Abrir menu principal

Desciclopédia β

O Dia em Que a Terra Parou (1951)

(Redirecionado de O Dia em que a Terra Parou (1951))


L70692-51-logo-51763.png

Este artigo discute coisas intrínsecas dos Anos 50's!
Se você teve infância naquela época, provavelmente já tomou seu Toddy hoje.

Velhadaslu.jpg O Dia em Que a Terra Parou (1951) é uma velharia!

Provavelmente é de madeira, na cor bege, quadrado, gigantesco e possui durabilidade eterna. Se vandalizar este artigo, você será forçado a ouvir discos de vinil num gramofone!

Primeiro-celular-do-mundo2.JPG
Os clássicos cartazes cafonas de cinema dos anos 50. Este de O Dia Em que a Terra Parou.

Cquote1.png Você quis dizer: Rush - 2112 Cquote2.png
Google sobre O Dia em Que a Terra Parou (1951)

O Dia Em que a Terra Parou' é um filme antigo onde um ator coloca um balde na cabeça e uma roupa colante e diz que é um Alienígena e um outro cara usa uma fantasia quente, apertada e durona e diz que é o robô do alienígena. De primeiro momento, todos pensam que é uma sacanagem: oras é um cara com um balde na cabeça, mas com o passar do filme todo mundo começa a acreditar que de fato o cara com balde na cabeça... É UM ALIENÍGENA!.

"O Dia Em que a Terra Parou" conta a história de dois caras que fizeram a maior pegadinha da história um alienígena que veio a Terra implorar para parar com as guerras e a corrida armamentista. Houve duas versões de "O Dia Em que a Terra Parou", a do balde na cabeça (1951) e a do Keanu Reeves (foi lá de 2000 e dane-se o último dígito).

Índice

SinopseEditar

 
  GWAAAAAAARGH! GWAAAAAAARGH! Posso ir ao banheiro?  
Gort
Gort, na versão de 1951 só parecia um cara com uma fantasia tosca.

Klaatu é um só um estagiário da confederação de sistemas estelares. Os líderes dessa federação estavam discutindo que um planeta chamado Terra estava desenvolvendo armas nucleares e que todos estavam preocupados com essa natureza hostil, é aí que começa o primeiro furo na trama: por que raios alienígenas, seres tão desenvolvidos, iriam temer a uma merda de arma nuclear, sendo que construíram já uma nave espacial?

 
Klaatu é baleado depois de 3 segundos em território terráqueo, e olha que é o lugar mais seguro da terra, imagina o que fariam com ele se tivesse pousado no Rio de Janeiro? Klaatu ia virar churrasquinho de gato!

Seja como for, a confederação era tão "borra calças" que passou a bola para um estagiário boa pinta chamado Klaatu, que teria a missão de entrar na favela do sistema solar (Terra) em uma missão suicida, digo, de paz para alertar os terráqueos. O seu único colega seria um amigo que Klaatu pagou para ir junto.

Ao descer n planeta não demora nem três segundos e Klaatu já é baleado. Ele murmura:

  É assim que dizem "oi" na terra?  
Klaatu, um pobre coitado

Klaatu é levado ao hospital onde ele conhece uma gostosa chamada Helen, mas mesmo assim ela fica fora do contexto quase o filme inteiro. Klaatu recebe o secretário de defesa e diz que queria fazer uma bosta na ONU falando um papo Hippie. Ninguém acredita nele e ainda o chamam de comunista, no lado da URSS chamam ele de "burguês safado" e começa outra guerra.

Klaatu pensa que a única chance é procurar um humano pacífico e voltar ao seu escritório nde estava de estagiário.

ClímaxEditar

 
  Aê galera! Tudo em cima?   Talvez, pelos anos 50 terem sido os mais racistas da história, Klaatu tenha sido baleado após dizer isso.

É meio cedo para tal mas metade do filme antigo é Klaatu falando da Terra, algo que todos estão carecas de saber mas ele continua falando. Ele se registra em uma pensão com nome de... Quem se importa, e vai visitar Washington, aí começa o hino dos Estados Unidos, ele vê a estátua de Abraham Lincoln e diz:

  Há humanos bons na Terra...  
Klaatu sobre o único humano "bom" da terra estar morto há dezenas de anos

Todo esse filme para fazer uma bosta patriotista? Enfim, Klaatu leva outro tiro, só que de um canadense. Klaatu então procura ajuda de um físico que é indicado por Helen como o "melhor humano do mundo", ele fala as intenções e físico sugere: "que tal você desligar todas as armas e coisas elétricas do planeta?". Keanu Klaatu concorda fazendo aviões caírem e pessoas que dependiam de equipamentos morrerem.

No final do filme, Klaatu leva um tiro de um mexicano agora, ele pede para que o leve à Gort, seu robô, e diga "Klaatu quer um cigarro". Ela fala isso, Klaatu é ressuscitado, final feliz para todo mundo e acaba o filme com um:

  Adeus seu bando de malucos! Espero que ninguém tenha infortúnio de pousar em seu planeta como eu!  
Klaatu, ET que foi baleado três vezes

O Dia Em que a Terra Parou (2008)Editar

 
Pequenas alterações dessa versão para a de 1951, como por exemplo o nome do alienígena mudar de Klaatu para Keanu.

A mesma coisa do de cima, só que sem um ator tosco e um robô ridículo. Gort vira um robô fodão, Klaatu fica mais boa pinta e sem um balde na cabeça e Klaatu é só baleado uma vez. Nesse filme trata questões que pouco importavam como Ambientalismo, imigração e armas nucleares, Klaatu não se chama mais Klaatu e sim Keanu.

No final, além de Klaatu fugir da Terra a deixa fodida, destrói metade de Nova York e condena a terra a outra era pré-histórica.

RecepçãoEditar

Tal como em "Guerra dos Mundos" todos ficaram em pânico, pelo menos o pessoal de 1951, o de 2008 disse: "Keanu é tão fofinho! S2".

Por isso mesmo foi acrescentado um final chamado "versão do diretor" para não assustar os caipiras no cinema, é uma versão em que os Estados Unidos são admitidos como "donos da terra" e deixam alguns humanos serem abduzidos por Greys para o que chamam de um prato exótico de "comida de humano" do mundo dos Reptilianos. Essa versão só assustou mais ainda as pessoas que pegaram pistolas calibre 36 e começaram a atirar aos céus, desesperados.