Abrir menu principal

Desciclopédia β

Síndrome da Amante Adquirida

Asclepius.png A Desciclopédia não é um consultório de medicuzinho.
Por isso, tome vergonha e vá procurar um para fazer seu check-up.
Quando a outra ameaça, ela vai cumprir

Cquote1.png Eu tenho. Cquote2.png
Seu pai sobre SAA
Cquote1.png Safado, cachorro, sem vergonha! Cquote2.png
Mulher sobre SAA
Cquote1.png Sem vergonham! SEM VERGONHAM!!! Cquote2.png
Sílvio Santos sobre SAA
Cquote1.png Sempre alertei Cquote2.png
Falcão sobre SAA

A Síndrome da Amante Adquirida (SAA), popularmente conhecida como A outra ou SGVM (Síndrome da Grama do Vizinho que é Mais verde), e é uma doença fatal que afeta o sistema relacionador masculino, prejudicando inconscientemente em 1º grau esposas, noivas e namoradas e em 3º e mais preocupante grau o gênero masculino.

Índice

Formas de Contágio e SintomasEditar

 
Todas as modelos da Victoria's Secret transmitem SAA.
 
Comer carne de coelhas, dizem os cientistas, também pode ser uma forma de contágio da doença.

Apesar de ser transmitida por mulheres, a SAA afeta apenas homens. Em seu estágio final, pode sofrer uma mutação e virar a SCA (Síndrome da Cornitude Adquirida), sendo transmitida à mulher do contaminado. Incrivelmente, existem homens imunes à doença. São conhecidos como eunucos.

Estágio InicialEditar

  • Em grau leve, a doença começa a ser transmitida ao olhar dos homens às saias femininas nas ruas, calças de ginástica na academia, biquínis e filmes pornográficos. Nesse estágio, a SAA não afeta as parceiras dos mesmos, e é considerada inofensiva e de difícil percepção.

Estágio IntermediárioEditar

  • Num grau médio, o indivíduo portador passa a cometer atos mais afetuosos, como abraçar apertado suas amigas e conhecidas, dar 3 beijinhos no rosto perto da boca, chamar sua irmã de gostosa na rua, e em geral começa a aproveitar o aperto do ônibus para dar “aquela” encoxada na loira de saia da frente. Esse estágio é considerado preocupante, podendo se agravar consideravelmente caso o indivíduo encontre uma portadora do vírus, que o levará para a forma grave da doença. Fofocas de amigas e desculpas para jogos de futebol dos quais ele volta bêbado e fedendo a cigarro são os sintomas mais visíveis.

Obs.: Pedreiros e caminhoneiros são todos portadores deste grau da SAA.

Estágio FinalEditar

 
Homem comum: "Pra que rosas, se papel é mais eterno?"
 
Homem com SAA: "Pra que rosas, se diamante é mais eterno?"

No grau grave, a doença se torna fatal: o indivíduo passa a freqüentar boates como “Quinta Quente” e “Hot Strip”, enquanto mente à parceira que sua avó ficou doente e precisa passar a noite com ela; também é assíduo na “dança da cadeira” dos bailes funks cariocas e costuma encoxar todas suas amigas. Os sintomas mudam um pouco: as fofocas simplesmente desaparecem, mas todos te olham como uma coitada; as desculpas aumentam na mesma medida em que pioram; tudo será motivo para sua chegada atrasada: um caminhão o atropelou, um gato estava preso na árvore, ele foi ajudar uma ONG por uma semana inteira (a mesma do Carnaval da Bahia), sua amiga apenas se afogou na piscina e ele estava fazendo respiração boca-a-boca, sua irmã estava apenas pedindo ajuda pra consertar a encanação da casa dela (que estava debaixo da cama). Além desses, os sintomas físicos freqüentes são manchas de batom no colarinho, estadias em motéis pagas com o SEU cartão de crédito, telefones da Fer, da Bia, da Ana e da Jurema (sua empregada) nos bolsos do casaco. Vale lembrar que no estágio terminal da SAA, quando acontece um flagrante, o desfecho trágico é evidente: a doença sofre mutação e passa para a mulher no indivíduo na forma da SCA: a doença mata qualquer amor ainda existente na pobre coitada (muitas vezes o amor-próprio) e seu orgulho, podendo em alguns casos levá-la à depressão profunda (emo), ódio do mundo e dos seus habitantes (nazista) e até mesmo à loucura.

PrevençãoEditar

Não há meios de prevenção para os homens. As defesas do seu organismo são insuficientes pra conter esta doença, devido à presença do cromossomo Y; mas o agravamento da mesma depende exclusivamente do fator “nível de caráter”. Já em mulheres, a SAA não acontece, apenas a mutação SCA. Nesse caso, a doença tem como forma de prevenção o lesbianismo ou a internação em um convento.

TratamentoEditar

Para os homens com SAA, não há tratamento conhecido. A doença, evoluída ou não, acompanha-os pelo resto da vida. Para as mulheres com SCA, o tratamento mais eficaz é ganhar dinheiro na Mega Sena, o consolo do Ricardão, fazer uma plástica, silicone, lipoaspiração ou qualquer coisa que aumente seu ego. Só é necessário cuidado para que a depressão decorrida da doença não se agrave, portanto NUNCA se deve escutar Fresno e Nx Zero nesses casos, além de evitar filmes de melodrama e cabelos com qualquer tipo de franja, pois, caso contrário, o quadro se agravará irreversivelmente para uma mulher mal-amada!

Portadores em GeralEditar

Portadores de SAA (grave)Editar

 
Príncipe William dando uma apalpada na plebéia.

Portadoras de SCA (irreversível)Editar

 
Um sintoma agudo da SCA.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar


Síndromes, autismos, retardos mentais e outras frescuras patológicas da humanidade