Abrir menu principal

Desciclopédia β

Sétimo Severo

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg


Cquote1.png Você quis dizer: 7º Severo? Cquote2.png
Google sobre Sétimo Severo

Busto feito em sabão crá-crá de Sétimo Severo.

Lúcio Septímio Severo (em latido Lucius Septimius Severus Pertinax - traduzindo: Lucinho Sétimo Severo Pertinente), ou simplesmente Sétimo Super Nanny Severo foi um manda-chuva de Roma entre os anos de 193 e 211 (ou seja, 1900 e guaraná com rolha). Foi o primeiro estelionatário da história a virar imperador romano, por conseguir falsificar sua verdadeira origem, já que ele era bárbaro e não romano. Quando morreu, em 4 de fevereiro de 211, foi eleito diva pelo Senatus Populus Que Romanus.

De ascendência punitiva e berberrona, Severo conseguiu situar-se na sociedade romana e até mesmo ter uma próspera carreira política na que chegou a ser governador da Panônia (a.k.a Terra do Pão). Após a morte matada misteriosa do imperador Pertinax, os pretorianos venderam a preço de banana o trono do Império a Dídio Juliano, um rico e influente senador, um tatatatatatatatatatatatatatataravô de José Sarney. Contudo, desde o começo do seu reinado Juliano teve de enfrentar uma férrea oposição procedente do PT povo maldito e o exército.

Aproveitando que o novo imperador puto era um tremendo tabacudo, uma série de governadores de província, entre os que se encontrava o próprio Severo Imperador, fizeram uma panelinha e soltaram as frangas (frangos iidiota burro). Com o fim de dar uma de espertinho e dominar seus rivais na sucessão, Severo marchou contra Roma antes de todo mundo e arrancou a bunda de Juliano do trono, mandando a Inquisição Espanhola jogá-lo na fogueira Santa de Israel.

Após uns anos de Zorra Total em que Severo teve de ser severo com uns tais de Pescador Ninja da Síria e a Codórnio Branquelo da Gália. Severo conseguiu mostrar que era O CARA e fundou a sua própria dinastia na qual ele enfiaria seus pimpolhos, Gueta e Cara-a-Cara; apesar de Gueta ser trancado no armário até morrer pouco depois da morte do seu pai pelo seu irmão maior.

Militarmente o seu reinado caracterizou-se pela bem-sucedida guerra que efetuou contra o Império da P.Q.Pariu, consequência da qual Mesopopótamo voltou a cair sob controle romano. Nesta campanha os seus soldados saquearam a cidade de Semterumafonte e mandaram os sobreviventes pra morrer trabalhar no Circus Maximus. Ao seu regresso a Roma, foi erigido um Pênis do Triunfo a fim de comemorar esta vitória. Bem, pra falar a verdade, era pra mostrar os dotes do imperador. Se bem que isso é questionável, mas tudo bem. Nos seus últimos anos teve de defender as fronteiras dos ataques dos bárbaros, que vêm aí, olê, olê, olá!, que punham em perigo a integridade territorial do Império. Especialmente duros foram os levantamentos que decorreram na Pré-Inglaterra, pelo qual Severo mandou reforçar o Muro de Adriano, tá me ouvindo?

As suas relações com o Senado sempre foram Entre Tapas e Beijos, pois ficava mostrando que era o fodão com o apoio do BOPE da época. Ordenou executar zilhões de senadores sob acusações de corrupção, mensalão, atos secretos, manipulação de votos e conspiração de panelinha, e substituiu-os por homens fiéis à sua causa, ou seja, chimpanzés. Dissolveu as coortes praetoriae (WTF?) e substituiu-as pelos seus seguranças (a.k.a. Hell's Angels) a fim de se assegurar um total controle político e a sua própria segurança (ou seja, queria mandar todo mundo que o desobedecesse pro chinelo, ou mesmo bani-los). Durante o seu reinado acamparam nas imediações da capital imperial mais de oito mil uns 50.000 soldados. Embora as suas ânsias de poder tornassem Roma numa ditadura militar, Septímio Severo foi muito popular entre a população (possivelmente ele ficava comprando os votos dela prometendo cargos, blá, blá, blá...) devido a que restabeleceu a moral após os anos decadentes do governo de Incômodo e conseguiu conter a corrupção imperante. Afinal, quem não o obedecesse, ia ver o quanto ele era SEVERO!

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Sétimo Severo.

Índice

BioEnrolagrafiaEditar

Origens e cursus honorumEditar

 
A esposa de Sétimo, se ele não a tivesse esquecido no altar.

Nasceu a 11 de abril de 145/6 (ninguém sabe ao certo) em Lepra Maior, cidade situada na Tripulaçãolândia, na costa de Líbia. Severo era de origem berbere e púnico através do seu pai, Públio Septímio Geta, quem obteve a cidadania romana durante o século I. A sua mãe Fúlvia Pia descendia de uma família na que todo mundo pulava a cerca com cidadãos italianos. Ambos os ramos familiares estavam compostos por notáveis idiotas; o seu avô servira como prefeito de Leptis antes que Tibério convertesse a cidade numa colônia governada por um duumvíri (WTF?). Contraiu matrimônio com Júlia Domna, uma mulher árabe da Síria (é árabe ou síria?). Dona era filha de Júlio Basiano, sumo sacerdote do Templo do Verão de Emèse. Fruto deste matrimônio nasceram duas crianças, Gueta e Cara-a-cara. Ela acabou virando Dona da casa imperial, tendo de lavar 60 quartos, sendo 59 suítes e mais 30 banheiros.

O historiador Dião Cássio descreve-o como um anão, delgado, magricelo, cabeçudo e quadrado. Severo tinha um forte acento (possivelmente acento circunflexo, o que foi removido por causa do Acordo Ortográfico de 1990), o que deu vazão pras trollagens dos seus contemporâneos; porém, a sua rápida ascensão política reflete a prosperidade da qual por esta época gozava a província da África (antes de virar a miséria que virou hoje...), e a sua perfeita integração no mundo romano. Talvez devido aos dotes dos africanos, ou não.

Graças a um dos seus primos que frequentara a corte imperial, Severo conseguiu uma peixada em Roma com 18 anos. Ali serviu em numerosos postos civis e militares, fazendo o povo comer o pão que o diabo amassou. Foi eleito questionador em Roma (169), peixada necessária para a posterior participação no Senado, e serviu como questionador provincial na Sardinha (171), região insular da Itália no Mediterrâneo Ocidental, a 200 quilômetros da Península Itálica, blá, blá, blá...

Nomeado ligado (173), cargo de espião do estado-maior, do pró-Brastemp na África, Gaio Septímio Severo, voltou a Leptis e casou-se (176) com Palhaçia de Marte, que tinha frigidez e não sabia fazer sexo gostoso, morrendo virgem poucos anos mais tarde. Tornou-se preto (177), capitão de legião na Síria (180-182) e nomeado governador da Gala de Lugdung(184), antiga região da Zoropa que compreendia a França, parte do território belga e oeste da Alemanha. Viúvo, casou-se (187) com Julia Domna, membro de importante família de sacerdotes de Emesa, na Síria, com a qual teve os filhos Cara-a-cara (188) e Gueta (189).

Durante o reinado de Incômodo, desempenhou de maneira brilhante a sua carreira senatorial, e foi destinado durante uma época para a Gala de Lugdung, onde nasceram os seus dois filhos de varão.

Graças ao apoio do chefão da Guarda Pretoriana, Emílio Laeto, obteve o posto de legatus da província da Terra da Pamonha Superior, na qual lhe foi dado o comando de três legiões para defender a fronteira.

Luta pelo trono: O Ano dos Cinco ImperadoresEditar

 
Sétimo indo pra festa de suas amigas monas.

No novo dia, de um novo tempo que começou de 192, o imperador Incômodo foi declarado inimigo pelo Senado e assassinado por um dos seus libertos, Narciso Maximus, no filme O Gladiador (bunitinho o filme, né?). Impertinente foi enfiado no poder pelo Senado como novo imperador depois que pagou uma bela propina.

À sua chegada ao poder, o novo imperador apercebeu-se de que eles tavão DUROS, sem money no bolso, saúde ou sucesso. A fim de tentar ganhar dindin, ImPertinente decidiu eliminar despesas supérfluas, como pias de ouro, cuspidores de prata e chapéus de diamante. Três meses depois os senadores arretados simplesmente mandaram ImPertinente pra puta que o pariu e colocaram Dídio Juliano no lugar dele. Dídio conseguiu o trono num leilão dirigido pelos pretorianos no que se impôs ao sogro de Pertinente, Tito Flávio Sulpliciando.

 
Oitavo Severo, um pobre esquecido irmão de Sétimo.

Após os assassinatos de InCômodo (192) e de ImPertinente (193), Dídio Juliano decidiu se armar até os dentes, tendo comprado uma Winchester 22 com um colega boliviano chamado Pablo e foi proclamado imperador por suas tropas, jurando vingar a morte de seu predecessor, chegando até a acrescentar ImPertinente a seu próprio nome. Para combater Pescador Negão da Piroca, que havia sido proclamado imperador pelas legiões do Oriente, marchou para a Itália, encontrando somente emos fracassados, e, depois que a maioria do Senado o apoiou, Dídio Juliano foi morto e os pretorianos que haviam assassinado ImPertinente fugiram. Tendo de enfrentar dois candidatos rivais ao trono - Negão no Oriente e Clódio Branquelo no Ocidente, preferiu enganar temporariamente este último associando-o ao trono enquanto dirigia-se ao Oriente para enfrentar Negão, que foi finalmente derrotado e morto em AntiOhQuê (194), cidade do sul da Anatocha. Puniu severamente as cidades e as províncias desleais - especialmente AntiOhQue, que perdeu parte do seu território, e Bizôncio, que continuara a resistir mesmo depois da morte de Negão, sendo toda fudida - e iniciou (195) a invasão do Mesopopótamo, onde subjugou tudo quanto era árabe.

A 1 de junho de 193, o Senado condenou Dídio Juliano à Inquisição Espanhola, pra pôr Severo no lugar dele, que se apresentou em Roma com o seu exército a 9 de junho daquele ano. O assassino de Juliano foi um dos pretorianos que o levaram para o poder (até tu, Brutus?). À sua chegada a Roma, Severo convidou a Guarda Pretoriana a um beber cair e levantar no seu acampamento; mas quando os pretorianos chegaram acabaram se fodendo, sendo mortos com uma vassoura na bunda. Severo substituiu os pretorianos por soldados originários da Pamônhia.

Foi então que as bibas se revoltaram de vez:

  • No Oriente Pescador Negão, governador da Síria, recusou aceitar a severidade de Severo. O seu próprio exército fez um trono pra ele, e ainda conseguiu o apoio da província do Egito. Severo marchou imediatamente para leste e esmagou o indisciplinado exército de Negão. A batalha decisiva aconteceu em Isos, na Primavera de 194, quando Negão foi finalmente embranquecido.
  • Na Britânia havia uma ameaça muito mais séria sobre o novo imperador. Clódio Branquelo era um influente senador de origem africana (estranho era ele ser Branquelo também) que relevara o falecido ImPertinente no governo da ilha. O seu exército era numeroso e estava muito bem treinado, consequência de anos de uísque com as tribos escocesas. Severo conciliou-se habilmente com Branquelo ao oferecer-lhe um enorme carregamento de Johnnie Walker.

Porém, em 195, após uma campanha contra os Parturentes, Severo proclamou Branquelo um emo. Este último cruzou o Canal do Pano Branco em 196 querendo comer a cabeça de todos os homens que pôde reunir, cerca de mais de oito mil 40.000 soldados. A decisiva Batalha do Olodum aconteceu um ano depois perto da localidade do mesmo nome. Após a batalha, na que Severo e as suas legiões conseguiram enfiar 5 a 0 no time rival, Albino escapou, suicidando-se como todo emo pouco depois.

Severo mandou despojar da roupa ao corpo do seu inimigo pra usar, porque achou ela fashion. A sua cabeça foi enviada para Roma pra ser cozinhada e o seu corpo foi jogado no Roda do Ânus. A mulher e os filhos de Albino foram mandados pro Caldeirão do Hulk após isso.

Tendo enfim provado que era O CARA, Septímio Severo tomou o nome de ImPertinente (santa imitação, Batman!), proclamou-se filho de Marco Aurélio (falsidade ideológica), e criou uma genealogia fictícia que se remontava ao Nervosa.

MorteEditar

A fim de consolidar a sua sucessão, Severo casou o seu filho Cara-a-Cara com Palita, filha do prefeito do pretório Popeye com Olívia Palito. Porém as relações entre o casal deterioraram-se irremediavelmente, a ponto de irem quase sempre parar no Casos de Família e no programa da Márcia.

Organizou uma expedição para a Britânia (207) para combater os caledônios, levando consigo a esposa e os dois filhos pra fazer festinhas e lá permaneceu até sua morte (211), em Nova Nova Nova Nova Iorque Iorque, após realizar com sucesso vários shows no norte, com o desejo de expandir sua fama de cantor sertanejo sobre toda a ilha. Ambos os exércitos travaram uma série de batalhas até 209 sem que se produzisse nenhuma vitória decisiva. A fim de assegurar a fronteira norte do Império, Severo reforçou o Muro de Adriano.

Preocupado com as atitude de doido de Cara-a-cara, fez com que Gueta (209) se tornasse césar, segundo posto de comando após o imperador. Seu último conselho para os filhos, em seu leito de morte, foi: "Não deem tapinhas na cara um do outro, paguem muita propina aos soldados e mande todo o mundo se fuder!".

Muito enfraquecido pela gota serena, Severo retirou-se para Iorque, onde faleceu a 9 de fevereiro de 211 à idade de 65 anos. Deixou mulher, 2 filhos pervertidos, gato, cachorro e um monte de pulgas e carrapatos no meio do corpo.

CuriosidadesEditar

Precedido por
Dídio Juliano
 
Imperador Romano

193211
Sucedido por
Caracala


Imperadores Romanos

Júlio-Claudianos
Otávio AugustoTibérioCalígulaCláudioNero

Guerra Civil e Flávios
GalbaÓtonVitélioVespasianoTitoDomiciano

Antoninos
NervaTrajanoAdrianoAntonino PioMarco AurélioCômodo

Severos
PertinaxDídio JulianoSétimo SeveroCaracalaMacrinoHeliogábaloAlexandre Severo

Zorra Total ou Quem der mais leva
Maximino TrácioGordianos (I, II e III)Filipe ÁrabeDécioTreboniano GaloValerianoGalienoCláudio II GóticoAurelianoProboCaroCarino

Tetrarquia e Constaninianos ou Agora somos cristãos, Amém!
DioclecianoConstantino MagnoConstantino IIConstanteMagnêncioConstâncio IIJuliano ApóstataJoviano

Valentinianos e Teodosianos ou Corra que os bárbaros vêm ai
Valentiniano IValenteValentiniano IITeodósio MagnoHonórioConstantino IIIValentiniano IIIPetrônio MáximoÁvitoMajorianoLíbio SeveroAntêmioOlíbrioGlicérioJúlio NeposRômulo Augustulo