Abrir menu principal

Desciclopédia β

São José (Paulínia)


60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: São José.

Cquote1.png Você quis dizer: Favela urbana Cquote2.png
Google sobre São José (Paulínia)
Cquote1.png Favela o caralho, nóis só é da periferia Cquote2.png
Morador do São José revoltado esclarecendo sua situação.
Cquote1.png O São José é um bairro pobre. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre São José
Cquote1.png Puta que pariu, que é isso? Cquote2.png
Daniel de Oliveira sobre o maior bairro de Paulínia.
Cquote1.png Faveladu, faveladu Cquote2.png
Playboy do Calegaris sobre morador do São José.
Cquote1.png Só nóis aparece em placas indicativas no centro. Cquote2.png
Idiota do João Aranha (Paulínia) sobre a aparição do nome "João Aranha" nas placas do centro.
Cquote1.png Vamo cumê aqueles filha da puta. Cquote2.png
QUalquer um do São José sobre moradores do João Aranha.
Cquote1.png Passa a grana! Cquote2.png
morador do São José para um turista que se perdeu em Paulínia.
Cquote1.png Sejam bem vindos ao Nova Paulínia II. Cquote2.png
Imobiliária da Scopel quando ainda havia terrenos para serem vendidos.
Cquote1.png Campos do Conde Paulínia II, no melhor de Paulínia. Cquote2.png
Rodrigo Faro sobre condomínio no São José.
Cquote1.png Vamu lá acaba c'os viadinho!! Cquote2.png
Torcedor do União São José sobre 100% Maranhão, Liberdade ou João Aranha, seus eternos rivais.
Cquote1.png Nóis vai dominar Paulínia! Cquote2.png
Traficante do Bom Retiro sobre o sonho inalcançável de dominar Paulínia.

São José é um fim de mundo bairro localizado na periferia de Paulínia, fim de mundo capital de São Paulo. É o principal local de vivência de seres narcotraficantes e maconheiros em Paulínia, e, exceto o Bom Retiro, o maior centro de favelados da cidade.

Índice

OrigensEditar

 
Típica população do São José.
 
Imagem histórica do pioneirismo sanjoseísta na arte de cheiramento de gatinhos.

Versão improvávelEditar

Não há informações fiáveis sobre a origem do São José. A mais aceita é a de que Chuck Norris, na sua juventude, também cometeu pequenos tropeços (como já dito, nada foi comprovado) e tivera um namorico com Adolf Hitler emo, o grande ditador. Desse desvio moral resultou uma série de seres extrínsecos à humanidade denominados genericamente de sugioses, que se caracterizavam por terem herdado o desvio de conduta da mãe e a força e inteligência do pai. A junção desses seres com habitantes da Zona Leste teria originado a população do São José.

Versão impossívelEditar

Outra versão, tão sem pé nem cabeça quanto a outra, diz que o bairro se originou de invasões bárbaras vindas de Cosmópolis, que fugiam da guerra de Cosmópolis. Mas essa hipótese é muito questionada devido ao aparecimento de fontes que mostram que Cosmópolis foi colonizada pelo São José.


GeografiaEditar

 
A grande feira do São José, na Rua Ana Maria Padovani.

O bairro é dividido em várias zonas, que são:

  • São José lado ímpar: O lugar mais sinistro, é formado por ruas cujos números de identificação são ímpares (óhh). Geralmente os rachadores e maconheiros se encontram na rua 5 para fumar aquele beque e disputar um racha nervoso. Nas esquinas das ruas 3, 5, 6, 1, 4, 2 e avenida 1, formam um piscinão toda vez que chove, apelidado genericamente de piscinão do baixo ésse-jota. Nas ruas 39, 21 e 3 há trechos obscuros em que é possível a ocorrência de latrocínios, e fuga de ladrões que acabaram de limpar a Fazenda São José.
  • São José lado par: A região mais insignificante do São José, composta por três tipinhos: os pobres dementes que falam que moram no João Aranha, os metidos a ricos que não falam onde moram e os retardados que não sabem onde moram, por isso dizendo que moram no São José I.
  • Sâo José lado misto: é o local onde as ruas tem numeração misturada. É formada por vários tipos de gente, desde bandidos como os do lado ímpar quanto de gays como os do João Aranha. Há uma grande incidência de assaltos a comércios e, assim como no lado ímpar, ocorre rachas e latrocínios em certos pontos.
  • São José II: A região mais nova de Paulínia, é formada por ruas que ainda não tem nome. Possui uma rotatória central e um muro na entrada que servem como ponto de encontro para maconheiros e cheiradores.

PiscinãoEditar

 
Piscinão na avenida principal.
 
Cena polêmica, alguns acreditam que o sanjoseísta lava o seu carro roubado; outros afirmam que ele está trabalhando para garantir seu sustento.

Em vários lugares do São José ocorre um fenômeno denominado piscinão. O maior é o piscinão do baixo SJ, que ocorre nas ruas Dorcelino Rodrigues da Cunha, Alice Fávero, Mariuza de Souza Ferrari, Ângela Irene Ferro Bergamini, Antônio Argentin, Cecília Sanchez Fernandes e Avenida Ferrúcio Ferramola. Há outros piscinões nas ruas Antônio Basseto, Nathan Guilherme Costa, entre outras.

O piscinão surge depois de uma chuva forte. QUando há ventos então, os moradores podem se deliciar com as ondas que se formam. É basicamente a única diversão do povo, além, claro, dos racha e das roleta russa.

Rivalidade com outros bairrosEditar

João AranhaEditar

 
O anúncio de cima foi feito por um ibirapuerense, e o de baixo por um sanjoseísta, colegas na escola estadual Padre Narciso.

Sanjoseísta vida loka que se prese odeia o João Aranha e os ibirapuerenses. Seu sonho é ver o João Aranha destruído, principalmente o loteamento Chácaras São José, que denigre o santo nome do bairro com seus boiolas enrustidos que gostam de se divertir na caixa da água da Sebesp. Em 2011, depois de nunca, o João Aranha disputará a primeira divisão do campeonato paulinense. A polícia já está planejando um esquema especial de segurança para o jogo contra o União São José, que promete ter muitos jogadores e torcedores ibirapuerenses mortos ou com lesões graves.

Sanjoseísta gosta de assaltar ibirapuerense na avenida João Vieira ou mesmo na ciclovia da avenida João Aranha. Por isso, quem é do João Aranha nunca pára quando sai de carro de casa, até chegar ao Jardim Planalto, cuja população apática sói se envolve em conflito quando encontram assaltantes pé-de-chinelo do Morro Alto em suas residências.

Marieta DianEditar

Dianistas são bandidos ruelas e folgados, segundo os sanjoseístas. Por não ter o que roubar no seu próprio bairros, os malandros dianistas vão assaltar as residências do São José, que muitas vezes está vazia pois seus moradores vagabundos trabalhadores estão fumando crack na praça fazendo seu ganha-pão em algum lugar. Por isso, os sanjoseístas odeiam profundamente os dianistas (que além de tudo são cosmopolenses), fato considerado curioso por algumas pessoas, pois São José e Marieta Dian são bairros irmãos. Agora eu te pergunto: existe irmãos não se odeiam?

Bom Retiro e adjacentesEditar

Essa rivalidade é fácil de ser explicada: São José e as adjacências bonretirenses (Bom Retiro, Cooperlotes, Parque dos Servidores e, em menor grau, o Monte Alegre) disputam o controle do tráfico na cidade de Paulínia. Além do mais, o São José o representante típico de Paulínia, ao passo que o Bom Retiro tem ligações estreitas com Sumaré (e tem o Marieta Dian, indiretamente ligado com Cosmópolis), o que exacerba a rivalidade inter-bairros.

Esportes e culturaEditar

O São José é muito tradicional nos esportes e na cultura em Paulínia. O bairro é sede do União São José, time que só leva lapada importante no campeonato amador de Paulínia, que conseguiu a proeza de perder o título de 2011 para o seu terceiro maior rival, chamado 100% Maranhão (WTF???) e possui uma quadra de grama sintética utilizada por maconheiros para fumar unzinho e bater uma bola. A quadra fica numa praça que possui mais drogado do que pessoas de bem (como o bairro todo).

A população do São José é adepta da cultura do crime, ou seja, gosta de puxar uns fuminhos, cheirar umas carreirinhas e consegue sua pouca renda assaltando outras pessoas. Um dos festejos mais populares no bairro é a festa da chuva de erva, festejada logo após a época da colheita da erva e da folha de coca. Nela todo mundo compartilha um grande recipiente com ervas em chamas chirando a doce fumaça que sai pelo seu orifício superior.

CuriosidadesEditar

 
Sanjoseísta brincando com seu reflexo.
  • Todos os moradores do São José são sanjoseístas.
  • Os sanjoseístas curtem um RAP e fazem umas parada firmeza.
  • No São José não há rede de esgotos e bocas de lobo.
  • A única vez que o São José apareceu na TV foi quando dois barbeiros bateram dois ônibus.
  • O São José tem dois condomínios de luxo, ainda assim quem mora lá prefere dizer que vive no João Aranha.
  • Todos os sanjoseístas tem um carro de malandro.
  • O Sâo José fica da ponte pra lá. (Ou da ponte pra cá, depende de onde cê tá).
  • De cada dez sanjoseístas, 9,9 fuma maconha (o resto é a elite e só aceita cocaína).

Hino dos Bairros de PaulíniaEditar

Fui lá no João Aranha caçar homem, não achei
Só achei vários baitolas que comi e me esbaldei
Fui ali no Morro Alto ver um belga, não encontrei
Só encontrei uma cambada de preto que desprezei
Fui ali no Marieta comprar casa não achei
Só achei muito mato por todo lado, cansei
Fui lá no Bom Retiro ver um gênio, não encontrei
Só achei um monte de burro, loira, feio e português
Fui lá no São José comprar droga, e achei
Fumei e cherei pra caralho, e agora me ferrei


v d e h
PAULÍNIA