Abrir menu principal

Desciclopédia β

Primeira Cruz

Primeira Cruz é mais uma cidadezinha pacata do Maranhão, situada na região Norte do mesmo. Foi fundada em meados de 1900 e guaraná com rolha, e hoje estima-se que sua população seja cerca de 300 pessoas.

Índice

HistóriaEditar

 
Uma das avenidas mais movimentadas dessa cidade - cairia bem para um cenário do Left 4 Dead.

Um fim de mundo desse não tem história nenhuma. Algum Zé-Mané chegou lá com sua família e chamou outros amigos zé-manés para habitar este município, que hoje é habitado por cerca de trezentas pessoas (contando com os cachorros, gatos e papagaios). É mais um município dominado pela Família Sarney, e lá os habitantes ficarão presos para o resto da vida, pois, a segurança na fronteira com a Casa do Caralho é bastante reforçada, para evitar tentativas de fuga, e quem ousar sair dessa cidadezinha vai tomar flechada nas costas tiro de Carabina. O Sarney não quer perder eleitores!

EconomiaEditar

Exportação de Maconha. Lá em Primeira Cruz há muitas plantações de Maconha pelas ruas, pois, como é uma cidadezinha esquecida no meio do nada e com sabor de chocolate, não tem lei nenhuma, então, se você for um traficante de área urbana frustrado porque está vendendo pouco, vá para Primeira Cruz!

SaúdeEditar

Baixíssississima. Lá até existe posto de saúde, mas as enfermeiras estão sempre dando um tapa na pantera e nunca te atendem. E como muita gente anda dando um tapa na pantera o dia inteiro, se tiver uma overdose, se fodeu. A não ser que vá de canoa para São Luís e espere a fila no hospital. Até lá, é melhor já ir preparando o caixão.

GastronomiaEditar

Um prato típico dessa cidade é o Bolo de Haxixe, apreciado por muitos turistas, como foi citado acima.

LazerEditar

Altíssima. Desde pequenos, os moleques dessa cidade já dão o tapa pela primeira vez e viciam, e se divertem muuuuito. A diversão só acaba quando os pais vão exportar e a erva acaba.

TurismoEditar

Alto. Primeira Cruz é muito visitada por gringos e por pessoas do Brasil inteiro, que vão lá pra comprar a Erva sagrada, é claro, e também para apreciar um prato típico da região, o Bolo de Haxixe. Só que quem chega lá acaba ficando por lá mesmo e não sai nunca mais.