Abrir menu principal

Desciclopédia β

São Domingos do Maranhão

São Domingos do Maranhão, comumente chamada apenas de São Domingos do Zé Feio ou simplesmente Zé Feio

Índice

HistóriaEditar

 
Uma rua desenvolvida e bem movimentada de São Domingos do Maranhão.

São Domingos do Maranhão é um exemplo perfeito de que terras férteis e água em abundância não significam prosperidade para o atrasado povo do interior do Maranhão. Fundada na região justamente para usufruir destas riquezas naturais, na prática nunca passou de mais uma cidade pobre do interior nordestino que ninguém se importa.

GeografiaEditar

Esta cidade encontra-se no interior do Maranhão, situada no litoral do Mar do Zé Feio (Lagoa do Zé Feio).

EconomiaEditar

A principal cultura da cidade é a maconha, onde é vendida no comércio local, onde seu maior consumidor é o prefeito. se não trabalhar na prefeitura tem que trabalhar na roça de abacaxi.

A maior industria da cidade é a prefeitura municipal, que incentiva os seus moradores a cultivar maconha e folha de coca para suprir os desejos do seu chefe maior, o senhor prefeito. Dessas culturas vem o sustento de mais da metade dos habitantes da cidade que só possuem essa fonte de sobrevivência.

No fim de semana, como em toda cidade do interior, toda a população de São Domingos do Maranhão se reúne na Praça da cidade, o maior centro de diversificação de culturas já conhecido. Lá se encontram desde jumentos fazendo sexo, à patricinhas de progressiva e 2 quilos de pó compacto na cara, esperando os playsson chegar em carros lotados e levá-las ao Keop's (o maior puteiro da cidade), onde em cada show há uma morte. Em frente ao cemitério Luis Rocha é onde as putas estão de plantão, vão com os homens casados, e descem até o chão ao som de uma caixa de som, e como não podia faltar, em cada sábado há uma morte.

A atual situação da cidade é a de abandono, com funcionários com 5 meses de salários atrasados.

PolíticaEditar

Conhecida mundialmente por sua guerrilha durante as eleições municipais, é a única cidade do Brasil, que apesar das eleições serem realizadas com urnas eletrônicas, o resultado só é divulgado três meses depois, pois a contagem dos votos correm o mundo, passando pela Casa Branca, Arco do Triunfo, Vaticano, Águas do Gandis, Brasília e finalmente pelas mão do Sarney.

Os três meses que antecedem as eleições são marcados por uma guerrilha entre os habitantes (que assim como em Parintins-AM ficam totalmente divididos em CAPRICHOSO e GARANTIDO) mais em São Domingos do Zé Feio, o povo se divide em FOLHAS e TRATORES.

O dia das eleições é o dia mais tranquilo da cidade, pois o exército, marinha e aeronáutica, são contratados para manter a paz na cidade, após esse dia a guerrilha volta a tomar conta do povo.

O dia do resultado final (provavelmente três meses apos as eleições) é o dia do confronto final, é convocado a Tropa de choque de São Paulo, o Bope do Rio, a SWAT, FBI e CIA dos EUA, a INTERPOL da cooperação internacional e finalmente o exército israelense, mesmo assim não conseguem evitar que aconteça o tradicional quebra-quebra no Fórum Municipal e na Prefeitura. O lado da população que ganha as eleições passa o dia, a noite e a madrugada, arrastando malas e galhos de folhas nas ruas esburacadas da cidade, batendo nas portas dos perdedores, soltando foguetes, bebendo cerveja, e fazendo piadinhas feito um bando de vagabundos e desempregados.

PopulaçãoEditar

Contando com 36.400 habitantes. Desse Total vivem na cidade apenas 24100 habitantes (10000 mulheres, 8500 cornos, 5600 velhos caducos). Os demais 8000 habitantes já emigraram para São Paulo e Mato Grosso e voltam falando um idioma ainda não catalogado, enquanto 4200 habitantes vivem nas favelas de São Luís ou Teresina, e 100 habitantes são emos analfabetos de baixo Q.I. E acredite se quiser, mesmo nesse fim de mundo também se encontram emos e playboys.

EducaçãoEditar

Em São Domingos do Maranhão, os estudantes pensam que massa muscular e academia vão mudar o que Deus fez (só rola bomba, e anabolizantes, o que torna este município com a maior taxa de jovens broxa do Brasil).

Em todos os casos desses pobres, muitos não comem para pagar a mensalidade da escola. Escola onde só se recebe dinheiro e não se executa nenhuma reforma. Escola onde o sinônimo é pobreza eterna.

CulturaEditar

Como em toda cidade do Nordeste, dança-se forró, molim-molim, terrecó e quadrilhas onde os integrantes são malas sem alça.

Passar a noite a madrugada e o dia em bares espalhados em todas as esquinas da cidade e outros lugares é hábito local. E assim encher a cara faz parte da cultura de São Domingos do Maranhão.

As festas com equipamentos de som começam na quarta e terminam na terça.

Também faz parte da cultura local algo denominado de "fuxico", sendo que BBB é brincadeira de criança, em São Domingos do Maranhão todo mundo sabe da vida de todos, e quando não sabe de nada eles inventam.

TurismoEditar

 
População se reunindo às margens do Lago do Zé Feio para testemunhar mais uma afogamento de bêbado, um dos grandes atrativos turísticos do local.

O único ponto turístico dessa cidade é o famoso Mar do Zé Feio (Lagoa do Zé Feio), sendo este um gigantesco esgoto a céu aberto, no qual os moradores juram de pés juntos que o esgoto da cidade não vai para lá, apesar de todo mundo ver rios de esgoto sendo despejados lá descaradamente. A lagoa é rodeada de botecos, e todos os fins de semana, os playboys e patricinhas, juntamente com suas famílias falidas, se reúnem ao canto superior, num buteco onde só tem peixe frito, cerveja quente e refrigerante de marcas genéricas. É enfim o maior, menor, mais bonito, mais feio, mais baixo, mais alto quer dizer único ponto turístico da cidade.

No canto superior do lago, quase ao lado do maior motel a céu aberto da America Latina (Praça do Farol), está a Cabana Bambu, que é só um grande pé de bambu, com um monte de puta embaixo, louca pra arrumar alguém bem bêbado que as levem ao famoso Beco do Butano pra dar umazinha.