Abrir menu principal

Desciclopédia β

Orgasmo Musical

(Redirecionado de Orgasmo musical)
Crystal Clear app kguitar.png

Fender deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.



Cquote1.png Relaxa e goza Cquote2.png
Marta Suplicy sobre Orgasmo Musical
Cquote1.png Maaaaa é bom ou não é??? Cquote2.png
Silvio Santos sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Na União Soviética o Orgasmo musical tem VOCÊ!!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Euu goooostchu muuuuuuitchu!! Cquote2.png
Cumpadi Washington sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Eu não preciso de música... Cquote2.png
Silvia Saint sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Glu glu para mim, glu glu para tu, vem minha gatinha fazer glu glu Cquote2.png
Sérgio Mallandro sobre como não obter um Orgasmo musical
Cquote1.png Passar a noite em claaaaro, dentro de tiiiiii... Cquote2.png
Fagner sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Vai Lacraia, vai Lacraia! Vai Lacraia, vai Lacraia! Cquote2.png
MC Serginho sobre Orgasmo musical
Cquote1.png E quando tão loca, me beija na boca e me ama no chão! Cquote2.png
Wando sobre Orgasmo musical
Cquote1.png I try and I try and I try and I try Cquote2.png
Rolling Stones sobre Orgasmo musical
Cquote1.png Aumenta a porra desse volume, caralho! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre como tentar um Orgasmo musical
Cquote1.png Depois de nove meses você vê o resultado, depois de nove meses você vê o resultado... Cquote2.png
É o tchan! sobre Orgasmo musical



Índice

Dale a tu cuerpo alegría macarena...Editar

 
Buddy Guy também é adepto do orgasmo musical

Desde a Pré-História o homem cria sons e deles faz o que o dicionário chama de música. O homem evoluiu e com isso o conceito artístico ganhou novas formas, a música passou a ser mais refinada e elaborada, foram criados novos estilos: o canto do pássaro antes apreciado pelo homem das cavernas foi então substituído pelo canto de uma soprano gorda de ópera... Oh! Como a arte é bela! Mas aqui não é a Wikipédia, porra! Nós não gostamos de arte! Então, se você quiser saber mais a respeito da história da música, vai procurar no Google!

Ah... como é bom ser útil...

Os primeiros orgasmos musicais da História foram relatados nas festas gregas, mas não podem ser levados em conta, pois com os gregos tudo era motivo para se ter um orgasmo. Depois do período Helênico, vieram todos aqueles períodos que a tia Maricotinha dizia para você decorar fazendo uma linha do tempo no seu caderno e que para nós aqui, são inúteis. Já mencionei algo sobre o Google? A Idade Média, conhecida como o período negro da História, oprimiu os adeptos do Orgasmo Musical, tachando-os de bruxos e queimando-os na fogueira.

Estima-se que a Santa Inquisição Espanhola tenha matado mais de 42000 adeptos a esta modalidade de orgasmo, sendo que seus decentes foram banidos da sociedade, refugiando-se em terras longínqüas do Velho Mundo, embarcando em caravelas para países onde tudo era permitido, terras sem lei, chamadas de colônias. Nestes locais muitos europeus soltaram a franga, pois se antes eram oprimidos pela formalidade das orquestras eruditas, agora poderiam ter orgasmos múltiplos com os negões o som dos atabaques usados na forma primitiva do samba.

Infelizmente, hoje formas atrasadas de vida estão destruindo este estilo musical preferido por muitos para obter prazer, sendo que nomes como Belo, Exaltassamba, Rede Globo de Televisão e outros grupos de pagode de laje são responsáveis por 95% dos casos de impotência entre os apreciadores do samba de raiz, sendo que muitos tem de recorrer à pílula azul para normalizar seu estado de euforia.


Os que ficaram nas Oropa puderam ver a música erudita emergir e se tornar fonte de orgasmos para muitas pessoas. Pode-se ver a grandeza desse movimento clássico pela imortalização da 9ª Sinfonia composta por Beethoven, que hoje serve de temas para comerciais de carros, trilha sonora de filmes e toques de celular. Beethoven era um adepto assíduo do Orgasmo Musical, tanto que ele teve prejuízos físicos devido à prática constante do esporte. O que era uma diversão se tornou um vício, acarretando na perda da audição do músico. Mesmo debilitado, Beethoven compôs a nona sinfonia para celebrar este novo esporte cada vez mais praticado do mundo.

A composição da sinfonia por um músico surdo, só mostra o quão é intenso esse tipo de obtenção de prazer refinado e possível para poucas pessoas.



...Que tu cuerpo es pa'darle alegría y cosa buena...Editar

Aos poucos foram nascendo novos estilos musicais, cada vez mais ousados, cada vez mais intensos... Oh! Como a música é bela!! Jazz, blues... Ritmos que falam de amor foram aos poucos se tornando popular entre as pessoas, apesar de sua marginalização pelo setor hipócrita conservador da sociedade. As apresentações dos cantores adeptos ao Orgasmo Musical se tornaram polêmicas. Ray Charles, cantor e cego, fora proibido de tocar no estado da Geórgia, EUA, não por ser negro, como afirmam fontes não fidedignas , mas sim por constranger a plateia com seus orgasmos e por incitar a prática da atividade em suas músicas, onde é possível ouvir gemidos de moças adeptas do Orgasmo Musical. James Brow também fora um praticante: seus fãs o consideram o pai do funk devido a suas apresentações polêmicas e letras sensuais usadas para dança do acasalamento, mais conhecida como Get Up (I Feel Like Being a Sex Machine).

  O Funk de hoje tá uma merda, valeu?  
Gil Brother, o Away sobre Funk de hoje

Realmente o funk de hoje não merece o nome herdado de um estilo único nascido há alguns anos, pois, com o tempo, fungos e bactérias foram impregnando o estilo musical e “pessoas” como MC Leozinho e Bonde do Tigrão destruíram o funk original, away! Contudo, esses seres subdesenvolvidos são responsáveis pela incrível vendagem de mais de 420000000 de cópias de CDs e outras porcarias vendáveis entre a classe menos desfavorecida intelectualmente da população e, junto com Babado Novo, Joelma e Chimbinha de Guitarra, são os maiores causadores de orgasmos musicais entre essa parcela da população que, devido ao seu baixo intelecto, só consegue obter prazer com melodias, digamos assim, menos elaboradas...

 
James Brown após uma exaustiva noite de shows

Dale a tu cuerpo alegría macarena...Editar

Com o advento dos músicos mais competentes, nos anos de 1950 nascia um novo estilo musical: o roque em rou. Odiado por uns, amado por outros, o rock foi a causa de muitos de nós estarem aqui... O que seria daquele encontrinho de nossos queridos progenitores se não fossem as baladinhas da Jovem Guarda que por sua vez tiveram sua inspiração nos Beatles que tiveram inspiração no Elvis que teve inspiração em Chuck Berry? Ou, quem sabe, daquela musiquinha do Pink Floyd, Lynyrd Skynyrd, Whitesnake?? Tudo bem, o motivo de você estar aqui pode ser creditado ao álcool, aos ácidos ou até à falta de controle de seu pai, mas, convenhamos, se dependesse da bossa-nova o planeta não seria tão habitado...

 
O que seria das noitadas da tua vó se não fosse ele?

Elvis ganha o título de rei do rock porque a mídia racista é incapaz de admitir um negro como percussor, pois a vendagem não seria a mesma por suas apresentações incomuns, onde se via que o músico era praticante fervoroso do Orgasmo Musical. Elvis, the pelvis, como fora apelidado, requebrava as cadeiras e dançava simulando um ato sexual, tamanho o seu prazer atingido ao sentir a vibração da música.


Heeeeeey macarena! ...Editar

O roquemrou cresceu e se multiplicou. Como nem sempre o que nasce tem boa qualidade (olhe para o espelho e entenderá o que eu digo), vieram também os lixos... Mas aqui é a Desciclopédia, porra! Se quiser ler coisa ruim vai pra outro site! Ahh... como é bom ser útil![2]

Anos 1960 pra 1970. Se os hippies queriam paz e amor, também queriam drogas, e das drogas nasceu o Rock Progressivo... Yes, Jethro Tull, Rush, Emerson, Lake & Palmer e Pink Floyd são algumas bandas que eu lembrei agora que podem ser citadas. Músicas de 42 minutos, como a composição do Dream Theather intitulada A Change Of Seasons e a Garden of Dreams do The Flower Kings, de 64 minutos, mostram o auge da prática do Orgasmo musical nessa época. O esporte entrava na era psicodélica e aqui no Brasil os tupiniquins cansaram da garota de Ipanema e dos cabelos esvoaçantes de Roberto Carlos e partiram para os festivais na TV, onde figuras bizarras como Os Mutantes e Caetano Veloso gritavam e se sacudiam freneticamente nos palcos. A Tropicália chegava à cena nacional e com ela trazia músicos e mais músicos adeptos ao Orgasmo Musical.

Poréeeeeeem, todo mundo começou a ficar de saco cheio dessa merda de “épicos do rock”, de ficar ouvindo solos intermináveis de caras muito locos de LSD e de ver o Caetano Veloso grunindo no palco, que, sejamos sinceros, não é uma coisa muito agradável. Se por aqui a sutileza de Chico Buarque encantava os praticantes do Orgasmo Musical mais sutis nos festivais de MPB, lá nas Oropa os gringo tavam fazendo a festa. Iggy Pop não tinha, e ainda não tem, vergonha nenhuma em assumir que now he wants be your dog, frase gritada por inúmeras platéias contagiadas pelo poder da música.

Apesar de tudo, algumas pessoas por mais que se esforcem, não conseguem atingir seus objetivos. Numa época em que a pílula azul ainda não era comercializada, Mick Jagger sofria de problemas de ereção e não tinha coragem de se expressar com seu médico.

  Mick, fale com seu médico! Eu falaria...!  
Pelé sobre problemas de ereção de Mick Jagger

Aqui temos mais um exemplo de como a música pode ser libertadora. Mick, baseando-se em seus problemas sexuais compôs a música (I Can't Get No) Satisfaction e, graças à capacidade de criação de melodias da múmia e guitarrista Keith Richards, Mick Jagger conseguiu se libertar e obter um histórico Orgasmo Musical, devendo ao riff dessa música a sua fama de pegador.

 
Mick antes de praticar o orgasmo musical


...RAAAAAAAAAAí!Editar

Neste mundo emergente de rockstars, nascia uma das melhores bandas do univeLso, AC/DC, de onde faz parte o guitarrista conhecido mais por sua síndrome do que por sua competência: Angus Young. Angus fora responsável por desmistificar o Orgasmo Musical, criando até um novo setor na psiquiatria, a medicina younguiana. Em suas apresentações, ele acrescentava passos da famosa e idolatrada dança do pato, onde tinha orgasmos múltiplos devido aos seus riffs e a todo o acompanhamento da banda.

Recentemente cientistas têm estudado este fenômeno cada vez mais a fundo, tirando tabus impostos pela sociedade de quem pratica o Orgasmo Musical é marginal, vagabundo e pervertido. Porém, o que essas tiazinhas chatas esse setor conservador da sociedade não sabe, é que nomes como Ronnie Von e Sidney Magal são tão praticantes do que está virando uma religião do que adeptos assumidos e considerados devassos como Wando e Neisa, a Pantera.

Infelizmente, como tudo vira bosta nesse mundo, vem crescendo os praticantes wanna be, que sujam o nome do Orgasmo Musical simulando orgasmos nos palcos. Gritinhos emos põe na lama a old school, banalizando o esporte que agora se agrega a qualquer estilo tosco e mal feito de música.

Mas nem tudo está perdido!