Abrir menu principal

Desciclopédia β

Presidente Figueiredo

Presidente Figueiredo é um distante bairro de Manaus, ex-distrito de Novo Airão, uma pequena e pacata aldeia indígena (o que existe na Amazônia) de não mais que uns 33.000 habitantes na selva. Deu muita sorte de não pertencer à Roraima, que fica logo ali, sendo com orgulho uma cidade amazonense, o estado menos pior da Região Norte.

Índice

HistóriaEditar

Ninguém sabe quando exatamente Presidente Figueiredo surgiu, até porque uma "cidade" no meio do nada na selva não faz muito sentido de existir, cogita-se porém que este núcleo urbano surge em algum momento do século XVIII (trabalho de historiador é mesmo moleza heim, só chutar qualquer século) quando ávidos seringueiros, desejando mais privacidade na hora de realizar a sagrada arte de tirar leite do pau, decidiram sumir no meio da floresta para nunca mais serem achados na BR-174.

Quanto ao nome da cidade, batizada de Presidente Figueiredo, muitos se enganariam achando ser uma homenagem ao bem apessoado presidente João Figueiredo, mas nenhum militar teria o mal gosto de construir uma cidade daquelas e muito menos ser homenageado por isto, sendo o nome da cidade na verdade uma homenagem a Joca Figueiredo, o Matador de Aranhas, primeiro presidente da República Separatista do Acre em 1852, e que levava essa alcunha por não perdoar as putas de nenhuma cidade do Amazonas a qual visitou durante sua campanha expedicionária, daí o nome "matador de aranhas", já que a tecnologia da gilete chegaria em Manaus só no século XXI.

A independência desse pequeno resort mal feito na selva só foi ocorrer em 1985, quando a tecnologia do telégrafo chegou no local e assim pode ser expedido a separação de sua antiga sede Novo Airão. Atualmente a cidade serve de quintal dos manauaras.

GeografiaEditar

 
População de Manaus, já não bastou cagarem todo o Encontro das Águas, todo abril visitam Presidente Figueiredo para depredar mais patrimônio natural.

Ao contrário do que se poderia esperar, Presidente Figueiredo não está nas margens do rio Negro, onde se esperaria estar mais uma cidade ribeirinha, está mesmo é lá no meio da selva, e depois se ofendem se os chamarem todos de indígenas.

O município destaca-se por ter em seu território um brejo gigantesco chamado Reserva Biológica Tua Mãe, que recebeu esse nome em homenagem aos peixe-boi encontrados aos montes na região. É um polo turístico relativamente movimentado, muita gente gosta de visitar essa região para serem picados por mosquitos e fazer porra nenhuma nas lagoas geladas da região.

PolíticaEditar

O que se esperar da política de um município no meio do nada que ninguém liga? Só pilantragem e mutretagem. Se um prefeito consegue encerrar seu mandato sem ser cassado em 4 anos já parece que é muito. Como ninguém se importa com essa cidade, e aparentemente nem os próprios cidadãos que continuam votando em corja de safados, é normal e até socialmente aceito que políticos roubem por ali.

TransportesEditar

Para chegar em Presidente Figueiredo só pagando uma penitência e se redimindo de seus pecados na BR-174, a estradinha que liga Manaus a Boa Vista. Caso você não morra, pode continuar seu rally nas ruelas de Presidente Figueiredo, pois a estrada é justamente um teste para comprovar que seu carro consegue sobreviver nessa cidade, que aliás é a única cidade do Brasil que reaproveita ônibus escolares para servir de frete de galões de diesel.

TurismoEditar

Teoricamente é uma cidade turística do Amazonas, embora ninguém conheça, então as suas supostamente belas cachoeiras e piscinas naturais são visitadas apenas por manauaras, que insistem que Manaus não é uma floresta amazônica como todo o resto do Brasil afirma e que eles precisam ir para a cidade vizinha quando desejam visitar a tal floresta. A Lagoa Azul é a mais visitada, considerada a única lagoa realmente azul do mundo, parece até que é tinta. Presidente Figueiredo tornou-se um bom destino para putas, quando Anitta casou-se ali, e foi até abençoada por um pajé, que clichê na Amazônia.

Agora para o turista que não se importa com belezas naturais, ele deve esperar todo final de abril para ir curtir a Festa do Cupuaçu em Presidente Figueiredo, quando por três dias a cidade se torna o inferninho da Amazônia. Mundice de todos os cantos da Amazônia ali se reúnem para prática de dança do acasalamento e destruição da paisagem florestal.