Abrir menu principal

Desciclopédia β

Riacho Fundo II

Cquote1.png Você quis dizer: Fim do Mundo? Cquote2.png
Google sobre Riacho Fundo II

Riacho Fundo 2 é uma das recentes favelas do Distrito Federal que surgiu do nada, quando um bando de paraíbas, goianos e marginais decidiram querer ser gente e ter uma cidade e casa para morarem. A região é um belo exemplo de total falta de criatividade para nomes que um povo pode ter, além de expressar uma completa falta de amor e orgulho por sua cidade que leva o mesmo nome da cidade mãe seguida de um número...

Índice

HistóriaEditar

 
Zona nobre da cidade num belo alvorecer. É possível reparar um feliz cidadão indo pegar um jornal para limpar a bunda.

Se o Riacho Fundo é uma favela de Brasília, o Riacho Fundo II é a favela da favela, então não espere muita coisa desse local, que deve ser evitado a todo custo (a não ser que você esteja procurando comprar armas de alto calibre por preços acessíveis).

A cidade surgiu quando mendigos que acamparam na beira da estrada ganharam casas em troca de votos em 1990 e fundaram o bairro (favela grotesca) do Riacho Fundo II pertencente ao Riacho Fundo. Com o tempo foi surgindo um sentimento nacionalista de independência, e Roriz, na época que regularizou um bando de favelas em 1993, não deixou o Riacho Fundo II de fora. Hoje muito avançada culturalmente e socialmente, a cidade de Riacho Fundo II goza até de um estatuto penal próprio, onde a pena capital é legalizada, e execuções por fuzilamento são muito comuns.

O nome da cidade teve a origem idiota de ter herdado do Riacho Fundo, que homenageia o pequeno curso d'água que corria naquelas bandas antigamente, até a região ser assolada pela praga de retirantes mortos de fome, despejados de invasões. O tal riacho virou um valão de esgoto a céu aberto, que de tanta bosta acabou aterrado e hoje ninguém mais sabe onde ficava. Dizem que os até os barracos tomaram conta das áreas antes ocupadas pelo leito daquele finado córrego. E uma coisa que nem Deus sabe no Riacho Fundo II é para onde vai o cocô do povo, já que não há esgoto e quase não há privadas.

Os endereços das barracas do Riacho Fundo estão subdivididos numericamente aleatoriamente em QI (Quadras Imundas), QN (Quadras Nortes), QC (Quadras Çul) e QS (Quadras Sujas). Além do bairro do CAUB (Casas Abandonadas que são Uma Bosta).

Muito pouca falta para Riacho Fundo II tornar-se uma boa cidade. Faltam apenas asfalto, hospitais, delegacias, cinemas, bons restaurantes, bancos, farmácias, praças, luz, água, transporte, esgoto, mulheres bonitas e outras pequenas coisas. Mas lá tem muitas feiras (especialidade candanga), muambas e tráficos, apenas o essencial.

EconomiaEditar

A economina do Riacho Fundo II é muito... horrível. As lojas duram pouco mais de uma semana obrigando a população a acabar indo comprar suas bugigangas na feira rolo, ou vão para favelas vizinhas como Taguatinga.

As únicas lojas de todo Riacho Fundo II que duram mais de uma semana são as fármacias. Essas você pode encontrar em todas esquinas, sempre ao lado de um salão de beleza (que não dura mais de uma semaana).

No Riacho Fundo II não existe um posto de gasolina sequer, devido à lei da oferta e demanda, uma vez que ninguém ter carro.

LazerEditar

Nada

SegurançaEditar

No Riacho Fundo II, não existe nenhuma delegacia de polícia, mas existe postos policias criados pelo Arruda, que não adiantam de porra nenhuma, já que o policial não pode sair lá de dentro, aliás, servem sim, servem para comer na Saborella, Donatella e Snob's.

Não existem bandidos nessa favela, os bandidos que assaltam lá são alguém bem desinformado porque não há nada para roubar por ali. Riacho Fundo II é no máximo esconderijo dos assaltantes da Ceilândia, Recanto das Emas e Samabaia.

Os produtos roubados no Riacho Fundo II são revendidos muitas vezes na Feira do Rolo, aquela mesma da Ceilândia.

TransporteEditar

 
Um ônibus saindo de Riacho Fundo II.

ÔnibusEditar

O transporte do Riacho Fundo II é excelente, um dos melhores do mundo, conta com a moderna infra-estrutura do enorme terminal rodoviário imaginário de onde partem todos dias meia-dúzia de moderníssimas latas de sardinhas (conhecidas como ônibus)

Os ônibus do Riacho Fundo II tem o efeito chamado sardinha humana, nesses veículos as leis da física são ignoradas podendo até dez corpos ocuparem o mesmo lugar.

As tarifas no valor de uma passagem aérea transportam, para ir trabalhar de faxineiro no Plano Piloto, os vários passageiros nesses ônibus a manivela, sem cadeiras, sujos e barulhentos.

Muitos passageiros cansam de esperar estes incríveis ônibus e fazem seu trajeto a pé mesmo.

Vale lembrar que os ônibus que vem do CAUB, sempre rodam vazio devido a sua coloração amarelada, uma tática usada pelos empresários para camuflar os ônibus já que no CAUB só tem barro, então o ônibus passa e ninguém vê.

MetrôEditar

O Riacho Fundo II, não tem nenhuma estação do metrô, mas tem um microônibus integração que passa nos pontos de ônibus a cada 24 horas (mas que estudos científicos duvidam de sua existência).

Os passageiros desses microônibus tem de ir no teto pois estes veículos possuem duas cadeiras: a do cobrador, e a do motorista, e um estreito corredor. E os empresários nomearam de cadeiras, falsos pequenos assentos onde não é possível nem colocar a mão.

v d e h
BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL