Abrir menu principal

Desciclopédia β

O Retorno do Rei

Este artigo se trata de um LIVRO!

Ele tem dedicatória, uma introdução chata pra caralho e assinatura do autor, que com certeza usa gola rolê e um par de óculos.

Outras obras literárias que você tem preguiça de ler.
20100203221304!5 wikipedia-2-550x550.jpg


O Retorno do Gay
O Retorno do Gey.png
Capa da última versão
Autor J. R. R. Tolkien
País Bandeira da Inglaterra Inglaterra
Gênero RPG em formato de livro
Editora Europa-América
Lançamento 1955


O Retorno do Rei é de longe o livro mais chato da trilogia de O Senhor dos Anéis, superando em chatice até as 200 páginas de festa e Tom Bombadil do primeiro livro. Isso ocorre porque toda aventura está nos dois primeiros livros e no finalzinho do terceiro, o que faz com que Retorno do Rei não passe de trocentas páginas de discussão de política de um continente fictício entre nações fictícias, com reis fictícios conversando muita abobrinha. Metade do livro também é só de epílogo, por isso depois que o anel é destruído é aconselhado parar de ler também.

EnredoEditar

Livro VEditar

O livro começa com Gandalf e Pippin juntos indo xavecar as Minas Tirith, mas chegando lá descobrem que não são mulheres nenhuma, mas só o nome da capital de Gondor, onde encontram Denethor, o rei do lugar que ficou maluco justamente por isso, por morar num lugar com escassez de mulher, e isso se vê em seu palácio onde parecem só haver homens. Pippin é quem acaba sendo o azarado da história, quando é pego para ser um dos escravos sexuais do rei, como forma de reparar a morte de Boromir (filho do rei) que se sacrificou para salvar duas crianças de perderem sua virgindade para loiras sedentas, e como um bumbum macio de Hobbit não é de se negar, ele passa a trabalhar para Denethor.

Enquanto isso, do nada descobrimos que Aragorn é um mendigo por opção, porque ele na verdade é um rei, porque sabe como são esses livros, as pessoas sempre descobrem que são reis do nada, só não é um clichê ainda porque é um livro de 1955 e ainda não haviam histórias de personagens que descobrem serem reis do nada. Aragorn se une a dois elfos chamados Elladan e Elrohir para ajudar na guerra contra as loiras de Sauron em Gondor, mas Aragorn diz que não vai para a guerra ainda, porque primeiro ele precisa manter a tradição de vagabundear um pouco, e fala que vai visitar as Sendas dos Mortos para recrutar um grupo de fantasmas amaldiçoados para a sua causa. Naquele momento, encontra Éowyn, garota que tem um crush por ele, mas que não sabe ainda que Aragorn gosta mesmo é de um travesti elfo, por isso está no na friendzone. Quanto aos mortos que Aragorn foi visitar, os fantasmas decidem aceitar a oferta e dizem que vão ajudar, com a ajuda de Michael Jackson ao som de Thriller, aquele exército de zumbis e fantasmas se mobiliza para ajudar Gondor.

De volta à Gondor, Faramir (irmão de Boromir e filho menos querido do rei) retorna de mais uma missão fracassada de derrotar os exércitos de Sauron sozinho. Uma vez reencontrando seu pai, recebeu a única ordem de manter a missão suicida de defender Osgiliath. O Rei de Gondor está claramente louco, sofrendo de uma abstinência sexual além dos limites do normal, falando nada com nada e doido para ser invadido logo por orcs que não aguenta mais ficar com o cu dando bote esperando esses exímios estupradores.

Diferente do rei de Gondor, que tem esse fetiche secreto de ser estuprado por orcs parrudos e violentos, o resto da sua população não deseja ter esse mesmo destino, e quando o exército de Sauron vem eles tentarão se defender, momento em que começa uma guerra de grandes proporções. De início parece que os humanos estão fodidos, mas aos poucos outros aliados vão surgindo na batalha para ajudar na invasão de loiras, tais como um grupo de zoófilos chamados Rohirrim, depois elfos metrossexuais e por último até fantasmas e navios cossacos. No lado de Sauron havia uma bichona louca conhecida apenas como "Bruxa Má", pilotando um filhote de cruz-credo alado, e ele vai causando maior problema, matando tudo quanto é rei, até ser morto por um guerreiro que depois se revela como Éowyn, aquela putinha sedenta mas que pelo visto sabe lutar. Enquanto isso o rei está cada vez mais maluco, e ao perceber que não vai realizar seu fetiche secreto de ser enrabado por orcs, decide matar o próprio filho ferido, quando é impedido por Gandalf que jamais permitiria que um bofe ativo daqueles fosse queimado a toa, e quem morre queimado é o rei, em profundo desgosto. Os humanos vencem a grande guerra.

Aragorn, que sempre surpreende inventando novas habilidades para si sempre que possível, também se demonstra ser um curandeiro mágico e sai curando geral. Uma reunião é feita e os sobreviventes decidem continuar a loucura do rei anterior e decidem atacar o Portão Negro, para terem o mesmo destino de Faramir, e quem sabe distrair Sauron.

Livro VIEditar

 
Um desolado Frodo perde o anel de maneira improvável para a mais improvável das pessoas, quando Gollum o assalta furtivamente.

Sam está infiltrado em Cirith Ungol, tentando descobrir como pode salvar o amigo moribundo Frodo. Os orcs estão se matando pelo cuecão de couro que encontraram no pequeno Frodo, uns matando os outros por aquela vestimenta tão clássica e charmosa típica apenas dos elfos. Quando sobra só um orc, Sam o ataca e consegue matá-lo, para assim descobrir o pobre Frodo pelado. Sam devolve não apenas o cuecão de couro, mas também o anel intacto de Frodo. Quando Sam diz que está com o anel de Frodo, o amigo fica alucinadíssimo e desesperado, dizendo que aquela não era a hora apesar do ditado que diz que "anel de bêbado não tem dono", mas por sorte o anel ainda está intacto.

Com Mordor vazia de orcs, Sam e Frodo começam a escalar a Montanha da Dedação para a sua provação final. Mas eis que Gollum ataca mais uma vez, mas como a criatura está já em estado avançado de AIDS não possui a menor força para conseguir seu intento e acaba chutado montanha abaixo. Quando Frodo e Sam finalmente chegam perante a lava para executar a tão esperada missão de queimar o anel, Frodo sucumbe ao arrependimento e revela, para um Sam atônito, que não vai queimar anel nenhum e que na verdade é heterossexual demais para aquilo, momento em que decide fugir com o anel intacto. Mas nesse momento, Gollum se teletransporta e morde o anel de Frodo por trás, gerando uma dor incalculável, roubando a virgindade do herói de maneira sorrateira e repentina, embora tenha se desequilibrado fazendo isso e caindo na lava, levando o anel de Frodo junto, que acaba destruído. Antes que Sam e Frodo pudessem morrer soterrados pela erupção vulcânica que se sucedeu da destruição do anel, Águias Gigantes aparecem para resgatá-los e a única coisa que Sam pode pensar é "por que essas filhas das putas dessas águias não trouxeram a gente voando aqui antes?"

Agora sem anel, Sauron perdeu seu poder, porque como diz o ditado "quem tem anel tem medo", agora sem anel ninguém mais tem medo de ser estuprado por essa força do mal, e seus orcs saem fugindo aleatoriamente pelo mundo. As forças do mal foram derrotadas.

Começa então um longo e enrolativo epílogo com o destino de cada um dos 365 personagens da trama. Faramir e Éowyn viram casal. Aragorn de mendigo vira rei. Aragorn se casa é com Arwen, filha do vocalista do Aerosmith. Legolas assume a bissexualidade. Gimli vira ator pornô. Barbárvore deixou Saruman ir embora sem mais nem menos. Bombadil continua sendo um personagem chato e sem sentido.

Quando os quatro Hobbits retornam pra casa, todavia, descobrem que um tal de Sharkey tomou controle do Condado. E logo descobrem também que aquele mago louco e malvado nada mais era que Saruman disfarçado de Coração Gelado ensaiando para ser o novo vilão dos Ursinhos Carinhosos, ele que está tão decadente foi derrotado por meros Hobbits. E quem mata Saruman é Língua de Cobra, este que morre a flechadas de Hobbits.

Agora os Hobbits também podem ter seu próprio epílogo após essa aventurinha final. Sam casou-se com Rosie Cotton e virou prefeito. Merry e Pippin viraram líder de alguma coisa em algum lugar que pouco nos importa. Só Frodo que estava infeliz, sofrendo de estresse pós-traumático após os consecutivos estupros que sofreu em sua jornada. No final Frodo, Gandalf, Bilbo, Elrond, Galadriel e um bando de elfos figurantes entraram num barco para ir morar em Tuvalu Ulterior.


v d e h
Universo Tolkieniano