Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cquote1.png Você quis dizer: Wikipédia Cquote2.png
Google sobre Panelinha

Pra quem não sabe ainda, Raul Seixas era Paneleiro de Marcelo Nova do Camisa de Vênus !

Cquote1.png Panelinha velha é que faz comida boa Cquote2.png
Sérgio Reis sobre panelinha
Cquote1.png Boa é da Tramontina Cquote2.png
Minha mãe sobre panelinha
Cquote1.png Da Polishop fede muito quando o cabo esquenta! Cquote2.png
Sua mãe sobre panelinha
Cquote1.png Isto eu chamo de ditadura da maioria! Cquote2.png
Getúlio Vargas sobre panelinha
Cquote1.png Eu tenho nojinho! Cquote2.png
Aspira Neto sobre panelinha

Panelinha é um objeto circular esférico, cortado, furado, com um cabo de plástico (pode ser de madeira ou de qualquer outro material, reciclável ou não), normalmente de cor preta, que serve para esquentar a comida e discussões em fóruns de Internet. Uma panelinha nunca está sozinha em uma discussão. Onde cabe 1 panela, cabem 2 panelas, 3 panelas, 4 panelas e, se depender do fogão armado, até um caldeirão de bruxa cabe.

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Panela velha que faz comida boa

Índice

ExplicaçãoEditar

 
Químico responsável na arte de dominar a matéria prima de formar panelinhas

Dizem que panelinha nada mais é que um grupelho criado para cometer arruaciosidades e atrocidades em uma instituição de caridade, mas isto é apenas boatos da esquerda ocidental. Panelinha nada mais é que um grupo de pessoas que brindam de algo em comum, como os Karas, um grupelho de adolecentes pervertidos em que três só querem comer a menina e o outro... bom, vou contar um segredo: o Outro é gay e está a fim de você!!!

Se você gosta da banda Skank e o João da Silva Santos de Souza Oliveira gosta de Sepultura, vocês são uns paneleiros, afinal as 2 bandas citadas são de Minas Gerais e a panela de vocês serve como abrigo ao grupo de adoração de bandas mineiras.

O nome panelinha surgiu nos anos 60, numa época de ditadura, onde os opressores acusavam as pessoas contrárias de estarem como almôndegas em uma panela. Os ditadores diziam que a turminha da pesada aprontava altas confusões e que muita gente contrária só poderia ser uma sopa de almôndega dentro de uma panelinha. Um destes acusados não levou o apelido muito a sério e até adotou como um nome de guerra. O reduto da panelinha foi formado em 1964 e aos poucos reunia cada vez mais gente. Com o tempo, todos perceberam que a real panelinha não era, exatamente, a panelinha dos contrários e sim a panelinha política da ditadura democrática. Este nome foi adotado pelo Jornal Nacional e logo todo o Brasil usava este termo.

Tipos de panelinhasEditar

 
Exemplo de panela de ferro caipira!
  • Ferro: A panelinha de ferro é aquela cujo seu material é formado pelo mais puro ferro duro onde sua soberania é sua fonte de vitaminas A, B1, B2, Co2, H2o, C, D, E... Isso para deixar o sangue do indivíduo cada vez mais forte e poderoso mandando ver no sistema sistemático.
  • Barro: A panelinha de barro é aquela cujo seu material é formado pelo mais puro estrume mole onde seu grupo sempre faz cagada e nunca tem vitamina nenhuma.

Sua utilidade no meio social é dirimível com odores nada agradáveis quando aparecem sujas.

  • Alumínio: A panelinha de alumínio é aquela cujo seu material é formado pelo mais puro alumínio leve onde sua superfície sempre queima a rosca quando o fogão fica com sua chama desregulada, a panelinha de alumínio é vagabunda, barata, fraca, feia, pobre, amassada, arranhada e sempre deixa a porcaria do ovo grudar no fundo.
Outros tipos e formatos de panelinhasEditar
  • Caçarola: Coitada da caçarola , ela é sempre a menor panela de todas, sempre apanhando dos outros e sempre sofrendo ameaças por todos os lados, resumindo, se abrir a boca ela apanha de pau na hora.
  • Frigideira: Apesar de pequena, a frigideira faz um estrago dos infernos, devido ao comportamento quente e agressivo dos ocupantes da mesma, a frigideira sempre entra e bota quente em todas as discussões.
  • Panela de Pressão: A panela de pressão é aquela que sempre bota pressão nos outros, sempre arrumando um jeito de cozinhar o galo ganhando na base do cansaço e tédio, este tipo de panela sempre arruma argumentos pesados a fim de afugentar a panela rival.
  • Forma de bolo: A forma de bolo não é exatamente uma panela isso por que seus membros sempre estão furando os compromissos entre si, assim como a forma de bolo é: Redonda com um buraco no meio.
  • Cabaça: É o mesmo que cuia, cabaceiro, coité, cuieira, cuité, cuitezeira e malga este tipo de panela é indígena e só entra índios e nativos da floresta, ou seja, panela de homem branco a gente come é com sopa de legumes do caldeirão. A Cabaça é uma planta esferiacial do formato de uma abobora redonda a cabaça feita de uma cabaça mesmo.
  • Cuscuzeira: Panela estilo funil funda com uma grade de alumínio furado no meio, este tipo de panela só serve pra colocar água quente na bunda dos outros e fazer cuscuz de milho cozido.
  • Tacho de fritar pastel: Ele é redondão com formato oval e sempre borbulha óleo quente a fim de carbonizar a vida de outras panelas furadas.
  • Panelão acima 20 litros: A panela de 20 litros ou acima deste tamanho é aquela cuja seu formato gigante só acomoda-se em fogões industriais, geralmente o panelão de 20 tem uma comunidade acima dos 200 ou mais participante, quando entra em ação, seu poder de domínio é quase certo.
  • Caldeirão: O Terror de todas as panelas, o verdadeiro demônio entre todas as panelas já citadas, o caldeirão é algo de grande assombro devido ao seu altíssimo número de pessoas e grupos afiliados dentro de um único ambiente, geralmente podem ser vistas no orkut dentro de comunidades gigantes e torcidas organizadas de futebol, seu número de membro chega a casa dos milhões e milhões de paneleiros reunidos.

Análises de uma ou mais panelinhasEditar

Análise gastronômicaEditar

 
Doutor Roberto preparando um Cuscuz na panelinha

Em uma situação hipotética da hipotenusa, vemos em um círculo imaginário 4 jilós. Antes de existir jilós, haviam 3 chuchus, mas estes chuchus já não estão mais presentes pois usaram estes em uma sopa de chuchu, mas eles ainda são a base de todo o círculo imaginário da horta mais imaginária ainda. Os jilós tomaram conta do local. Muitos anos vegetais depois, começa a surgir alguns tomates. São, no total, meia-dúzia de tomates. Estes tomates criam uma pequena horta naquele círculo imaginário que você imaginou. Mas os jilós são espertos e não querem dividir o poder da horta com uns tomates arruaceiros. Então os jilós acusam os tomates de serem parte de uma panelinha. No entanto, os jilós esqueceram que também são ingredientes de sopa e todos estão na mesma panelinha. Todos foram cozinhados.

Análise Ruth LemianaEditar

É preciso saber saber que até mesmo uma panelinha-inha pode cozinha uma sopa com valor nutritritrivo adequado.

Análise Kafkiana em primeira pessoaEditar

Não acredito! Não posso imaginar isto! Estão acusando a gente de ser panelistas? Com qual motivo? Por que a gente discorda deles? A gente está dentro de uma panelinha? Mas eu não sabia, companheiro! Aliás, eu nem sabia da existência de uma panelinha aqui. Eu não me lembro. Será que eu fui hipopotamizado e depois colocado dentro de uma panela? Acho que eu estou na Matrix.

Análise QuímicaEditar

A composição química dos elementos de uma panelinha pode variar bastante via de regra geral. Há inúmeros exemplos de pesquisas científicas[carece de fontes] onde se identificaram composições moleculares das mais diversas: quimicamente instáveis, reativas, não-iônicas, orgânicas, explosivas e conservadoras, tais como por exemplo:

Dióxido de Hidro-Potássio-Lantânio: K O H La
Tório-Nitro-Potássio de Urânio: K N U T
Dienxofre-Argento-Arsêniano: S Ag As
Dienxofre Helio-Iodo-Nitrouraniano: U S I He N
O N O F Re
Ra K Eu S Am Al
Rh O Tm Am S
Db Ra Ga Mn I Ac O
V I Ti N
U Lr Tl RA Y O H N² Y

Dentre inúmeros outros encontrados na natureza.

Análise MarxistaEditar

É uma análise marxista, não machista...

Companheiros, a panelinha capitalista está querendo tirar o maravilhoso poder que a gente tem. Não deixarei que eles faça isto! Só farão isto depois que passarem pelo meu cadáver barbudo.

Análise CapitalistaEditar

Não leiam a análise de cima! Esse bando de badernista, tudo criado a leite com pera, a ovomaltino, a pão com mortadela, ficam vestido de vermelho querendo espancar a coluna do nosso sistema com a panelisse deles. Eles têm que morrer!

Análise PalmirinhaEditar

Ô amiguinha, primeiro cê pega a panelinha, aí cê coloca a panelinha nu fogão e coloca uns inguedrientes dentro da panelinha, amiguinha. Então amiguinha, aí você coloca a panelinha pra esquentar os inguedrientes na panelinha. Aí amiguinha, você toma cuidado com a panelinha porque a coisa vai esquentar viu amiguinha?

Ver tambémEditar