Novo Brasil

Cquote1.svg Nem vi Cquote2.svg
Stevie Wonder sobre Novo Brasil
Cquote1.svg É uma cilada Bino Cquote2.svg
Pedro sobre Novo Brasil
Cquote1.svg Sua pesquisa - Novo Brasil - não encontrou nenhum documento correspondente. Cquote2.svg
Google sobre Novo Brasil
Cquote1.svg O Quê????? Cquote2.svg
você sobre Novo Brasil

Novo Brasil é um município que já não é mais novo, e há controvérsias se fica realmente no Brasil. O TSE, na falta de provas científicas da existência de Novo Brasil, considera que o município pertence à Goiás, um dos mais misteriosos e míticos estados do Brasil.

HistóriaEditar

 
Emblemático totem da entrada da cidade.

Acredita-se que a "cidade" foi fundada em 1949 por paranaenses que se perderam gravemente no caminho para Curitiba. Sabe-se que o Dick Vigarista (ilustre curitibano) modificou as placas que indicavam o caminho certo à Curitiba. Os paranaenses terminaram nesse cu do mundo mesmo e decidiram chamar aquilo de Novo Brasil porque não sabiam ao certo em que terra maravilhosa estavam, aquilo nem Brasil parecia.

Inicialmente abriram umas lojinhas de tranqueiras, iniciaram atividade agrícola e construíram casas de pau-a-pique. Os seus primeiros habitantes eram Acilino Mourão, Degir Miranda, José Marcola e Adão Vieira... tudo homem... Tem caroço nesse angu.

Tornou-se município em 1960 sabe-se lá como, talvez o governador do estado deva ter bebido umas a mais para autorizar um negócio sem sentido desses. Enfim, evite Novo Brasil, se você quer se matar de tédio, basta ir ver a grama crescer no seu quintal, não precisa visitar Novo Brasil.

GeografiaEditar

Cidade localizada no interiorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr de Goiás. Ninguém sabe onde fica. Ninguém quer saber onde fica. Ninguém conhece. Ninguém viu. Ninguém sabe. Não fui eu. Evite. Passe longe!

PopulaçãoEditar

Com pouco mais de 3.000 habitantes, é uma das menores cidades do Brasil, aquela típica cidade porcaria com apenas uma igreja, uma praça e dezenas de bares imundos lotados de pinguços. Se você arrotar, a cidade inteira escuta.

EconomiaEditar

Além das velhas plantaçõeszinhas de milho e soja, a economia da cidade gira em torno das inúmeras prostitutas que arrecadam grana dos caminhoneiros que trazem para Goiás a muamba da Bolívia.