Abrir menu principal

Desciclopédia β

Rádio de notícias

Típico acidente que é destaque nas rádios de notícia, na qual faz parte dos destaques do dia, merecendo a sua repercussão umas oito vezes por dia...
Já este tipo de acontecimento, é noticiado pelo mínimo por um semestre...

Rádio de notícias é um padrão de emissora de rádio focada na transmissão de notícias propriamente dito. O problema é que por ser um canal com foco na transmissão de acontecimentos diários, torna-se uma das piores categorias de rádio, pois na falta de acontecimentos, noticia qualquer baboseira, como um acidente na esquina, e se ocorre um acidente de grandes proporções como a queda de um avião, fica repetindo insistentemente este acontecimento e seus detalhes ao longo do dia. Ou seja, é uma espécie de Jornal Nacional auditivo, só que ainda mais chato e repetitivo por conta da sua programação voltada exclusivamente para notícias, todos os dias, o dia inteiro.

Quando não se ocupa com notícias, este tipo de emissora transmite inúmeros comerciais que complementam a maior parte da sua programação, além de entrevistas com pessoas pedantes, como; políticos, sociólogos, líderes de partido, entre outras pessoas inúteis socialmente.

Índice

ProgramaçãoEditar

Este tipo de emissora tem utilidade apenas na transmissão de notícias, na qual é muito apreciada pelo seu pai, por executivos, pseudo-intelectuais e por taxistas, na qual apenas este último faz verdadeiro aproveito da sua programação por conta das notícias sobre as condições do tempo e do trânsito a cada hora. Sua programação é repleta por notícias inúteis, como; "acidente na rua tal", "o gato que ficou preso na árvore", "a visita do artista "x" na cidade", entre outras porcarias. Na ocorrência de um acidente de grandes proporções é muito pior, pois fica transmitindo a opinião de especialistas, laudos técnicos, opinião dos vizinhos, relatos de testemunhas, enfim, transmite tudo que não precisa, ou que não fará a menor diferença na sua vida.

Outra ação freqüente dessas emissoras, além da transmissão dos fatos cotidianos, é a sua constante puxação de saco de políticos, ao convidar deputados e senadores, entre outros criminosos do colarinho branco políticos, principalmente em épocas eleitorais. Juntamente com os resultados dos jogos e classificação dos times nos diversos campeonatos, até mesmo os times de várzea...

RadialistasEditar

Normalmente os profissionais envolvidos nessas rádios são locutores facilmente confundidos com robôs, por conta da sua voz mecânica, sistemática, com aspecto robótico, sem qualquer expressão sentimental, independentemente se este ganhou na loterias ou foi informado de que a mãe morreu.

PropagandasEditar

As propagandas compõem a maior parte da programação, e a maioria dos comerciais são de oficinas mecânica, lojas de ferramentas, cartórios, assistência jurídica e escritórios de advocacia, clínicas de urologia, assinaturas de revista, entre outras empresas que tem os motoboys e executivos como público alvo.

MúsicasEditar

 
Sr. Burns Serra sempre é notícia por conta das suas barbaridades ações no Governo de São Paulo.

Músicas é coisa que não existe nessas emissoras, com exceção das vinhetas e das musiquinhas que precedem as notícias, ou presente nos seus inúmeros comerciais. Na qual este tipo de rádio só não é pior do que as emissoras de rádio religiosas, bregas, pop's, sertanejas...

Pensando bem, talvez as rádios de notícias estejam entre as melhores emissoras de rádios no Brasil, pois nesse tipo de rádio não tem participação do ouvinte, não tem transmissão de cultos religiosos com pessoas berrando histéricamente em nome de Deus ou te pedindo dinheiro, tampouco existe a transmissão de músicas ruins, como; NXZero; Fresno; Reginaldo Rossi; Latino, entre outras porcarias tocadas nas rádios brasileiras...

Autistas mais tocados Políticos Mais FaladosEditar

O radiojornalismo nas madrugadasEditar

Vida dura deve ser a de quem trabalha nas madrugadas das rádios de notícias. Geralmente, não acontece nada impactante – ou, se acontece, costuma-se guardar as notícias para os programas que vão ao ar quando o sol nasce.

O mais que costuma acontecer é apelar para “tapa-buracos” os mais diversos. A Bandeirantes de São Paulo passa reprises de entrevistas feitas nos programas da manhã e da tarde, entremeadas por bate-papos do apresentador Zancopé Simões (olha o nome do sujeito!) com o homem da mesa de áudio e reminiscências de sua infância em Garça, no interior paulista.

A Central Brasileira de Notícias conta com a “voz de motel” de Alves de Mello, passando um resumo do que aconteceu no dia claro e, de meia em meia hora, repetindo as mesmas notícias no programete Repórter CBN. Como não há muita notícia para dar – e, de vez em quando, ele consegue entrevistar alguém, mas não é sempre que uma pessoa pública de interesse da CBN fica acordada até aquelas horas –, enchem linguiça retransmitindo o áudio do Programa do Jô. Agora, amigo descíclope, tente imaginar uma piada visual passada no rádio! Inútil, não?

Já a BandNews FM possui o tapa-buraco mais descarado: assim que o locutor da madrugada dá uma notícia pela primeira vez, esta é gravada num arquivo MP3 e vai sendo repetida de hora em hora. Assim, as notícias são tocadas aleatoriamente – e, se o apresentador dá uma pigarreada ou troca uma letra ou uma palavra, esse erro também é repetido.

A Guaíba de Porto Alegre, contrariando todas as demais news radios, tocava músicas do tempo do Onça da meia-noite às 4h, quando levava ao ar o programa mais interessante do seu horário: A Voz do Brasil. Recentemente, deixou de tocar essas músicas e passou a passar os programas da Igreja Universal.