Abrir menu principal

Desciclopédia β

Ruína de Durin

Dercy gonçalves.JPG Um artigo sem imagens deixava Dercy muito puta!
Essa merda de artigo possui poucas ou nenhuma imagem, cacete!. Adicione novas imagens no artigo aí, porra!
NovoWikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Ruína de Durin.

Cquote1.png Em troca dos seus serviços, vocês ganharão muita grana e é claro, a reputação de fodões do grupo Balrog! Cquote2.png
Morgoth sobre seus escravos servos nas Ruínas de Durin

A Ruína de Durin ou Perdição do Capeta, na obra do emaconhado Tolkien, é um Balrog e portanto Maia, que tem papel de destaque no primeiro volume da série "O Senhor dos Anéis", na qual rolaram muitas confusões e rituais satânicos.

Sua históriaEditar

Diziam que, há 10 mil anos atrás, havia um ser chamado de Raul Seixas, conhecido antigamente como Morgoth, o Primeiro Senhor do Escuro, atraiu alguns Maiar para seu serviço, e os corrompeu, tornando-os Balrogs, Flagelos do Fogo escravos sexuais. Durante uma grande guerra, a Guerra da Ira, a maioria dos Balrogs foi derrotada (graças a Deus), mas alguns conseguiram escapar, e este em questão fugiu para as Montanhas Nebulosas, principalmente o Raul que se escondeu nas terras proibidas, onde mudou radicalmente a sua vida com muita música e drogas.

Mas, por mais de cinco mil anos o Balrog ficou nas profundezas das montanhas, em Moria, ou Khazad-dûm, o Reino dos Anões para corrompe-los a praticar pedofilia, ou não. Lá ele ficou, durante a Segunda Era e a maior parte da Terceira Era, até que os mineradores anões de Durin VI, a casa do Mithril, o acordaram e lutaram contra esses pedófilos, cortando seus bilaus e o jogando nas masmorras profundas pro resto das vidas desses caras. Durin foi morto pela criatura, daí o nome Perdição de Durin, onde restou apenas as suas ruínas, estilhaçadas em mais de oito mil pedaços.

Na guerra do anelEditar

Durante a Guerra do Anel, a Sociedade dos Anais Anéis atravessou Moria em seu caminho para a Montanha da Perdição. Lá encontraram o Balrog na Ponte de Khazad-dûm. O elfo Legolas reconheceu-o imediatamente. Gandalf, o Cinzento, estava lá, e sabendo que o monstro era muito mais poderoso que seus companheiros, ele o desafiou para um duelo de cartas.

A briga foi sanguinária, quebra-pés, quebra-ovos, fatalitys, brutalitys... Eles lutaram por dois dias e duas noites, mas no fim o Balrog caiu derrotado, quebrando a encosta da montanha com a queda. Gandalf, porém, se fudeu, mas espíritos superiores aos Maiar, chamados Valar, permitiram que Gandalf, o Cinzento, voltasse à Terra Mérdia, com poderes ainda maiores, e, deixando para trás o nome Cinzento, Gandalf voltou como "o Branco" onde por lá ele partiu para as Terras Proibidas para escravizar os outros com suas músicas infernais.


v d e h
Universo Tolkieniano