a uma daquelas típicas vizinhas fofoqueiras que vivem falando da sua vida.
  Papai Noel que levou um soco no nariz Papai Noel que levou um soco no nariz é mais um dos milhares de figurantes de menos de 3 segundos de aparição. Recebeu uma atenção especial nesse artigo por ter apanhadod e um garotinho que inclusive fez sair sangue de seu nariz, dada a proporção do soco que aplicou no velho. Era um pobre coitado que procurava desesperadamente por um emprego para comprar presentes para sua família, mas que acabou inocentemente levando um golpe de boxe bem no meio da cara unicamente por ter assutado uma criança traumatizada. Atualmente, desistiu da carreira de Papai Noel e trabalha como caçador de leões na savana africana, que pelo menos é um trabalho bem mais seguro.
  Papai Noel sentado na loja Papai Noel sentado na loja é mais um dos milhares de otários que aceitam qualquer bico para arranjar grana extra no Natal. No caso, era um funcionário da loja do Sr. Sims, mas que um dia antes da véspera de Natal, teve a brilhante ideia de jerico de patinar no gelo sem tirar o roupão de Papai Noel, e em vista disso acabou se atrapalhando, escorregando no gelo, e quebrado todos os ossos do corpo. Ou vai ver é só uma desculpa para não trabalhar...
  Policial figurante sem nome Este é o último dos 5 policiais que apareceram ao longo do filme, sendo o mais secundário de todos eles. Não iremos nos restringir a falar muito desse incompetente por simplesmente não ter o que se falar desse incompetente, e se estou repetindo as palavras grandes muitas vezes, é unicamente para encher linguiça, pois personagens desse calibre são absolutamente desnecessários para qualquer enredo.

CuriosidadesEditar

  • Apesar do machado ser a arma principal do filme na teoria, na prática desempenhou um papel secundário como método de execução.
  • Os diretores do filme até hoje respondem por processos da Igreja Católica, que alegam que não existe anda de mais profano, depravado e imperdoável do que se apropriar de um filme que narra uma verdadeira matança natalina. Apesar disso, eles nunca falaram nada sobre o tal do dízimo...

Ver tambémEditar