Abrir menu principal

Desciclopédia β

Pracuúba

Cquote1.png Você quis dizer: Cu do Estado do Amapá? Cquote2.png
Google sobre Pracuúba
Cquote1.png Experimente também: Toba Cquote2.png
Sugestão do Google para Pracuúba
Cquote1.png "Pracuúba tem cu" tem 13 letras! Cquote2.png
Zagallo sobre Pracuúba
Cquote1.png Por isso que lá fede de vez em quando! Cquote2.png
Turista sobre Pracuúba

Município de PraCUúba
"A Cidade do CU"
Aniversário 1 de maio
Fundação 1 de maio de 1992
Gentílico cuzão
Lema Nos menores frascos estão os maiores perfumes (ou não)
Localização
Localização de PraCUúba
Estado link={{{3}}} Amapá
Mesorregião Guiana Francesa do Amapá
Microrregião Amapá WannaBe Capital
Municípios limítrofes Calçoene, Amapá, Ferreira Gomes, Serra do Navio, Tartarugalzinho
Distância até a capital 1m km
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma Tupi-guarani
Clima clima equatorial

Pracuúba (ou PraCUúba, PraTOBAúba, PraÂNUSúba e outros tantos nomes com conotações anais e totalmente sujas) é o nome de (mais um) dos dezesseis (sim, SÓ desesseis, morra de inveja Minas Gerais) municípios amapaenses. Localizado quase no meio do mapa do Estado, é tão esquecido quanto Vitória do Jarí (se é possível que exista município tão esquecido quanto Vitória), mas disputando com ela a vaga de população mais pobre e insatisfeita com o seu governo. Vive o auge (?) de sua ocupação atualmente, contando com quase (sim, eu disse QUASE) 3.000 moradores (WTF? Tão pouquinho assim?) espalhados por um local quase tão enorme quando o município de Porto Grande (que, sem nem precisar contar, percebe-se que é maior em quantidade de habitantes do que Pracuúba).

Pracuúba continua como um município do estado que não tem bandeira e nem brasão conhecidos. Ela tem um hino (pelo menos isso), que não diz nada com coisa alguma.

Índice

HistóriaEditar

Pracuúba, ao contrário de muitos outros municípios do Estado do Amapá, que já não são muitos (por serem só 16), não tem nenhuma história incrível sobre a sua criação, edificação e planos para o futuro, já que está na mesma coisa desde 1900 e guaraná com rolha, quando foi inaugurada alcançado o seu nível de município, aliás, isso foi algo que nem sequer representou uma grande mudança naquelas bandas. Antigamente, PraCUúba não tinha ouro em seu solo (e hoje tem muito menos), para que fosse cobiçada por outros países (como Calçoene o foi, que até virou domínio Francês); não teve nenhum herói de araque, como Macapá, que teve Cabralzinho; Não tem ponto turístico como a capital do Estado, que é cortada pela Linha do Equador, e nem alguma coisa grandiosa, que lhe chame atenção para um grande polo de turismo de selva ou algo do tipo (já que a maior parte de sua vegetação é de cerrado, o que impossibilita isso). Bom, mas pelo menos ela segue feliz (ou não), como o município que mais não tem nada de interessante de todo o Estado (que em sí próprio já não é nenhum pouco legal e atrativo).

Para completar ainda mais a sua insignificância com relação a todo o já insignificante Estado do Extremo Norte do País, no passado PraTOBAúba era uma parte do município de Amapá (vulgo Bufalolândia, pelo sua quantidade de cabeças de búfalos ultrapassar a de cabeças de moradores humanos). Porém, o desinteresse do município foi tanto pelo pedacinho de chão que é Pracuúba que ele achou melhor que o local deixasse de ser de seus domínios e fosse jogado para qualquer um que realmente quisesse tomar posse daquelas terras, que em nada colaboravam para o crescimento do município, nem mesmo servindo como campos para a criação de búfalos do mesmo, já que boa parte do local é alagada periodicamente pelos rios que lá correm, juntando peixes de todos os tipos, mas o que pouco importava para o Amapá, que via na criação bubalina a sua chance de crescer no mundo (e ainda continua acreditando nisso, apesar de já se ter passado mais de oito mil anos e eles continuarem na mesma merda de sempre e até pior do que Pracuúba). E assim, finalmente, surgiu o município em questão.

GeografiaEditar

 
Típica casa de um pracuúbense. A próxima casa só daqui a alguns quilômetros metros.

Localizado expremida entre a sua ex-metrópole Amapá, além de fazer fronteira com a Tartaruga pequena, o Gomes Ferragens e o único município que tem praia, PraÂNUSúba fica no centro-leste do estado do Amapá (mais no centro do que no leste - ou não). Como ja dito acima (o que não custa repetir, mas somente para o artigo ficar um pouco maior) tem quase 3.000 habitantes, que pode construir o seu próprio Maracanã no quintal de casa, haja visto que a densidade demográfica do local é quase a maior do estado, com meio habitante por quilômetro quadrado (mas, mesmo assim, o pessoal insiste em se apertar na capital). Com vários campos de vastos rios e lagos, o local é um grande polo pesqueiro, pelo óbvio, o peixe vive em água (ORLY?). Sendo esse o seu maior meio de sobrevivência dos moradores no local (ainda bem, pelo menos eles tem algum meio de sobreviver naquele localzinho afinal, pior seria se eles vivessem na pindaíba).

Além disso, os poucos pontos não (muito) alagadiços do local também são usados para a criação bovina dos Fazendeiros da região (ou você pensava que era pobre que tinha criação de animais desse porte?), haja visto que o Amapá pode ter se afastado de Pracuúba, mas o contrário não é recíproco, mantendo a sua ligação íntima com os animais de chifres que os ex-moradores do antigo "Amapá-Pracuúba" possuiam também (quase uma zoofilia com os ruminantes). Mesmo assim, o local ainda tem a sua exclusividade com os animais que vivem nos rios, que eles preferem chamar isso de pesca artesanal (para não chamar de depredação da fauna). Outros tipos de economias provem do desmatamento de madeira nobres (mas tudo licenciado pelo IBAMA - ou não) para a fabricação de móveis e outras coisas que se pode construir com madeira, como casinhas na árvore, pernas-de-pau ou mesmo bonecos de madeira (quanta utilidade para a nossa flora, não?). E assim Pracuúba segue sua vida.

TransportesEditar

A estrada para Pracuúba pelo menos é mais pavimentada do que para o Oiapoque. Mesmo assim, ela ainda é um dos últimos municípios a ser escolhido como destino de um turista.

TurismoEditar

 
O Lago Pracuúba, única beleza ainda discutível do município (e onde ocorre todo o turismo dele também).

Pracuúba é um lugar tão inóspito no Estado do Amapá que nem divertimento noturno o local tem (nem mesmo um pequeno e velho Puteiro você encontra, para as diversões mais calientes dos adultos pervertidos). Fora isso, o que podemos dizer que é um bom lazer por ali é:

  • Pesca Esportiva: Sabe aqueles programas do SBT, que passam de manhã cedo, e que ninguém vê, mas falam de pessoas pescando peixes do tamanho de um ser humano e jogando de volta no rio, ao invés de levar para casa e fazer aquela festa no domingo? Poisé, a pesca esportiva (o nome do negócio) é um das mais cobiçadas diversões de Pracuúba. Imagine você, no meio de um rio, segurando uma vara (mas de pescar - ou não) e esperando que, algum dia, um peixe venha e fisgue a sua isca. Isso deve ser realmente divertido;
  • Observação de Pássaros: Mais um "esporte" para aqueles que não tem o que fazer e vão para Pracuúba fazer algo pior do que ficar em casa e ver o Faustão, observar pássaros. Não que as de Pracuúba sejam diferentes das de outros locais (como terem mais penas, duas cabeças ou não botarem ovos), mas para quem não tem o que fazer na vida, taí uma boa escolha para não se perder a tragédia viajem ao local.