Abrir menu principal

Desciclopédia β

Rolezinho

Pobre0002.jpg Esty artygo é dy pobry!

Esty artygo é sobry koyzas dy póbry, peçowas póbrys y o dono
taméyn dévy dy sê un pobretãwn do karáy!


Cquote1.png No meu shopping não! Cquote2.png
Ricos sobre Rolezinho
Cquote1.png Eu sou rolezeira! Cquote2.png
Guria retardada sobre Rolezinho
Cquote1.png É nóis tiozão, saqualé? Tamo de rolêzin aí na sua quebrada pleibói de merda! Cquote2.png
Favelado sobre Rolezinho
Cquote1.png Não vejo nada de mal. Cquote2.png
Dilma sobre Rolezinho
Cquote1.png Mas eu sim, filha da puta. FORA PT! Cquote2.png
Coxinha sobre Rolezinho

O Rolezinho (lat. 'Parum Ingredior'), também conhecido pela polícia como arrastão, teve sua origem no Rio de Janeiro (não poderia ser diferente), e se espalhou por São Paulo (também não poderia ser diferente), e posteriormente por todo o país (que vive de copiar os dois anteriores). Consiste no ato de juntar diversos outros maloqueiros e vadias e entrar em pequenos grupos de 300 nos shoppings mais caros do lugar onde você mora.

Frequentadores (fauna)Editar

O rolezinho reúne alguns exemplares de pessoas tão exóticos, que quando bem analisado é possível ver que quem na verdade parece estar incomodando é inocente. Vejamos alguns destes ilustres cidadãos:

 
Típicos rolezeiros
  • Garoto adolescente pobre: Geralmente está ali pra pegar mulher. Fãs incondicionais de Mc Guimê e Léo Stronda, são facilmente reconhecidos por bonés com diamantes, correntes mais grossas que suas canelas no pescoço, celulares mais caro do que a casa onde vivem e roupas falsificadas da Ferrari e Armani. O som característico deste nobilíssimo e amigável exemplo de ser humano é o funk que emana de seu telemóvel, gritos causados pelo frenesi de estar em um local onde apenas gente com dinheiro frequenta, catuaba e Schweppes Citrus. Está sempre a procura de uma novinha pra levar no matinho, ou apenas dar uns beijinhos mesmo. Aparelhos falsos coloridos e corte de cabelo do Neymar, são opcionais.
 
Aprende o passinho do rolezinho aí, seu segurança!
  • Novinha periguete pobre: Sempre gritando com seu grupo de amigas que igualmente estarão gritando com seu grupo de amigas, calças atoladas na bunda, muito creme no cabelo e poucos dentes na boca, são as musas do evento e a principal causa de todos estarem ali. Idades variadas entre 10 e 35 anos, vão procurar maridos e pais para seus filhos, muitas vezes concebidos durante o evento.
  • Segurança despreparado: São em média 90% dos seguranças de shopping do Brasil. Em seu mundo alucinado, acreditam que são policiais e que tem autoridade para bater e revistar os pequenos favelados, geralmente porque os mesmos estão cometendo um tipo qualquer de errinho, como furto a joalheria, ou sexo no banheiro. Seus sons característicos são códigos retardados usados em frases, como "Wéllingson, verifica esse Q.T.C., copia?", "Jêisclon, vou passar férias na P.Q.P., copia?", "Lammar, hoje no Q.G tem uma festa com sauna G.A.Y., pra gente, copia?". Todas as frases devem terminar com "copia?".
  • Policiais descontentes: São policiais que nem sempre são más pessoas. Estão lá fazendo seu trabalho, putos com os seguranças que estavam agindo como polícia, putos com os bandidos que se esconderam no meio dos favelados e puto com quem mandou eles irem ao invés da Guarda Civil Metropolitana da cidade. Por conta destes fatores, alguns ultrapassam os limites e estreiam seus novos brinquedos como bombas de gás e balas de borracha.
  • Playboy coxinha incoerente: Está lá apenas pra reclamar. Culpa o PT por tudo e enaltece o PP. Acha que o rolezinho é apenas uma desculpa para assaltos e sequestros relâmpagos. No fim das contas ele esquece tudo e vai assistir o novo Velozes e Furiosos depois do Mc Donalds.
  • Patricinha esquerdista feminista defensora dos direitos dela mesma: Também foi só pra reclamar. Culpa o PSDB por tudo e enaltece o PT. Diz que os pobres jovens sofrem repressão, assim como as mulheres sempre sofreram e ainda sofrem. Pois as mulheres, tem dois turnos de trabalho, pois só elas lavam roupa. E só elas sofrem violência doméstica, assim como só elas são vistas como objetos. Homem não é feminista e deveria ser exterminado (Sim, eu entro em RAGE só de escrever isso).

Épicos rolezinhos da históriaEditar

 
Típico final de rolezinho.

Durante a história, alguns rolezinhos épicos foram realizados. Vamos a uma pequena linha do tempo:

  • 334 a.C.: Rolezinho de Alexandre, o Grande, no shopping Macedônia. Rolezinho este que durou cerca de 11 anos e foi marcado por poucos roubos e poucas vadias, uma vez que seu organizador preferia rapazes.
  • 1945: Rolezinho de Hitler, no shopping Europa. O organizador deste evento era meio afetado e decidiu que deviam dominar o shopping inteiro, começando pelas lojas pequenas de roupas de frio e partindo para a loja da Channel. Quando foi tentar invadir uma filial do Rei do Mate, encontrou muita resistência, mas achou que seria fácil, então mandou uma parte dos seus amiguinhos comprar vodka para misturar com Tang. Atendentes do Burger King decidiram se juntar aos do Rei do Mate e para isso precisaram dar umas porradas nos sushi man do Gendai. Uma parte dos rolezeiros estava encurralada pelos seguranças do mercado da vodka e a outra pelos balconistas do Mc Donalds e Rei do Mate. Não podendo combater em duas frentes, teve fim o rolezinho do Adolfinho.

Ver tambémEditar