Abrir menu principal

Desciclopédia β

Rancor

Pessoa rancorosa, depois de rever o engraçadinho que há 10 anos atrás lhe roubou o papel principal no teatrinho da escola.

Cquote1.png Você quis dizer: Ódio eterno Cquote2.png
Google sobre Rancor
Cquote1.png Experimente também: Mágoa destrutiva Cquote2.png
Sugestão do Google para Rancor
Cquote1.png Não sou rancoroso, apenas não sou de perdoar fácil. Cquote2.png
Alguém inventado uma desculpa sobre Rancor


Rancor é um sentimento no qual você se recusa a perdoar o filho da puta responsável por ter feito alguma coisa aleatória que por um motivo ou outro, venha a ter prejudicado você, na sua concepção. Não confundir com ódio, ira, vingança ou raiva, embora estejam ambos diretamente relacionados. Pessoas portadoras do Rancor costumam ser mau humoradas por natureza, e se você por exemplo, pisou no dedão do pé de um rancoroso hoje, daqui há 70 anos ele vai relembrar do ocorrido, e é provável que ele morra e não te dê o perdão.

Índice

Origens do rancorEditar

 
Os olhos de um rancoroso ao fitarem aquele que lhe fez mal.

O rancor é um sentimento milenar da natureza humana. Ele tomou forma na vida da humanidade com o próprio surgimento dos seres vivos. Podemos dizer que o rancor teve origem dentro das comunidades de dinossauros na Pré-História, e se estabeleceu com a luta pela sobrevivência. Alguns T-Rex machos, em muitas ocasiões trabalhavam juntos na busca pelo alimento. Até porque, diferentemente do que a mídia sugere, era muito difícil dar conta sozinho de um Brachiossauro ou de um Anquilossauro. Então, estas criaturas resolviam juntar-se, para atacar em dupla. Sempre que a caçada era bem sucedida, eles costumavam dividir o alimento em meio à meio. Porém, alguns tiranossauros espertinhos e trapaceiros, começaram a enganar outros, para no momento de distração dos mesmos, devorar a sua parte do rango. Isso começou a gerar um sentimento de ressentimento e raiva, e inconformados com aquela traiçoeira situação, os tiranossauros passarama viver um longe dos outros, sempre visando a morte de seus semelhantes quando os encontra, como manifestação de todo o seu rancor, que passou a ser um legado. Desde então, isso tem se tornado um padrão para todas as espécies: fez qualquer coisinha que deixa alguém com esse perfil puto, é rancor na certa.

Definindo o rancorosoEditar

Uma pessoa rancorosa, dentro de um contexto geral, é todo e qualquer indíviduo estourado (ou mau amado) que a qualquer sinal de ameaça (ou seja, o ato ou efeito de fazer alguma coisa que em sua cabeça, represante algo prejudicial para sua moral ou orgulho), origina no fundo do fundo do coração, uma mágoa, ressentimento e ódio extremos e eternos, que apesar de não ficarem muito visíveis, são tremendamente destrutivos, e podem culminar em algo indesejado, como por exemplo, a morte do infeliz que feriu orgulho do rancoroso.

 
Uma pessoa rancorosa, sempre que se lembra do que o filho da puta lhe fez no passado.

Todo esse ódio, passa a ser o senhor absoluto da alma e do espírito do desgraçado infeliz, que, quando não manfiesta seu ódio odiando a pessoa em todo santo segundo de sua vida, manifesta seu rancor odiando a pessoa sempre que se lembra do ocorrido. E acredite: um rancoroso NUNCA se esquece do que ocorreu. Por isso, não fique surpreso caso sempre que ele te veja, a primeira coisa que ele faça seja associar qualquer coisa que você diga ou faça (até mesmo um aperto de mãos), à qualquer coisa que você tenha feito no passado que tenha prejudicado-o na concepção dele. Em alguns casos, o rancor evolui para ódio, onde neste ponto, é capaz do indivíduo lhe virar a cara e nunca mais te dar um bom dia. Em alguns casos mais extremos, ele contrata um assassino profissional para te matar, já que a vingança em muitas ocasiões tem origem com o rancor.

Apesar disso, rancorosos costumam ser sinceros: sempre vão fazer questão de que você saiba na lata que você fez alguma merda que os incomodou. Começam dando indiretas do tipo: "Esse Sol escaldante me lembra muito de acontecimentos passados, como quando certa pessoa, não lembro quem, derramou água quente em cima da minha escultura de gelo para o campeonato de artes da escola no tempo do colegial"; e acabam com diretas do tipo: "Se lembra daquela vez, há 30 anos atrás, que você, em toda a sua burrice e distração, devido a incompetência e ao cérebro de avestruz, derramou água quente na minha escultura de gelo que eu iria escrever para o campeonato de artes da escola durante o colegial? Ainda estou puto".

Rancor durante os períodos da vidaEditar

O rancor, como já mencionado, é um sentimento próprio da natureza humana, um comportamento absolutamente normal para pessoas enraivecidas por natureza. Na infância, o rancor é muito comum em crianças chatas e birrentas. Elas manifestam tal sentimento, quando por exemplo um amigo dá uma festa num parque de diversões infantil sem convidá-las, ou quando por exemplo, os pais dizem não e deixam de comprar aquele doce ou brinquedo que o pirralho tanto queria, que acaba deixando-o ressentido em muitas ocasiões para todo o sempre.

 
Adulto rancoroso ao entrar no Facebook e se deparar com aquele bully que o perseguia durante a infância.

Na adolescência, o rancor já se manifesta com maior agressividade, sendo do tipo em que sempre que o jovem se depara com por exemplo, aquele bully que sempre o humilhou durante todos os períodos de sua vida escolar, é inevitável que o mesmo se esqueça do ocorrido, e na maioria das vezes, desejará a morte para o infeliz. Ou seja, na adolescência, as chances de um simples rancor evoluir para uma súplica por vingança são altamente altas.

Na fase adulta, o rancor se manifesta muito mais violentamente. Em boa parte das ocasiões, está diretamente associado com a ira, o ódio, e a depressão. Se na adolescência as chances de o sujeito em questão calmar por vingança são maiores, na fase adulta as chances do adulto executar aquele que lhe prejudicou esta vingança é que são maiores. Isso deve-se porque, a essa altura do campeonato, o rancor de anos atrás adquiriu proporções tamanhas à ponto de se tornar psicológico, e isso gera ainda mais neuroses e psicoses na mente perturbada do indivíduo, ainda assombrado pelo último pedaço de pizza roubado na maior grosseria e falta de respeito. Por exemplo, Serial Killers, antes de serem vingativos e começarem a matar tudo e todos, começaram como meros rancorosos, mas que em vista disso, evoluíram a ponto de se tornarem crias do capeta.

Rancor na Escala Atrocitus de RaivaEditar

De acordo com a Escala Atrocitus de Raiva, o ato ou efeito de odiar e desejar a Morte do próximo é dividido em partes, das quais o Rancor é uma delas. Vamos para a classificação:

Fase 1 - Raiva: A raiva é a primeira fase dessa escala. Ela começa quando por exemplo, alguém pisa no seu pé e de imediato, você xinga a mãe do imbecil, num gesto meio que automático. A raiva é o estágio inicial unicamente por ser passageira, porém, dependendo do tamanho da burrada que o outro fez, ela pode ser tão forte à ponto de evoluir para o próximo nível.

 
Uma mulher rancorosa após 30 anos se deparar com o cara que roubou seu lápis de escrever na época da escola.

Fase 2 - Ira ou Fúria: A Ira, conhecida por ser um dos pecados capitais, costuma ser o ponto onde a coisa fica preta. Isso porque, não queira despertar a Ira de alguém como Kratos ou Jason Voorhees. Sem mais delongas, a Ira ou Fúria é a evolução da raiva. Se não raiva o máximo que ocorria quando alguém pisava nos eu pé era você xingar a mãe dele, na Ira, você além de xingar a mãe dele, vai querer tirar satisfações, meter porrada ou retribuir o gesto pagando na mesma moeda e também pisando no pé do sujeito para que ele sinta como é. Em algumas ocasiões, a fúria será tanto que você até poderá matá-lo. Mas não confunda com vingança, pois mortes ocasionadas por Ira costumam ser involuntárias, no "calor do momento", enquanto mortes ocasionadas pela vingança são propositais e sem remorsos.

Fase 3 - Rancor: É aqui que encontra-se o foco desse artigo, o rancor. Apesar de ser um item em muitas ocasiões de suma importância para a formação de jovens (e velhos) psicoptas, o rancor pode ser em algumas ocasiões opcional ou alternativo. Ou seja, pode ocorrer de ele nãos e manifestar, e da Ira, pular direto para a Fase 4. O rancor nesse contexto ocorre quando mesmo depois da raiva, mesmo depois de você já ter espancado o indivíduo que pisou nos eu pé, você não consegue desculpar o cara e muito menos esquecer do que ele fez. Logo, sempre que você andar na rua e se deparar com o cara, automaticamente seu cérebro projetará a lembrança do desgraçado pisando no seu pé, e mesmo que você tente esquecer, você vai acabar novamente à ponto de ir até lá e aplicar mais alguns sopapos nele por ele ter pisado nos eu pé há 20 anos atrás.

Fase 4 - Ódio: Esta fase é muito mais destrutiva. Na maioria das vezes, se desenvolve quando o rancor é tanto que você chega a ponto de desistir de tentar controlá-lo e passa a adotar a prática com mais frequência. Enquanto que no rancor você só odeia o cara quando vê o indivíduo, no ódio você passa a amaldiçoar a vida do maldito 24 horas por dia, e não faz a menor questão de esquecer, pois quer odiá-lo mais e mais, e acaba tornando-se um viciado em odiar o próximo. Geralmente é nessa fase que os anéis vermelhos o convocam para ingressar na Tropa da Ira.

Fase 5 - Vingança: A vingança é o ápice de todo o ódio e fúria. Ela é a evolução do ódio, e ocorre quando mesmo depois de você xingar a mãe, espancar, desejar a morte sempre que se lembrar e odiar todos os segundos de sua vida; você ainda não estará satisfeito e se verá a fazer algo mais contra o indivíduo que pisou no seu pé. Você vai dedicar cada minuto de sua vida a elabora rum plano maquiavélico de como destruir completamente o indivíduo que pisou no seu pé; os filhos do indivíduo que pisou no seu pé; e até mesmo os netos do indivíduo que pisou no seu pé, para só assim, poder descansar e se sentir bem para consigo mesmo.

Ver tambémEditar