Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pereira Barreto

Predefinição:Mulucos De Pereira

Município de Pereira Barreto
"Morada do Tucunaré (e um monte de japas e Maloqueiros)"
BandeiraPereirabarreto.jpg Pereira Barreto.jpg
Aniversário 11 de Agosto
Fundação 11 de Agosto de 1928
Gentílico pereira barrentense ou tucunaré
Lema tem?
Prefeito(a) Um japa qualquer
Localização
Localização de Pereira Barreto
Estado São Paulo
Mesorregião Araçatuba
Microrregião Andradina
Região metropolitana Lagoa do Tietê
Municípios limítrofes Andradina, Araçatuba, Guaraçaí, Ilha Solteira, Itapura, Mirandópolis, Santo Antônio do Aracanguá, Sud Mennucci e Suzanápolis
Distância até a capital 20.000.000.000... km
Características geográficas
Área vinte e tantos mil km²
População vinte e tantas mil pessoas (80% japonesas), milhares de tucunarés e milhões de litros d'água como hab. est. 1806
Idioma Não disponível
Densidade vinte e tantos hab./km²
Altitude 02 metros
Clima Bucetal (quente e úmido)
Fuso horário UTC -3
Indicadores
IDH -0,848 PNUD/2050
PIB R$ 13.666.666.666,00 IBGE/1890
PIB per capita R$ 13.666,66 IBGE/1890


Cquote1.png Você quis dizer: monte d'água? Cquote2.png
Google sobre Pereira Barreto
Cquote1.png Você quis dizer: enchente? Cquote2.png
Google sobre Pereira Barreto
Cquote1.png Você quis dizer: acre alagado? Cquote2.png
Google sobre Pereira Barreto
Cquote1.png MS a 20 km, MG a 50 km, São Paulo a trocentos km Cquote2.png
placa sobre localização de Pereira Barretos
Cquote1.png Tem tanta água que parece o Amazonas mesmo! Cquote2.png
Tucunaré sobre o lago de Pereira Barreto
Cquote1.png Pereira Barreto é o retrato do mundo: 70% de água... Cquote2.png
Eu sobre Pereira Barreto
Cquote1.png Melhor ser de Pereira Barreto do que de Barra Bonita Cquote2.png
Pereirabarrentese sobre morar em Pereira Barreto
Cquote1.png §#%§#ª!! Cquote2.png
itapurense sobre o Pereira Barreto e Barra Bonita
Cquote1.png No lago fundo, bem prá lá do fim do mundo... Cquote2.png
cantô sobre Pereira Barreto
Cquote1.png Na União Soviética, a CESP inunda VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Pereira Barreto
Cquote1.png Alagaada! Inundaaada! Cidade Alagaaada! Cquote2.png
Kassab, se sentando sobre o próprio rabo sobre Pereira Barreto.


Pereira Barreto é uma localidade situada no mais longínquo(e bota longe nisso) interior do Estado de São Paulo, a menos de cinquenta quilômetros do Mato Grosso do Sul, menos de cem quilômetros de Minas Gerais e muito, mas muito longe da capital paulista, que fica a muitas horas de carro (se forem respeitados os limites de velocidade e não ocorrer uma diarréia no meio do caminho) ou a uma noite varada no ônibus de distância da capital.

Foi fundada no Japão por japoneses às margens do rio Tietê (praticamente dentro do rio hoje em dia), no lago de Três Irmãos, acabando por se tornar a única povoação capital da maior ilha fluvial do estado até mesmo maior que a Ilha Solteira por causa da criação do dito valetão segundo-maior-canal-fluvial-do-mundo.

Pessoal da cidade indo trabalhar

É conhecida como Veneza Paulista devido à iminência de uma inundação total. Há alguns anos um concurso elegeu o mote "Morada do Tucunaré" como o slogan da cidade, por causa da importação e adaptação do peixe amazônico pela CESP como tentativa de reparar os imensos danos ambientais (e não-ambientais também) que causou. E a Ana Maria do Vodol morou em Pereira Barreto.

Índice

Poema localEditar

Este é um poema que traduz muito bem a cidade:

Pereira Barreto
Cidade do meu coração
Pedestre na rua
Bicicleta na contra-mão

Pereira Barreto
Quem te viu, quem te vê
Tá cheio de mano
De bonezinho de crochê

FIM.Editar

O municípioEditar

Pereira Barreto, inicialmente chamada de Novo Japão foi emancipada municipalmente nos idos de 1938 e foi durante muito tempo a maior fazenda o maior município em extensão do estado (a cidade é pequena, mas sempre quer ser a maior em alguma coisa, repararam?).

O comando do MST, que não poderia começar a montar acampamentos em um município qualquer, quis justamente o maior deles. No entanto, não encontraram aqui muitas terras ocupáveis, ao contrário de Teodoro Sampaio e no começo dos anos 90, seus lobistas infiltrados na Assembléia Legislativa de São Paulo começaram a ação que resultou no evento conhecido como Cissão do Noroeste.

A tal cissão retalhou e desfigurou os amplos campos pereirabarretenses para a criação dos municípios de Sud Menucci, Ilha Solteira, Suzanápolis, Aparecida d'Oeste e, por incrível que pareça, Itapura. A navalha ingrata deixou pelo menos que a área da Veneza Paulista ainda abrangesse os dois lados do Rio Tietê e lhe manteve o posto de comarca também.

Ingratas, as cidades emancipadas nessa leva não quiseram carregar nem o pó de Pereira Barreto. Toda areia devolvida em memorandos nessa época foi postada às margens doTietê onde antes funcionava a Ponte Velha. Os moradores locais logo consideraram o local como uma praia, o que foi muito conveniente para a Prefeitura.

Fatos recentesEditar

O velho jargão de "descer a Paraíba de pé pra baixo" não pode mais ser usado na cidade.

Após ordem da Prefeitura no final de 2007 a porta do cemitério mudou de lugar. Ela ficava defronte à porta da Igreja Matriz, a quatro ou cinco quarteirões de distância pelo caminho da rua Paraíba. Isso trazia não só mau agouro mas um péssimo agouro ao município. Em uma cidade em que até a caixa d'água já pegou fogo, nada é demais para espantar a urucubaca.

Nesta mesma época e nesse mesmo cemitério, alguma mente iluminada teve a brilhante ideia de fazer uma releitura da travessia do Mar Vermelho por Moisés. Mas não bastava atravessar pelo meio da água, tinha que ser o rio Tietê e tinha que ser sob a famosa Ponte Velha. Ou seja, os desafortunados que passam pela avenida Dom Pedro II, rua do cemitério pereirense, tem o desprazer de por os olhos na pintura de um grupo de pessoas atravessando "a pé enxuto" um Tietê aberto por uma contraparte de Moisés que teve a pachorra de abrir este caminho sob a ponte. Afinal, pra que uma ponte se a gente pode cruzar o rio por terra seca por baixo dela?

NOVIDADE

Aqueles filhos-de-puta de Mirandópolis estão querendo abocanhar uma parte do território a margem direita do Tietê, pois segundo alegações da administração de Miseropólis/Mirandopólis, os moradores dos assentamentos ali instalados estariam recebendo apoio da prefeitura da cidade.

A coisa é tão grave que já teve até discurso na camara municipal de Pereira:

 NOTÍCIAS - NA CIDADE: SAKAUÊ AFIRMA QUE TERRITÓRIO DE PEREIRA BARRETO É SOBERANO
O presidente da Câmara Municipal de Pereira Barreto, Edson Sakauê, manifestou sua posição quanto à possibilidade de
Mirandópolis pretender anexar território que pertence à Pereira Barreto, localizado à margem esquerda do    
rio Tietê, por estar atendendo moradores de assentamentos localizados em área pereirabarretense.
Sakauê discursou no pequeno expediente da última sessão legislativa, ocorrida na segunda-feira, afirmando que a pretensão   
mirandopolense vai encontrar resistência por parte dele, dos vereadores e da população em geral, uma vez que o município vem 
perdendo áreas territoriais pelo surgimento de outros municípios, como Itapura, Sud Mennucci, Aparecida D’Oeste, e, mais 
recentemente, Ilha Solteira e Suzanápolis, além do território que foi inundado pela formação do lago da UHE de Três Irmãos. 
Em seu discurso, Edson Sakauê afirmou que o atendimento aos pereirabarretenses está sendo feito apenas pelo desejo do prefeito 
Zé Antônio, já que a administração de Pereira Barreto disponibiliza transporte aos assentados.  
Assim, os interesses de Mirandópolis devem, sim, ser questionados por Pereira Barreto, que precisa 
defender seu território e seus interesses econômicos.
Para Sakauê, o território de Pereira Barreto é soberano, e é também a casa dos pereirabarretenses. Ao finalizar 
seu discurso, Sakauê afirmou que “existem interessados em desestabilizar Pereira Barreto política e economicamente”, 
fazendo alusão aos prejuízos que uma eventual divisão territorial de Pereira Barreto pelo rio Tietê provocaria.
O presidente do Legislativo afirmou ainda, que o prefeito Arnaldo Enomoto deve dar uma resposta enérgica e firme na defesa dos 
interesses pereirabarretenses.
Data: 10/07
Fonte: Diário Regional - Autor: pereirabarretosp.com

Só faltava essa, o Municipal daqui a uns dias não vai ter nem espaço para realizar a tradicional F.I.AP..


Pereira Barreto é a única aldeia de índios onde eles trabalhou anos e anos pescando tucunaré pra compra um camaro pro "cacique" conhecido também como pastor, vermelho o pastor não aceitou pois representava a cor do diabo então ele nego o presente aos índios barretenses, os índios magoados decidiu pintar a cor do camaro de branco pra representa a paz e dar ao padre e até hoje eles pesca milhões e milhões de tucunaré pra pagar o seguro do camaro.

O Rio TietêEditar

 
foto aérea de Pereira Barreto
 
outra foto aérea de Pereira Barreto (só que com um pouco mais de zoom)

Diz-se que é possível nadar no rio Tietê em Pereira Barreto, no entanto ,não é aconselhável tentar. Desde os anos 90, a cidade conta com os serviços de uma legítima Praia Municipal que tem até areia. O requerimento com o pedido de ondas encontra-se perdido nos arquivos da Secretaria Estadual de Praias Municipais, na capital. Também é bom lembrar que ao mergulhar na prainha, a pessoa se enrrosca em varias plantas aquaticas, que a anos é motivo de frustação da população.

BaladasEditar

São sem número as opções de lazer na cidade, reconhecida regionalmente e galáticamente como um polo de entretenimento, diversão e pegação. Pode-se ir a Praça da Bandeira (incrivelmente, até 2006 não tinha bandeira alguma na Praça da Bandeira)

O CAP é um clube famoso de outros carnavais e já foi palco do início de muitos e longos casos de amor interiorano. A nostalgia impera. Diz-se também que foi palco do fim de muitos mais longos casos de amor interiorano. Era escuro, acontecia muito do sujeito trocar de namorada sem nem perceber, não é mesmo? Ora, o CAP é reconhecido também como palco onde muitos pereirenses foram concebidos, mas isso não é confirmado cientificamente - e os envolvidos vão negar até a morte.

Recentemente, após a abdicação depois de centenas de anos de mandado do xeique Mohamed da presidência do CAP - no que foi considerada a vanguarda das revoltas no mundo árabe pela derrubada de ditadores longevos - o clube entrou em um período de recessão e abandono quando quase chegou a ser ocupado por sem-tetos e ficou próximo de ser interditado por abrigar criadouros de dengue. No entanto, atualmente, vive um renascimento dando lugar a diversos eventos de bandas genéricas de sertanejo universitário com bastante frequência e público.


Outras prazeirosas opções são a padaria Du Caro, o lugar onde é aplicado o reajuste no preço da Coca-cola em primeiro lugar. Há ainda a pracinha do abacaxi, devido ao peculiar formato da fonte ali construída e já destruída, desconhecida formalmente como Praça Carlos Kato. As barraquinhas de cachorro-quente extaíram todo o dinheiro da população circundante e mudaram-se dali. Uma atração muito requisitada é o Boteco do (finado) Fuinha (conhecido popularmente por Fua's Snooker Cassino Motel Bar) no trevo da avenida Brasil, em matérias gastronômicas encontramos o restaurante Xálome uma churrascaria completa com carnes de calango, anta, tiú, pombo, pardal, gato, cachorro, urubu e demais carnes nobres, nas proximidades do jardim aeroporto existe a Méry Lanches, com diversos tipos de lanches com a especialidade na X-oxota muito consumida no local, próximo a Praça da Bandeira (sem bandeira)temos a Do Chopp que nunca tem chopp gelado.

Se por acaso você passar pela cidade nos dias de sábado, encontrará um certo movimento em um tal de Festeiros Bar, próximo à Praça da Bandeira. Lá é possível encontrar gente de tudo quanto é jeito e tudo quanto é planeta. Nos dias de eventos especiais na cidade, como festas ou feriados, a multidão toma as calçadas, as ruas, as casas da vizinhança, os bueiros, os canteiros, os carros e, claro, a multidão toma muita cerveja também.

Por último e não menos importante, há numerosas e aprazíveis coisas que atendem pelo pretenso nome de barraquinhas de praia instaladas na praia Pôr-do-Sol.