Abrir menu principal

Desciclopédia β

Peida

CUIDADO!!! CONTEÚDO EXPLOSIVO!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Bombaatomica.gif


Cquote1.png A minha eu mandei transplantar para a cara Cquote2.png
Anônimo sobre peida
Cquote1.png Vai tomar na peida! Cquote2.png
Anônimo sobre comentário acima

Uma peida mutante!

A peida é o apelido carinhoso dado ao popularmente conhecido cu, também denominado ânus nos círculos intelectuais. Essa singela alcunha se deve a uma importante característica de suas funções orgânicas, que consiste em produzir elementos gasosos de alta densidade e periculosidade para os seres vivos cuja capacidade olfativa não foi ainda comprometida por ataques terroristas de natureza tão selvagem.

Alguns engenheiros militares e estrategistas da US Army atualmente consideram a peida uma arma de destruição em massa. Catalogada, nos arquivos do FBI e da Interpol, como uma arma biológica poderosíssima, o produto da peida foi banido da comunidade internacional e hoje somente pode ser encontrado em países que não assinaram o Tratado da Convenção de Quem Não Estava Com a Mão Amarela, tais como o Iraque e a Coréia do Norte, famosos por peidar na farofa. Estes países, porém, alegam que suas economias são 100% dependentes da comercialização dos subprodutos da peida, perscrutados no Cu do Mundo.

Visão BiológicaEditar

Sendo uma espécie de bazuca biológica natural, a peida dos humanos cumpre a função de afastar possíveis predadores, muito semelhante àquela que podemos associar ao odor do gambá. No entanto, a modernidade trouxe modificações drásticas na ordem da cadeia alimentar que afetaram assaz suas funcionalidades originais. Ao invés de atrair fêmeas para o acasalamento, a peida dos machos da espécie as afasta; cientistas apontam a dieta baseada em fast-food como sendo a responsável por esse nocivo desequilíbrio ambiental e comportamental.


Funcionamento da PeidaEditar

 
Uma peida soldadora de transatlânticos.

Um peida em atividade funciona através de um mecanismo muito simples. Como o coração, a peida é composta por poderosos músculos que atuam como engrenagens de um sistema essencial e praticamente infalível. A fricção constante das nádegas cagadas produz os chamados gases ignóbeis, eliminando-os no ambiente e criando uma reconfortante sensação de calor nas regiões baixas, formadas por cartilagens que são mais sensíveis ao frio.

O grau de extroversão auditiva dos detritos gasosos depende do nível de habilidade adquirida pelo agente eliminador; uma emissão mal planejada pode ter efeitos catastróficos -inclusive para a fauna e flora da região e para a camada de ozônio do planeta. Recomenda-se anos de prática, com aulas objetivas e teóricas ministradas nas salas da aula e no dia-a-dia. O tecido das roupas íntimas de cada um também pode ter uma influência conclusiva nessa questão (evite cuecas samba-canção e calcinhas comestíveis).

O produto final da peida tem uma composição química bastante conhecida, caracterizando-se pelo odor fétido de ovo podre e/ou urubu morto, além de um aroma acri-doce incomum e, em casos mais extremos, um ligeiro sabor de terra com enxofre. O gás emitido é o metano, formado por 44% de batata-doce, 36% de ovo cozido e 20% de feijoada. O gás metano é letal se aspirado em altas concentrações.


Profissionais da PeidaEditar

A peida pode ser útil para o desempenho de várias profissões imprescindíveis à sociedade, tais como:

  • Soldador de Estaleiro - a combinação de uma peida em ebulição com um frasco de desodorante spray pode ser ótima para a realização de trabalhos insalubres e perigosos em estaleiros. Além da economia ocasionada pela substituição do acetil-acetileno, a chama de solda não cega os operadores, que estão de costas para o serviço; equipamentos de segurança, nesse contexto, também se tornam descartáveis (a não ser a pomada para assaduras).
  • Ferreiro da Swat - todos sabemos que, antes de invadir o local sentando bala em todo mundo, a Swat sempre joga aquelas granadas de gás lacrimogênio para dar um migué para a imprensa. Ora, se é para detonar todo mundo sem levantar suspeitas, é melhor nem adentrar no recinto! Você, como bom provedor de gases mortais, pode muito bem se tornar o herói da corporação ao municiar seus companheiros com aquela granada produzida com o produto gasoso de um sanduíche estragado de queijo com mortadela e maionese que você comeu na noite anterior.
  • Enchedor de Bolas em Aniversário de Criança - ninguém gosta de encher bolas em festa de criança. Na verdade ninguém gosta mesmo de festa de criança, sejamos francos. Mas, como emprego está difícil, eis aí um grande negócio para os desempregados proprietários de uma peida hiper-ativa. Fazendo uso do orifício reto-furicular como provedor de conteúdo gasoso, um enchedor de bolas profissional preserva o clima de pureza no meio-ambiente infantil e evita mortes por asfixiamento de quem porventura fosse tentar encher 200 bolas de plástico com seus combalidos pulmões.
  • Travesti