Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pacaraima

Nicolás Madruga.jpg En este artígo se habla venezolano!

Se no entiendes un carajo de lo artículo, no jodas más, si no,
Er Conde del Guácharo te vaya a pegar!


Pacaraima é um pequeno vilarejo venezuelano pertencente ao Brasil, localizado no extremo norte de Roraima, antigo bairro de Boa Vista. Sua única função é mostrar como a Venezuela está na merda, pois para alguém preferir Roraima a seu próprio país, é porque a coisa tá ruim pra caralho.

Índice

HistóriaEditar

 
Inspirando grandes seriados sobre hordas zumbis, como The Walking Dead, centenas de venezuelanos famintos chegam a Pacaraima todos dias, inflando a cidade roraimense.

Por volta de 1950, com a criação do Território Federal de Roraima, soldados do exército foram enviados para onde Judas perdeu as meias (pois os cadarços e as botas ele já havia perdido há muito tempo) para demarcar as fronteiras do Brasil. É claro que tal missão não deu em porra nenhuma, e mesmo estando em 2019 ainda não se sabe onde é a fronteira do Brasil com a Venezuela.

Neste desbravamento foi criada a vila de BV-8 (em zoação aos 8 soldados boca-virgem da tropa, que se recusavam a pegar as índias da região alegando que ela tinham peitos murchos). Como a região foi desbravada por analfabetos, não houve qualquer registro documental da criação de tal núcleo urbano, nem mesmo pinturas rupestres, mas apenas uma tradição oral que foi totalmente perdida, então ninguém sabe os nomes dos criadores da cidade, nem mesmo o IBGE ou a Wikipédia.

Todavia, foi criado oficialmente como município em 1995, por absolutamente nenhum motivo especial, apenas para que o estado de Roraima tivesse mais municípios.

Em 2016 Pacaraima foi a primeira cidade brasileira a ser invadida pelo exército da Venezuela, quando Nicolás Maduro, então presidente venezuelano, colocou em prática o seu plano de implementação do bolivarianismo em toda América Latina, no qual o Brasil resiste bravamente com basileiros no Facebook, Twitter e Yoputube espalhando a hashtag #BolsoMito2018. A tática da invasão, todavia, foi de discrição, a começar pelo estado invadido, o Roraima, que não aparece em noticiário nenhum, e o alvo da invasão foram os hospitais. Venezuelanos decrépitos invadiram todos hospitais de Pacaraima, esgotando todo estoque de todo tipo de remédio e vacina. Outra tática venezuelana é espalhar lixo e matar venezuelanos uns aos outros para disseminar o caos.

EconomiaEditar

Anteriormente com uma economia totalmente baseada no garimpo, um recurso finito, a cidade de Pacaraima descobriu sua vocação econômica por volta de 2014, tornando-se o maior explorador da miséria venezuelana, servindo para vender arroz, papel higiênico, putas e lenços umedecidos para venezuelanos famintos carregados com toneladas de moeda venezuelana desvalorizada. Todavia, como esta horda quase infinita de venezuelanos fazem as compras usando bolívares, isso não afeta Pacaraima positivamente em absolutamente quase nada, e a cidade continua sendo uma das pobres possíveis.

GeografiaEditar

Localizado no extremo norte de Roraima, é um bairro distante de Boa Vista, e seu maior bairro é um gueto de venezuelanos denominado Santa Elena de Uairen. A leste da cidade localiza-se a litigiosa Terra Indígena Raposa Serra do Sol onde indígenas e arrozeiros convivem pacificamente matando uns aos outros.

PopulaçãoEditar

Pacaraima é a única cidade do Brasil que tem em seu território mais forasteiros do que brasileiros nativos, superando até mesmo Corumbá e Foz do Iguaçu, por isso que embora o IBGE diga que vivam lá 11.667 habitantes, a sensação é de que há pelo menos uns 100.000 habitantes nas lotadas ruas repletas de famintos venezuelanas perambulando sem destino.