Abrir menu principal

Desciclopédia β

RWBY
コードギアス
Rwby cover.jpg
'
Gênero Animesque
Mangá
Autor -
Divulgação -
Onde sai -
Primeira publicação -
N° de volumes -
Anime
Dirigido por Monty Oum
Estúdio Dente Assado
Onde passa Internet
Primeira exibição 18 de julho de 2013
N° de episódios 5 temporadas
Filmes -
OVAs -

Cquote1.png Você é amado por nós, mas não podemos conceder a você o rank de "anime" Cquote2.png
Cultura do Japão sobre RWBY ser apenas uma animação em cartoon
Cquote1.png Mwahahahaha! Eu sou a deusa das trevas e a escuridão! Eu vou matar todos seres humanos porque eu sou malvadona, eu sou muito má! Eu controlo todos os Grimm! Morram humanos! Cquote2.png
Salem, uma vilã profunda

RWBY, acrônimo para Relationship Within Boring Youngs, ou seja "relacionamento entre adolescentes chatos" é um Animesque (anime feito por alguém do ocidente) produzido na Terra do Tio Sam, extremamente feio e mal acabado, uma animação que mais parece uma cutscene de um jogo de PlayStation 2, só que com Game Shark (daí sensação de estar acelerado), o que inclui portanto este animesque na categoria "modinha". Pelo menos a obra está em sintonia com o século XXI e defende bandeiras como a igualdade de gênero, não sendo raro vermos garotas tomando chutes na cara de garotos sem o menor problema, e vice-versa.

Índice

DesenvolvimentoEditar

 
Fanbase após cada episódio.

Desenho criado pela Rooster Teeth, uma empresa americana otaku que descobriu esse mercado de nicho de endinheirados bebês gigantes e virgens e decidiu explorá-los reunindo todos os clichês já criados no Japão e enfiando tudo numa animação tosca norte-americana, tudo com o único objetivo de ganhar dinheiro do modo menos cansativo possível. Foi então que diversas cutscenes para um jogo de baixo orçamento foram reaproveitadas e Monty Oum criou um roteiro em cima daquilo.

Com o fim da produção de Red vs. Blue uma rápida reunião decidiu o destino da Rooster Teth para os próximos anos, quando uma análise do mercado concluiu que desenhos envolvendo coites caindo de precipícios já não era mais a moda entre os jovens, e que a moda eram animes que abrissem possibilidades para criação de fanservices e hentais, sendo assim Monty Oum e sua equipe se trancaram por 6 meses num casebre abandonado onde passaram 24 horas de seus dias assistindo a todos os animes existentes, a base apenas de Doritos e Coca-Cola, anotaram as melhores observações e depois criaram um Frankenstein de tudo aquilo e tomando todo o cuidado para que pudesse ser vendido como um trabalho original, não se importando quantas pessoas teriam que subornar ou matar.

RecepçãoEditar

Estranhamente, este produto saiu-se muito melhor do que os produtos originais (quem tem saco pra ler Cachinhos Dourados?), imitando um anime tão bem que muitos realmente acreditam que RWBY é um anime japonês de baixo orçamento, enquanto outros aceitam o desenho como obra de arte moderna. A primeira temporada foi vendida por 150 milhões de euros para um magnata árabe otaku, e por isso ganhou sequências.

EnredoEditar

1º TemporadaEditar

 
Blake está sempre lendo para aperfeiçoar suas técnicas de shibari.

Inicialmente RWBY era só rascunho feito por estagiários para praticar renderização, e por isso os primeiros episódios não tem mais do que 5 minutos, como um trabalho de conclusão de curso de design gráfico, que sai sempre um cocô mas ois alunos recebem um 10 porque o professor ficou com dó. A grande sacada de RWBY, todavia, foi apostar nessa arte mais modernista, onde qualquer coisa mal feita consegue ser interpretada como arte, e aqueles pequenos episódios foram ganhando mais continuações e admiradores, até compor uma mitologia vasta e repleta de clichês.

Conhecemos o mundo hipotético de Remnant, um lugar inóspito que seria o Brasil caso a Dilma conseguisse desenvolver a tecnologia de estocar vento, um ambiente oprimido por funkeiros, axezeiros, zoeiros, vida-lokas, forrozeiros playssons e todo tipo de criaturas do mal que são conhecidas como "Grimm", tudo enquanto a população local demonstra uma avassaladora apatia em relação a um mal tão eminente. Mas é para buscar impedir o mal maior que pessoas altruístas - homens que amam outros homens - fundaram escolas machistas misógenas de guerreiros chamadas "Huntsman" (sem tradução feminina para "huntress" e um local onde os homens podem livremente dar murros e chutes nas mulheres). Essas escolas, além de incentivar a briga entre os gêneros, tem a tarefa de combater a população de monstros, bandidos, pagodeiros, pichadores, arruaceiros, lolzeiros que existem fora das cidades. Para fazer isso, eles usam o poder do "Dust", uma substância mágica responsável por criar shows pirotécnicos e entupir o nariz do Fábio Assunção. A trama em si é pobre e de fato tudo ali nitidamente foi criado principalmente para um público de pervertidos Fuyuris e Yurikos se divertirem shippando as personagens da série. Obviamente que alguns personagens furries também foram inseridos, chamados de "faunos" por direitos autorais japoneses, mas ainda assim ali presentes de modo a satisfazer todos os possíveis fetichistas.

Nesta primeira temporada nada acontece além das quatro meninas fazendo suas frivolidades e os demais personagens treinando na floresta, afinal com episódios de 5 minutos não dá pra mostrar muita coisa. O vilão é Alex DeLarge, o máximo do estereótipo de alguém que é mal só porque é mal, e é basicamente que ele fica sendo, um cara mal só por ser mal, querendo roubar cocaína dos pontos de venda legalizados, nãos e sabe para o que, já que a temporada termina antes de sabermos suas motivações, ou quem era a mulher misteriosa do axé music por trás dele.

2º TemporadaEditar

 
Weiss, imitação não apenas da Elsa de Frozen, mas também do Olaf, pode dizer também que já foi empalada.

Com a continuidade do projeto e agora com episódios de pelo menos 15 minutos, nos aprofundamos mais na equipe da RWBY, liderada pelo protagonista Ruby, composta pelas quatro meninas guerreiras que são as arautos desta série, a Chapeuzinho Vermelho emo com sua foice, a Branca de Neve patricinha mimada, a Bela de "A Bela e a Fera" e a Cachinhos Dourados porradeira. RWBY fez sucesso justamente porque ao contrário da versão da Disney, trouxe os contos de fadas em versão original sem censura onde essas quatro heroínas, com a força de suas amizades, não são garotas piedosas e doces, mas um grupo de assassinas de ninjas peludos, nazistas e atendentes de bordéis.

Paralelamente à equipe RWBY que se prepara para um torneio de luta nada a ver, existe também a equipe JNPR, formada por travestis, onde cada um dos membros é inspirado por um personagem histórico/mitológico conhecido por ter pelo menos uma vez mudado de sexo. Esta equipe é composta por: Um perdedor loiro armado com uma espada de plástico e um escudo de madeira cujo nome é Jaune Arc (como a Joana d'Arc, que está ali só para se martirizar e morrer virgem); Um molde de guerreiro grego em formato de mulher chamada Pyrrha Nikos que é uma grande inspiração para todos, além de incrivelmente bondosa e carismática, sendo a reencarnação do Aquiles (tanto que vai morrer com uma flechada no calcanhar); Uma guria retardada chata pra caralho chamada Nora Valkyrie, inspirada em Amy Rose, a yandere e o par romântico de Sonic; E um pobre chinês chamado Li-Ren que, embora obviamente gay, não consegue desgrudar de sua stalker Nora, talvez porque ela é inspirada pelo deus Thor.

Várias equipes vão surgindo numa história que não faz o menor sentido sobre um torneio de porradaria com menos regras que o UFC e narrado por professores drogados na cafeína. Sempre tem uma equipe inútil consistindo de atletas desnecessários criados com o único propósito de atrair fangirls e cada uma dessas equipes nos traz personagens que possuem a profundidade de um hieróglifo egípcio.

Enquanto o torneio de luta não começa o Time RWBY parte numa missão para impedir que um metrô repleto de funkeiros escutando funk sem fone de ouvido chegue na civilização, mas por mais que as quatro garotas explodissem todos vagões um depois do outro, é revelado que a grande vilã por trás daquilo tudo é a Anitta e o objetivo dela é levar música ruim para toda a sociedade humana, enviando um metrô repleto de Grimms para o centro da cidade. Nesse momento todos os personagens se unem para lutas bem clichês contra hordas de foliões que querem fazer xixi na calçada da límpida cidade de Beacon.

3º TemporadaEditar

 
Ruby desperta o seu poder de deus ex machina para solucionar mais uma crise.

Ninguém sabe como, mas o anime teve sequência, e a terceira temporada foi tipo um Yu Yu Hakusho piorado, totalmente focado num torneio de luta sem o menor sentido de existir, com lutas incrivelmente umas iguais as outras. Esta temporada, portanto, é somente sobre lutas e mais lutas enquanto a vilã Anitta trama por trás dos bastidores como manipular o torneio, sendo ela a responsável por mudar o regulamento e trazer o Luciano Huck para transmitir a Dança dos Famosos no lugar do Faustão.

No final, os planos malignos de Anitta dão certo quando ela consegue com sucesso transmitir ao vivo em cadeia nacional uma menina robô virando sucata e uma churrasqueira elétrica pegando fogo em plano Domingão do Faustão ao vivo e a cores, causando um caos na população mundial que assistia aquele evento e despertando monstros enfurecidos, como um pombo de 20 metros de altura que começa a cagar na cidade de Beacon, trazendo vários problemas. Coube à talentosa aluna Pyrrha Nikos absorver os poderes de uma moribunda que conforme o Mágico de Oz era uma das bruxas sagradas do Leste. Mas tudo dá errado, Oz morre e Pyrrha também, condenando Jaune à virgindade eterna já que ela foi a única mulher que sentiu qualquer interesse nele. Ruby, todavia, flagra esse momento da chacina e é abençoada pelo poder do protagonismo, criando uma explosão branca e limpando toda a área.

4º TemporadaEditar

 
Momento trágico em que Yang perde seu braço.

Com a morte do criador Monty Oum, acreditou-se que RWBY não passaria mais da terceira temporada, mas infelizmente os ajudantes de Oum decidiram dar continuidade ao projeto, mostrando que não adianta matar um otaku, sempre vai surgir algum outro no lugar.

Nesta temporada nos deparamos com a situação das quatro protagonistas separadas, de modo a acompanharmos 4 arcos extremamente sem graça da trajetória de cada uma. Ruby parte a pé para o Acre acompanhada de Jaune, Nora e Ren numa jornada sem sentido porque bastava pegar um vilão. Weiss passa a temporada inteira de castigo em sua mansão onde não compreende o pai que é um dos poucos personagens sensatos do anime e sabe que uma adolescente de 17 anos não deve ficar por aí lutando esgrima contra monstros vestindo saia e salto-alto. Blake decide ir rever os pais na nação de Tuvalu (uma das ilhas do Japão) que é o lar dos furries, onde busca apaziguar os ânimos dos radicais da White Fang, uma organização que cansada dos humanos utilizarem nekomimis como escravas sexuais, almeja que os humanos se tornem escravos sexuais de cat girls. Yang passa metade da temporada deprimida porque perdeu um braço e não tem direito a aposentadoria por invalidez, passando os episódios se adaptando ao novo braço de metal.

5º TemporadaEditar

Temporada onde absolutamente nada acontece. Na verdade são bons episódios para dormir porque é só conversa atrás de conversa, afinal o criador Monty Oum morreu e não havia mais ele ali para dizer que as pessoas vão assistir o seu anime ruim apenas pelas lutas criativas, e não pela história extremamente clichês. Os grimm praticamente sumiram e a real ameaça passa a ser uma versão gótica da Inês Brasil conhecida como Salem, que tem seus quatro capangas e quer destruir o mundo. A temporada é inteiramente dedicada a aprofundar mitologia da série, ue na verdade é tudo o que já vimos em O Mágico de Oz.

PersonagensEditar

RWBY baseia a sua história em personagens os quais 80% estão equipados com armas transformáveis. Os demais personagens são garotos jovens malucos e sem barba amados por garotas, todos devidamente divididos em equipes por cor, raça, idade e gosto: um triunfo do Apartheid.

Ruby Rose
A grande protagonista da série, inspirada na Chapeuzinho Vermelho, está sempre com seu capuz e lenço vermelho e um espartilho por cima da roupa que dá toda a moda emo pela qual ela segue, e seu tio Qrow reconhece isso muito bem. Como uma boa protagonista, ela não possui nenhum poder especial muito específico, a sua força vem exclusivamente do fato dela ser a protagonista predestinada, então sempre que está quase morrendo ou perdendo um combate, algo milagroso ocorre e ela se dá bem. A sua arma é a Crescent Rose, uma enorme ferramenta agrícola que não parece ser muito efetiva, já que requer várias porradas para matar um mesmo inimigo. O seu poder é a habilidade de se transformar numa guria retardada hipersônica, uma supervelocidade que até hoje não a ajudou em batalha, mas por ser a protagonista ela ainda possui o poder adicional secreto do Deus ex Machina, que é quando seus olhos cinzentos criam um enorme clarão derrotando todo e qualquer inimigo de maneira absolutamente conveniente. Ingênua, pura e virgem, é a mais nova e também a líder do Time RWBY, acreditando que o poder da amizade vem acima de qualquer necessidade dela em ter algum namorado, por isso ela não desgruda de suas amigas e irmã.
Weiss Hitler Schnee
É a Branca de Neve, só quem sem os Sete Anões para fazerem um gang bang nela. Uma patricinha mimada e chata que acha que pode comprar tudo com o dinheiro do papai, e está certa, tanto que quando o papai para de enviar dinheiro, ela começa a se dar mal. Embora seja muitas vezes vista apenas como uma patricinha mimada, ela é sem dúvidas uma das poucas personagens sensatas do anime, porque sabe que os furries é uma raça abominável que não deveria existir, sendo ela filiada ao Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, que reconhece que furries só servem para hentai e não devem ficar por aí exigindo direitos como se fossem humanos. Chama atenção por ser capaz de lutar calçando um salto-alto e saia curta. A sua arma é a Myrtenaster, um vibrador longo e fino que ela usa para se consolar, porque é fria demais para qualquer dia conseguir um par romântico. O seu poder é a habilidade de criar círculos de gelo que fazem as pessoas escorregar neles e invocar criaturas de gelo.
Blake Belladonna
Uma nekomimi complexada porque sofreu abusos durante sua infância, afinal quem nunca escravizou uma cat girl para passar semanas cheirando-as? Ela alistou-se num grupo terrorista chamado White Fang na tentativa de trazer igualdade entre humanos e furries, mas logo se arrepende porque seu isntinto diz que ela só serve para ser cheirada pelos humanos, por isos entra para uma escola de humanos e depois ainda tenta assumir a White Fang para procurar promover o oposto do original, que são mais cat girls servindo os humanos. A sua arma é a Gambol Shroud, um pedaço de linho preto que tem como principal função servir de estilingue para catapultar companheiras, fazendo isso a todo momento. A sua habilidade especial é a capacidade de criar um clone de si.
Yang Xiao Long
Uma Cachinhos Dourados, só mais porradeira, que apesar do nome não tem nada de chinesa, o seu corpo e seus cabelos são de uma bimbo norte-americana chamada Barbara, sendo ela a típica irmã mais velha irresponsável e dona dos melhores decotes da série. Como ela não é a protagonista não pode evitar de ser aleijada no final da terceira temporada, quando teve o braço direito decepado por Adam, o namorado ciumento de Blake que nunca vai superar o fato de que sua ex-namorada virou lésbica após ele. Embora tenha ficado deprimida inicialmente, logo descobre as maravilhas que é ter um braço robótico, especialmente a sua função vibratória, capaz de fazer Blake gozar incontáveis vezes. A sua arma é a Ember Celica, um soco inglês misturado com shotgun. E a habilidade especial de Yang é a capacidade de tomar muita porrada e não morrer.
Jaune Arc
Quando Monty Oum estava criando RWBY misturando todos os amálgamas de todos os clichês de animes possíveis e imagináveis, percebeu que todo anime sempre tinha um personagem extremamente desnecessário, sem graça e que se torna rapidamente odiado por todos fãs da série, então assim surge este personagem fraco, sem graça, arrogante, nada carismático e que ainda por cima será inexplicavelmente paixão da mulher mais forte e talentosa do anime (para também gerar ódio entre os shippadores que agora ficam com uma personagem a menos pra shippar, a Phyrra). Jaune é fraco, sem poder, e está ali na escola porque forjou o teste de admissão, e ainda tem a cara de pau de dizer que quer ajudar as pessoas ou alguma baboseira do tipo. Só não morreu por dó do autor.
Pyrrha Nikos
Reencarnação de Aquiles, é portanto a guerreira bondosa, perfeita e invencível mas que vai acabar morrendo de maneira trágica. É a garota propaganda de um famoso cereal que nem come, provando toda hipocrisia da publicidade das grandes marcas (ou você acha mesmo que o Cristiano Ronaldo usa xampu anti-caspa?). Ela foi cotada para herdar os poderes mágicos da Dama do Outono, mas tudo dá errado e ela morre após um tiro de flecha recebido no calcanhar de aquiles.
Nora Valkyrie
Guria retardada que durante a infância, numa visita à uma fábrica de energéticos, caiu por acidente dentro de um caldeirão de Red Bull e após absorver o energético através de sua cavidade anal jamais conseguiu ficar quieta por 1 segundo pelo resto de sua vida, deixando alguém com hiperatividade cansada antes dela. Para piorar ainda mais a sua situação de TDAH/TOC ela ainda foi se apaixonar por um gay enrustido, então Nora tem como objetivo de vida curar a gayzice de Lie Ren, nem que tenha que ficar se atirando nele em absolutamente todo episódio da série.
Lie Ren
Um pobre coitado, afinal desde muito criança já era um viadinho mas diversos acontecimento em sua vida constantemente o impede de sair do armário e assumir que seu real desejo é mortes uma fronha no final de toda noite. Quando criança queria coletar a porra de uma flor (feia e sem graça) no meio de um lago, e irritado com sua viadice um monstro homofóbico invadiu o vilarejo do pequeno Lie Ren matando todo mundo. A sua arma é o StormFlower, que são duas pistolas d'água adaptadas para atirar chumbinho, pistolas que não machucam nem os mais fracos do Grimm. O seu poder especial é a capacidade de ser pouco carismático e portanto amplamente ignorado por todos ao seu redor.
Ozpin
É o clássico professor que é a mente por trás de tudo, sendo dono de algum poder supremo e secreto sem jamais revelar esse poder todo porque senão todos problemas seriam resolvidos fáceis demais. Ele é ninguém menos que o Mágico de Oz e o responsável por ter dado supremo poder a quatro damas, e depois disso passa os dias sustentando seu extremo vício por cafeína comandando uma escola especial para alunos arruaceiros. Quando menos esperamos eles simplesmente morre, sem nem sequer dar ao público a satisfação de ver seus poderes ou mesmo vê-lo morrer, sendo este personagem até mais frustrante que Urahara em Bleach. Ao perceberem que o personagem foi desperdiçado, Ozpin reencarna no corpo de um jovem fazendeiro chamado Oscar, apenas um garoto sem vontade própria.
Winter Schnee
A irmã mais velha e mais sexy de Weiss. Ela é ainda mais racista que sua irmã mais nova. Apesar de ser extremamente forte, ela é dessas "personagens extremamente fortes que não aparecem a todo momento para não estragar a graça dos problemas enfrentados pelo grupo de protagonistas", mas é facilmente provocável, podendo destruir uma cidade inteira enquanto luta contra alguém de seu porte.
Qrow
Tio de Ruby e irmão de Raven, a mãe de Yang (elogios pela originalidade, já que "Qrow" significa "corvo" e ee tem o poder de se transformar num corvo). Ele é tremendamente badass, e basicamente por duas razões: porque ele está sempre bêbado (e parece que luta melhor quando ele bebe tanto) e porque ele luta com uma espada dobrável que pode se transformar em centenas de milhares de combinações abrangendo toda a criatividade dos escritores. Ele era para ser "um personagem forte que aparece pouco para não estragar o drama das dificuldades que passam as protagonistas", mas ele acabou tornando-se bem querido e passou a aparecer bastante, então precisaram nerfá-lo.
Raven
Mãe de Yang, ela possui TOC em relação a uma máscara branca de tartaruga-das-galápagos que ela não para de colocar e tirar do rosto, tendo que ficar carregando aquele trambolho a todo momento que decide exibir o rosto, que não são poucos os momentos. Ela possui o poder de se teletransportar para perto da família a hora que quiser, mas absolutamente odeia esse poder porque é uma mãe desnaturada e prefere viver no meio do mato ao lado de bandidos aleatórios que não servem pra grandes coisas.
Sun Wukong
Como evidenciado por seu peitoral sempre nu e sem mamilos, ele é o colírio da Caprihco da história, que é uma cópia estúpida de Son Goku, com direito a rabo de macaco, poste vermelho como arma, só faltando uma nuvem voadora, pois até a Jornada ao Oeste tem. Ele está na história para não ficar forçado demais que as quatro protagonistas são lésbicas ou encalhadas, servindo ele como par romântico para Blake, afinal furries amam furries nesse mundo.
Roman Torchwick
O primeiro antagonista da história, é um psicopata com gravíssimos problemas mentais que tem como passatempo praticar maldades diversas como roubos apenas porque sim, por isso se veste como o personagem do Laranja Mecânica e não tem a menor vergonha de assumir seu masoquismo, apanhando em absolutamente todas lutas em que participa, porque aquela sua bengala que atira chumbinho não causa dano em ninguém. Acaba morrendo no final da terceira temporada quando foi devorado por um pombo gigante, bem do nada mesmo.
Cinder Fall
Grande vilã nas primeiras temporadas, quem imaginaria que quem interpreta sua voz é a renomada cosputa Jessica Nigri. O seu arco é um dos maiores plot-twists da história dos animes quando descobrimos que ela nada mais é que uma yandere obcecada pelo fracote do Jaune, matando sua primeira Pyrrha a sangue frio com tiro de flecha e depois empalando sua crush Weiss com uma lança de fogo. Como Jaune é um virjão tapado, não percebe que está lidando com uma mulher sentimentalmente perigosa. Cinder, sem ter seu amor retribuído, adota duas crianças de rua para criar como filhos adotivos, a irônica Emerald e o sarcástico Mercury, seus fiéis servos que ajudam sua mestra Cinder em seus planos malignos de assimilar os poderes do Capitão Planeta para si.
Salem
A maior vilã de toda a saga, é uma mulher albina que tem alta sensibilidade a raios ultravioletas do Sol e por isso não pode sair do calabouço onde mora, precisando ter capangas para fazer todo o serviço pelo qual teoricamente ela poderia fazer tudo sozinha, mais rápido e com mais eficiência, claro, se ela pudesse sair daquele salão sinistro onde ela habita. Ela controla todos os monstros e seu objetivo é extinguir a humanidade, basicamente pelo motivo dela ser uma mulher muito má.