Abrir menu principal

Desciclopédia β

Salto em distância

Salto em distância é indiscutivelmente a segunda prova mais retardada do atletismo, não superando apenas a marcha atlética que é hors concours. Este esporte básico consiste numa competição de quem pula mais longe, uma disputa típica entre crianças desocupadas.

Índice

HistóriaEditar

 
Um salto bem sucedido.

O salto em distância é um dos esportes mais antigos do mundo, pois a humanidade antigamente não tinha internet, videogame, nudes e absolutamente nada de divertido para passar o tempo, por isso na Grécia Antiga as pessoas competiam sobre quem pulava mais longe, inicialmente era teoricamente uma prova para que soldados treinassem, mas todos aqueles guerreiros sarados seminus eram um pederastas, a competição era nada mais do que uma desculpa para todos se vestirem em shortinhos que valorizassem suas coxas torneadas e musculosas. Foram os amadores que tornaram o esporte algo sério e popular, apenas uma mera competição de quem pula mais longe, e atualmente não mudou muita coisa como pode se perceber.

Foi um dos esportes introduzido na primeira Olimpíada da Era Moderna em 1896, e a falta de esportes disponíveis era tanta que de Paris 1900 até Estocolmo 1912 havia a versão do salto em distância que era realizado sem corrida, tal competição conseguiu superar a marcha atlética dentre os esportes mais ridículos possíveis e por isso foi banida.

RegrasEditar

 
Outro salto que certamente garantiu muitos pontos.

O objetivo do esporte é simples, o atleta deve correr e saltar por cima de várias caixas de areia cheia de cocô de gato. O objetivo é espalhar o máximo de areia possível para disfarçar o cheiro de cocô grudado em suas respectivas bundas. O competidor menos fedido vence a contenda. A quantidade de areia espalhada serve para dificultar o julgamento dos juízes, a velocidade do vento também influencia e o shortinho cavado na bunda também gera pontos.

Cada saltador tem três chances, e a melhor marca conta enquanto a competição é eliminatória, então se pular muito longe nas primeiras fases, isso significa absolutamente nada, sendo a única maneira de tentar fazer esse esporte sem graça ser mais ou menos emocionante.

Não se sabe porque, mas há empregos para dúzias de juízes nesse esporte, talvez cabide de emprego, pois qualquer pessoa com o curso primário incompleto seria capaz de sozinha saber quem pulou mais longe ou não.

Em algum momento alguém achou que o vento influenciava os saltos, por isso é colocado uma biruta (não um demente mental louco, mas um caçador-de-borboleta) que mede a velocidade do vento. Por causa disso a marcação de recordes mundiais e olímpicos é absolutamente aleatória não havendo qualquer lógica entre a distância do salto, a velocidade do vento, a direção do vento, ou a quantidade de cocôs de gato na caixa de areia.

RecordistasEditar

HomensEditar

Distância Vento (m/s) Atleta País
8.95 m
0.3
Mike Powell
  Estados Unidos
8.90 m
2.0
Bob Beamon
  Estados Unidos
8.87 m
−0.2
Carl Lewis
  Estados Unidos
8.86 m
1.9
Robert Emmiyan
  União Soviética
8.74 m
1.4
Larry Myricks
  Estados Unidos
8.74 m
2.0
Erick Walder
  Estados Unidos

MulheresEditar

Distância Vento (m/s) Atleta País
7.52 m
1.4
Galina Chistyakova
  União Soviética
7.49 m
1.3
Jackie Joyner-Kersee
  Estados Unidos
7.48 m
1.2
Heike Drechsler
  Alemanha
7.43 m
1.4
Anişoara Cuşmir
  Romênia
7.42 m
2.0
Tatyana Kotova
  Rússia
7.39 m
0.5
Yelena Belevskaya
  União Soviética
v d e h