Abrir menu principal

Desciclopédia β

Páginas da Vida

A Dona do PedaçoO Sétimo GuardiãoSegundo SolO Outro Lado do ParaísoA Força do QuererA Lei do AmorVelho ChicoA Regra do JogoBabilôniaImpérioEm FamíliaAmor à VidaSalve JorgeAvenida BrasilFina EstampaInsensato CoraçãoPassioneViver a VidaCaminho das ÍndiasA FavoritaDuas CarasParaíso TropicalPáginas da VidaBelíssimaAméricaSenhora do DestinoMulheres ApaixonadasEsperançaO CloneLaços de FamíliaPor AmorA IndomadaO Rei do GadoO Fim do MundoExplode CoraçãoA Próxima VítimaFera FeridaRenascerDe Corpo e AlmaDancin' Days (1978)

Cquote1.png Fique agora com Páginas da Vida. Boa noite. Cquote2.png
William Bonner sobre Páginas da Vida
Cquote1.png MWAHAHAHAHAHA! Cquote2.png
Ana Paula Arósio sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Maaaaaarta!!. Cquote2.png
Alex sobre Páginas da Vida
Cquote1.png ...Eu enfiei a mão no meio das pernas, e acordei com a calcinha na mão, e toda babada... Cquote2.png
Uma veinha safada no grande momento de Váginas da Vida
Cquote1.png Boca Suja! Sem Vergonha! SEM VER-GO-NHA! Cquote2.png
Sílvio Santos sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Não sou eu quem faz. Ainda bem. Cquote2.png
Daltony sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Helena é diferente, nova. Nunca tive a oportunidade de interpretar uma personagem tão profunda. Cquote2.png
Regina Duarte sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Isto é uma vergonha! Cquote2.png
Boris Casoy sobre Páginas da Vida
Cquote1.png É uma putaria! PU-TA-RI-A!! PU-TA-RI-A!!! Cquote2.png
Alborghetti sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Na União Soviética, a vida pagina VOCÊ!!! Cquote2.png
União Soviética sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Vou te contar... Cquote2.png
Wave sobre Páginas da Vida
Cquote1.png Vem aqui gotoso! Cquote2.png
Ana Paula Arósio em uma cena de sexo em Páginas da Vida
Cquote1.png Eu sou o Ronaldinho!!!!! Cquote2.png
Francisco, jogando futebol em Páginas da Vida
Cquote1.png eLaxXx ehx dAsXx NoXxax Cquote2.png
Emo sobre Giselle
Cquote1.png Aparece, Nanda!!!!!!!!!!!! ARGHHHHHHHHHH!!! Cquote2.png
Marta sobre Nanda
Cquote1.png Moxa munita! Cquote2.png
Clarinha sobre Nanda
Cquote1.png Vai, Joana, dá um sorrisinho... o texto, Joaninha; diz que ama a mamãe, vai, diz... agora olha pra Regina; não pra camera, pra Regina; eu disse pra Rê, não, não pra câmera... puta que o pariu, por que o porra do Manoel Carlos foi querer fazer inclusão na novela das nove??? Cquote2.png
O diretor sobre Manoel Carlos e Clarinha, a downistinha da trama

Páginas da Vida (ou Váginas da Vida) foi a última novela-das-oito-que-começa-às-nove da Rede Globo, dona do Brasil. Como em qualquer outra novela, a história consiste em duas cenas principais:

  • duas pessoas se encontram e se amam à primeira vista;
  • essas pessoas se beijam e se casam.

Entre essas cenas, porém, há um intervalo de 823 capítulos, preenchidos com dramas, centenas de histórias paralelas envolvendo pelo menos mais trezentos personagens diferentes, brigas e baixaria (para manter a audiência) e merchandising (para faturar). Todo esse papo furado custa R$ 270 mil por episódio, dinheiro arrecadado através do Criança Esperança (o merchandising vai direto pro bolso dos diretores e atores).

Na verdade, a história é a mesma de uma novela que passou uns anos atrás, mas ninguém lembra a história, e fica parecedo novidade.

Assim como o Big Brother, a Dança dos Famosos e outras novelas, o desfecho de Páginas da Vida é uns dos assuntos de maior importância para o Brasil. Diariamente, o ditador brasileiro se reúne com seus ministros para discutir o episódio de ontem à noite, e tomar as devidas providências para mudar a situação. Numa recente novela, por exemplo, após ver uma cena de novela, um ditador decidiu fazer o Referendo do Desarmamento, que custou muito caro, e não mudou porra nenhuma.

Da mesma forma que novelas anteriores (note que é sempre tudo igual), Páginas da Vida teve uma média de audiência diária superior a 50 pontos (naquela época o YouTube e o GloboPlay ainda não eram tão populares como hoje; ops, o GloboPlay sequer existia). A alienação O sucesso é tanto que a novela registrou essa média até num dia em que o Brasil foi atingido por um blecaute, e todas as televisões estavam desligadas.

Índice

Recordes mundiaisEditar

A novela também rendeu um recorde mundial a Regina Duarte, por interpretar a personagem Helena por 2196 novelas consecutivas (além de 418 minisséries, 44 filmes pornôs e 3 episódios do Chaves como Dona Helena, a Chatíssima e Vadia - dizem que a professora de Carrossel também foi uma Helena de dona Duarte, mas há controvérsias...).

Outro recorde mundial da novela Páginas da Vida, registrado inclusive no Guiness, foi o número de personagens (sem contar a figuração e elenco de apoio) que atingiu a histórica marca de 776 personagens diferentes. Alguns atores tiveram que interpretar até 5 personagens ao mesmo tempo, pois não havia mais atores disponíveis no Brasil para preencher os inúmeros papéis criados por Manoel Carlos.

Perguntado se "Páginas da Vida" seria sua última novela, Manoel Carlos declarou que não, pois ele tem um projeto de só se aposentar depois de conseguir fazer uma novela com mil personagens.

EnredoEditar

 
Exemplo de pobre em "Páginas da Vida".

Ambientada no Leblon, uma comunidade carente do Rio de Janeiro, mostra a batalha diária de Helena, presente em todas as novelas de Manoel Carlos, para ir ao supermercado, fofocar com a vizinha do quinto andar, tomar chá verde à tarde, pedir à empregada que compre aspargos frescos para o jantar, e impedir que José Meyer a traia com todas as mulheres da novela, entre outras dificuldades sociais de um típico morador da Zona Sul da cidade.

Páginas da Vida também conta com a jovem Giselle, que sofre de bulimia, e namora o vizinho da frente de seu apartamento. O mais curioso disto tudo é que quase todos os personagens habitam o mesmo hábitat: um prédio de luxo no Leblon.

É fácil notar também que os personagens da novela, adoram tomar bons vinhos, assistir bons filmes e visitar as galerias de artes de Amsterdã, localidade próxima do Leblon, que sofre constantemente com enchentes e alagamentos.

Trilha sonoraEditar

  • Váginas da Vida contou com três CDs, os quais discriminados abaixo. O mais curioso foi notar a inscrição "Uma novela de Manoel Carlos" (O RLY?) nas capas dos mesmos.

NacionalEditar

  • Capa com Ana Paula Arósio, a Olívia. O livreto trouxe gente do Rio desconhecida que ninguém conhece, contando um breve resumo de sua biografia. Mas, quem ligou para isso?
  1. Wave (Vou Te Contar) - Daniel e Luiza Jobim (abertura)
  2. Só em teus Braços - Nana Caymmi
  3. Para Mais Ninguém - Marisa Monte
  4. Amplidão - Elba Ramalho
  5. So In Love - Caetano Veloso
  6. A Dor a Mais - Francis Hime
  7. Outra Vez - Adriana Calcanhotto
  8. Passarela no Ar - Ivan Lins
  9. Ventos de Paz - Leila Pinheiro
  10. Se Quiser (Anytime) - Tânia Mara (único hit do disco...)
  11. Seu Nome - Luiza Possi
  12. Eu Sei - Papas da Língua (...ah, não; esta também bombou.)
  13. O Que Resta de Nós - Zeca Pagodinho
  14. Alguém me Disse - Maysa
  15. Wave - Tom Jobim
  16. Orfeu (da ópera Orfeu e Eurídice) - Nelson Freire

InternacionalEditar

  • Capa com Thiago Lacerda. Trouxe uma promoção, válida até 2007, em que os consumidores poderiam assistir ao conteúdo do Globo.com (o GloboPlay só surgiu lá por 2016, mais ou menos), com um login e uma senha sempre diferentes em cada cópia do disco.
  1. One Last Cry - Marina Elali (grande hit da época, que ninguém mais se lembra hoje)
  2. Put Your Records On - Corinne Bailey Rae (sucesso do cacete até hoje)
  3. The Hardest Part - Coldplay
  4. Cannonball (acústica) - Damien Rice
  5. Colors - Amos Lee
  6. One Day Will Come - Jamie Cullum (Amy Winehouse acabou de regravar essa, mesmo depois de ter morrido. E ficou foda, melhor do que essa versão original!)
  7. Why Should I Care? - Diana Krall
  8. I Concentrate On You - Dianne Reeves
  9. L'Appuntamento (Sentado à Beira do Caminho) - Ornella Vanoni (que ela regravou do Erasmo Carlos.)
  10. Para Tu Amor - Juanes
  11. Ed Ero Contentissimo - Tiziano Ferro
  12. Break the Night with Colour - Richard Ashcroft (o cara do The Verve)
  13. Free Loop - Daniel Powter
  14. Shake It! - Kasino

LoungeEditar

  • Lançada em nonstop, ou seja, sem intervalos entre as faixas.
  1. Here With Me - X-Static (única que fez sucesso, de verdade)
  2. La Maison - Gabin (lê-se "Gabãn", pobre!)
  3. Obtener un Sí - Shakira (música do caralho!)
  4. La Più Bella del Mondo - Celso Fonseca e Ronaldo Bastos
  5. Don't Let me be Misunderstood - Juliana Aquino
  6. Meditation (Meditação) - Salina Jones
  7. Samba da Bênção - Bebel Gilberto
  8. Dindi - Leila Maria (nunca vi mais gorda)
  9. Minha Saudade - João Donato e Paulo Moura
  10. Movimento de Primavera - Alexandre Guerra
  11. Far Away - Lady Rockfeller (sample: Te Quiero/Erotik; altamente recomendada para crianças)
  12. Feel Me Up - Farina
  13. Dust in The Wind - Paula Fernandes (antes de se perder no submundo do sertanojo universiotário)
  14. Beautiful Girl - Paulo Ricardo (A mesma que você pensou)

Letra do tema de aberturaEditar

(Daniel)
Vou te contar
os olhos já não podem ver
coisas que só o coração pode entender
fundamental é mesmo o amor
é impossível ser feliz sozinho

(Luisa)
O resto é mar
é tudo que eu não sei contar
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho a brisa e me diz:
É impossível ser feliz sozinho

(Daniel) Da primeira vez era a cidade

(Luisa) Da segunda, o cais e a eternidade

(Ambos) Agora eu já sei da onda que se ergueu no mar
e das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
enquanto a noite vem nos envolver

Referências ao SatanismoEditar

De acordo com especialistas em teledramaturgia, a novela possui altas doses de Ocultismo, Satanismo, Paganismo e Ateísmo, embora não possa ser percebido pelos telespectadores normais, já que tudo é passado através de mensagens subliminares. Embora a temática pareça contraditória, o objetivo final é atacar todos os fundamentos da fé cristã. Segundo o teólogo Stephen Hawking, diversos simbolismos são utilizados para manipular a religiosidade do telespectador. Por exemplo, Helena, ao maltratar sua filha com Síndrome de Down, simboliza o repúdio aos direitos das pessoas deficientes. Ainda constam incentivos à prostituição, à masturbação, à bulimia e ao tabagismo.

No entanto a ideia mais grave consistiria no fato de que, na verdade, Helena representa a encarnação de um Anjo Demoníaco que planeja derrubar o Governo Lula, expandindo o caos, a desordem socioeconômica e a miséria existentes no Leblon à todo o Brasil. Futuramente, tal império infernal seria expandido à todas as nações da terra, inclusive chegando à África, a segunda maior potência mundial (perde apenas para a Bolívia).

Segundo Hawking, para executar o plano Helena contaria com a ajuda de sua assistente Ana Paula Arósio, que simboliza Heloísa Helena, o Anjo da Morte (do Klingon "elaish elaina-hah", que significa "ave da morte", ou "ave destruidora"). Ela seria a arma mortal a ser usada para derrubar o Governo, juntamente com Enéas (ou 56, de acordo com Classificação Bestial), interpretado pelo ator Osama Bin Laden.

Enéas, o Anjo Astuto, apareceu apenas uma vez na novela, quando à mando da Rainha da Escuridão (Helena), atacou em 11 de Setembro, o centro de Nova York (outra comunidade carente), usando bombas atômicas produzidas com tecnologia brasileira. No entanto estima-se que irá fazer uma reaparição no final da novela, realizando um ataque de mesma natureza desta vez para exterminar as freiras do hospital onde Helena trabalha, que representam os Anjos de Luz enviados por Deus para conter os planos de Satã na Terra.

Enéas, do Klingon "sinquantum six", significa "bomba de átomos".

Hawking recomenda que no horário da novela, a televisão seja desligada da antena, já que a Rede Globo, dona do Brasil, possui um gerador de energia próprio para manter as televisões ligadas mesmo num blecaute como o mencionado acima. A energia provida ao equipamento para funcionar vêm através das próprias antenas, sendo totalmente inútil que sejam desligadas da tomada elétrica.