Abrir menu principal

Desciclopédia β

São Bento (Maranhão)

Cquote1.png se é um cu ! entao so pode ser o da tua mae seu filho de uma egua ! Cquote2.png
Argumento de um habitante local ao ser questionado sobre como a cidade está sem asfalto, com esgoto a céu aberto, gente pobre pelos cantos e demais mazelas

São Bento é um pequenino terreno arrendado, localizado lá no cu do Maranhão. Atualmente, possui cerca de 37.000 habitantes, sendo que todos eles são caipiras brigões que passam os dias apenas trocando tiros de carabina entre si. Por possuir uma área ridícula, que chega a ser menor do que pênis de japonês, São Bento quase sempre é confundida com um banheiro público. Mesmo assim, todos os caipiras de lá sentem orgulho de morar em São Bento, o que é bem compreensível, afinal, em que outra cidade eles poderiam ficar trocando tiros sem serem presos pela polícia?

Índice

HistóriaEditar

 
Panorama da higiênica Feira de São Bento, cujos dejetos nem precisam ser enviados ao lixão, os urubus já dão conta.

Inicialmente, São Bento era apenas um grande matagal, que os turistas que estavam indo para São Luís usavam para dar aquela descarregada.

Com o tempo, alguns doidos acharam que, mesmo com um terrível cheiro de merda, São Bento era um lugarzinho bom para morar. Por conta desse "achar", os doidos cortaram um pouco dos matagais da região, e construíram os primeiros barracos de madeira.

Porém, como tudo que é bom acaba logo, certo dia, quando os doidos estavam dando um tapa na pantera sossegadamente em frente de seus barracos, chegou em São Bento um sujeito chamado João Alves Pinheiro, que tomou a terra deles utilizando métodos de grilagem.

Após ter tomado conta de São Bento, João Alves, com a ajuda de seus escravos, começou a desenvolver a região, pois acreditava que, algum dia, São Bento se tornaria uma cidade realmente produtiva, com uma economia quase tão poderosa quanto a de Tangamandápio. Infelizmente, até os dias de hoje isso nunca aconteceu, pois o máximo que São Bento conseguiu foi se igualar à economia de Araponga.

Alguns anos após a morte do grileiro João Alves, alguns vagabundos que queriam terras sem ter que trabalhar chegaram na região, e já foram fixando moradia... E foda-se o governo!

Com essa ocupação, São Bento conseguiu se desenvolver, sendo que tudo aumentou na cidade... Aumentou o número de favelas, aumentou o número de impostos, aumentaram o número de assassinatos... Enfim, aumentou tudo, em todos os sentidos.

Atualmente, São Bento continua sendo apenas um terreninho arrendado, habitado apenas por caipiras.

EconomiaEditar

É bastante movimentada. Todos os dias, os caipiras de São Bento vão armados até as cidades vizinhas, matam na base do tiro de carabina qualquer um que esteja andando na rua e roubam a carteira do defunto. Após isso, eles levam todo o dinheiro arrecadado para a prefeitura de São Bento, que gasta tudo para comprar cachaça e promover a alegria geral da população local. Obviamente, alguns trocados (ou melhor dizendo, alguns milhares de trocados) vão para os bolsos do prefeito, mas... Quem se importa? O importante é que tem cachaça a vontade!

EducaçãoEditar

Em desenvolvimento. Atualmente, os moradores mais inteligentes de São Bento já sabem como pronunciar o alfabeto inteiro, sem precisar da ajuda de professores. Alguns também sabem como escrever o próprio nome sem o professor ter que ficar pegando na mão para ajudar, porém, esses são muito poucos.

TransportesEditar

Em expansão. Recentemente, a prefeitura de São Bento comprou diversos paus-de-arara, para levar os habitantes mais pobres e sem condições de pagar impostos até alguma favela de São Paulo. No mais, só ruas esburacadas.

EsportesEditar

Futebol na cidade não há. Os poucos peladeiros que por lá jogam se convenceram de que jogam bem, o que seria óbvio, pois só jogam uns contra os outros em sua perebice.

ReligiãoEditar

Não dá para andar uma esquina nessa cidade sem antes não ver alguma igreja maldita tentando consolar o povo da cidade dizendo que estes irão ao céu depois de morrer. Caso alguém conteste esta religião, já é logo taxado de amigo do satanás e coberto de ameaças do tipo "tomare que pegue câncer" ou "você irá queimar no inferno" ou "tomare que um maçarico a todo vapor meta 30 centímetro no cu da sua mãe, após no cu do pai 50 centímetros e, por último, no seu cu e deixe dentro dele por 7 dias e 7 noites", realmente uma cidade de gente feliz e gente respeitosa.