Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pet Sematary

Buddy Guy com tres na cama.jpg

Carlos Santana deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.


A música fez tanto sucesso que agradou até crianças

Pet Sematary, mais conhecida como a música do filme Cemitério Maldito, foi o principal sucesso do álbum Brain Drain, lançado pela banda Ramones em 1989. Aliás, esse foi o único sucesso que a banda fez em todos os seus 24 anos de carreira, o que explica o fato da canção ser renegada por seus fãs mais ardorosos, que a veem como uma traição ao movimento punk.

Cquote1.png Punk de verdade não se vende ao sistema! Cquote2.png
João Gordo

Índice

HistóriaEditar

 
Depois de sair da banda, Dee Dee tentou de tudo, até ser humorista.

A música foi composta pelo baixinho baixista Dee Dee Ramone, o principal letrista da banda, e mais uma penca de amigos que não faziam parte dela (na época, as relações entre os integrantes estavam abaladas e eles só se reuniam para o estritamente necessário). Com ela, eles queriam ganhar um espaço no mundo da fama, mas só o que conseguiram foi uns minutos na MTV e chegar ao 42º lugar das paradas de 1989. Como esse resultado era o melhor que eles tinham conseguido, resolveram ficar curtindo seu sucesso numa boa.

No entanto, para Dee Dee o relativamente estrondoso sucesso foi devastador. Como todo músico que se torna subitamente popular, ele foi investir em sua carreira solo, largando a banda para cair de cabeça no rap. Infelizmente, seu novo estilo foi um fracasso total, fazendo com que ele desistisse definitivamente de tentar cantar imitando preto e se dedicasse à coisa que melhor sabia fazer: viajar. Afinal, o espaço aberto que havia deixado para trás já havia sido preenchido pelo instrumento do novo e jovem baixista, C. J. Ramone.

LetraEditar

Under the arc of a weather stain boards
Ancient goblins, and warlords
Come out of the ground, not making a sound
The smell of death is all around
And the night when the cold wind blows, no one cares, nobody knows

REFRÃO
I don't want to be buried in a Pet Sematary
I don't want to live my life again

Follow Victor to the sacred place
This ain't a dream, I can't escape
Molars and fangs, the clicking of bones
Spirits moaning among the tombstones
And the night, when the moon is bright
Someone cries, something ain't right

REFRÃO

The moon is full, the air is still
All of a sudden I feel a chill
Victor is grinning, flesh rotting away
Skeletons dance, I curse this day
And the night when the wolves cry out
Listen close and you can hear me shout

REFRÃO

Versão traduzida pelo GoogleEditar

Debaixo do arco em que o Einstein anda de prancha
Tem goblins antigos e os senhores da guerra
Sai do chão, não fazendo um som
O cheiro de morte está em toda parte
E à noite quando um vento quente sopra na nuca, ninguém sabe, ninguém viu

REFRÃO:
Eu não quero ser enterrado como um bichinho de pelúcia
Eu não quero viver minha vida novamente

Siga Victor para o lugar sagrado
Este não é um sonho, eu não posso escapar
Molares e presas, o estalar dos ossos
Espíritos gemendo entre os túmulos
E à noite, quando a lua é brilhante
Alguém chora, algo não está bem

REFRÃO

A lua está cheia, o ar é ainda (WTF??)
De repente eu sinto um friozinho
Victor está apodrecendo, a carne está sorrindo
O Esqueleto dança, eu faço um curso neste dia
E à noite quando os lobos choram para fora
Ouça próximo e você pode me ouvir gritar

REFRÃO 42x

Bônus especial! Pet Sematary cantada por Joel Santana!Editar

 
  Ramones gudi bende! Pete Cemetéri gudi míusique!  

Ander de arqui ovauéder istêin bouds
Êncen góblis en uarlórs
Comau degrau ná meiquinhassau
Desmelodé isolarau
Endenái uen de colde uinde blous
No om quer nobadi nous

REFRÃO:
A dom uana bi béri inapéti Cimitéri
A dom uana live mai laifaguém

Fólou Vitor tu de seicrei pleice
Dissenhadrim, ai quente isqueipe
Molas enfengues, de cliquim o bones
Espíritos mounim amom de tumbstones
Endenáite, uen de mum is braite
Somom crais somessim eint raite

REFRÃO

Demunisful, dieristiu
Olovasâdem ai fiu a til
Vitor is grinim, frechis rótim auei
Esqueletos dance, ai carse dis dei
Endenáite uen de uves crai aute
Lissem crose end iu quem rir mi chaute

REFRÃO