Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pardos

Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Pardos.

Cquote1.png Você quis dizer: Chupa saco de branquelos? Cquote2.png
Google sobre Pardos
Cquote1.png Você quis dizer: 99% dos Brasileiros Cquote2.png
Google sobre Pardos
Cquote1.png Experimente também: Sem Raça Definida Cquote2.png
Sugestão do Google para Pardos
Cquote1.png Buceta e saco marrons Cquote2.png
Diretor da Brasileirinhas sobre Brasileiros Pardos
Cquote1.png Parda delícia da porra!!! Cquote2.png
Qualquer hétero sobre Priyanka Chopra
Cquote1.png Eu não so negru, eu so moreno escuro, se eu fossi mais iscuro eu seria mulato Cquote2.png
Pardo sobre Consciência racial
Cquote1.png Hei, eu tenho sangue de branco, então eu sou branco Cquote2.png
Pardo sobre ser demitido da empresa por ser "moreno escuro"

                            "O Pardileiro, com sua pele amarela, rosto de índio misturado com negro, 
                             boca roxa ou marrom, olhos e cabelos escuros, nariz negróide, olhos indígenas,
                             rosto amassado e crânio achatado vive tentando se enganar a respeito da sua
                             própria constituição miscigenada e, por isso, acaba por negar-se a si mesmo. 
                             Termina tratando mal pessoas de pele mais escura, pois vive a patética ilusão 
                             de que é branco e não uma criatura híbrida e mutante"
                                              Barão de Gobineau Adolf Galton, 2014/7x1
                             


Como os brancos de verdade, com o saco escrotal rosado, são os donos do mundo faz 300 anos, todo pardo e gostoso e tem pau duro e molhadinho bostileiro e portuguinorante almeja se tornar branco. Contudo, o legal é ser pardo, pois as pessoas ficam olhando para sua cara tentando entender o que você é. Geralmente, na Murka, eles te jogam na categoria latino quando não conseguem identificar sua raça, que é o que acontece com 90% de bostileiros e portuguinorantes que emigram ilegalmente para lá.

Como os brownzileiros têm a pele amarela ou cor-de-papelão clara, embora nem tão clara assim, eles se consideram brancos, já que ser negro é uma coisa muito boa. Contudo, a farsa vem abaixo quando uma pardileira faz um pornozão interracial e expõe que, apesar de ter o cabelo pintado de loiro, a buceta é mais escura do que o pinto daquele que deveria ser o negro na cena.

HistóriaEditar

 
Dois brancos feios. Opa, desculpa, pardos feios

Os pardos surgiram quando um senhor de engenho branco resolveu acabar com o racismo. Sabe como? Comendo uma crioula escrava negra. Aí surgiu um ser com características negras e pele clara, agora ele pode fingir que é branco e esconder o cabelo pichaim!!! Lindo, não?  

  Hei, eu sou branco, só peguei... er... um bronzeado    
Pardo tentando fugir da senzala
  Eu não sou esta merda!    
Índio sobre pardo
Os primeiros pardos começaram sendo chamados assim pois relacionamentos interraciais ainda não eram comuns no Brasil. Existia um pequeno papel chamado "cor de diarréia", que decidiram nomear como "pardo". Quem não quisesse ser crioulo podia se chamar de pardo, ou moreno escuro. Daí, com o tempo, os negros foram libertos e, consequentemente, foram logo casar com mulheres brancas, o que gerou um monte de pardinhos com cabelo duro e boca de lata. Ao se olharem no espelho, viram que não eram marrons, e sim marrom claro, e isso pôde dar a eles motivos de serem mais brancos. E ser mais branco aumentou a auto-estima deles. Com tudo isso ocorrendo, o IBGE aproveitou e criou a categoria "pardos". Quem não fosse branco, negro ou amarelo inteligente poderia ser chamado de pardo, ou moreno-escuro/jambo/café com leite.

Pardos no BostilEditar

Hoje os pardos são 40% 85% da população brasileira (só burro para acreditar no IBGE quando o assunto é raça), apesar de terem vergonha disso e dizerem que são brancos. Por isso há uma regra: Se você é uma negra gostosa, você é parda, ou mulata. Se você é um branco feio de doer, você é pardo. Se você tem a pele escura, mas é de classe média alta ou rico, então é pardo. Se tem a pele clara, mas é pobre e lascado, é pardo também. Não vale para os amarelos, pois os japoneses gostam de estudar (apesar de que a gente sabe que a xoxota das japas é marrom, colocando-as também entre a etnia parda).

No Bostil, muita gente com olho de índio, lábio de preto e pele amarelada se declara branca para o IBGE. Mas a gente sabe que 85% da população tem no mínimo 10% de herança genética africana e indígena. Isso significa que o Bananil é um país basicamente formado por pardos de pele escura e pardos de pele clara - que são racistas com os pardos de pele escura apesar de geneticamente serem praticamente a mesma bosta.

Além disso, se a gente pegar os 15% restantes da população que não têm miscigenação recente, descobrimos que ao menos metade descendem de portugueses, italianos e espanhois, os quais são os povos mais miscigenados da Europa, sendo praticamente africanos do norte que vivem do outro lado daquele lago gigante que alguns chamam de mar (estou falando do Mediterrâneo se você, burro pra caralho, não entendeu). Basicamente, europeus do Sul são os crioulos brancos da Europa (ou white niggers). Praticamente semitas, ou nordestinos crioulos do deserto com uma renda um pouco, mas não muito, melhor do que a renda dos crioulos brancos do deserto adoradores de Allah, que vivem do outro lado do lago gigante.

Então, o que temos no Bostil são um bando de gente com os bicos das tetas marrons e a cabeça do pau e o buraco do cu escuros dizendo que são brancos porque eles acham que isso dá status (apesar de que esse bando de vira-latas de saco preto ainda vão continuar sendo pobres mesmo se o pesquisador do IBGE marcar no censo que são brancos). Aí esses pardos envergonhados entram em tudo que é fórum gringo para dizer que são diferentes dos mexicanos que pulam muros na Fatérica e que o Brasil é 47% branco e mimimimimi. Contudo, os pardileiros terminam sendo chamados de "Las Creaturas Hibridas" pelos estadunidenses e europeus rosados e ficam chorando "MAS O BRASIL É 47% BRANCO!!!"

Isso significa que a gente pode subir o número de pardos vivendo no Bananil para uns 92% da população. Os brancos sendo então nazistas poloneses e alemães que deram no pé da Europa depois de tomarem uma surra na Segunda Guerra imigraram para o Bostil em busca de uma vida pior.