Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cquote1.png A VACA da sua mãe, seu filho da puta! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Psicanalista
Cquote1.png ... Cquote2.png
Doutor Roberto sobre Psicanalista
Cquote1.png Ele cobra, logo ecziste Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Psicanalista

Albert Einstein, o pai da psicanálise.

Um psis... pisc... Ô psit! Um psicanalista é um ex-professor de Educação Física que gostava mais de falar do que de se exercitar, talvez por ser bem nerd. Eles somente são encontrados em escritórios de prédios altos e no meio de muitos diplomas (provavelmente fotocopiados); porém, podem estar mais perto de você quando você menos imagina... Ou quando tua mãe acha que você tem feito uma besteirinha qualquer, como cheirar gatinhos, e suspeita que você seja um gênio, um escritor ou editor da Desciclopédia ou um adolescente gordo e suado jogando CS dentro de uma LAN-House. Devido a isso, ele conclui que você tem um grande amor à tua mãe.

FunçãoEditar

Psicanalista vem do grego Psycho (aquela música do Metallica System of a Down) e analysieshhh (analista de sistemas). Ele é um grande, mas um baita dum mentiroso conhecedor do mundo; ele sabe de tudo, até mesmo o que os indies acham que sabem (porém menos que David Lee Roth e muito menos que Baphomet). Sempre descobre a verdade sobre você: descobre suas mentiras e conta pros amiguinhos baitolas dele. Descobre (ou deduz) sempre que você, por exemplo, é corno, ou foi comido por Kid Bengala, ou é gay ou coisa parecida, e tudo isso se deve ao fato de você ser um grande amante da sua mãe ter uma ligação íntima com sua mãe desde sua infância. Assim, ele conclui:

  Levo chifre, logo existo. É assim que você pensa.  
Psicanalista sobre você

Ou:

  Sou comida, logo existo.  
Psicanalista sobre você

É normal se você achar que ele sempre chega em alguma, e na mesma conclusão.

  Eles são redundantes!  
Capitão Óbvio sobre Psicanalista

  Digo asneiras, logo existo.  
Psicanalista sobre citação acima

HistóriaEditar

Eva estava puta porque Adão não comprava alface nem carro para ela. "Filho duma puta!" disse ela, e, já captando a incoerência do xingamento, foi falar com a cobra para pedir conselhos. Nasce então o primeiro psicanalista, a cobra. Consultando Eva, a cobra conclui que ela "vinha sendo muito apegada à mãe e não vivia com o pai", e também que "Xingo, logo existo". Mas ela respondeu: "Eu nem mesmo tive uma mãe!". A cobra ainda diagnosticou que Eva poderia sofrer surtos de bissexualidade periódicos de acordo com estudos freudianos sobre seu distanciamento com sua mãe e cobrou R$5.600,00 pela consulta.

Desde então, várias outras pessoas vem tendo a mesma ideia e vem vindo se tornando psicanalistas e assassinos da norma culta. Paulo Maluf também teve a mesma ideia, mas preferiu virar governador, em vez de seguir uma carreira acadêmica, que nem Lula. Os psicanalistas vem diagnosticando casos múltiplos de amor à mãe e existências incoerentes e cobrando preços absurdamente altos enormes gigantes bons (para eles, claro). E vem usando o português de forma ridícula e cometendo erros de colocação pronominal como gerúndio.


  AVISO DE MONTE DE BOSTA!
Esta página é um monte de bosta. O autor reconhece isso.