Abrir menu principal

Desciclopédia β

Nenhum de Nós

Playinguittar.gif

Ritchie Blackmore deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
E possivelmente assistia Bozo, Mara Maravilha e Xou da Xuxa.


Cquote1.png Você quis dizer: Porra nenhuma? Cquote2.png
Google sobre Nenhum de Nós

O Nenhum de Nós é uma banda bacana, pelo menos é o que os nada fanáticos fãs dizem. Surgiu em Porto Alegre, assim como Se Ativa e MC Jean Paul, mas conseguiu algum sucesso, mesmo que menos do que os Engenheiros do Hawaii, a outra grande banda dos pampas em nível nacional. Ou não. A diferença é que o Engenheiros do Hawaii esqueceu do sul e foi em busca do dinheiro, talvez conseguiram, enquanto o Nenhum de Nós remou em direção ao sul, pois gostavam mais de churrasco e chimarrão.

Emplacou não sei quantos hits, vendeu sei lá quantos milhões de cópias e tem um monte de fãs chatos que sabem cantar de cor todas as letras e acham o Sadi Hömrich lindo e magrinho; o Carlos Stein másculo e com um cabelo muito bem cuidado; o João Vicenti o Beethoven gaudério; o Veco Marques melhor do que o Slash; e que o Theddy Corrêa é um bom cantor e jamais fez chapinha.

Índice

HistóriaEditar

 
Banda Nenhum de Nós, prontos pra te encherem o saco tocarem um som pesado.

Em meados dos anos 80, o tal do rock estava gerando muita grana (e quando digo muita é muita mesmo), novas bandas surgiam todo dia, principalmente no Rio Grande dos Pampas. Neste clima Thedy Catraca, Sady Oderich, e Carlos Albert Einstein formaram o Nenhum de Nós, que a príncipio foi mais uma banda sem graça com músicas cuja bateria parecia um tonel.

O sucesso deles foi tão instantâneo, que mal saídos do estúdio onde haviam gravado "Camila, Camila", já foram interceptados por fãs ninfomaníacas da música, que já era a mais tocada da Via Láctea. Sucederam-se vários shows em locais como Acre, Rondônia, Massachutes, Camboja, Rio Claro, São Sebastião do Caí e Hong Kong que levaram á banda ao estrelato. A banda fez todos os programas de TV da época, aparecendo mais na Globo que o próprio logo da mesma. Fãs histéricas até hoje guardam a foto do maravilho Sady Obelix tatuada em suas nádegas. Devido ao sucesso, o Nenhum de Nós está com o saco no chão de tanto que o Serginho Groissman, o Faustão, o Huck, o Silvio Santos, o Gugu, entre outros puxaram... Mas seguem firmes (ou não) fazendo shows todos os dias pelo sul. A banda toca mais lá do que nos carros dos mesmos (que não aguentam mais ouvir "é 'céu nariz azul' ou 'céu matiz azul'?"). Hoje o Carlos está cabeludo, o Thedy com o cabelo bonito e o Sady magrinho. SQN.

A grande cagadaEditar

A banda vinha bem quando em 1989, fez o que não devia, viajou na maionese, esquiou na sopa de quiabo, cagou fora do penico, enfim, gravou uma versão de "Starman", do Dawid Bowie. Logo, até as respectivas mães dos integrantes do grupo reprovaram-nos, e após alguma seções de tortura mediaval à base de muito chicote e cerol, eles tiveram o seu nome jogado na lama.

Os novos passosEditar

Desiludidos, tristes e sem saber o que fazer (já que também não podiam virar emos,porque naquela época isso ainda não existia), eles resolveram seguir os conselhos de Dona Florinda e não se misturarem mais com a gentalha. Trancaram-se nos cafundós do sul e ali conquistaram mais de 10.283.902.323.412 de fãs com hits mais pegajosos que bêbado em final de festa. Em 2001, já quase calçando as pantufas de algodão, eles voltaram a espalhar sua música pelos arredores do país, gravaram um acústico pouco tempo depois, depois outro disco, depois outro e para desespero de muitos, eles não pararam mais.

Após anos e anos fazendo uma música pobre porém de certa qualidade cerebral, além de másculas, e passando fome devido a isso pois não se venderam, chegaram ao estágio de terem que fazer ponto na Voluntários. O Nenhum de Nós, a partir de seu CD "Paz e Amor" aderiu ao movimento Emo e à viadagem gaudéria, só gravando músicas sobre dor-de-corno (popularmente conhecida como rockemonejo). E como não existe ex-gay, declararam que não vão mudar de estilo, desde então. A tal ponto chegaram que Thedy Corrêa, o "vocalista" da banda, passou ao lado negro-e-rosa da força, sendo contratado pela RBS TV (Rede Brasil Sul de Telecomunicações) para escrever blogs acéfalos e apresentar programas ao lado de criaturas do lado rosa da força como Batata Pimentão.

Músicas que encheram o saco de tanto tocarem no rádioEditar

  • Camila, Camila (fala de uma atriz cujo sobrenome é uma fruta gostosa) [Vagalumes dos anos 80]
  • O astronauta de Mármore (feita depois de consumir muitas dorgas) [tocou mais que Ai Se Eu Te Pego]
  • Ao Meu Redor (música do tio do carrossel que não aguentava mais ver tudo ao ser redor)
  • Sobre o tempo (não sei o que falar)
  • Vou deixar que você se vá (desapego)
  • Você vai lembrar de mim (esta é a música preferida da sua irmã)
  • Diga à ela(... pois sou mudo e não posso dizer)
  • Amanhã ou depois (... vai chover)
  • Um girassol da cor de seu cabelo (cabelo feio hein)
  • Dança do tempo (tempo dançando melhor que eu)
  • FeedBack (sei lá...)
  • Extraño (resume cada integrante da banda)
  • Eu Caminhava (música do baterista, que caminhava em 1985, depois parou pra tocar)
  • Sangue Latino (cover)
  • Paz e Amor
  • Julho de 83
  • Igual a Você
  • Da Janela
  • As Mulheres Que Eu Rasguei
  • Eu Não entendo
  • Você Vai Lembrar de Mim
  • Compaixão
  • Foi Amor

DiscografiaEditar

  • Nenhum de Nós (1900 e lá vai o zorro)
  • Cardume (1900 e lá vai pedrada)
  • Extraño (Época do Guaraná com rolha)
  • Nenhum de Nós (de novo?) (1900 e antigamente)
  • Acustico não MTV (Não sei o ano, mas a Dercy Gonçalves ainda era de menor)
  • Mundo Diablo (Flerte da banda com o Satanismo em meados do sec.xx)
  • Paz e amor (Durante o festival de Woodstock - 1969)
  • Onde você estava em 93 (1993, digo, 2000)
  • Histórias Reais Seres Imaginários (2001)
  • Acústico 2 (Esse vendeu às pacas, 1900 e tua vó ainda era debutante)
  • Pequeno Universo (Esse foi por esses dias aí)
  • Á ceu aberto (2007, gravado ao vivo no bar do teu pai)
  • Paz & Amor Acústico (2009, mais um acústico!)
  • Contos de Água e Fogo (2011, usa uma mistura infinita de violinos, pianos, guitarras, baixos, flautas, vuvuzelas, etc..)
  • Nenhum de Nós Outros (mas eles não desistem mesmo)
  • Sempre É Hoje (esse título faz alusão ao dia em que acabou a pilha do relógio da banda)