Abrir menu principal

Desciclopédia β

Ostreidae

(Redirecionado de Ostra)
Ostra
Uma ostra-fêmea.
Uma ostra-fêmea.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Lula-Moluscos
Classe: Bissexuais
Ordem: Asteroide
Família: Ostra

Cquote1.png Você quis dizer: Astra Cquote2.png
Google sobre Ostreidae
Cquote1.png Há um gosto exuberante nesta rara iguaria,um toque gelatinoso,meio amargo,merveilleux! Cquote2.png
Algum degustador francês louco sobre ostra
Cquote1.png Slooooooooooow :( Cquote2.png
Slowpoke expressando sua opinião sobre seres com concha
Cquote1.png Na União soviética, a ostra é quem come VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Ostras

Pérolas:50R$ no débito.Carne de Ostra:25 R$.Achar este artigo muito criativo:Não tem preço.Há coisas que o dinheiro não compra,para todas as outras existe Oystercard

Ostreidae, ou simplesmente ostras é uma família de moluscos muito anômalo peculiar, pois ele não é mais do que uma melequinha feiosa animal de corpo gelatinoso revestido por duas conchas que as protegem contra adversidades do mundo externo e de vez em quando,estas conchas que estão ligadas por um filamento elástico bem resistente,se abrem para a pequena geleca se alimentar,se reproduzir e dar uma olhada na vizinhança.Ostras são seres bem fáceis de se encontrar,em qualquer praia e todas em sua grande maioria,produzem pérolas.Além de sua importância econômica,as ostras representam também uma das mais refinadas iguarias existentes,apreciada como fruto-do-mar em bares em praias paradisíacas onde você nunca estará porque isso é só para quem pode.


Índice

AnatomiaEditar

O corpo das ostras não é composto apenas pela concha e a melequinha como todos pensam,mas,sim,de uma série de órgãos complexos e com funções totalmente distintas que ninguém nunca imaginaria que elas teriam,listados a seguir

ConchaEditar

A concha das ostras possuem basicamente três camadas; A camada externa composta por titânio, cálcio, criptonita e verniz que protege a pequena ostra contra crianças encapetadas na praia que cismam em futucar as ostras e estuprá-las,arrancando-a de sua casa achando que não havia nada dentro, e claro,de outros predadores comuns como peixes minors que futuramente servirão de comida para outros peixes.

A segunda camada,ou, camada interna,é o que reveste a ostra por dentro, uma espécie de esqueletinho.Por fim, a terceira camada,ou camada interna-interna,é a que fica diretamente em contato com o bicho,propriamente dito,ela é brilhante e dura e serve para produzir muitas pérolas para nós MWAHAHAHAHA proteger a ostra contra objetos estranhos.

Músculo adutorEditar

O músculo redutor de gorduras Ab Shaper da Polishop traz mais uma novidade par.. adutor encontra-se no intervalo que existe entre as duas conchas,sendo a mesma a responsável pela sua abertura e fechadura,exercendo a pressão necessária para fechá-la e quando o músculo encontra-se relaxado,as conchas se abrem.

GuelrasEditar

 
Ostra metendo o pau no Donkey Kong

Guelras ou brânquias como é conhecida no meio acadêmico,são os órgãos que exercem a parte degustativa da ostra,filtrando os alimentos que ocasionalmente ele encontrará(ou não), assim como todo a água inalada pelo molusco,aproveitando-se apenas do oxigênio para manter as células respiradas.



MantoEditar

 
Uma ostra viciada e fracassada em sua vida como peroleira

O manto é a camada de tecido que encobre toooda a ostra,podendo ser chamada vulgarmente de pele,ou pellet,em francês,dividida em três dobras,uma interna,uma média e outra externa,sendo que a mais legal de todas é a externa responsável pela confecção das pérolas .As pérolas,são feitas da maneira mais humilhante de todas que um animal poderia fazer: Primeiro, a ostra ao alimentar-se,separa os minérios das comidas e a partir daí, o manto cria uma substância chamada Madre Teresa de Calcutá Madrepérola e quando qualquer tipo de objeto é introduzido na concha da ostra, o manto fica irritadiço,e produz essa substância para encobrir o supositório corpo estranho. Mas... apenas uma bimbada é o suficiente para produzir uma bela e garbosa pérola?Não!É por isso que nessas horas nem eu,nem você gostaria de ser uma ostra,não é?

ÂnusEditar

Hã...acho que recusa explicações,né?

Sistema digestivoEditar

Sendo animais filtradores,elas ficam fazendo porra nenhuma o dia inteiro à espera de uma presa fácil como plânctons,poríferos ou até mesmo,você.Uma vez com a presa capturada no seu interior, o alimento passa pela boca que está colada ao estômago e ao esôfago(UAL!QUE MEDO!),e com o auxílio de uma melequinha amarelada localizada no início do intestino,ela termina de digerir o alimento e como tudo na vida, o que não prestar vai para aquele lugar transformar-se em adubo ecologicamente correto.

Reprodução e ciclo de vidaEditar

As ostras também amam...amam,amam demais,na verdade,elas são muito estranhas,não elas não são gays se é essa a piadinha que você não esperava ler,mas, o fato é que elas apresentam sexos distintos,ou seja,papai e mamãe( não confundir com Papai-e-mamãe ), no entanto a cada estação de desova para procriar novas ostrinhas,os progenitores podem...er..ocasionalmente,<font="red">TROCAR DE SEXO.Sim,talvez não haja nenhum sentido lógico na sua pobre cabeça para que você sendo ostra macho possa estar comendo uma ostra não-tão-fêmea-assim depois que teve neném,mas a natureza é perfeita e deve existir alguma explicação para isso,ou não.

Depois que se dá a fecundação, as ostrinhas em forma de embrião,vão formando suas células assumirem a forma de uma larva "livre-natante",ou seja,uma bolha que fica nadando pelos oceanos sem pai nem mãe esperando o momento para digievoluir metamorfosear em uma ostra com concha como conhecemos hoje.Passadas duas semanas, a larvinha começa a deixar de ter a forma de um ridículo plâncton e passa a se parecer mais com monstros de RPG,com o surgimento de uma mancha ocular e pseudo-pés para poderem conseguir se fixar em um local.Assim que deixam de ser ciganos doidos sem uma residência fixa e arranjam um pedacinho de terra,ocorre a metamorfose ambulante,onde elas finalmente assumem a forma de ostras com conchas,porém muito pequeninas e assim permanecem até atingirem seu tamanho comercial.

 
Uma degustadora de ostras,expressando sua alegria ao comer uma.

Lenda urbana sobre um monstroEditar

Reza a lenda, que em um mundo muito distante daqui (ou não) , onde os animais assumem uma forma assustadora,3 vezes maiores do que conhecemos e as pessoas os usam em verdadeiras batalhas,existem espécies de ostras que mesmo depois de atingirem a forma adulta,desenvolveram-se a tal ponto que são capazes de parasitar outros animais para poderem manter-se vivos nesta dimensão hostil e este processo se dá com a mordedura de sua calda provocando um estalo de dor incondicional.

Ostras como produtoEditar

 
A Maior empresa escravizadora cultivadora de ostras e outros frutos-do-mar

Após termos estudado sobre esse fascinante monstrinho animal, podemos reparar que a ostra pode possuir um grande valor para o homem,que passou a cultivar comunidades inteiras de ostras a fim de extrair suas filhas pérolas vistas como uma pedra de bonita aparência,confeccionada para colares,cordões,objetos de sex-shop,etc.. O processo para se fabricar uma pérola é relativamente simples: Primeiro o cultivador pega uma ostra,faz uma fenda no manto do animal que por reação,irá produzir a pérola-mãe numa tentativa frustrada de proteger a ostra da garras do homem mau.Simples como roubar doce de criança,seja cruel com animais e ganhe dinheiro.

E quando os cultivadores notam que a população de ostras cresceu abruptamente,o que eles resolvem fazer?Catar as ostras menos produtivas,estéreis e virgens para serem vendidas em bares como um mero petisco,onde o consumidor elegantemente abre a concha e suga o animal ainda com vida para o seu organismo, e a criança encapetada da praia, que é filha do comedor de ostras, insiste fervorosamente para que possa ficar com as conchas,criando assim uma verdadeira mutilação animal,onde todo o complexo sistema de órgãos que expliquei até agora não serviu para absolutamente nada.

GênerosEditar