Abrir menu principal

Desciclopédia β

Revolução Mexicana

Revolução Mexicana foi uma merda foda que aconteceu no México de 1910 à 1920 que mudou para sempre e completamente todos os paradigmas da sociedade mexicana como um geral, tornando aquele país a maravilha democrática e próspera que vemos hoje em dia liderando a América do Norte.

Este evento histórico cheio de tramas, personagens, Sancho Pança, traição, cabelos bem penteados, vilãs com muito laquê, empregadas fofoqueiras, cenários de papelão, humor e muita luta armada tornaram o México um dos países divertidos de se estudar a história, ao contrário do Brasil.

Índice

AntecedentesEditar

 
Madero, o Tony Stark mexicano, tramando algo maligno.

Tudo começou quando o bigodudo Porfirio Díaz quando estava em seu plenário perguntou uma frase que já era seu jargão: "¿Alguien en contra de mi reelección?" ao que naquele ano de 1900 pela primeira vez um anônimo se ergueu clamando "¡Yo me opongo!" este que morreu tragicamente em seu anonimato com um tiro no peito. Por mais de 30 anos o General Díaz permaneceu no poder pois conforme sua lógica, uma vez que os espanhóis já estavam expulsos, o povo mexicano acostumado a ser explorado precisava de um ditador soberano para continuar explorando-os.

Díaz começou a achar que o povo mexicano estava pronto para um país democrático, e autorizou a criação de partidos políticos para que pudessem haver opositores a disputar com ele. Francisco I. Madero (ou Roberto Bolaños de Barba) foi um dos primeiros a se animar a criar logo um partido de oposição, o Partido Nacional Antirreeleccionista com um nome típico de um partido mexicano tradicional. Todavia, assim que Díaz percebeu que podia ser derrotado, se recusou a deixar o poder e pouco antes das eleições de 1910, Madero foi preso em Monterrey e posteriormente transferido para San Luis Potosi, foi acusado de contrabandear boinas com os franceses, e assim foi banido do México e preso em San Antonio no Texas.

Madero fugiu e começou a conspirar secretamente nos desertos do norte mexicano, criando por lá o famoso Plano de San Luís cujo tratado era ficar espalhando rumores, fofocas, boatos, montagens de Paint comprometedoras e tudo o que pudesse desmoralizar o governo mexicano vigente em 1910 com Díaz.

Revolução maderistaEditar

 
Mexicanos lutando por líderes bigodudos que posteriormente os explorarão da mesma maneira que os líderes anteriores os exploravam.

Madero, tal qual qualquer personagem de Chespirito, decidiu salpicar um pouco mais de graça na monótona história do México e assim em 20 de novembro de 1910 a partir das seis da noite em diante, convocou centenas de cidadãos sedentos por confusão, armados com facas, paus, chocalhos e travessas de burritos para marchar e derrubar o atual governo, mas começando por aldeias isoladas no meio do deserto, tanto que na primeira vez que Madero tentou conquistar uma cidade maior, Casas Grandes, ele perdeu vergonhosamente.

Vários ataques guerrilheiros continuaram de 1910 a 1911 sobre diversas aldeias que nem sequer tinham nome, mas a tomada de Juárez foi a que chamou a atenção de Díaz que estava até então coçando o saco lá na capital, sem Juárez os parlamentares do ditador ficaram automaticamente sem suas remessas de marijuana e isso acabou com a moral dos governantes, que sob fortíssimas crises de abstinência ficaram insanos e se espalharam aleatoriamente pelo país batendo as suas cabeças em postes.

Emiliano Zapata é outro personagem importante dessa novela, inicialmente ele não passava de um mero cachorro adestrado de Madero e líder dos cangaceiros mexicanos, além de popularizador do sombrero, mas depois que foi ganhando fama por causa de seu bigode bem recortado ele fundou o zapatismo, que é a versão mexicana do MST, criando uma revolução dentro da revolução

Presidência de Madero (1911-1913)Editar

Díaz temendo ser enforcado, renunciou à presidência e se mudou para a França onde ele ajudaria mais tarde a desencadear a Primeira Guerra Mundial. Sem presidente foram convocadas novas eleições completamente direcionadas a eleger Madero, e assim foi feito.

Quando Madero tornou-se presidente, o poder subiu a cabeça de seu amigo Zapata e ele queria para ele mulheres, tequila, mil hectares com agave, tecelãs de sombreros e diversas outras exigências que ficaram perdidas visto que metade do documento original foi queimado por Madero. Sendo assim, ocorreria a revolução da revolução que tiraria Madero do poder.

Ditadura de Victoriano HuertaEditar

Victoriano Huerta assumiu a presidência do México e decidiu colocar fim a toda essa palhaçada de novela mexicana ao melhor estilo da ditadura absolutista monárquica. Mas então ocorreria a revolução da revolução da revolução, pois os mexicanos insatisfeitos com o governo de Huerta decidiram resolver isso com uma nova revolução que o tirasse do poder.

Revolução constitucionalistaEditar

 
Povo mexicano lutando na Revolução constitucionalista.

Venustiano "Bigodes atiradores" Carranza, político, empresário e videoblogger no youtube, nascido em Coahuila, rebelde sem causa, liderou a revolução para garantir sua tequila. Infelizmente, este foi morto em batalha depois de 10 anos, uma batalha contra um dinossauro mutante.

Huerta terminou seu governo de maneira pacífica com a ajuda de Mussolini. Em 1918 o conflito interno entre a classe política mexicana era uma disputa onde os políticos queriam 10 mulheres, uma garrafa de tequila e a presidência. Então, as pessoas decidiram fazer uma convenção, onde eles escolheriam suas mulheres em partidas de palitinho. Este acontecimento foi denominado de Convenção dos Bastardos.

Francisco Villa e Zapata foram assassinados, a República Monárquica Federativa Democrática Ditatorial foi instaurada, e quando a Revolução Mexicana terminou, a Primeira Guerra Mundial na Europa já tinha terminado, e titio Hitler já estava planejando a próxima treta.