Abrir menu principal

Desciclopédia β

Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas

Night creature.JPG Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas surgiu das trevas!!

Always lurking... Always in the darkness...

Puro osso.gif
Jason voorhees.jpg Este artigo é sobre um(a) ASSASSINO(A)!

Este(a) louco(a) sadomasoquista provavelmente esquarteja suas vítimas, sofre de problemas mentais ou foi violentado(a) pelos pais. Se vandalizar o artigo, Dexter virá atrás de você!

10413.gif

Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas fez pacto com o CAPETA!
Então é melhor nem se meter com esse artigo, senão o capeta vai atrás de VOCÊ!!!


O nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas é um ser terrível e muito mau que não tem amor a ninguém, exceto pelos seus joguinhos virtuais. Se reúnem pela internet através de fóruns e redes sociais para trocar informações sobre como construir bombas, hackear computadores de gostosas, compartilhar as fotos hackeadas e planejar massacres em escolas.

Índice

OrigemEditar

 
Nerd psicopata em treinamento.

Não se sabe ao certo quando esses exemplares de nerds começaram a aparecer, mas fontes históricas levam ao ano de 1234 a.C., quando Jack, o Estripador foi para a Academia, onde foi estuprado gentilmente acolhido por Aristóteles, que o adorava. Despertou a fúria e a inveja de Alexandre, o Grande, que era um playboy bonitão e popular, e era o antigo preferido do professor. Jack passou a sofrer bullying de seu rival e sua gangue, matou todo mundo da Academia, menos seu mestre e Alexandre, que filou aula no dia. Tomou gosto pela coisa e depois jurou ferrar com toda a humanidade. Acabou assassinando prostitutas, como todos sabem, mas sua lenda inspirou vários outros a seguirem seu exemplo, como Nero, Calígula, Adolf Hitler e até mesmo pessoas não-nerds. Essa prática se espalhou pelo mundo inteirinho, mas ficou famosa mesmo nos EUA, onde vemos diariamente nerds psicopatas matando pessoas na escola e se matando depois, e recentemente ganhou adeptos no Brasil, que nem sempre matam seus colegas de escola, mas também sua família, seus colegas de trabalho, seus amigos em joguinhos virtuais e até mesmo sua namorada (pouco provável, mas possível).

DifusãoEditar

Com a globalização e a internet, esse gênero de nerd ganhou vários adeptos, e alguns se tornaram famosos, como os que fizeram o massacre de Columbine, e o caso brasileiro, que fez o famoso massacre de Realengo. Esses casos famosos inspiram os nerdzinhos malvados, crianças que atualmente são sacaneadas na escola e planejam vingancinhas diabólicas contra todos os que tiram notas melhores ou conquistam aquela patricinha popular de quem ele está a fim e que o humilhou na frente de todos no colégio. Esses guris se reúnem em fóruns escondidos da mamãe para arquitetar planos diabólicos que, na melhor das hipóteses, os farão dominar o mundo.

EspéciesEditar

Essa subcategoria tem, é claro, suas subdivisões:

  • O hacker: O tipo mais comum, como não tem vida social, costuma invadir sites e sistemas só para se divertir e contar vantagem depois para seus seguidores. Entende tudo de programação, e rouba ideias de outros nerds para criar coisas legais. Adora roubar fotos de gostosas que ele nunca vai pegar e espalhar na rede, e para sobreviver, invade sistemas bancários através de e-mails com spam que você costumeiramente recebe pelo computador.

Exemplos: Mark Zuckerberg, Bill Gates, Steve Jobs.

  • O neonazista: Se reúne em fóruns para discutir sobre sua raça ariana, seus mamilos cor de rosa e sobre sua ascendência pura. Gosta de xingar todos os judeus, gays, ciganos, negros e testemunhas de Jeová, e principalmente, Adolf Hitler, a quem idolatram. Dizem que batem em todos os judeus, gays, ciganos e negros, além de jogar água fervente em todas as Testemunhas de Jeová que aparecem para pregar a palavra de Deus, mas é tudo pose. Na verdade, eles apenas mandam seus lacaios skinheads fazerem tudo isso.

Exemplos: Timothy McVeigh, Eric Harris e Dylan Klebold (massacre de Columbine)

  • O misógino: Se reúnem em fóruns para discutir sobre a superioridade masculina em todos os aspectos, e, como muitos também são neonazistas, xingam judeus, gays, ciganos, negros, mas incluem também as feministas e as periguetes, que dão para todos os homens, menos eles. Na verdade são gays, e alguns até marcam encontros para se iniciarem sexualmente entre si, afinal para eles, o homem é melhor que a mulher em tudo.

Exemplo: Jair Bolsonaro e seus seguidores, Danilo Gentili

  • A misandrista: Exatamente igual aos misóginos, com a diferença fundamental de que odeiam os homens e são acolhidas por feministas só por causa disso. Em geral, são mal-amadas e barangas, além de gordas e recalcadas. Gostam de discutir métodos para castrar os homens e usurpar seus brinquedinhos, por nutrirem uma profunda inveja do pênis.

Exemplo: Valerie Solanas, Xena

  • O fundamentalista islâmico: É fã de Bin Laden e de Ahmadinejad, odeia os EUA, as mulheres e os não-islâmicos, principalmente os judeus. Gosta de explodir bombas em maratonas, em prédios e em metrôs, matando inocentes, além de invadir escolas para matar meninas virgens não-muçulmanas. São altamente articulados e treinados pelo Estado Islâmico para este fim.

Exemplos: Irmãos Tzarnaev, o carinha do Massacre de Realengo,

  • O stalker: Geralmente, é apaixonado pela patricinha mais popular da escola, e a persegue para conseguir sua atenção. Pode também perseguir o valentão que o inferniza na sala, muitas vezes para conseguir uma noite com o cara, ou só pra se vingar dele mesmo. Vigia e hackeia MSN, Orkut, Twitter, Facebook, Instagram, SnapChat e qualquer outra coisa da internet que envolva seu alvo apenas para amedrontá-lo.
  • O fã obsessivo: Escolhe uma celebridade aleatoriamente e a persegue, tentando minar sua vida social e amorosa. Na verdade, nutre por esta uma paixão doentia, que em geral, acaba em morte, principalmente quando a celebridade lhe nega um autógrafo. Ele raramente consegue se aproximar de seu alvo, e se contenta em infernizá-la em seus shows, peças ou qualquer outro compromisso que ela tenha, ou mesmo em hackear seu twitter ou facebook, ou em ligar repetidas vezes para ela a ameaçando de morte.

Exemplos: Mark Chapman, o carinha que liga toda hora pra Grazi Massafera naqueles comerciais da Vivo, o cara que tentou matar a Ana Hickmann.

  • O serial killer: Gosta de compartilhar e receber fotos de pessoas decapitadas, mortas e esquartejadas, idolatra Jack, o Estripador e Ted Bundy. Geralmente, é fã de filmes e séries de terror, como Dexter, Massacre da serra elétrica, Brinquedo assassino e etc.

Como eles terminamEditar

Geralmente, se matam. Mas muitos acabam presos para colher os frutos da fama e ganhar respaldo na prisão, além de virarem heróis e ganharem seguidores na Internet. Os que não matam bolam jogos e filmes para extravasar seus instintos perversos e treinar os seus sucessores.

  Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.