Abrir menu principal

Desciclopédia β

Prometheus (filme)

Prometheus deveria ser chamado de Parto do Alien... Tá bom, tá bom, deveria ser chamado de Alien - A Origem (blé, blé, blé), mas se trata mesmo da concepção e parto do Alien, que pode-se perceber que já nasceu invocadinho daquele jeito e querendo ver sangue porque nem mamar ao nascer o coitado pode, pois quem lhe deu à luz foi um homem azulado (não era o senhor Krishna, mas antes fosse) que não tinha tetas com leite. E quem teve a proeza de engravidar esse cara azulão tipo o avatar, foi uma espécie de tênia, que lembrava um pouco uma lula, só que mais nojenta ainda que o Lula. E ela desapareceu ou morreu logo após conceber, também não podendo dar de mamar ao Alien... e talvez tenha sido sorte dele que nem viu essa tênia, pois era ainda mais asqueirosa do que o Alien, por mais incrível que possa parecer.

Índice

Personagens principaisEditar

  • Elizabeth Shaw (Noomi Rapace), é a arqueóloga, que à princípio parece, apenas uma nerd, profissional aplicada, meio ousada, mas muito boazinha e tonta, porém depois mostra a força de vontade de sua perereca e faz as coisas mais importantes que acontecem e, ainda consegue se defender das tretas que armam pra ela.
 
David se lamentando por não conseguir cagar como os humanos, depois de se enxer de laxante.
  • Meredith Vickers (Charlize Theron), é das que têm bom senso na história e é inteligente e ligada (além de gostosa, claro), mas o que atrapalha é ser filha de uma múmia tosca, um velho decrépito que prefere ser pai de um robô do que dela (que é humana e filha de verdade), e ela fica ressentida por causa disso, como se não fosse uma bênção ter um pai rico, que dá tudo, mas nem liga pra filha, o que daria uma liberdade fora do comum, sem qualquer chatice, mas gosto não se discute.
  • David (Michael Fassbender), robozinho maldito, que com a desculpa de ser programado, faz as piores barbáries, inclusive infectar inocentes com os piores tipos de solitária que ele encontra naquela rocha maldita, que eles chamam de planeta. Tudo depois fica nas costas do velho porque foi quem o programou, mas o robozinho é maldito mesmo.
  • Charlie Holloway (Logan Marshall-Green), Marido de Elizabeth e também arqueólogo que com ela tenta se comunicar com o que seriam os criadores dos humanos... Só pelo que esses criadores fizeram, que foram os humanos, já dá até medo de pensar no que mais poderiam fazer, mas eles com sua inteligência, vão em busca da vida alienígena e também dos criadores.
  • Peter Weyland (Guy Pearce), o velho decrépito e também dono de uma das empresas que financia a noia viagem para ver se descobrem os criadores dos humanos. Ele é um velho tão lesado das ideias, que tem uma filha, mas prefere ser pai de um robô, só pra início de idiotice, como se pai de robô não fosse liga metálica.
  • Capitão Janek (Idris Elba), é o capitão da nave, que só está aqui entre os principais porque quase pega a gostosa da Charlize Theron salva a Terra de acabar... Mas não só acabar, como da pior forma e mais humilhante possível: Infectada por tênias gigantes nojentas e, imagine só depois ainda, de matar os humanos, essas tênias dariam o maior trabalho para a mãe Terra ter uma catástrofe boa (ou má) o suficiente para matar essas pragas todas, sem que com isso matasse os demais bichos.

EnredoEditar

 
Elizabeth se perguntando o que está fazendo no esgoto?

O casal de arqueólogos ao explorar caverninhas e mais caverninhas, encontra sempre um desenho de alguém com o dedo apontando para uma constelação e com uns seres estranhos perto das tribos, algumas vezes sendo por eles reverenciados (gosto não se discute mesmo), que são um pouco diferente dos humanos. Aquele indicador x-9 do caralho, sempre está mostrando essa costelação em todas as cavernas da Terra que eles encontram, de modo que eles ficam noiados com esse padrão de x-9... Mais tardde eles descobrem que era sim, uma armadilha dos criadores e não um convite... Pau no curioso.

Pois então, se programa uma viagem até essa tal constelação, em uma das luas de um grande planeta, que é o lugar mais decente para a vida que eles acharam por lá, imagine o menos decente... Assim, depois de uma viagem de dois anos, eles chegam ao destino, e a comandante, ao menos da nave, manda que o robô David acorde a cambada toda. Antes disso, esse robô já vasculhou tudo que podia das memórias dos tripulantes, em especial da Elizabeth, sem nem pensar na privacidade dos humanos, pela qual ele não tem qualquer respeito, tudo por não ter emoções, que ele acha uma idiotice, mas o que ele queria mesmo era dar a bunda e sentir, além de tesão, paixão, como não pode, e nenhum humano quis comer ele, fica de implicância e frazezinha tontas pra cima de todo mundo. Isso ainda nem chega perto do que ele apronta mais além, e tudo fica na desculpa de que ele foi programado pelo velho senil, mas ele parece sim, ter muita vontade própria.

Nas memórias de Elizabeth, estão a religiosidade herdada do pai dela, mas também a vontade de descobrir como é essa coisa de fato. No início do filme está um ser de pele bizarramente azul celeste, na beira das Cataratas do Iguaçu (apesar de jurarem que são as do Niágara), que toma uma espécie do lodo bem nojento, dá umas engasgadas e se desintegra caindo no rio, onde seu DNA é modificado e se espalha através da água, sugerindo-se que esse seria o DNA humano que acabava de ser criado na mãe Terra... Ou seja: aquele lodo nojento, segundo quem fez esse roteiro, acabou por transformar o DNA daquele ser nos humanos da Terra... Quanta consideração.

Ao acordarem, eles se reúnem e a Vickers dá uma de mandona, mas o velho senil aparece em um vídeo holográfico e explica a missão deles, fala só do David e então, passa a palavra para os arqueólogos, deixando a Vickers com cara de bunda... Mas como a carinha dela é linda, essa bunda de cima também fica. Elizabeth e começam a explicar sobre o padrão das caverninhas e que eels estão lá naquele rocha (se é que se pode chamar aquilo de rocha) gigante e fétida em busca dos criadores dos huamnos, que eles chamam de engenheiros mal sucedidos. Ningúém leva muito à sério, mas já que vão ser pagos, se propõem a cumprirem suas funções.

Concepção e parto do AlienEditar

A concepção do Alien teve duas etapas. Tudo começou quando a lataria ambulante David maldito, teve a ideia de infectar o Charlie apenas para testar o que poderia ocorrer. Ele havia achado as larvas asqueirosas dentro da nave dos engenheiros e recolheu a meleca fedorenta de um dos vasos que, cá prá nós, deve ser cocô de Engenheiro que ingerir tênia ou algo assim. Ele pegou essa porcaria e colocou na bebida do Charlie. Para se livrar da culpa, já que sua frieza dessa vez nem teria sido a mando de Peter (o velho senil), ele perguntou pro Charlie se ele seria capaz de qualquer coisa para descobrir a verdade. A resposta foi: Desde que não seja comer o teu cu, pode ser qualquer coisa. - Dessa resposta David já resolveu na cabeça de latão dele, que o Charlie quis dizer que já queria ser infectado.

Depois veio a primeira etapa da concepção do Alien: Charlie chama a Elizabeth, sua esposa gostosinha para comemorar a descoberta... Claro que apenas com a desculpa de dar uma bem dada e assim fez... Mas ele não sabia que estava infectado e acabou passando, ao invés de esperma pra ela, aquela tênia asqueirosa, e foi assim que o alien começou a se formar. Mas ao sair dela, ele ainda não era o Alien, foi apenas a primeira etapa, tanto da concepção, quanto do parto. Se não entendeu, não faz mal, eu também estou a té agora tentando entender, mas continue lendo pra ver se você também dá à luz... Quero dizer, pra ver se você entende melhor o parto do Alien.

Desfecho, que deixou tudo abertoEditar

Depois que David infecta o marido da astróloga, lhe oferecendo cachaça com tênia (e ela só cresce por estar bebaça), ele (o marido) dá uma bem dada com Elizabeth e a infecta também, como mencionado na sessão anterior, atrvés daquela via. Um pouco depois, ele já está todo podre e pede para Vickers matá-lo, e ela obedece pois do contrário, poderia infectar todos da nave, além disso ele estava com cara de pé na cova mesmo. Outros dois atacados pelas tênias asqueirosas, foram dois dos tripulantes que resolveram ficar na estrutura olhando a paisagem e, por isso morreram pediando pra sair, com a solitária nojenta fazendo a festa neles.

Elizabeth, ia ser morta depois que sentiu a larva se mexendo bem em seu útero, David fingindo (como sempre) que ia ajudar, dá um cedativo pra ela, que acorda já para ser executada em uma maca... Mas ela, havia antes injetado um antídoto para neutralizar o sedativo, dá umas porrada nos dois que achavam que ela estava sedada e foge, indo retirar a porcaria em uma câmara especial para operações... O que sai dela ainda não é o Alien, mas sim uma espécie de polvo (sem querer ofender os polvos), que também lembra um protozoário... ele cresce e ela tranca ele dentro dessa câmara e em seguida tranca a porta desse compartimento... Segue e acha o velh senil com uns três tripulante se o David, que faz cara de bunda (mesmo sendo um robô), ao vê-la.

O David fingido com sempre, vai até ela e lhe dá seu jaleco, depoiis volta para os pés do velho... Este levanta e explica à Elizabeth que ainda tem um engenheiro vivo (pro azar deles), e que pretende falar com ele ainda, depois de toda desgraça. Ela discorda claro, assim como a Vickers, mas não é nenhuma das duas quem manda e eles seguem até a tal estrutura, que descobrem ser uma nave, bem melhor que a deles, onde está o engenheiro vivo, que o david descobriu. Assim seguem e ao chegar lá o engenheiro arranca a cabeça do David e dá com ela na cara do véio (ah, ah, ah, ah, ah) que já estava para morrer mesmo, ainda dá tempo dele se lamentar por não ter ouvido a Elizabeth.

O engenheiro segue para a Terra com o carregamento nojento para fuder coma bunda e todo resto dos terráqueos, mas os dois navegantes e o capitão atendem ao pedido da Elizabeth e vão de encontro à nave do engenheiro que explode e assim o cu da mãe Terra escapa mais uma vez do Armagedom. Elizabeth e Vikers estão lá embaixo e, como o Capitão havia soltado o módulo, elas poderiam sobreviver naquela lua asqueirosa por cerca de dosi anos, poderiam praticar muito lesbianismo nesse tempo, mas infelizmente, um pedaço da nave cai na Vikers ´-` e ela, que não era outro robozinho malacabado igual ao David, morre. Assim a Elizabeth só tem como companhia a cabeça falando asneira do David... Mas para dizer que ele não presta apenas para fazer merda maléfica, ele conta a ela que tem mais naves fodonas iguais àquela que foi destruída e que ele sabe pilotá-las. Elizabeth então recolhe o corpo para costurar à cabeça dele novamente e parte com a nave dos engenheiros que eles acharam.

Segunda parte da concepção e do parto do AlienEditar

Tudo haver com o desfecho e bem por isso não coloquei na sessão do parto. Antes da Elizabeth ganhar estrelinha de boa menina partir em uma nave turbinada com as dicas do David, bem como levar a cabeça e a bunda dele para serem costuradas novamente, ela entra no módulo e lá está em um compartimento, a tênia em tamanho gigantesco, tendo escapado da câmara médica, onde ela fez a sezariana do bicho (ou da bicha), o David avisa pra ela que o engenheiro escapou da morte infelizmente quando a nave explodiu e está indo lá currá-la.

Elizabeth então deixa que ele a alcance e então abre na cara do engenheiro a porta do módulo médico, onde a tênia, que seria um protótipo do Alien, ataca o engenheiro e ele quem acaba sendo currado por todos os buracos do corpo, enquanto, claro, a Elizabeth foge, não sem antes de fugi rpensar Será que esse engenheiro não sabia dar uma bem dada? - Ela parte daquela pocilga de lua (que os engenheiros nunca pensaram em habitar, mas era sim, um posto bélico deles), com uma das naves dos engenheiros e os pedaços do David a serem colados, e deixa aos terráqueos a seguinte mensagem:

Não confiem no dedão apontando pra essa porcaria de rocha fétida, que é onde os "engenheiros" ou deuses fazem experiências para foder com alguém, mais precisamente os humanos, enfiando-lhes tênias gigantescas na bunda. É uma treta das bem armadas, não parem aqui nunca mais, essa merda nem terraformada pode ser, além de estar cheia de porcaria dos "engenheiros". Assim mesmo estou partindo com uma das naves deles, que as nossas perto dessas parecem um balãozinho. Vou perguntar porque eles nos criaram e resolveram depois mandar "nóis" e nossa mãe Terra pro colo do capeta. Se ameaçarem me matar eu ameaço devolver as tênias deles... Por enquanto tchau irmãos terráqueos, assim que tiver mais informações sobre os deuses ou "engenheiros" ou a "frag que pariu" que seja, eu os aviso. - Elizabeth

Depois disso ela parte, mas... Lá na lua (se é que se pode chamar aquela porcaria inóspita de lua), o engenheiro está grávido e a tênia sumiu, têm início então, a segunda etapa do parto do Alien e, semelhante ao Cell, dando à luz aos juniores (se nunca viu Dragon Ball, lamento, mas mesmo sem ver, dá pra imaginar ao ver o filme), o Engenheiro, veja bem, ele é homem, mas começa, de pernas abertas a ter as contrações e, o parto é tão difícil que ele morre, mas então surge o Alien que já manda aquele beijinho com sua boca dupla... e então finda-se Prometheus... Conclusão: O Alien é filho da tênia, com a Ellizabeth, com o Charllie, com a tênia gigante e com o engenheiro.

O Prometeu da mitologia deve ter gumitado ao ver o filme, que pensou que fosse uma homenagem pra ele e sua valorização aos terráqueos, mas acabou por ver aquela nojeira.

Promether tambémEditar