Abrir menu principal

Desciclopédia β

O Massacre do Liquidificador Elétrico

Não bata uma vitamina agora! (Vim te pegar)

Cquote1.png Que medonhooooo! Cquote2.png
Cid Moreira sobre O Massacre do Liquidificador Elétrico.
Cquote1.png Eu já sei que vou sobreviver. Cquote2.png
Final girl sobre O Massacre do Liquidificador Elétrico.
Cquote1.png Já eu não... Cquote2.png
Primeira vítima prevendo que será inútil na trama.
Cquote1.png Não me lembro de ter particpado disso... Cquote2.png
Jason sobre O Massacre do Liquidificador Elétrico.
Cquote1.png Não sejam covardes! Desliguem esse liquidificador! Cquote2.png
Gladiador sobre O Massacre...
Cquote1.png Com o meu charme natural esse liquidificador não me atinge! Cquote2.png
Will Smith sobre liquidificador assassino.
Cquote1.png Mas o que houve aqui? Cquote2.png
Policial segundos depois do massacre acontecer.

O Massacre do Liquidificador Elétrico foi um acontecimento sinistro que ocorreu em Honolulu, Havaí onde quatro jovens foram terrivelmente assassinados por um liquidificador que não tinha amor à vida nem aos seres humanos. O evento teve um impacto tão forte na sociedade havaiana que foi feita uma adaptação cinematográfica do ocorrido. O filme foi dirigido por Jean Claude Van-Damme

Índice

O inícioEditar

 
Quem diria que por trás desse sorriso se esconde um assassino...

No dia 30 de fevereiro de 2004, cinco jovens (Sidney, Tracy, Kevin, George e Brenda) planejavam fazer uma festinha no armazem de verduras que se localiza na parte oriental de Honolulu, não muito longe da praia. Depois dos rapazes terem surfado nas ondas gostosas do mar eles demonstraram o desejo de tomar anabolizantes para sabe-se lá o quê. Brenda disse que não havia anabolizantes no armazem já que naquele cafofo só tinha verduras e mais nada, Kevin chutou um caixote e ficou com calo no pé até ser assassinado.

O que muitos não sabiam era que o armazem pertencia ao pai de Tracy e que lá ele guardava o seu mais oculto segredo: um liquidificador semi-automâtico datado de tempos remotos. Sidney, a burra gostosa do grupo, queria que a festa começasse o quanto antes, mesmo que houvessem verduras por toda parte, já que esta festa seria a maior orgia já feita na história desse país do Havaí. George censurou Sidney lhe dando um cafuné para ver se esfriava o calor na bacurinha que ela sentia. Tirando a falta de anabolizantes aquela parecia uma festa promissora...

Preparando as coisasEditar

 
Vizinhos abelhudos observaram cada segundo daquela festa depravada.

George fazia a dancinha da garrafa enquanto Sidney e Brenda recolhiam as verduras do armazem e as jogavam no lixo. Era sete horas da noite e a festa estava programada para ocorrer ás nove, com a presença de no mínimo vinte e cinco convidados, sem contar com os cinco jovens. Tracy foi idiota o suficiente para se machucar enquanto lavava um alface enquanto Kevin assistia um programa cheio de homens sarados já que sonhava em ser fisioculturista. O armazem onde seria feita a festa tinha um problema nas portas que as faziam se trancarem automaticamente por três minutos, o que seria fatal para os cinco jovens.

Tracy ainda estava descascando as alfaces fazendo alguma coisa para preparar a festa quando seus pais a ligaram para lhe perguntar onde estava, com quem estava e fazendo o quê. Tracy respondeu do seguinte modo para seus pais:

  Vocês não mandam em mim! Só obedeço quem paga as minhas contas.  
Tracy.

Tracy ainda morava com os pais. Kevin já tinha subornado todas as delegacias da cidade com barras de ouro que valem mais do que dinheiro para que a festa ocorrese sem maiores problemas e George ao invés de limpar o armazem decidiu ficar coçando o saco. E a festa parecia que nunca começaria...

O despertar do adormecido...Editar

O armazem estava quase que completamente limpo quando Brenda e Sidney queriam fazer uma dieta detox com um suco de tomate. A inteligente Sidney ficou meia-hora espremendo os tomates para fazer o suco quando Brenda, remexendo uns bagulhos, encontrou o esquecido liquidificador do pai de Tracy. Ela pegou o objeto sem pestanejar e o ligou, chamando todos os jovens para se reunirem. George bebeu o líquido do tomate e enojou as garotas, depois Kevin pegou um tomate que estava porventura podre só de sacanagem e o pôs no liquidificador. Uma coisa espantosa se sucedeu: o liquidificador ganhou vida e estraçalhou o braço de Kevin; as garotas se assustaram e George caiu no chão de tanto rir. Kevin tentou escapar, mas as portas estavam ainda travadas. Foi o fim para ele.

O segundo ataqueEditar

 
Representação artística do ataque à Sidney Austrália .

Faltavam quinze minutos para a festa começar quando de repente... o liqudificador, como se estivesse possuído por Exu, se desplugou da tomada e passou a perseguir Kevin, que ainda estava aleijado sem o braço esquerdo canhoto, e o triturou inteirinho sem deixar nem mesmo as unhas dos pés. O liquidificador da Phillips Walitta família de Tracy esbravejou depois de assassinar Kevin:

  Vai por tomate podre na sua caixa de e-mail, seu introjado! Agora vai morrer geral por causa desse péla-saco.  
O liquidificador assassino.

Faltavam dez minutos para os convidados chegarem e George via aquela situação horrível como uma grande brincadeira, enquanto Sidney, Tracy e Brenda ficaram próximas à parede. George chutou o liquidificador endiabrado e ele foi parar longe, virando em seguida para onde estavam as garotas para se vangloriar. A glória de George durou pouco, já que o liquidificador o atacou por trás e ele gostou... quando George tentava se desvencilhar do objeto assassino teve seus dedos cortados e caiu no chão, criando uma bonita, charmosa imensa poça de sangue. O liquidificador elétrico (essa parte do "elétrico" é opcional. Se ele quiser funcionar fora da tomada ele funciona. Não existem limites para filmes de terror) deu o golpe final em George e já ia partindo para cima das jovens.

A vez das meninasEditar

 
Telespectadores esperando ver quem será o próximo a morrer.

Com a morte dos "machões" (estavam mais para imbecis), Sidney, Brenda e Tracy tentam sair novamente, só que enquanto elas observavam a morte de George as portas foram destravadas e depois que elas se tocaram que as portas trancam e destrancam a cada três minutos já era tarde demenos demais. O liquidificador ainda estava com raiva por ter engolido tomate podre e escolheu Tracy para morrer. Sidney e Brenda comiam pipoca tranquilamente enquanto Tracy era penetrada pelos dois orifícios perseguida e morta pelo objeto fálico demoníaco. Tracy morreu com os olhos arregalados e por hemorragia no intestino.

Brenda e Sidney tiraram par ou ímpar para ver quem iria se jogar em cima do liquidificador para salvar a outra; Sidney ganhou. Nesse exato momento os convidados chegaram e esperavam do lado exterior do armazem. Brenda pulou de ladinho em cima do liquidificador , mas como era magrela não fez nem cócegas no objeto animado. Os convidados da festa gritavam pelos nomes de George e Kevin quando as portas foram destrancadas novamente e eles invadiram o recinto. Brenda se levantou, pegou Sidney pelos cabelos e foi em direção à porta onde estavam os convidados.

Brenda saiu empurrando todo mundo e o liquidificador veio atrás pondo todo mundo para correr. Sidney se separou de Brenda e esta por sua vez se escondeu em um beco escuro onde havia alguns crackudos ao fundo. Enquanto Brenda rezava para Buda, Alá e Jesus Negão o liquidificador a encontrou e a estrangulou com a tampa. Brenda estava finalmente morta.

O finalEditar

 
Pelo menos ninguém morreu desse jeito...

Sidney se escondeu na casa de judeus e ganhou o direito de permanecer lá por ter pago uma moeda para eles; o liquidificador subiu pelo telhado e despencou diretamente na cozinha da sala, parecia o fim de Sidney...

Quando Sidney avistou o liquidificador ela se evadiu do local, como se tivesse pressa de tirar o pai da forca, quando o cachorro da família judia, e salvador da Sidney, apareceu com um extintor de incêndio na boca e o deu para ela. De modo inexplicável o hálito gelado conteúdo do extintor conseguiu inutilizar o liquidificador e deu tempo o suficiente para Sidney chamar a polícia e dar um biscoitinho para o cachorro. A polícia chegou dentro de cinquenta minutos, no entanto o liquidiicador havia escapado sem deixar pistas.

Sidney se salvou, mas seus quatro amigos morreram de forma atroz, sem contar que a grande orgia festa no armazem não chegou a acontecer. O lado bom da história é que Sidney virou amiga da família judia e do cãozinho deles. Um dia depois do massacre Sidney já estava fazendo compras no chópis-sente e surfando nas praias de Honolulu.

Considerações finaisEditar

Domestique o seu liquidificador o mais rápido possível.