Abrir menu principal

Desciclopédia β

Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas

Night creature.JPG Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas surgiu das trevas!!

E adora assustar criancinhas!

Puro osso.gif
Michaelmyers.jpg Este artigo é sobre um(a) ASSASSINO(A)!

Este(a) louco(a) sadomasoquista provavelmente esquarteja suas vítimas, sofre de problemas mentais ou foi violentado(a) pelos pais. Se vandalizar o artigo, Freddy Krueger irá lhe fazer uma visitinha de noite!

10413.gif

Nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas fez pacto com o CAPETA!
Então é melhor nem se meter com esse artigo, senão o capeta vai atrás de VOCÊ!!!


O nerd punheteiro viciado em videogame com tendências psicopatas é um ser terrível e muito mau que não tem amor a ninguém, exceto pelos seus joguinhos virtuais. Se reúnem pela internet através de fóruns e redes sociais para trocar informações sobre como construir bombas, hackear computadores de gostosas, compartilhar as fotos hackeadas e planejar massacres em escolas.

Índice

OrigemEditar

 
Nerd psicopata em treinamento.

Não se sabe ao certo quando esses exemplares de nerds começaram a aparecer, mas fontes históricas levam ao ano de 1234 a.C., quando Jack, o Estripador foi para a Academia, onde foi estuprado gentilmente acolhido por Aristóteles, que o adorava. Despertou a fúria e a inveja de Alexandre, o Grande, que era um playboy bonitão e popular, e era o antigo preferido do professor. Jack passou a sofrer bullying de seu rival e sua gangue, matou todo mundo da Academia, menos seu mestre e Alexandre, que filou aula no dia. Tomou gosto pela coisa e depois jurou ferrar com toda a humanidade. Acabou assassinando prostitutas, como todos sabem, mas sua lenda inspirou vários outros a seguirem seu exemplo, como Nero, Calígula, Adolf Hitler e até mesmo pessoas não-nerds. Essa prática se espalhou pelo mundo inteirinho, mas ficou famosa mesmo nos EUA, onde vemos diariamente nerds psicopatas matando pessoas na escola e se matando depois, e recentemente ganhou adeptos no Brasil, que nem sempre matam seus colegas de escola, mas também sua família, seus colegas de trabalho, seus amigos em joguinhos virtuais e até mesmo sua namorada (pouco provável, mas possível).

DifusãoEditar

Com a globalização e a internet, esse gênero de nerd ganhou vários adeptos, e alguns se tornaram famosos, como os que fizeram o massacre de Columbine, e o caso brasileiro, que fez o famoso massacre de Realengo. Esses casos famosos inspiram os nerdzinhos malvados, crianças que atualmente são sacaneadas na escola e planejam vingancinhas diabólicas contra todos os que tiram notas melhores ou conquistam aquela patricinha popular de quem ele está a fim e que o humilhou na frente de todos no colégio. Esses guris se reúnem em fóruns escondidos da mamãe para arquitetar planos diabólicos que, na melhor das hipóteses, os farão dominar o mundo.

EspéciesEditar

Essa subcategoria tem, é claro, suas subdivisões:

  • O hacker: O tipo mais comum, como não tem vida social, costuma invadir sites e sistemas só para se divertir e contar vantagem depois para seus seguidores. Entende tudo de programação, e rouba ideias de outros nerds para criar coisas legais. Adora roubar fotos de gostosas que ele nunca vai pegar e espalhar na rede, e para sobreviver, invade sistemas bancários através de e-mails com spam que você costumeiramente recebe pelo computador.

Exemplos: Mark Zuckerberg, Bill Gates, Steve Jobs.

  • O neonazista: Se reúne em fóruns para discutir sobre sua raça ariana, seus mamilos cor de rosa e sobre sua ascendência pura. Gosta de xingar todos os judeus, gays, ciganos, negros e testemunhas de Jeová, e principalmente, Adolf Hitler, a quem idolatram. Dizem que batem em todos os judeus, gays, ciganos e negros, além de jogar água fervente em todas as Testemunhas de Jeová que aparecem para pregar a palavra de Deus, mas é tudo pose. Na verdade, eles apenas mandam seus lacaios skinheads fazerem tudo isso.

Exemplos: Timothy McVeigh, Eric Harris e Dylan Klebold (massacre de Columbine)

  • O misógino: Se reúnem em fóruns para discutir sobre a superioridade masculina em todos os aspectos, e, como muitos também são neonazistas, xingam judeus, gays, ciganos, negros, mas incluem também as feministas e as periguetes, que dão para todos os homens, menos eles. Na verdade são gays, e alguns até marcam encontros para se iniciarem sexualmente entre si, afinal para eles, o homem é melhor que a mulher em tudo.

Exemplo: Jair Bolsonaro e seus seguidores, Danilo Gentili

  • A misandrista: Exatamente igual aos misóginos, com a diferença fundamental de que odeiam os homens e são acolhidas por feministas só por causa disso. Em geral, são mal-amadas e barangas, além de gordas e recalcadas. Gostam de discutir métodos para castrar os homens e usurpar seus brinquedinhos, por nutrirem uma profunda inveja do pênis.

Exemplo: Valerie Solanas, Xena

  • O fundamentalista islâmico: É fã de Bin Laden e de Ahmadinejad, odeia os EUA, as mulheres e os não-islâmicos, principalmente os judeus. Gosta de explodir bombas em maratonas, em prédios e em metrôs, matando inocentes, além de invadir escolas para matar meninas virgens não-muçulmanas. São altamente articulados e treinados pelo Estado Islâmico para este fim.

Exemplos: Irmãos Tzarnaev, o carinha do Massacre de Realengo,

  • O stalker: Geralmente, é apaixonado pela patricinha mais popular da escola, e a persegue para conseguir sua atenção. Pode também perseguir o valentão que o inferniza na sala, muitas vezes para conseguir uma noite com o cara, ou só pra se vingar dele mesmo. Vigia e hackeia MSN, Orkut, Twitter, Facebook, Instagram, SnapChat e qualquer outra coisa da internet que envolva seu alvo apenas para amedrontá-lo.
  • O fã obsessivo: Escolhe uma celebridade aleatoriamente e a persegue, tentando minar sua vida social e amorosa. Na verdade, nutre por esta uma paixão doentia, que em geral, acaba em morte, principalmente quando a celebridade lhe nega um autógrafo. Ele raramente consegue se aproximar de seu alvo, e se contenta em infernizá-la em seus shows, peças ou qualquer outro compromisso que ela tenha, ou mesmo em hackear seu twitter ou facebook, ou em ligar repetidas vezes para ela a ameaçando de morte.

Exemplos: Mark Chapman, o carinha que liga toda hora pra Grazi Massafera naqueles comerciais da Vivo, o cara que tentou matar a Ana Hickmann.

  • O serial killer: Gosta de compartilhar e receber fotos de pessoas decapitadas, mortas e esquartejadas, idolatra Jack, o Estripador e Ted Bundy. Geralmente, é fã de filmes e séries de terror, como Dexter, Massacre da serra elétrica, Brinquedo assassino e etc.

Como eles terminamEditar

Geralmente, se matam. Mas muitos acabam presos para colher os frutos da fama e ganhar respaldo na prisão, além de virarem heróis e ganharem seguidores na Internet. Os que não matam bolam jogos e filmes para extravasar seus instintos perversos e treinar os seus sucessores.

  Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.