Abrir menu principal

Desciclopédia β

Oficina G3

ÒO..gif

Oficina G3 é poser!

E acha que tocar rápido um instrumento é tocar bem.

Ele(a) não sabe que o Mago Negro e o Dragão Branco de Olhos Azuis são cartas ruins que ninguém usa.


Irmão Lázaro.png -Oficina G3 é gospel porque ser gospel tá na moda...-

...e é fã das músicas do RR Soares.

Cuidado: Ouvir suas músicas é um perigo para o teu cérebro.

Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Oficina G3
4035412678 f0b664cd54 z.jpg
Duca Tabaco, o ser mais desconhecido da banda.
Origem São Paulo
País Bandeira do Brasil Brasil
Período 1987-hoje
Gênero(s) Rock, pop, calypso, metal, samba, sertanejo
Gravadora(s) MK Music, Gospel Records
Integrante(s) Juninho Açafram, Duca Tabaco, Jean Cabo, Mauro Henriquezilla e Alexandre Aposento
Ex-integrante(s) PG, Túlio, Maradona, Waltão, Luciano Manga
Site oficial


Cquote1.png Você quis dizer: Juninho Açafram e banda Cquote2.png
Google sobre Oficina G3
Cquote1.png Experimente também: Borboleta musical Cquote2.png
Sugestão do Google para Oficina G3
Cquote1.png Vou levar meu carro para essa oficina arrumar. Cquote2.png
Carla Perez sobre Oficina G3
Cquote1.png Sai do chão!!! Cquote2.png
Mauro Henrique sobre qualquer coisa
Cquote1.png Parece a Chiquinha do Chaves. Cquote2.png
sobre cabelo atual de Jean Carllos
Cquote1.png Essa banda não é de Deus. Cquote2.png
Pastor da Assembleia de Deus sobre Oficina G3
Cquote1.png Por culpa desta banda temos tanta alienação em relação ao rock religioso brasileiro. Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Oficina G3
Cquote1.png HUMANOS!!!!! Cquote2.png
Jean Carllos sobre Você
Cquote1.png Diante do Trono é melhor! Cquote2.png
Retardado gospel dos anos 2010 sobre Oficina G3
Cquote1.png Sou mais Palavrantiga que esse rock pesado Cquote2.png
Pseudo-hipster gospel sobre Oficina G3
Cquote1.png Vocês traíram o movimento rock gospel, véio! Cquote2.png
Dado Dolabela sobre Oficina G3
Cquote1.png Volta Luciano Manga! Cquote2.png
Fã dos anos 90 sobre Oficina G3
Cquote1.png Não, volta PG! Cquote2.png
pop alienado sobre Oficina G3
Cquote1.png Nostálgico... Saudade do Indiferença Cquote2.png
Fã dos anos 90 sobre músicas do Oficina G3
Cquote1.png Que nada! Agora é D.D.G. Cquote2.png
Fã dos anos 2008 sobre Oficina G3, provando que não conhece a história da banda
Cquote1.png Depois da Guerra é muito foda! Cquote2.png
Fã Poser sobre Oficina G3
Cquote1.png Pop e comercial Cquote2.png
Slayer sobre Oficina G3
Cquote1.png Isso aqui não é balé, isso aqui é rock'n'roooll! Cquote2.png
Mauro Henrique sobre citação acima
Cquote1.png Rock de qualidade Cquote2.png
Eliana sobre Oficina G3
Cquote1.png É isso aê!! Cquote2.png
Mauro Henrique sobre essa página
Cquote1.png Isso é uma tortura musical! Cquote2.png
Headbanger sobre CD O Tempo
Cquote1.png São um bando de endemoniados! Cquote2.png
Edir Macedo sobre Oficina G3
Cquote1.png Na União Soviética as naves imperiais são VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre música "Naves Imperiais"
Cquote1.png Por que todo mundo pensa que Oficina é a única rock cristão existente? Cquote2.png
Você sobre Oficina G3

Oficina G3 é uma banda de Rock Góxxpel Cristã Brasileira. Em 2000 anos de carreira se tornou a mais famosa banda desse pseudogênero musical. Surgiu com a influência do Rebanhão que levou esta, Katsbarnea, Resgate, Catedral e Fruto Sagrado à levar o rock pras igrejas cantar rock pra Jesus. A maioria dos crentes idiotas alienados pensam que o rock começou com a Oficina G3 e a seita Renascer em Cristo, mas é mentira! A Oficina G3 também é uma borboleta musical, pois vive mudando a sua sonoridade conforme a vertente do rock que estiver fazendo sucesso. Já foram hard rock, pop rock, emocore, metal progressivo, rock alternativo, death metal, black metal gospel, samba rock, funk rock, sertanejo rock, new metal, calypso rock e boatos que o próximo CD será funknejo rock. Estima-se que 90% dos fãs da banda trabalhem com roubo e assalto de banco.

Índice

Histórias e BicicletasEditar

As histórias e bicicletas do Oficina G3 se confunde com a trajetória milenar do Mestre Juninho Afram, de origem até agora desconhecida, que foi enviado à Terra por Deus, usando sua BMX (outrora emprestada para CJ fazer sua primeira missão no GTA) para lutar contra o principal representante dos Solos Ninja: Chimbinha. Na verdade, a própria banda surgiu com a missão de combater as Forças do Mal, sendo formada por Juninho, juntamente com sua gangue sagrada dos mecânicos de Deus, Wagner, Walter, Túlio e Luciano, marcando a primeira geração da banda.

 
Há rumores de que o Papa tentou participar da banda, mas seus encargos sagrados o impediram de continuar praticando

O primeiro trabalho da banda, chamado "Nada é tão novo, nada é tão velho" foi armado para esconder a verdadeira idade de Juninho Afram, sendo conhecido mais tarde como o único membro perpétuo dos Power Rangers. Enquanto isso, alguns membros fundadores da Organização saíram do grupo, sendo eles Wagner e Túlio, e sendo aceito Duca Tambasco, que considerou a saída de membros uma coisa muito intrigante. Mais tarde, com a entrada de Jean Carllos, surgiu uma grande polêmica causada pelo cabelo sobrenatural do novo tecladista da banda. Outro detalhe sobre Jean é que sua função era sempre ter em mãos o seu teclado como uma arma letal, sendo arremessada pelo ninja diretamente na cabeça de eventuais inimigos que aparecessem em seus shows. Anos depois, entrou na banda um novo "vocalista", conhecido apenas por PG, que mais tarde descobriu-se ser um espião, evidenciado pela sua saída surpresa da banda, após afundá-la num poço de enrolação sem fim, uma fase pop rock que mudou o perfil da banda e a fez cair no gosto de alguns fanfarrões, ganhando assim uma batalha para o rival Chimbinha.

Tirem suas conclusões. Logo após a saída do PG, Juninho Afram assumiu os vocais da banda e com isso, o esquadrão passou por uma fase de readaptação, com o lançamento de "Além do que os olhos podem ver", dando pistas confusas sobre a existência da banda. Mais um tempo se passa, e um novo membro entra para assumir os vocais: Mauro Henrique. Ele veio para consolidar uma nova etapa da carreira da banda,conhecida como "Depois da Guerra" que narrava o drama da banda após os anos turbulentos. A banda também conta com dois quebra-galhos contratados, o baterista Alexandre Aposan que antes tocava pagode em bares e um segundo guitarrista, o Celso Machado, pra pegar uma carona de Juninho Afram, que faz os solos e a base nos shows ao mesmo tempo.

 
Juninho mostrando seus poderes mutantes em público

Pouco se sabe sobre esse DVD, apenas que ele foi gravado a um tempo atrás, na antiga mansão Xavier que Juninho destruiu sem querer quando aprendia a manipular seu violão sem usar as mãos. Quem esteve por lá sabe que durante uma das músicas Juninho usou a energia elétrica de toda a cidade pra realizar um solo que faria com que o cabelo do Jean ficasse normal. Porém nem toda a energia usada foi suficiente e o show teve que parar. A boatos de que no solo de "Muros" toda a plateia e equipe técnica foi transportada para uma atmosfera superior onde estão até hoje mas não sabem.

Hoje, após anos da gravação não se sabe o paradeiro do DVD Matriz, só se sabe que ele contém poder o suficiente para gerar um novo universo, graças ao experimento (que deu nome ao show) de Juninho e Jean. Mitos dizem que ele está bem vigiado na área 51 ,e que nunca sairá de lá para ser vendido. Todo mundo já tá enjoado de ouvir as mesmas coisas ao vivo desde o início da era pop, iniciada pelo espião da WOOP, PG. Com isso, alguns ouvintes que tem cérebro e exercem a função PENSAR nele, pediam pra banda relembrar as músicas antigas na voz do Mauro Henriquezilla, músicas que não eram comerciais, que era um rock bom e que dava saudade. Então a banda decidiu criar a #YourTourG3, onde os fãs votariam pela escolha do repertório na internet com 18 músicas.

  • Fazendo os cálculos: FÃ + INTERNET = POP,TEEN,RESTART,RETARDADOS/3,14²
  • Sendo assim, o resultado: 5 DDG + 4 HUMANOS = REPERTÓRIO/2 * (MAIS,POP,E,RECENTE,IMPOSSÍVEL)
  • A outra metade foi o que restou de mais chato e repetitivo da era pop.

O que realmente cumpriu com o proposto foi o que já estava sendo tocado de vez em quando com o DinoMauro inclusive, então no final, não atingiu a absolutamente nada da proposta.

GravadorasEditar

 
Chimbinha e seus aliados profanando a sigla G3

Logo quando a banda entrou no mercado, ela foi para a gravadora Gospel Records. Quando estava sendo torturada pelo dono dela, pastor da Renascer em Cristo e a MK Music estava fodendo acabando com o sucesso do Catedral, a Oficina G3 quis tirar casquinha da situação e contratou a banda, gerando uma briga enorme com o senhor Hernandes.

Na maior sinceridade possível, todo esse tempo na MK foi tudo que a banda sonhou! Capas de CDs com qualidade internacional e nunca clichê; coletâneas que não tinham tracklist praticamente igual; nenhum atraso no lançamento de CDs; nenhuma remessa com apenas 15.000 CDs para o CD mais esperado da história da banda, e é claro sendo mais valorizada na gravadora que cantoras como Aline Barros e Bruna Karla.

 
"Humanos que se amam, humanos que se matam"

O D.D.G. Experience foi tão divulgado que vocês podem achá-lo em qualquer esquina de qualquer cidade do Brasil! Além disso, outros grandes feitos na MK foram: gravação da participação da banda no Rock in Rio 3; clipes de todas as músicas pesadas deles. Foram tantas coisas que não caberiam nesse artigo!

 
Mauro Henriquezilla,o Próprio.

IntegrantesEditar

  • Mauro Henriquezilla IV: Vocalista altamente destrutivo, entrou na banda para cobrir o buraco formado pela saída de PG e levou a banda para uma nova fase. Tem um repertório limitado de frases: "É isso aê!" e "Sai do chão!" e possui uma excelente interação com o público, chegando a nunca estar envergonhado.
  • Juninho Afram: O cara mais importante da banda. Não se conhece ao certo a sua origem, nem tampouco sua idade. Conectado com sua guitarra, emite arranjos sobrenaturais. Foi o membro que mais deu ideias para os CDs, e é o fundador, dono, empresário, manager, group, roadie, fã número 1, sonoplasta, diretor dos clipes, webdesigner, guitarrista, tecladista, vocalista, relações públicas e assistente social da banda.
 
Jean Carllos depois da guerra.
  • Jean Carllos: Punker gótico metaleiro headbanger extreme ultra mega power desde pequeno, cresceu em volta do Rock. Pouco se sabe dele, e seu visual mete medo, apesar de Jean ter o visual mais assustador dos integrantes,também é o mais normal pelo fato de que seus poderes vem daquela mata atlântica que fica acima de sua cabeça que é daquele jeito depois de uma bomba atômica, e não de seus dedos.

(AVISO: Afaste-se do palco no final do show pois é a hora em que ele começa a girar o maldito teclado de brinquedo que ele carrega pendurado por correntes enferrujadas, procurando acertar a cabeça de alguém.)

  • Duca Tambasco: Seu aspecto discreto esconde sua verdadeira vocação por artes marciais. Duca foi um jovem aprendiz de Bruce Lee e usa sua carreira musical como alter-ego. DesConhecido por ficar no lugar mais escuro do palco durante os shows.
  • Alexandre Aposan: Tocador de pagode com Paulo César Baruk, estrela pop com Thalles Roberto e metaleiro com Oficina, tem pose de bom baterista, mas há especulações de que ele use auto-tune.

DiscografiaEditar

  • Ao Vivo no Dama Xoc: Se você achar algum cidadão vivo que tenha esse disco, me avise.
  • Nada é Tão Novo, Nada é Tão Velho: CD planejado para despistar a origem milenar da banda.
  • InDiferença: Título em homenagem ao surrealismo do cabelo do Jean.
  • Acústico: Marcou o início da era POP da banda, com o PG.
  • Acústico Ao Vivo: É uma versão do disco anterior "gravada" ao vivo. Na verdade, foram utilizadas as faixas do disco anterior, com dublagem e play-back apenas, pra enganar os fãs retardados.
  • O Tempo: O mais pop, detestável e chato disco da Oficina. Quase ninguém o ouviu inteiro, só lembram da faixa-título. É considerado a maior tortura musical à metaleiros.
  • Humanos:Juninho não se contentou e também resolveu contar sobre o que ele aprendeu sobre os humanos e de como eles podem ser inferiores.
  • Além do que os Olhos Podem Ver: Até hoje não há relatos de alguém que entendeu o verdadeiro significado do título.
  • Elektracustika: Juninho selecionou algumas músicas antigas e as modificou de uma forma que nenhum humano pode tocar.
  • Depois da Guerra: Verdadeiro desabafo do Oficina G3 através da voz marcante do Mauro Henrique, que grita o tempo todo qualquer coisa lá.
  • Histórias e Bicicletas: Fala sobre as feridas no joelho na infância de Duca Tambasco quando aprendia a andar de bicicleta.

Ver TambémEditar

  Conheça também a versão oposta de Oficina G3 no Mundo do Contra: