Pittsburgh Steelers


Cquote1.svg Quem tem mais tem seis Cquote2.svg
Um torcedor do Steelers sobre qualquer coisa
Cquote1.svg Mas o Patriots também tem seis... Cquote2.svg
Uma pessoa normal sobre o Steelers não ser o único time com seis anéis
Cquote1.svg Foda-se, os deles foram na trapaça Cquote2.svg
O torcedor do Steelers sobre toda vez que alquém lembra que o Steelers não é o único time com seis anéis
Cquote1.svg I miss when they played STEELER FOOTBALL Cquote2.svg
Torcedor de 60 anos do Pittsburgh Steelers se lamentando, porque não deixam mais a defesa tentar matar os adversários
Cquote1.svg Copiamos eles, mas somos melhores Cquote2.svg
Huachipato sobre Pittsburgh Steelers

Pittsburgh Steelers
Pittsburgh Steelers logo
Conferência AFC
Divisão Paraense
Fundado 1933
História Pittsburgh Pirates (1933-1939)
Pittsburgh Steelers (1940–1942 e 1945-atualidade, eles eram indecisos pra caralho)
"Steagles" e "Card-Pitt" (WTF??)
Arena Estádio Ketchup
Cidade Pitsburgo, Transilvânia
Cores do time Preto e ouro que vale mais do que dinheiro
Dono(s) Família Rooney
Técnico Fábio Tomlin
Campeonatos Quem tem mais tem 6
Títulos de Conferência 8
Títulos de Divisão 24
Números retirados Um bando de velho

Pittsburgh Steelers é o time dos metalúrgicos da NFL, conhecido pela torcida terceirizada espalhada por todo o país, vestir preto, contar com uma defesa fechada e ataque preguiçoso e jurarem que são os maiores campeões da categoria. Ou seja, é a versão estadunidense do Corinthians.

HistóriaEditar

Primeiros anosEditar

 
Um torcedor fiel dos Steelers

N-A-D-A, absolutamente nada. O Pittsburgh Steelers foi fundado em 1933 e passou seus primeiros 40 anos de vida sem nada ganhar, muito a exemplo do outro time da cidade, o não mais humilde Pittsburgh Pirates que aliás, emprestou seu nome ao Steelers na primeira década de existência deles, mas voltaram atrás em 1939 quando viram que aquilo tava pegando muito mal, para ambos os lados. Os maiores "destaques" dos torneiros-mecânicos nesse período foram 1 mísera aparição em jogo de playoff (que eles perderam humilhantemente, é claro) e ter contratado um zé ninguém que, claro, fugiu do time e acabou virando integrante da Suprema Corte dos EUA, pra se ver que naquela época já viam que passar em concurso público compensaria muito mais que jogar em times fracassados.

A era Steel CurtainEditar

A sorte começou a mudar em Pittsburgh em 1970, quando a NFL, em uma jogada digna de Palpatine absorveu a concorrente AFL, ganhando 10 times, e territórios, de uma só vez. E ajudando nesse plano de dominação continental entra o Steelers, que não era da AFL mas aceitou se juntar aos recém-chegados; de olho na graninha que a liga empurrou de incentivo, mas também pois cairiam numa conferência com rivais semi-amadores, o que finalmente aumentaria as chances de Pittsburgh de sair do buraco total.

E assim foi feito: a direção do Steelers pegou o jabá extra e resolveu investir tudo em defesa, empregando os zagueiros mais brutos, desdentados, delinquentes, homicidas que puderam encontrar, e nisso o time saiu do mais absoluto limbo para incríveis 4 títulos de Super Bowl (sendo o primeiro conquistado após uma cagada monstruosa na final da AFC, onde aconteceu um pinball no meio do jogo, a bola milagrosamente caiu nas mãos de um jogador dos Steelers e os árbitros não fizeram a menor ideia do que marcar, então ficou como TD), sempre batendo no freguês Dallas Cowboys. O que era uma baita proeza, já que o quarterback do time era um horroroso com 51% de completação de passes, ou seja, perdia a bola tanto quanto conseguia avançá-la, levando as defesas a terem que praticar terrorismo com os rivais pra compensar pelas cagadas do capitão. E assim o setor defensivo levou o apelido de Cortina de Aço, pois treinavam enfiando a cabeça em metal, o que explica os jogadores amargando o resto da vida com sérios problemas de dodói no cérebro após a aposentadoria.

TorcidaEditar

Com a falência da indústria siderúrgica em Pittsburgh devido ao avanço do capitalismo selvagem, ocorreu uma diáspora de pitsburguenses pelos EUA, e somando-se a isso os sucessos do time nos anos 70, os Steelers ganharam uma torcida espalhada por todo o país. O que a torna uma das fanbases mais variadas com todo tipo de gente, incluindo bêbados, rednecks, racistas, delinquentes, republicanos e até mesmo alguns democratas. Com isso formaram-se pelas cidades americanas vários "Steelers Bars", de onde recomenda-se passar longe às quintas, domingos e segundas-feiras à noite, por sua conta e risco. Outra ocorrência é a de jogos de times sem expressão como Chargers e Jaguars, onde a torcida visitante supera muito em número a do time mandante, com aumento da criminalidade local, pro azar dos moradores da região.

ÍconesEditar

Os ídolos do Steelers basicamente se dividem em duas épocas: os da década de 70 e os do século 21. Qualquer coisa entre 1980 e 2000 é ignorada pela torcida local, incluindo o Super Bowl em que chegaram, mas perderam para o Cowboys.

No primeiro grupo, estão:

  • Terry Bradshaw: Um Mark Sanchez com quatro anéis obtidos graças à defesa. E ainda foi o primeiro QB minimamente decente que o Steelers teve na vida
  • Mean Joe Greene: O cara era tão brabo que o nome dele era Brabo. Sério
  • Lynn Swann: O primeiro jogador a entrar no Hall da Fama por ter ganhado muitos títulos em um curto período de tempo, já que ele nunca foi sequer o melhor WR do time.

No segundo grupo, estão:

  • Troy Polamalu
  • Jerome Bettis, apelidado de Busão por trabalhar de motorista de ônibus quando não tinha jogo
  • Hines Ward, considerado o melhor WR bloqueador da liga porque ele era extremamente sujo bloqueando os DBs adversários
  • Antonio Brown, antes de ficar louco. Basicamente o único WR decente depois de Hines Ward.
  • Arbitragem, os árbitro também são um dos maiores ídolos da história moderna dos Steelers, dando para o time 2 Super Bowl roubados em 2005 contra os Eagles, e em 2009 contra os Cardinals.
v d e h