Passer

(Redirecionado de Pardal)

Nota: Se procura pelo inventor, engenheiro, físico, químico, doido e filantropo que faz caridade para milionários mãos-de-vaca, consulte Professor Pardal


Pardalzinho
Pardal pensando na morte da bezerra
Pardal pensando na morte da bezerra
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Acordados
Classe: Voadores
Ordem: Passarinhos
Família: Pardalzinhos
Gênero: Passa

Cquote1.svg Você quis dizer: Encardido aéreo Cquote1.svg
Google sobre Passer

Passer, g~enero de passarinhos estúpidos conhecidos mais como pardais, são uma avezinha, mais precisamente um pássaro sem-vergonha e ordinário que se adapta em qualquer lugar, inclusive urbano, e só não enche mais o saco do que os pombos... não melhor dizendo, o título de ave imprestável é bem concorrido entre essa duas amostras.

De ondeEditar

 
Imponente após expulsar um sabiá do próprio ninho.

Pardal é um pássaro inútil

Ele não é nem nunca foi natural das matas brasileiras, como a majestade os sabiás ou canários mas sim, foi introduzido sem lubrificante pelos portugas, que com sua inteligência que lhes é característica, não acharam que pudesse causar algum desequilíbrio, mas o fato é que eles causam desequilíbrio, ainda que não seja dos mais graves.

Esses salafrariozinhos tomam conta do local em que estiverem, não permitindo que as aves nativas vivam em paz e as expulsam assim que as notem, não é fácil para os outros pássaros, já que os danados andam em bandos e sá não se agridem entre eles. Em termos de se unir para prevalecer eles são campeões.

Sim, eles até poderiam não causar problemas em sua terra natalícia, mas assim que aqui chegaram vêm prejudicando a fauna dos passarinhos brazucas, e isso ajuda a diminuir o número de pássaros nativos, já que há menos lugares para os ninhos deles, melhor dizendo, há lugar de sobra, mas assim que um pardal nota, já parte pra porrada e chispa com ele dalí, num processo malacabado de usucapião, mas sem qualquer sombra de justiça.

CaracterísticasEditar

 
Pardais competindo com os pombos pra ver quem é o mais entrão.

Eles são encardidos por natureza, mas acabam por ficar mais encardidos ainda uma vez que não ligam em nada para os problemas da urbe como poluição e tal, que os demais passarinhos costumam não gostar, e os pardais também convivem bem com os humanos, que ainda os protegem sem saber da desgraça que estão ajudando a aumentar... bem nós brasileiros somos decendentes de portugas... eles são pequenos mas bem maiores do que os beija-flores, tem um olhar de que quer matar quem os olha... mas, nem sei porque estou descrevendo tanto, você já deve ter visto dúzias e dúzias deles, muito mais do que os pássaros brasileiros... pra tu ver como eles são fia da mãe.

Você pode estar pensando: Eles não tem culpa. Sim, isso é verdade, mas praga é praga, e eles não respeitam nenhum pouco as outras espécies de pássaros... mas, queria vere les se meterem com um urubu ou uma com uma águia...

 
Pardal mostrando sua aversão à água.

Eles se dão bem com umas nuvens de poluição um cheirinho de óleo disel, e voam bem sorrateiros de cá pra lá, como boêmios, suas asas nem se abalam e continuam a bater, os olhos nem ardem. Eles querem é mais. Porém nas florestas também são um terror e se puderem tomam conta da área sem deixar mais nada pros outros pássaros.

Por sinal a única sinfonia de pardais que a magestade o sabiá ouve é o som das asas e garras pra cima deles pra tomarem conta do território. O pardal nem canta, quando muito, emite uns piados mais pra grunhidos, vez ou outra.

E assim é o pássaro maldito, Pardal.

Charminho do imprestávelEditar

 
Há pardais que amam a ponta de um galho...

O pardal além de conviver muito bem com tudo que não presta, conquista as pessoas com sua formazinha arredondada e o pescoço atarracado, que lembram aos humanos uma espécie de estátua afável de Buda, embora Sidharta tenha sido magro em toda a sua vida, mexe o pescocinho (que mal aparece) para olhar se a barra está limpa de qualquer outra espécie de pássaro, e os humanos acham essas mexidas canhestras de micro pescoço a coisinha mais kawai da face do Globo terrestre.

Outra coisa que encanta os humanos é o desdén do bicho, claro e lógico porque é de praxe nós, os humanos adorar tudo aquilo que é prejudicial e faz mal principalmente, para nós próprios, já quem ajuda e tem boa vontade só leva na bunda. Falando nisso o pardal tem a bunda cauda bem curta, os as penas do rabo curtas, digamos. Isso ajuda mais ainda a ele ser difícil de se capturar: se não gosta de ser pego pelo rabo não se sabe, mas é difícil pegá-lo pelo rabo.

 
Pardais pela boa convivência com humanos, também aprenderam, rapidamente, a arte da fofoca.

A cara deles não poderia ser de outra forma: É tipo um gavião brabo, mas claro que gavião não é tão ordinário mesmo sendo de rapina, gaviao costuma respeitar outras espécies de aves, embora como pintos, e gosto não se disute.

Essa junção de ares pretenciosamente copiados dos gaviões, mais a territorialidade dos pavões, mais o encardido dos ratos de esgoto, mais essa coisa de viver bem na poluição, tipo mariposas, é a soma que dá em pardal: o invasor imprestável.

EspéciesEditar